Annwan- AKA-53 - História

Annwan- AKA-53 - História

Annawan

Asachem, ou chefe, dos índios Wampanoag que viveram durante a segunda metade do século 17 e serviu sob o rei Filipe como líder militar e conselheiro. Quando o rei Filipe foi morto em agosto de 1676, Annawan reuniu os guerreiros Wampanoag, liderou-os na fuga de um pântano no qual estavam cercados e iniciou uma campanha de guerrilha contra os colonos da Nova Inglaterra. Ele foi capturado no final daquele ano e decapitado em Plymouth, Massachusetts, por ordem das autoridades coloniais.

(YN-50: dp. 95; 1. 71'0 "; b. 19'0"; dr. 10'6 ")

Russell No. 15 - um rebocador construído em 1935 no Brooklyn, N.Y., por Ira S. Bushey & Sons - foi comprado pela Marinha em 28 de outubro de 1940 da Newton Creek Towing Co., da cidade de Nova York; renomeado Annawan no dia seguinte; designado YN-50: modificado para serviço naval pelo New York Navy Yard; e aí colocado em serviço em 8 de janeiro de 1941.

O concurso de rede foi atribuído ao 1 º Distrito Naval e chegou à Baía de Narragansett para iniciar o serviço em 20 de janeiro de 1941. Annawan passou toda a sua carreira cuidando de redes e operando como rebocador no 1 º Distrito Naval. Em 8 de abril de 1942, ela foi redesignada como YNT-18. Mais tarde, em 4 de agosto de 1945, Annawan tornou-se um rebocador de porto médio com a designação de casco alfanumérico YTM-739. Em 1 ° de setembro de 1946, ela foi colocada fora de serviço. Considerado um excedente para as necessidades da Marinha, Annawan foi entregue à Comissão Marítima em 6 de maio de 1947 para descarte. Seu nome foi finalmente retirado da lista da Marinha em 20 de dezembro de 1948.


USS Achernar (AKA-53)

USS Achernar (AKA-53) eram um Andrômedanavio de carga de ataque de classe a serviço da Marinha dos Estados Unidos, em homenagem à estrela Achernar. Ela serviu como um navio comissionado por 19 anos e 5 meses. Ela foi colocada sob um contrato da Comissão Marítima em 6 de setembro de 1943 em Kearney, New Jersey pela Federal Shipbuilding and Drydock Co., lançado em 3 de dezembro de 1943, patrocinado pela Sra. Adela Rogers St. John, adquirido pela Marinha em 29 de janeiro de 1944 , e comissionado em 31 de janeiro de 1944 com o Comdr. H. R. Stevens no comando.


ACHERNAR AKA 53

Esta seção lista os nomes e designações que o navio teve durante sua vida útil. A lista está em ordem cronológica.

    Navio de carga de ataque da classe Andromeda
    Keel lançado em 6 de setembro de 1943 - lançado em 3 de dezembro de 1943

Retirado do Registro Naval em 2 de fevereiro de 1965

Capas navais

Esta seção lista links ativos para as páginas que exibem capas associadas ao navio. Deve haver um conjunto separado de páginas para cada encarnação do navio (ou seja, para cada entrada na seção "Nome do navio e histórico de designação"). As capas devem ser apresentadas em ordem cronológica (ou da melhor forma que puder ser determinada).

Como um navio pode ter muitas capas, elas podem ser divididas em várias páginas para que não demore para carregar as páginas. Cada link de página deve ser acompanhado por um intervalo de datas para as capas dessa página.

Carimbos

Esta seção lista exemplos de carimbos postais usados ​​pelo navio. Deve haver um conjunto separado de carimbos postais para cada encarnação do navio (ou seja, para cada entrada na seção "Nome do navio e histórico de designação"). Em cada conjunto, os carimbos postais devem ser listados em ordem de seu tipo de classificação. Se mais de um carimbo postal tiver a mesma classificação, eles devem ser posteriormente classificados pela data de uso mais antigo conhecido.

O carimbo postal não deve ser incluído, a menos que seja acompanhado por uma imagem em close-up e / ou a imagem de uma capa mostrando esse carimbo. Os intervalos de datas DEVEM ser baseados SOMENTE NAS CAPAS NO MUSEU e devem mudar à medida que mais capas são adicionadas.
 
& gt & gt & gt Se você tiver um exemplo melhor para qualquer um dos carimbos postais, sinta-se à vontade para substituir o exemplo existente.

Tipo de carimbo postal
---
Killer Bar Text

Correio estabelecido em 31 de janeiro de 1944 - desativado em 9 de dezembro de 1946

Fleet Post Office
Navy 128
Pearl Harbor Br.

Em 1950, sem agência postal a bordo, o yeoman usou um cachet como se fosse um cancelamento
USCS Postmark Catalog

Correios restabelecidos em 20 de março de 1951 a 19 de dezembro de 1955

Tipo Locy
FDPS 2 2 de abril de 1951

Correios restabelecidos em 1961 - Desabilitados em 1º de julho de 1963

Outra informação

ACHERNAR ganhou 3 estrelas de batalha pela segunda guerra mundial
* Invasão da Normandia
6 a 25 de junho de 1944
* Invasão do sul da França
15 a 25 de setembro de 1944
* Operação Okinawa Gunto
Ataque e ocupação de Okinawa Gunto, 1 ° a 19 de abril de 1945

Ganhou 3 estrelas de batalha pela Coreia
* Inchon Landing
13 a 17 de setembro de 1950
* Agressão norte-coreana
18 de setembro a 30 de outubro de 1950
* Agressão da China Comunista
14 a 18 de novembro de 1950

Prêmios, citações e fitas de campanha.
Fita de Ação de Combate - Medalha de Campanha Americana - Medalha de Campanha Europa-África-Oriente Médio (2) - Medalha de Campanha Ásia-Pacífico (1) - Medalha de Vitória na Segunda Guerra Mundial - Medalha de Serviço de Defesa Nacional - Medalha de Serviço da Coreia (3) - Serviço das Nações Unidas Medalha - Medalha do Memorial da Guerra da República da Coreia

Prêmios de pessoal.
Corações Púrpuras 5 KIA, 41WIA, 2 de abril de 1945

HOMÔNIMO - Nomeada em homenagem à estrela mais brilhante da constelação meridional de Eridanus, com magnitude de 0,6. É pelo menos 200 vezes mais luminoso que o sol e uma das 10 estrelas mais brilhantes do céu. Fica a cerca de 118 anos-luz da Terra

Se você tiver imagens ou informações para adicionar a esta página, entre em contato com o Curador ou edite esta página e adicione-a. Consulte Editando as páginas do navio para obter informações detalhadas sobre a edição desta página.


Dicionário de navios de combate navais americanos

Trinta navios da classe Andromeda foram construídos entre 1943 e 1945. Os navios foram nomeados em homenagem a certas estrelas e condados estaduais dos EUA. Achernar's nome vem da estrela Achernar. A estrela é vista principalmente do hemisfério sul. Sua designação oficial é Alpha Eridani, e está localizado na Constelação de Eridanus (que significa 'o rio'). Esta constelação foi descoberta pelos Gregos Antigos, que a batizaram em homenagem ao deus do rio Eridanus. Achernar originalmente vem do antigo árabe "Akhir Al Nahar", que significa 'o fim do rio'. Achernar é a nona estrela mais brilhante do céu e seu diâmetro é o dobro do sol.

Achernar's A quilha foi baixada sob um contrato da Comissão Marítima dos EUA em 6 de setembro de 1943 em Kearney, New Jersey, pela Federal Shipbuilding and Drydock Company. Lançada em 3 de dezembro de 1943, ela foi patrocinada pela Sra. Adela Rogers St. John. Ela foi formalmente adquirida pela Marinha em 29 de janeiro de 1944 e foi comissionada em 31 de janeiro de 1944 com o Comandante H. R. Stevens no comando.

Após a conversão e adequação do Estaleiro da Marinha de Nova York, Achernar começou em 28 de fevereiro de 1944 e realizou shakedown na Baía de Chesapeake. Em 13 de março, ela chegou a Staten Island, N.Y., onde carregou a carga e embarcou o pessoal do Exército para transporte para a Grã-Bretanha. Ela se destacou no mar em 19 de março com o Convoy CU-18. Ela chegou a Swansea, País de Gales, em 30 de março e passou os dois meses seguintes transportando carga e pessoal entre vários portos no Reino Unido, em preparação para a invasão da Normandia.

Na última semana de maio de 1944 encontrou Achernar em Plymouth, Inglaterra. Em 1 ° de junho, ela foi designada a nave-sede do 1º Exército (comandante do Tenente General Courtney Hodges). Em 6 de junho, ela navegou pelo Canal da Mancha e, em 1609, ancorou em sua posição pré-designada na Baie de la Seine, França. Nos cinco dias seguintes, ela atuou como um centro nervoso para as tropas que lutavam por um ponto de apoio na França. Em 11 de junho, o quartel-general do 1º Exército desembarcou, e em 1148 Achernar começou para a Inglaterra. Após uma pausa de três dias em Plymouth, o navio mudou-se para Roseneath, na Escócia, para receber a carga e o pessoal de dois batalhões de construção. Em 19 de junho, ela voltou a Plymouth para carregar materiais para consertar embarcações de assalto danificadas e, em 22 de junho, partiu para a área de assalto na França. Enquanto estava na estação, ela sofreu vários ataques aéreos inimigos. O navio novamente deixou a costa francesa em 29 de junho para retornar à Inglaterra e chegou a Plymouth em 1º de julho. Em 5 de julho, ela recebeu ordens de navegar como parte do Grupo de Trabalho (TG) 120.6, que se dirigia ao Mediterrâneo para apoiar a invasão do sul da França. O navio entrou no porto de Oran, na Argélia, em 10 de julho. Seis dias depois, ela partiu para Nápoles, Itália. Após as operações de carregamento lá, ela mudou para um ancoradouro em Castellamare, Itália, em 2 de agosto. Ela então embarcou com pessoal da 36ª Divisão e partiu para o mar no dia 13 para o ataque no sul da França. Na manhã de 15 de agosto, sua tripulação começou a descarregar sua carga e a enviá-la para as praias. No dia seguinte, após terminar a entrega da carga, ela recebeu baixas a bordo e embarcou 13 prisioneiros de guerra alemães antes de partir às 21h para retornar a Nápoles.

Pelos próximos dois meses Achernar continuou fazendo viagens de Nápoles e Orã para pontos ao longo da costa sul da França. Em 25 de outubro, ele navegou de Oran para o oeste através do Estreito de Gibraltar em direção aos Estados Unidos. Ela chegou a Hampton Roads em 8 de novembro e passou por reparos e revisão geral no Norfolk Navy Yard. Em 7 de dezembro Achernar começou por um breve período de testes e exercícios na Baía de Chesapeake. O navio voltou a Norfolk em 11 de dezembro de 1944, recebeu carga e partiu em 18 de dezembro. Ela transitou pelo Canal do Panamá no dia de Natal de 1944 e chegou a Pearl Harbor em 10 de janeiro de 1945.

Após manobras táticas ao largo de Oahu de 17 a 19 de janeiro, o cargueiro começou a carregar carga em 12 de fevereiro e foi colocado no mar no dia 18. Achernar parou em Eniwetok em 26 de fevereiro, Kossol Roads em 4 de março, e ancorou na baía de San Pedro, nas Ilhas Filipinas, de 15 a 20 de março, antes de chegar ao largo de Okinawa em 1º de abril para apoiar a apreensão daquela ilha importante. Às 0043 do dia seguinte, 2 de abril de 1945, um avião suicida japonês atingiu o Achernar's estibordo e, quase simultaneamente, uma bomba, aparentemente lançada pelo avião suicida, explodiu a bombordo. Estouraram incêndios e o navio começou a adernar ligeiramente para o porto. Achernar perdeu cinco membros da tripulação mortos e 41 feridos.

À 01:00 os incêndios haviam acabado e a lista havia sido corrigida. Em 1525, o navio danificado transferiu suas vítimas para Consolo (AH-5) e começou a ancorar na praia de Hagushi, onde os reparos temporários começaram. Bos'n. Frank J. McMahon mais tarde recebeu a Medalha de Comenda da Marinha por montar com sucesso a escotilha número 3, que foi danificada pelo avião suicida, usando guinchos e equipamento de corrida da escotilha número 2. Na manhã de 3 de abril, Achernar mudou-se para Kerama Retto para começar a descarregar sua carga.

Achernar permaneceu em Okinawa até 19 de abril, quando partiu para os Estados Unidos via Ulithi e Pearl Harbor. Ela chegou a São Francisco em 13 de maio e começou a descarregar munição e combustível. Dois dias depois, ela entrou na doca seca para reparos e revisão. Ela começou novamente em 10 de julho para uma operação de shakedown ao longo da costa da Califórnia. Em 4 de agosto Achernar deixou São Francisco para retornar a Pearl Harbor, onde ela chegou uma semana depois e imediatamente começou a descarregar sua carga. Ela ainda estava no Havaí quando as hostilidades terminaram em 15 de agosto de 1945. Achernar em seguida, transportou pessoal e equipamento entre o Japão e várias outras ilhas do Pacífico e participou das operações do "Tapete Mágico", devolvendo os veteranos aos Estados Unidos.

Em 28 de novembro de 1945, Achernar chegou em Seattle. Uma semana depois, S.S. H. H. Raymond colidiu com ela em uma tempestade. Como resultado dos danos que ela sofreu no acidente, Achernar entrou na doca seca em 22 de dezembro para reparos.

Achernar retomou a marcha em 16 de janeiro de 1946 e retomou as operações entre a costa oeste e vários portos do Extremo Oriente e do Pacífico. Quando o Serviço de Transporte Marítimo Militar foi formado em 1º de outubro de 1949, ela fazia parte de um grupo de navios de carga de ataque selecionados para serviço na nova organização, continuando suas visitas aos portos do Pacífico e Extremo Oriente. Durante agosto de 1949, Achernar participou da Barex-49, uma expedição de suprimentos a Point Barrow, Alasca, transportando suprimentos e saindo antes que a calota polar permanente se fechasse novamente. No caminho de volta para Seattle, Achernar chamado em Nome, Alasca.

Com a eclosão da Guerra da Coréia, Achernar estava completando a revisão no Estaleiro Naval de Hunters Point. Ela começou em 7 de julho de 1950 e logo começou a embarcar tropas e carga para transporte para a zona de guerra. No dia 14, o navio juntou-se ao TG 53.7 e partiu para o Japão. Ela descarregou sua carga em Kobe, Sasebo e Yokosuka. Em 13 de setembro, ela deixou o Japão e participou da invasão de Inchon, na Coréia, no dia 15. Depois de pousar os fuzileiros navais embarcados e descarregar sua carga, Achernar voltou ao Japão para mais carga. Em 22 de outubro, elementos da Primeira Divisão de Fuzileiros Navais e seus equipamentos foram carregados a bordo Achernar para pousar na costa leste da Coreia em Wonsan. Ela navegou como parte do TG 90.2 e chegou a Wonsan em 25 de outubro. Ela descarregou seus passageiros e seguiu para Moji, Japão, chegando lá em 31 de outubro. Lá ela contratou homens da 2ª Divisão de Infantaria para transporte até Wonsan. Após esta missão, ela retornou a Yokosuka em 20 de novembro. O navio de carga de ataque recebeu então a ordem de apresentar um relatório aos Estados Unidos. Ela deixou o Japão em 27 de novembro acompanhando os EUA Escovar (DD-745) e EUA Mansfield (DD-728), ambos danificados por minas ao largo da Coreia, para dar suporte no caso de seus reparos temporários não funcionarem. Eles fizeram breves paradas em Midway e Pearl Harbor antes de chegarem a São Francisco em 17 de dezembro.

Após um curto período de disponibilidade, Achernar foi para Port Hueneme, Califórnia, em 18 de janeiro de 1951 para embarcar carga e pessoal para transporte para as Aleutas. Depois de descarregar em Amchitka, ela visitou Adak, Whittier e a Ilha Kodiak, no Alasca, para recolher a carga a ser devolvida a Seattle. Em 17 de março Achernar estabeleceu curso para Norfolk, Virginia. Ela transitou pelo Canal do Panamá no dia 26 e fez uma pausa em Morehead City, Carolina do Norte, no dia 1º de abril. Ela finalmente chegou a Norfolk em 3 de abril. O navio foi designado para a Força Anfíbia, Frota do Atlântico, e participou de vários exercícios de frota e corridas de carga no Caribe e ao longo da costa leste. Em 18 de fevereiro de 1956, Achernar foi desativado, colocado na reserva e atracado em Orange, Texas.

Achernar foi novamente colocada em comissão em Nova Orleans em 1 de setembro de 1961. Ela chegou a Norfolk em 1 de dezembro de 1961 e tornou-se uma unidade do Esquadrão Anfíbio 6, Frota do Atlântico. Achernar realizou shakedown no Caribe e passou o resto de sua carreira conduzindo vários exercícios de treinamento na área operacional de Virginia Capes.

Achernar foi colocado fora de serviço pela segunda vez em 1 de julho de 1963 e transferido para a Administração Marítima dos Estados Unidos. Ela foi readquirida pela Marinha em 29 de janeiro de 1964, mas não viu nenhum serviço ativo antes de ser transferida para o governo da Espanha em 2 de fevereiro de 1965. Ela serviu na Marinha espanhola como Castilla (TA-21) até ser desmantelada em 1982.

Achernar recebeu três estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial e três estrelas de batalha pelo serviço na Guerra da Coréia.


Ela foi contratada pela Comissão Marítima em 6 de setembro de 1943 em Kearney, New Jersey, pela Federal Shipbuilding and Drydock Co., lançada em 3 de dezembro de 1943, em homenagem à estrela Achernar, patrocinada pela Sra. Adela Rogers St. John, adquirida por a Marinha em 29 de janeiro de 1944, e comissionado em 31 de janeiro de 1944 com o Comandante HR Stevens no comando.

Após a conversão e equipamento no estaleiro naval de Nova York, Achernar realizado shakedown na Baía de Chesapeake. Em 13 de março, ela chegou a Staten Island, Nova York - onde carregou a carga e embarcou o pessoal do Exército dos Estados Unidos para transporte para a Grã-Bretanha viajando com o Convoy CU-18. Ela chegou a Swansea, País de Gales, em 30 de março e passou os dois meses seguintes transportando carga e pessoal entre vários portos no Reino Unido, em preparação para a invasão da Normandia.

Em 1 ° de junho de 1944, ela foi designada como navio-sede do Primeiro Exército. Em 6 de junho, ela partiu de Plymouth através do Canal da Mancha e ancorou em sua posição pré-designada em Baie de la Seine, França. Nos dias seguintes, ela atuou como um centro nervoso para as tropas que lutavam por um ponto de apoio na França. Em 11 de junho, o quartel-general do Primeiro Exército desembarcou, e Achernar voltou para a Inglaterra. Após uma pausa de três dias em Plymouth, o navio mudou-se para Rosneath, na Escócia, para receber a carga e o pessoal de dois batalhões de construção. Em 19 de junho, ela voltou a Plymouth para carregar materiais para consertar embarcações de assalto danificadas e, em 22 de junho, deu início à área de assalto na França. Enquanto estava na estação, ela sofreu vários ataques aéreos inimigos. Achernar deixou a França em 29 de junho para retornar à Inglaterra e chegou a Plymouth em 1º de julho. Em 5 de julho, o navio recebeu ordens de navegar como parte do Grupo de Tarefas 120.6, que se dirigia ao Mar Mediterrâneo para apoiar a invasão do sul da França. Chegou a Oran, na Argélia, em 10 de julho, e seis dias depois navegou para Nápoles. Depois de carregar a carga lá, ela mudou-se para um ancoradouro em Castellammare, Itália, em 2 de agosto. Aqui, ela embarcou pessoal da 36ª Divisão de Infantaria e partiu para o mar em 13 de agosto para aterrissar no sul da França. Na manhã de 15 de agosto, sua tripulação começou a descarregar sua carga e a enviá-la para as praias. No dia seguinte, após terminar a entrega da carga, ela recebeu baixas a bordo e embarcou 13 prisioneiros de guerra alemães antes de embarcar para retornar a Nápoles.

Pelos próximos dois meses, Achernar continuou fazendo viagens de Nápoles e Orã para pontos ao longo da costa sul da França. Em 25 de outubro, ele navegou de Oran para o oeste através do Estreito de Gibraltar em direção aos Estados Unidos. Ela chegou a Hampton Roads em 8 de novembro e passou por reparos e revisão geral no Norfolk Navy Yard. Em 7 de dezembro, Achernar começou por um breve período de testes e exercícios na Baía de Chesapeake. O navio retornou a Norfolk em 11 de dezembro, recebeu carga e partiu em 18 de dezembro. Ela transitou pelo Canal do Panamá no dia de Natal de 1944 e chegou a Pearl Harbor em 10 de janeiro de 1945.

Após manobras táticas ao largo de Oahu de 17 a 19 de janeiro, o cargueiro começou a carregar carga em 12 de fevereiro e foi colocado no mar em 18 de fevereiro. Achernar parou em Eniwetok em 26 de fevereiro, Kossol Roads em 4 de março, e ancorou na baía de San Pedro, nas Ilhas Filipinas, de 15 a 20 de março, antes de chegar ao largo de Okinawa em 1º de abril para apoiar a apreensão daquela ilha importante. Às 0043 do dia seguinte, um avião suicida japonês atingiu o lado estibordo e, quase simultaneamente, uma bomba explodiu a bombordo. Estouraram incêndios e o navio começou a adernar ligeiramente para o porto. Achernar perdeu cinco membros da tripulação mortos e 41 feridos.

À 01:00, os incêndios foram apagados e a lista foi corrigida. Em 1525, Achernar transferiu suas vítimas para USS Consolo e começou a ancorar na praia de Hagushi, onde os reparos temporários começaram. Na manhã de 3 de abril, Achernar mudou-se para Kerama Retto para começar a descarregar sua carga. Ela permaneceu em Okinawa até 19 de abril, quando partiu para os Estados Unidos via Ulithi e Pearl Harbor. O navio chegou a San Francisco em 13 de maio e começou a descarregar munição e combustível. Dois dias depois, ela entrou na doca seca para reparos e revisão. Ela começou novamente em 10 de julho para uma operação de shakedown ao longo da costa da Califórnia. Em 4 de agosto, Achernar deixou São Francisco para retornar a Pearl Harbor, onde ela chegou uma semana depois e imediatamente começou a descarregar sua carga. Ela ainda estava no Havaí quando as hostilidades terminaram em 15 de agosto. Achernar em seguida, transportou pessoal e equipamento entre o Japão e várias outras ilhas do Pacífico e participou das operações do "Tapete Mágico", devolvendo os veteranos aos Estados Unidos.

Em 28 de novembro, Achernar chegou em Seattle, Washington. Uma semana depois, SS H. H. Raymond colidiu com ela durante uma tempestade. Como resultado dos danos que ela sofreu no acidente, Achernar entrou em doca seca em 22 de dezembro para reparos. Achernar retomou a marcha em 16 de janeiro de 1946 e retomou as operações entre a costa oeste e vários portos do Extremo Oriente e do Pacífico. AKA 53 fez duas viagens às Ilhas Pribiloff trazendo para Seattle peles de foca e produtos para uma Fouck Fur Company de Saint Louis. Em 1947 ela fez uma viagem às Filipinas, Japão e China. Subic Bay, Yokuska, Xangai, Tsingtao foram visitados, mas uma visita programada a Tiensen foi interrompida por causa dos combates entre os nacionais e os comunistas em 1947.

Quando o Serviço de Transporte Marítimo Militar foi formado em 1º de outubro de 1949, ela fazia parte de um grupo de navios de carga de ataque selecionados para servir na nova organização. Com a eclosão da Guerra da Coréia, Achernar estava completando a revisão no Estaleiro Naval de Hunters Point. Ela começou em 7 de julho de 1950 e logo começou a embarcar tropas e carga para transporte para a zona de guerra. Em 14 de julho, o navio juntou-se ao TG 53.7 e partiu para o Japão. Ela descarregou sua carga em Kobe, Sasebo e Yokosuka. Em 22 de setembro, ela deixou o Japão e foi para Inchon, na Coréia, para apoiar as operações terrestres próximas.

Depois que as forças americanas libertaram o território perto de Inchon e Seul, elementos da 1ª Divisão de Fuzileiros Navais e seu equipamento foram carregados a bordo Achernar para pousar na costa leste da Coreia em Wonsan. Ela navegou como parte do TG 90.2 e chegou a Wonsan em 25 de outubro. Ela descarregou seus passageiros e seguiu para Moji, Japão, chegando lá em 31 de outubro. Lá, ela contratou homens da 2ª Divisão de Infantaria para transporte até Wonsan. Após esta missão, ela retornou a Yokosuka em 20 de novembro.

O navio de carga de ataque recebeu então a ordem de apresentar um relatório aos Estados Unidos. Ela deixou o Japão em 27 de novembro acompanhando os contratorpedeiros USS Escovar e USS Mansfield - ambos danificados por minas navais - prontos para ajudá-los, se necessário. Eles fizeram breves paradas em Midway e Pearl Harbor antes de chegarem a San Francisco em 17 de dezembro.

Após um curto período de disponibilidade, Achernar foi para Port Hueneme, Califórnia, em 18 de janeiro de 1951, para embarcar carga e pessoal para transporte para as Aleutas. Depois de descarregar em Amchitka, ela visitou Adak, Whittier, Alasca e a Ilha Kodiak para pegar a carga a ser devolvida a Seattle. Em 17 de março, Achernar definir o curso para Norfolk. Ela cruzou o Canal do Panamá em 26 de março, fez uma pausa em Morehead City, Carolina do Norte, em 1º de abril e finalmente chegou a Norfolk em 3 de abril. O navio foi designado para a Força Anfíbia, Frota do Atlântico, e participou de vários exercícios de frota e corridas de carga no Caribe e ao longo da costa leste. Em 18 de fevereiro de 1956, Achernar foi desativado, colocado na reserva e atracado em Orange, Texas.

Achernar foi colocada de volta em comissão em Nova Orleans em 1 de setembro de 1961. Ela chegou a Norfolk em 1 de dezembro de 1961 e tornou-se uma unidade do Esquadrão Anfíbio 6, Frota do Atlântico. Achernar realizou shakedown no Caribe e passou o resto de sua carreira conduzindo vários exercícios de treinamento na área operacional de Virginia Cape.

Achernar foi novamente colocado fora de serviço em 1 de julho de 1963 e transferido para a Administração Marítima. Ela foi readquirida pela Marinha em 29 de janeiro de 1964, mas não viu nenhum serviço ativo antes de ser transferida para o governo da Espanha em 2 de fevereiro de 1965. Ela serviu na Marinha espanhola como Castilla (TA-21) até sucateado em 1982.

Achernar recebeu três estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial e três estrelas de batalha pelo serviço na Guerra da Coréia.

Este artigo incorpora texto de domínio público Dicionário de navios de combate navais americanos. A entrada pode ser encontrada aqui.


Genealogia de Annawan (no condado de Henry, IL)

NOTA: Registros adicionais que se aplicam a Annawan também podem ser encontrados nas páginas do Condado de Henry e Illinois.

Registros de nascimento de Annawan

Índice de nascimento antes de 1916, Henry County, IL, vol. 3 Esquilos da Genealogia

Annawan Cemetery Records

Registros do censo de Annawan

Censo Federal de 1940, Annawan Township, Illinois LDS Genealogia

Censo Federal de 1940, Annawan Village, Illinois LDS Genealogia

Censo Federal dos Estados Unidos, Pesquisa Familiar 1790-1940

Annawan Death Records

Histórias e genealogias de Annawan

História de Annawan 1877 US Gen Web Archives

Registros de imigração de Annawan

Annawan Land Records

Annawan Marriage Records

Annawan Probate Records

Annawan School Records

Adições ou correções a esta página? Agradecemos suas sugestões por meio de nossa página de contato


Annwan- AKA-53 - História

Uma estrela da constelação de Aquila.

(AKA-55: dp. 14.200 1. 459'2 & quot b. 63 'dr. 26'4 & quot s. 16,5 k., Cpl. 392 a. 15 & quot, 4 40 mm., 18 20 mm. Cl. Andromeda T. C2- S-B1)

Alshain (AKA-55) foi estabelecido em 29 de outubro de 1943 sob um contrato da Comissão Marítima (casco MC 209) em Kearny, NJ pela Federal Shipbuilding & amp Drydock Co., lançado em 26 de janeiro de 1944, patrocinado pela Sra. JH King, adquirido pela Marinha em 31 de março de 1944 e colocado em comissão no Brooklyn, NY, em 1 de abril de 1944, Comdr. Roland E. Krause no comando.

Depois de se equipar no Estaleiro da Marinha de Nova York, o novo navio de carga de ataque deu início a um treinamento de shakedown na Baía de Chesapeake. Ela entrou no Norfolk Navy Yard para disponibilidade no dia 27 de abril, assumiu a carga no início de maio e partiu para as ilhas do Havaí no dia 13. Alshain transitou pelo Canal do Panamá, juntou-se à Frota Pactfic e chegou a Pearl Harbor em 2 de junho. Lá ela se reportou para o dever de Comandante, Forças Anfíbias, Frota Pactfic. O navio recebeu ordem de retornar a San Diego para servir como um navio anfíbio de treinamento, e ela traçou um curso para a costa oeste dos Estados Unidos.

Alshain chegou a San Diego em 20 de junho, mas recebeu ordens de reabastecer o combustível e as provisões e retornar ao Havaí. Após sua chegada a Pearl Harbor no dia 28, ela foi designada para a Divisão de Transporte temporária (TransDiv) 38 e começou a carregar carga de combate e pessoal do Exército programado para participar da invasão de Guam. Em 1 de julho, o navio partiu para Eniwetok para se juntar à Força-Tarefa 51 como parte do Grupo de Transporte do Sul. As forças combinadas partiram daquele atol em 17 de julho e chegaram na praia de Agat, Guam, no dia 21.

As operações de pouso começaram naquela manhã. Alshain teve dificuldade para descarregar sua carga devido à falta de barcos e congestionamento na própria praia. Ela finalmente completou o processo
em 3 de agosto e retirou-se em direção a Eniwetok. O navio então navegou independentemente para Pearl Harbor, onde embarcou mais tropas do Exército e carregou seu equipamento antes de partir em 27 de agosto para os ensaios de aterrissagem anfíbia em Lahaina Roads, Maui. Em 15 de setembro, o Alshain partiu com o Grupo de Trabalho (TG) 33.1 para Eniwetok e uma invasão planejada de Yap. No entanto, o ataque a Yap foi posteriormente dissimulado e Leyte Filipinas foi substituído como objetivo. O navio de carga partiu de Eniwetok em 26 de setembro, com destino a Manus, nas Ilhas do Almirantado, a área avançada para o ataque a Leyte.

Alshain chegou a esse porto em 3 de outubro e fez os preparativos finais para a invasão das Filipinas. Em 14 de outubro, ela fez uma sortida com o TG 79.1, que entrou no Golfo de Leyte no dia 20. Alshain ancorou na área de transporte de Dulag, Leyte, e começou a baixar seus barcos às 07h30. Apesar do assédio aéreo inimigo, o descarregamento foi tão tranquilo que o navio concluiu seu trabalho no dia 23 e voltou para o porto de Seeadler, Manus.

Retornando a funcionar em 7 de novembro, Alshain seguiu para Hollandia, Nova Guiné, para receber o pessoal e o material do Comando do Serviço Aéreo do Exército. Ela então se encontrou com outros navios ao largo de Biak, nas Ilhas Schouten, para formar a Unidade de Tarefa (TU) 79.15.4, que seguiu para o Golfo de Leyte para reforçar as forças aliadas nas Filipinas.

A unidade de tarefa chegou às águas ao largo de Tanauan, Leyte, no dia 118 e sofreu um ataque aéreo japonês naquela manhã. Alshain se juntou aos outros atirando nos intrusos inimigos. Um "Zeke" aproximou-se do navio de carga e mergulhou diretamente da popa no que parecia ser um bombardeio de metralhamento ou ataque de bombardeio de mergulho. No entanto, o intenso fogo antiaéreo fez com que o avião pegasse fogo e caísse perto do Alpine (APA-92), ancorado a 800 metros de distância. No dia seguinte, Alshain deixou Tanauan para retornar ao porto de Seeadler.

Em 28 de novembro, o navio cargueiro partiu para Finschhafen, Nova Guiné, parou lá no dia 29 e seguiu para Bougainvllle, Ilhas Salomão, chegando à Baía Imperatriz Augusta em 1º de dezembro. Ela embarcou como membros da 37ª Divisão de Infantaria e começou no dia 16 para exercícios de treinamento no Golfo de Huon, na Nova Guiné. Alshain terminou os exercícios e voltou a Manus no dia 21. No último dia de 1944, ela fez uma sortida com o TG 79.1 para o ataque a Luzon, nas Filipinas.

Os navios passaram pelo Estreito de Surigao, pelos mares Mindanao e Sulu, e entraram no Mar da China Meridional em 8 de janeiro de 1945. Naquele dia, quando um pequeno grupo de aviões inimigos atacou os transportes, o Alshain ajudou a resistir ao ataque. Ela continuou em direção a Luzon, entrou no Golfo de Lingayen no dia 9 e descarregou sua carga. O navio então retornou a Leyte para embarcar pessoal para desembarques a serem realizados na área de San Felipe-San Narciso de Luzon.

O navio navegou em 26 de janeiro para águas ao largo de Luzon, desembarcou seus passageiros no dia 29 e retornou ao Golfo de Leyte em 1º de fevereiro. Durante os dois meses seguintes, o cargueiro permaneceu em águas filipinas reabastecendo suprimentos, auxiliando no descarregamento de navios mercantes e realizando exercícios de treinamento em preparação para a invasão de Okinawa. Ela deixou as Filipinas em 27 de março com a Task Unit (TU) 51.13.1 e chegou ao largo de Okinawa em 1º de abril.

Os japoneses contra-atacaram com numerosos ataques aéreos contra a navegação aliada na tentativa de repelir o ataque. Em 1º de abril, um kamikaze colidiu com Alpine, que estava ancorado a cerca de 400 metros de distância. Alshain resgatou um soldado gravemente queimado que havia explodido do convés de Alpine com o acidente. O navio cargueiro de ataque completou seu descarregamento no dia 5, retirou-se da área e rumou para o porto de Apra, em Guam. Ela então seguiu via Pearl Harbor para Seattle, Wash., Onde entrou no estaleiro Lake Washington, Houghton, Wash., Em 2 de maio para disponibilidade.

Após a conclusão do período de estaleiro no dia 18, o navio recebeu carga em Tacoma, Wash. E seguiu para San Francisco. Durante esta operação, surgiram problemas com os tubos do superaquecedor nas caldeiras. Alshain entrou no pátio de reparos da Bethlehem Steel Co. em San Francisco em 2 de junho para duas semanas de reparos. No dia 16, o navio rumou para Eniwetok e passou duas semanas no porto no início de julho antes de embarcar para Guam.

Alshain chegou ao porto de Apra em 18 de julho e descarregou uma parte de suas provisões. Seu próximo destino foi nas Ilhas Tulagi Salomão, onde ela fez uma pausa em 10 de agosto para levar suprimentos. O navio chegou a Noumea, na Nova Caledônia, no dia 14. Aqui, ela recebeu a notícia da capitulação do Japão.

Após o fim da guerra, Alshain continuou seu papel como navio de abastecimento de carga. Entre as ilhas que ela serviu durante os três meses seguintes estavam Eniwetok, Guam e Okinawa. O navio chegou a Pearl Harbor em 3 de dezembro e descarregou sua carga. No dia 16, ele partiu para Seattle, Washington. Nesse mesmo dia, o navio também se destacou das Forças Anfíbias, Frota do Pacífico. Alshain chegou a Seattle em 23 de dezembro e se preparou para entrar no Estaleiro Naval de Puget Sound para uma disponibilidade estendida.

Em maio de 1946, o navio foi designado para o Serviço de Transporte Naval e retomou o abastecimento de cargas para diversos pontos do Pactfic. Ela deixou São Francisco em 7 de junho para um cruzeiro via Pearl Harbor para Okinawa e Sasebo, no Japão. Ela partiu das águas japonesas em 7 de agosto com destino à costa leste dos Estados Unidos. A embarcação transitou pelo Canal do Panamá em 2 de setembro e chegou a Norfolk no dia 8. Ela permaneceu lá por um mês e então fez uma breve viagem para Davisville, R.I. Depois de retornar a Norfolk, Alshain continuou no sul para transitar pelo Canal do Panamá em 21 de outubro e alcançou Terminal Island, Califórnia, no dia 30.

Alshain iniciou outra viagem aos portos do Extremo Oriente em 22 de novembro. Entre seus portos de escala estavam Guam, Pearl Harbor Yokosuka, Japão Tsingtao e Xangai, China, Okinawa e Subic Bay e Samar, nas Filipinas. Alshain voltou a San Francisco em 7 de agosto de 1947 e passou cinco meses lá, interrompido apenas brevemente no final de novembro por uma corrida para San Diego. Em 2 de janeiro de 1948, o navio iniciou uma série de viagens transportando suprimentos e equipamentos de São Francisco para Guam. Quatro foram concluídos entre janeiro e agosto de 1948.

Após um período de trabalhos de estaleiro no Estaleiro Naval de Puget Sound em outubro e novembro, o Alshain partiu para o Pactfic oeste. Durante esta viagem, ela carregou várias toneladas de munição para as forças nacionalistas chinesas em Formosa entregando suprimentos em Subic Bay e Yokohama, o Japão visitou os portos de Xangai e Tsingtao no continente chinês e tocou em Guam antes de se apresentar a San Francisco em 7 de março 1949.

Alshain operou ao longo da costa oeste de março a julho. Em 21 de julho, o navio partiu de São Francisco, com destino via Pearl Harbor para Guam, onde chegou em 7 de agosto. Durante sua estada naquela ilha, o cargueiro passou a fazer parte do recém-formado Serviço Militar de Transporte Marítimo. Ela deixou Guam em 15 de setembro, transitou pelo Canal do Panamá em 9 de outubro e chegou à praia de Onslow, N.C., no dia 15. Duas semanas depois, o navio mudou-se para a área das estradas de Hampton, mas navegou para águas caribenhas em 10 de novembro e tocou em Porto Príncipe, Haiti, quatro dias depois. After paying one more call at Norfolk, Alshain transited the Panama Canal on 15 December reached San Francisco on 30 December, and closed the year there in upkeep.

Alshain set sail for Guam on 26 January 1950. She arrived back at San Diego on 27 March. After operations along the California coast, the cargo ship shaped a course for Japan on 26 April. She visited Yokosuka and Yokohama in May and touched at Naha, Okinawa, and Guam before pulling back into port at San Francisco on 26 June.

The outbreak of war in Korea caused Alshain to depart San Diego on 14 July with elements of the 1st Provisional Marine Brigade embarked for transportation to Korea. The ship sailed with TG 53.7 from Yokosuka to Pusan, Korea, where she arrived on 2 August. Upon completion of debarking operations, the cargo vessel reached Yokosuka on the 7th. The ship then passed under the control of Amphibious Group 1, was fitted out to receive special boats for amphibious operations, and conducted training exercises late in August in Chigasaki Bay off Honshu, Japan.

Alshain reported to Kobe, Japan, on 2 September to take on equipment, supplies, and personnel of the 1st Marine Division. On the 11th, she got underway for the invasion of Inchon, Korea. The vessel entered the transport area off Inchon on 15 September and began unloading operations which continued until the 21st. Touching at Kobe on the 24th, Alshain embarked supplies and equipment of the 1st Marine Division and Marine Air Group 33 and moved to Sasebo, Japan, on 9 October to top off her fuel tanks before getting underway later that same day for Inchon.

On 11 October, Alshalin reached the Inchon area and loaded equipment and supplies for an upcoming amphibious operation. She departed Inchon on the 17th with TG 90.2 bound for Wonsan Korea. However, clearance of mines delayed the start of the assault on Wonsan and the task group was forced to retire along its approach route and wait. In the interim, South Korean forces moving north captured Wonsan and obviated the need for an assault landing. Thus when Alshain returned on the 26th to unload cargo and disembark troops, no enemy harassed her cargo operations, and she completed the mission on the 31st.

Alshain retraced her course to Japan and arrived at Moji on the island of Kyushu on 2 November. There, she began embarking troops of the 3d Infantry Division for transportation to Wonsan. The ship arrived in the Wonsan area on 14 November and, by the 17th, had completed discharging her passengers. She then paused briefly at Yokohama for a four-day availability period before setting out for the west eoast of the United States on 25 November. The vessel reached San Franeisco on 11 December.

After three months of local operations and upkeep, Alshain left California on 16 Mareh 1951, bound for the east coast. She navigated the Panama Canal on 1 April and continued on to Norfolk, where she arrived on the 15th. The ship left the Military Sea Transportation Serviee on 30 April to become a member of Amphibious Forees, Atlantie Fleet, and was assigned to TransDiv 23. She was involved in a series of local operations and training exercises at Onslow Beach, N.C., through 4 August when she got underway for her first Mediterranean cruise. The ship replenished ships of the 6th Fleet at Golfe Juan, France from 17 to 25 August. She then proceeded to Port Lyautey Morocco, and replenished naval shore activities located there. Early September found Alshain back in her new home port Norfolk.

Her next mission sent the cargo ship to Morehead City, N.C., to take on marines for participation in LantFlex 52 off Vieques Island, Puerto Rico. Alshain arrived at Vieques on 1 October. During the cruise, whe also made port calls at Bridgetown Barbados and Port of Spain, Trinidad. The shin left the Caribbean on 5 November, took part in an amphibious fending exercise on Onslow Beach on the 13th, and arrived back in Norfolk on the 18th.

In early January 1952, Alshain commenced her second Mediterranean tour. Her first stop was Naples, Italy, on 24 January. She then made a short trip to Suda Bay, Crete, and returned to Naples on 9 February. From 25 February through 16 March the ship took part in Operation "Grand Slam," held m conjunction with naval units of NATO allies. She later made port calls at Porto Scudo and Palermo, Sicily Iraklion, Crete Phaleron Bay, Greece Beirut, Lebanon and Cannes, France.

Returning from her Mediterranean cruise to Norfolk on 24 May, Alshain engaged in various exercises off the eastern seaboard and in Puerto Rican waters. A visit to New York City during the Fourth of July holiday period highlighted the ship's summer. After a three-week layover in the Norfolk area during the Christmas holidays, Alshain got underway on 4 January 1953 for amphibious landing exercises at Vieques. In lateJanuary, she headed north and entered the Boston Naval Shipyard on 1 February for availability.

Alshain resumed operations on 18 April and headed down the east coast toward the Caribbean for refresher training at Guantanamo Bay, Cuba, which lasted from 10 until 29 May. During this period, the cargo vessel was involved in two minor collisions: one with Mount OIympus (AGC-8) on 13 May and the other a few days later with Niobara (AO-72). These necessitated a restricted availability for the cargo ship for repairs from 23 June through 3 July at the Maryland Drydock Co., Baltimore, Md.

Upon completion of the yard work, Alshain began operations along the east coast. In late September, she transported darines from Morehead City to Vieques Island for amphibious training exercises. She returned to home port on 3 October and closed the year in an upkeep status. The cargo ship moved to Boston in late January 1953 for a period of repairs and alterations which lasted through mid-April.

Alshain sailed for the Caribbean from Norfolk on 6 May. She visited Guantanamo Bay and Port-au-Prince before reversing course back to Norfolk. The ship operated in the Norfolk area through 8 August, when she got underway for a cruise to Yokohama with a cargo of ammunition, air base equipment, and personnel of Marine Air Group 11. She touched en route at Port Everglades, Fla., transited the Panama Canal on 15 August visited San Diego for two days in late August, and finally reached Yokohama on 10 September.

The cargo ship discharged her passengers and their equipment in Japan and got underway for her return trip on the 16th. Brief layovers at San Francisco, Calif., and Balboa, Canal Zone
preceded her arrival in Norfolk on 22 October. The ship then entered an extended tender availability. She began the year 1954 with a trip to the Caribbean for TRAEX 2-54 at Vieques Island. On 19 January, Alshain touched at Port Everglades and took on board elements of Marine Air Group 32. After debarking the troops at Morehead City, the cargo ship returned to Norfolk on the 28th.

For the duration of 1954, Alshain was engaged in a series of short training cruises. In mid-February, she made a round-trip voyage to San Juan and Vieques, Puerto Rico, for landing operations and, upon her return, entered the Norfolk Naval Shipyard for an availability. She then operated in the area of Norfolk and Little Creek, Va., the Chesapeake Bay, and Onslow Beach and Morehead City, N.C. The ship was involved in LANTFLEX 1-55 in November off Onslow Beach.

Alshain began her last year of active duty, 1955, by picking up elements of the Fleet Marine Force at Morehead Citv. On 7 January 1955, she left the east coast en route to the Mediterranean. Alshain touched at Mers-el-Kebir, Algeria, on the 20th. She was then involved in amphibious operations in the Gulf of Arzew off Algeria. The ship continued on to visit Genoa and Naples, Italy Istanbul, Turkey, Athens and Phaleron Bay, Greece, Suda Bay Crete Cannes and Marseilles, France, Porto Scudo, Sardinia and Barcelona, Spain. Alshain left Barcelona on 14 May and shaped a course back to the United States. Upon her arrival at Norfolk on the 28th, the ship began a period of leave and upkeep.

Alshain got underway in late June for Philadelphia. She entered the Philadelphia Naval Shipyard on 1 July to undergo preinactivation overhaul. The work was completed in early October, and the vessel proceeded to Orange, Tex., where she was placed in a reserve status on 12 October 1955. The ship was decommissioned on 14 January 1956 Her name was struck from the Navy list on 1 July 1960. She was transferred to the Maritime Administration and laid up at Beaumont, Tex.


Annawan, IL News Breaking News for Annawan, IL continually updated

United Nations experts said on Wednesday they had been unable to find evidence of direct support by Islamic State for an Islamist militia in eastern Congo, which was blacklisted in March by Washington as a terrorist group.

Experts on Central Africa have been debating whether the Allied Democratic Forces (ADF), blamed for increasing violence over the past two years in eastern Congo, has genuine links with the Islamic State group based in the Middle East, sometimes known as ISIS or ISIL.

U.S. reopens asylum access for victims of domestic violence, gang violence

The U.S. attorney general on Wednesday rescinded a Trump-era decision that made it harder for victims of domestic violence and gang violence to win asylum, the latest move by U.S. President Joe Biden to create what he says is a more humane immigration system.

Attorney General Merrick Garland, in a three-page legal opinion, wrote that the broad language in the decision put in place during the administration of former President Donald Trump "threatens to create confusion and discourage careful case-by-case adjudication of asylum claims.

Missing American woman found dead in Russia, suspect arrested

A 34-year old American woman who had been missing in Russia since Tuesday has been found dead and a Russian man has been arrested on suspicion of murder, the state Investigative Committee said on Saturday.

Russia's RIA news agency said the woman, which it named as Catherine Serou, had been studying law at a university in the Nizhny Novgorod region 420 km (260 miles) east of Moscow since arriving from California three years ago.

Russia's state Investigative Committee said it had opened a criminal inquiry case into the disappearance of "a foreign citizen" and a man in his early 40s with a criminal record had been arrested over her death.

Severe weather returns to the U.S.

Healthcare industry prepares for Obamacare expansion after court ruling

The U.S. healthcare industry and analysts praised a U.S. Supreme Court decision that preserved the Obamacare health plan, with insurer CVS reaffirming that it will rejoin the individual insurance exchange and others predicting more federal support.

The nation's highest court preserved the landmark law, formally called the Affordable Care Act (ACA), for the third time since its 2010 enactment, declaring that Texas and other challengers had no legal standing to file their lawsuit seeking to nullify it.

Global COVID-19 death toll exceeds 4 million

Coronavirus-related deaths worldwide passed a grim milestone of 4 million on Thursday, according to a Reuters tally, as many countries struggle to procure enough vaccines to inoculate their populations.

While the number of new cases and deaths have abated in countries like the United States and Britain, several nations have vaccine shortages as the Delta variant becomes the dominant strain around the world.

It took over a year for the COVID-19 death toll to hit 2 million, while the next 2 million were recorded in just 166 days, according to a Reuters analysis.


What Causes Pelvic Organ Prolapse?

Anything that puts increased pressure in the abdomen can lead to pelvic organ prolapse. Common causes include:

  • Pregnancy, labor, and childbirth (the most common causes)
  • Respiratory problems with a chronic, long-term cough
  • Pelvic organ cancers
  • Surgical removal of the uterus (hysterectomy)

Genetics may also play a role in pelvic organ prolapse. Connective tissues may be weaker in some women, perhaps placing them more at risk.


Dicionário de navios de combate navais americanos

Thirty ships of the Andromeda Class were built between 1943 and 1945. The ships were named after certain stars and U. S. state counties. Achernar's name comes from the star Achernar. The star is seen mostly from the Southern Hemisphere. Its official designation is Alpha Eridani, and it is located in the Constellation of Eridanus (which means 'the river'). This constellation was discovered by the Ancient Greeks, who named it after their river god, Eridanus. Achernar originally comes from the ancient arabic "Akhir Al Nahar", which means 'the end of the river'. Achernar is the 9th brightest star in the sky, and its diameter is twice that of the Sun.

Achernar's keel was laid down under a U. S. Maritime Commission contract on 6 September 1943 at Kearney, New Jersey by the Federal Shipbuilding and Drydock Company. Launched on 3 December 1943, she was sponsored by Mrs. Adela Rogers St. John. She was formally acquired by the Navy on 29 January 1944 and was commissioned on 31 January 1944 with Commander H. R. Stevens in command.

Following conversion and fitting out at the New York Navy Yard, Achernar got underway on 28 February 1944 and held shakedown in the Chesapeake Bay. On 13 March, she arrived at Staten Island, N.Y., where she loaded cargo and embarked Army personnel for transportation to Great Britain. She stood out to sea on 19 March with Convoy CU-18. She arrived at Swansea, Wales on 30 March and spent the next two months transporting cargo and personnel between various ports in the United Kingdom in preparation for the Normandy invasion.

The last week in May 1944 found Achernar in Plymouth, England. On 1 June she was designated the 1st Army's headquarters ship (Lieutenant General Courtney Hodges commanding). On 6 June she steamed across the English Channel, and at 1609 she anchored in her preassigned position in Baie de la Seine, France. For the next five days she acted as a nerve center for troops fighting for a foothold in France. On 11 June the 1st Army's headquarters disembarked, and at 1148 Achernar got underway for England. After a three-day respite in Plymouth, the ship moved to Roseneath, Scotland to take on the cargo and personnel of two construction battalions. On 19 June she returned to Plymouth to onload materials to repair damaged assault craft, and on 22 June she got underway for the assault area in France. While on station, she underwent several enemy air attacks. The ship again left the French coast on 29 June to return to England and arrived in Plymouth on 1 July. On 5 July she was ordered to sail as part of Task Group (TG) 120.6, which was bound for the Mediterranean to support the invasion of southern France. The ship entered the harbor at Oran, Algeria on 10 July. Six days later she sailed to Naples, Italy. After loading operations there, she switched to an anchorage at Castellamare, Italy on 2 August. She then embarked personnel of the 36th Division and proceeded to sea on the 13th for the assault in southern France. On the morning of 15 August, her crew commenced discharging her cargo and sending it to the beaches. The next day, after finishing the delivery of cargo, she received casualties on board and embarked 13 German prisoners of war before getting underway at 2100 to return to Naples.

For the next two months Achernar continued making trips from Naples and Oran to points along the southern coast of France. On 25 October she sailed from Oran westward through the Strait of Gibraltar towards the United States. She arrived at Hampton Roads on 8 November and underwent repairs and overhaul at the Norfolk Navy Yard. On 7 December Achernar got underway for a brief period of trials and exercises in Chesapeake Bay. The ship returned to Norfolk on 11 December 1944, took on cargo, and got underway on 18 December. She transited the Panama Canal on Christmas Day 1944 and arrived at Pearl Harbor on 10 January 1945.

Following tactical maneuvers off Oahu from 17 to 19 January, the cargo ship began loading cargo on 12 February and put to sea on the 18th. Achernar stopped at Eniwetok on 26 February, Kossol Roads on 4 March, and anchored in San Pedro Bay, Philippine Islands from 15 to 20 March before arriving off Okinawa on 1 April to support the seizure of that key island. At 0043 the next day, 2 April 1945, a Japanese suicide plane hit the Achernar's starboard side and, almost simultaneously, a bomb, apparently released by the suicide plane, exploded on her port side. Fires broke out, and the ship began listing slightly to port. Achernar lost five crew members killed and 41 wounded.

By 0100 the fires were out and the list had been corrected. At 1525 the battered ship transferred her casualties to Consolo (AH-5) and proceeded to anchor off Hagushi beach, where temporary repairs began. Bos'n. Frank J. McMahon later received the Navy Commendation Medal for successfully rigging number 3 hatch, which was damaged by the suicide plane, using winches and running gear from number 2 hatch. On the morning of 3 April, Achernar moved to Kerama Retto to begin unloading her cargo.

Achernar remained at Okinawa until 19 April, when she sailed for the United States via Ulithi and Pearl Harbor. She arrived at San Francisco on 13 May and began offloading ammunition and fuel. Two days later, she entered drydock for repairs and overhaul. She got underway again on 10 July for shakedown along the California coast. On 4 August Achernar left San Francisco to return to Pearl Harbor where she arrived a week later and immediately began discharging her cargo. She was still in Hawaii when hostilities ended on 15 August 1945. Achernar then shuttled personnel and equipment between Japan, various other Pacific islands, and took part in "Magic Carpet" operations, returning veterans to the United States.

On 28 November 1945, Achernar arrived in Seattle. One week later, S.S. H. H. Raymond collided with her in a storm. As a result of the damage she sustained in the accident, Achernar entered drydock on 22 December for repairs.

Achernar got underway again on 16 January 1946 and resumed operations between the west coast and various ports in the Far East and the Pacific. When the Military Sea Transportation Service was formed on 1 October 1949, she was one of a group of attack cargo ships selected for service in the new organization, continuing her visits to Pacific and Far East ports. During August of 1949, Achernar participated in Barex-49, a supply expedition to Point Barrow, Alaska, hauling in supplies and getting out before the permanent ice cap closed in again. On the way back to Seattle, Achernar called at Nome, Alaska.

At the outbreak of the Korean War, Achernar was completing overhaul at the Hunters Point Naval Shipyard. She got underway on 7 July 1950 and soon began onloading troops and cargo for transportation to the war zone. On the 14th, the ship joined TG 53.7 and sailed for Japan. She unloaded her cargo at Kobe, Sasebo, and Yokosuka. On 13 September, she left Japan and participated in the invasion of Inchon, Korea on the 15th. After landing the embarked Marines and unloading her cargo, Achernar returned to Japan for more cargo. On 22 October, elements of the First Marine Division and their equipment were loaded on aboard Achernar for landing on the east coast of Korea at Wonsan. She sailed as part of TG 90.2 and arrived in Wonsan on 25 October. She unloaded her passengers and proceeded to Moji, Japan, arriving there on 31 October. There she took on men of the 2nd Infantry Division for transportation to Wonsan. Following this mission, she returned to Yokosuka on 20 November. The attack cargo ship was then ordered to report back to the United States. She left Japan on 27 November accompanying U.S.S. Brush (DD-745) and U.S.S. Mansfield (DD-728), both of which had been damaged by mines off Korea, to lend support in the event their temporary repairs did not hold. They made brief stops at Midway and Pearl Harbor before reaching San Francisco on 17 December.

Following a short availability period, Achernar went to Port Hueneme, California, on 18 January 1951 to onload cargo and personnel for transportation to the Aleutians. After unloading at Amchitka, she visited Adak, Whittier, and Kodiak Island, Alaska to pick up cargo to be returned to Seattle. On 17 March Achernar set course for Norfolk, Virginia. She transited the Panama Canal on the 26th and paused at Morehead City, North Carolina, on 1 April. She finally arrived at Norfolk on 3 April. The ship was assigned to the Amphibious Force, Atlantic Fleet, and took part in various fleet exercises and cargo runs in the Caribbean and along the east coast. On 18 February 1956, Achernar was decommissioned, placed in reserve, and berthed at Orange, Texas.

Achernar was again placed in commission at New Orleans on 1 September 1961. She arrived at Norfolk on 1 December 1961 and became a unit of Amphibious Squadron 6, Atlantic Fleet. Achernar held shakedown in the Caribbean and spent the remainder of her career conducting various training exercises in the Virginia Capes operating area.

Achernar was placed out of commission for the second time on 1 July 1963 and transferred to the U. S. Maritime Administration. She was reacquired by the Navy on 29 January 1964, but saw no active service before she was transferred to the government of Spain on 2 February 1965. She served the Spanish Navy as Castilla (TA-21) until she was scrapped in 1982.

Achernar received three battle stars for World War II service and three battle stars for Korean War service.


Talk to a Redfin Agent

Start your search with an expert local agent—there’s no pressure or obligation.

Estados Unidos

Updated January 2020: By searching, you agree to the Terms of Use, and Privacy Policy.

Copyright: © 2021 Redfin. Todos os direitos reservados. Patent pending.

REDFIN and all REDFIN variants, TITLE FORWARD, WALK SCORE, and the R logos, are trademarks of Redfin Corporation, registered or pending in the USPTO.

If you are using a screen reader, or having trouble reading this website, please call Redfin Customer Support for help at 1-844-759-7732.