Grandes eventos, destaques esportivos e prêmios Nobel de 1957 - História

Grandes eventos, destaques esportivos e prêmios Nobel de 1957 - História

Evento principal / esportes / prêmios

    Grandes eventos de 1958

Esportes

NBA: Boston Celtics x LA Lakers Series: 4-3
NCAA Football: Notre Dame & Michigan State record: 9-0-1 e 9-0-1
Troféu Heisman: Steve Spurrier, Flórida, pontos QB: 1.679
Stanley Cup: Montreal Canadiens x Detroit Red Wings Pontuação: 4-2
US Open Golf: Billy Casper Pontuação: 278 Campo: Olympic CC Localização: San Francisco
Copa do Mundo: Inglaterra x Alemanha Ocidental: 4-2
Série Mundial: Baltimore Orioles vs. Série LA Dodgers: 4-0

Música Popular de 1965

1. "Os sons do silêncio - Simon e Garfunkel"
2. "Podemos resolver" ... The Beatles
3. "Meu Amor" ... Petula Clark
4. "Ataques relâmpagos" ... Lou Christie
5. "Estas botas são feitas para andar '- Nancy Sinatra"
6. "A Balada dos Boinas Verdes - SSgt. Barry Sadler"
7. "Alma e inspiração" ... The Righteous Brothers
8. "Good Lovin '" ... The Young Rascals
9. "Segunda-feira, segunda-feira" ... The Mamas and the Papas
10. "Quando um homem ama uma mulher - Percy Sledge"

Filmes populares

1. Thunderball
2. Doutor Jivago
3. Quem tem medo de Virginia Woolf?
4. Aquele maldito gato
5. Os russos estão chegando, os russos estão chegando
6. Tenente Robin Crusoe, USN
7. Os Silenciadores
8. Cortina rasgada
9. Nosso Homem Flint
10. Uma mancha azul

Prêmios da Academia

Melhor Filme: "A Noviça Rebelde"
Melhor diretor: The Sound of Music - Robert Wise "
Melhor ator: Lee Marvin .. "Cat Ballou"
Melhor Atriz: Julie Christie ... "Querida"

Prêmio Grammy

Disco do ano: "Strangers in the Night" ... Frank Sinatra
"Michelle" ... John Lennon, Paul McCartney "Sinatra: Um Homem e Sua Música" ... Frank Sinatra Frank Sinatra ... "Estranhos na Noite" Edyie Gorme ... "Se Ele Entrasse em Minha Vida Hoje"


Principais fatos da AAPI 2018

O National Institutes of Health (NIH) reconhece maio como o mês da herança asiático-americana e das ilhas do Pacífico (AAPI). Os asiático-americanos e as ilhas do Pacífico são um grupo diversificado composto por várias etnias.

Este mês oferece uma oportunidade perfeita para homenagear os asiático-americanos e as ilhas do Pacífico que fizeram contribuições significativas para o NIH e nossa nação. Incentivamos você a dedicar um tempo este mês para aprender mais sobre as conquistas e sacrifícios que as AAPIs fazem e obter uma compreensão mais profunda da singularidade da comunidade.

Dê uma olhada nesta linha do tempo de eventos asiático-americanos e na lista de pioneiros da Ciência, Tecnologia, Engenharia, Matemática (STEM) e ganhadores do Prêmio Nobel para aprender mais sobre datas históricas importantes e indivíduos na comunidade AAPI que fizeram contribuições notáveis ​​no mundo. Além disso, verifique os perfis de outros indivíduos da AAPI que serviram ao NIH.

Linha do tempo

  • 1763 - Primeiro assentamento registrado de asiáticos nos Estados Unidos: filipinos na Louisiana
  • 1790 - Primeiro imigrante registrado da Índia nos EUA
  • 1820 - Primeiro registro de imigrante da China nos EUA.
  • 1847 - Yung Wing se torna o primeiro chinês a se formar na faculdade dos EUA (Yale)
  • 1869 - Os primeiros colonos japoneses chegam ao continente dos EUA, na Califórnia
  • 1885 - Primeiro registro de imigrantes coreanos
  • 1946 - Wing Ong é o primeiro asiático-americano eleito para um cargo público (Arizona)
  • 1956 - Dalip Singh Saund, da Califórnia, torna-se o primeiro índio americano no Congresso
  • 1959 - Hiram Fong, do Havaí, torna-se o primeiro chinês-americano no Senado
  • 1959 - Danial K. Inouye, do Havaí, torna-se o primeiro nipo-americano no Congresso
  • 1985 - Ellison Onizuka torna-se o primeiro astronauta asiático-americano no espaço
  • 1986 - Gerald Tsai, da American Can, torna-se o primeiro CEO asiático-americano de uma empresa Fortune 500
  • 1992 - Jay Kim, da Califórnia, torna-se o primeiro coreano-americano no Congresso
  • 2000 - Secretário de Comércio Norman Mineta torna-se o primeiro membro asiático-americano do Gabinete
  • 2001 - A secretária do Trabalho Elaine Chao torna-se a primeira mulher asiático-americana membro do Gabinete
  • 2007 - Bobby Jindal, da Louisiana, torna-se o primeiro governador índio americano
  • 2016 - o procurador-geral da Califórnia, Kamala Harris, é eleito o primeiro índio-americano a servir no Senado
  • 2010 - Nikki Haley, da Carolina do Sul, torna-se a primeira mulher governadora indígena americana
  • 2017 - Pela primeira vez, três mulheres asiático-americanas têm assento no Senado: Mazie Hirono, Tammy Duckworth e Kamala Harris

Pioneiros

Dr. Ting Kai (T. K.) Li é um ex-diretor do Instituto Nacional de Abuso de Álcool e Alcoolismo (NIAAA), National Institutes of Health, nomeado em novembro de 2002.

O Dr. Richard Nakamura foi nomeado para o cargo de Diretor do Centro de Revisão Científica (CSR), National Institutes of Health em dezembro de 2012.

A Dra. Belinda Seto é ex-Diretora Adjunta do National Eye Institute (NEI), National Institutes of Health, nomeada em abril de 2014.

Prêmios Nobel Asiáticos

O Prêmio Nobel é um prêmio internacional anual para realizações em Física, Química, Fisiologia ou Medicina, Economia, Literatura e Paz e foi concedido a mais de 800 indivíduos desde 1901.

Os asiáticos foram os destinatários em todas as categorias de prêmios Nobel. O primeiro vencedor asiático, Rabindranath Tagore, recebeu o Prêmio de Literatura em 1913.

Até o momento, houve 69 vencedores asiáticos do Prêmio Nobel, 11 nas categorias de Física, Química e Fisiologia / Medicina. Eles estão listados abaixo.

Física

  • 1930 - Chandrasekhara Venkata Raman, primeiro asiático e indiano laureado com o Nobel em ciências
  • 1949 - Hideki Yukawa, primeiro ganhador do Nobel japonês
  • 1957 - Chen Ning Yang e Tsung-Dao Lee, primeiros ganhadores do Nobel chinês
  • 1979 - Abdus Salam, Primeiro Prêmio Nobel do Paquistão
  • 2009 - Charles K. Kao, primeiro prêmio Nobel de cidadania de Hong Kong

Química

  • 1981 - Kenichi Fukui, Primeiro Prêmio Nobel Asiático e Japonês em Química
  • 1986 - Yaun T Lee, Primeiro Prêmio Nobel de Taiwan
  • 2015 - Aziz Sancar, primeiro turco ganhador do Nobel em ciência

Fisiologia ou Medicina

  • 1968 - Har Gobind Khorana, primeiro nascido na Ásia e na Índia, ganhador do Prêmio Nobel
  • 1987 - Susumu Tonegawa, Primeiro Prêmio Nobel Asiático e Japonês em Fisiologia ou Medicina
  • 2015 - Tu Youyou, primeira mulher chinesa ganhadora do Nobel

Você tem uma ideia para uma história para nós? Você quer enviar um blog convidado? Se for sobre equidade, diversidade ou inclusão, envie para [email protected]

Para notícias, atualizações e vídeos, siga ou inscreva-se no EDI no: Twitter, Instagram, Blog, YouTube.


Althea Gibson é a primeira afro-americana a vencer em Wimbledon

Em 6 de julho de 1957, Althea Gibson conquistou o título de tênis individual feminino em Wimbledon e se tornou a primeira afro-americana a ganhar um campeonato no All England Lawn Tennis and Croquet Club de Londres.

Gibson nasceu em 25 de agosto de 1927, em Silver, Carolina do Sul, e foi criado no bairro do Harlem, na cidade de Nova York. Ela começou a jogar tênis na adolescência e ganhou o campeonato nacional das mulheres negras duas vezes. Numa época em que o tênis era amplamente segregado, Alice Marble, quatro vezes vencedora do Campeonato Americano, defendeu Gibson & # x2019s e a jogadora 5 & # x201911 & # x201D foi convidada a fazer seu & # xA0United States National Championships (agora conhecido como & # xA0U.S . Aberto) estreou em 1950. Em 1956, a carreira de tênis de Gibson & # x2019 decolou e ela ganhou o título de simples no Campeonato da França (agora conhecido como Aberto da França) & # x2014 a primeira afro-americana a fazê-lo & # x2014, bem como as duplas & # x2019 título lá. Em julho de 1957, Gibson venceu Wimbledon, derrotando Darlene Hard por 6-3, 6-2. (Em 1975, Arthur Ashe se tornou o primeiro afro-americano a ganhar o título individual masculino em Wimbledon, quando derrotou Jimmy Connors.) Em setembro de 1957, ela ganhou o Aberto dos Estados Unidos e a Associated Press a nomeou Atleta Feminina do Ano em 1957 e 1958. Durante a década de 1950, Gibson ganhou 56 títulos de simples e duplas, incluindo 11 títulos principais.

Depois de vencer Wimbledon e o Aberto dos Estados Unidos novamente em 1958, Gibson se aposentou do tênis amador. Em 1960, ela viajou com o time de basquete Harlem Globetrotters, jogando partidas de tênis antes dos jogos. Em 1964, Gibson juntou-se ao Ladies Professional Golf Association Tour, a primeira mulher negra a fazê-lo. A pioneira atleta jogou golfe profissional até 1971, mesmo ano em que foi eleita para o Hall da Fama da National Lawn Tennis Association.

Depois de servir como comissário de atletismo de New Jersey & # x2019s de 1975 a 1985, Althea Gibson morreu aos 76 anos de insuficiência respiratória em 28 de setembro de 2003, em um hospital em East Orange, New Jersey.


Eventos históricos em 1957

Evento de Interesse

1º de janeiro George Town, Penang se torna uma cidade por uma carta real concedida por Sua Majestade a Rainha Elizabeth II.

    Uma unidade do Exército Republicano Irlandês (IRA) ataca o quartel Brookeborough RUC em um dos incidentes mais famosos da Operação Colheita do IRA. 43º Rose Bowl: # 3 Iowa vence # 10 Oregon State, 35-19 23º Sugar Bowl: # 11 Baylor vence # 2 Tennessee, 13-7 23º Orange Bowl: # 20 Colorado vence # 19 Clemson, 27-21

Título de boxe Lutar

2 de janeiro No primeiro de 4 encontros entre os lutadores, Gene Fullmer vence o título mundial de boxe peso médio com uma decisão unânime de 15 assaltos sobre Sugar Ray Robinson no Madison Square Garden de Nova York

    Lançado o primeiro relógio elétrico, a comédia de situação Lancaster Pa & quotBlondie & quot estreia na NBC TV (mais tarde na CBS). Dodgers compram um avião bimotor de 44 passageiros por US $ 775.000

Evento de Interesse

5 de janeiro Jackie Robinson dos Dodgers anuncia sua aposentadoria em vez de ser negociado com o NY Giants

Evento de Interesse

5 de janeiro O presidente dos EUA, Eisenhower, pede ao Congresso que envie tropas para o Oriente Médio

Programa de TV Aparência

6 de janeiro Elvis Presley faz sua sétima e última aparição no & quotThe Ed Sullivan Show & quot


Agora transmitindo

Sr. Tornado

Sr. Tornado é a história notável do homem cujo trabalho inovador em pesquisa e ciência aplicada salvou milhares de vidas e ajudou os americanos a se preparar e responder a fenômenos climáticos perigosos.

A Cruzada da Pólio

A história da cruzada da pólio homenageia uma época em que os americanos se uniram para vencer uma doença terrível. A descoberta médica salvou inúmeras vidas e teve um impacto generalizado na filantropia americana que continua a ser sentido hoje.

Oz americano

Explore a vida e os tempos de L. Frank Baum, criador do amado O Maravilhoso Mágico de Oz.


Eventos de hoje na história do esporte

    Paavo Nurmi corre o recorde mundial de 1500m de 3: 52,6 50 minutos depois, define 5.000m WR 14: 28,2 e também corre o tempo de 3 milhas WR 14: 02.00 nessa prova nas provas olímpicas finlandesas em Helsinque

Título de Boxe Lutar

1936 O boxeador alemão Max Schmeling nocauteou o emergente americano Joe Louis em 12 rodadas no Yankee Stadium, em Nova York

    Joe McCarthy é nomeado para gerenciar AL All-Stars, em vez de Mickey Cochrane tenso, que está muito perto de um colapso nervoso LPGA Western Open Women's Golf, Beverly CC: Helen Hicks vence o primeiro de seus 2 títulos principais, derrotando a amadora Bea Barrett 6 e 5 na final da Copa do Mundo da FIFA, Stade Olympique de Colombes, Paris, França: Luigi Colausig e Silvio Piola marcam 2 gols cada um na vitória da Itália sobre a Hungria, 4-1 Paul Waner (Pirates) rebateu Pete Sivess (Phillies) em DH Reds Johnny Vander Meer estende sua sequência de entradas de beisebol sem rebatidas para 21 2/3 antes de Debs Garms singles para Boston em 4º Paul Waner é 7º a obter 3.000 rebatidas de beisebol Filadélfia Eagles da NFL e fusão Pittsburgh Steelers, (dissolvido em 5 de dezembro)

Evento de Interesse

1954 LPGA Western Open de golfe feminino, Glen Flora CC: Betty Jameson vence 6 e 5 ampères sobre Louise Suggs na final

US Golf Open

1955 US Open Men's Golf, Olympic CC: Jack Fleck vence um playoff de 18 buracos por 3 tacadas para reivindicar seu único título importante e negar a Ben Hogan o quinto título recorde do US Open

Evento de Interesse

Beisebol Registro

1961 NY Yankee Roger Maris atinge seu 25º de 61 HRs

Evento de Interesse

1973 Pete Rose (Cincinnati Reds) e Willie Davis (LA Dodgers) recorde de 2.000 pontos na carreira da MLB em Rose, um único na vitória por 4-0 sobre o SF Giants Davis, um HR na vitória por 3-0 sobre Atlanta Braves

    O arremessador do KC Royals, Steve Busby, lança sua segunda carreira sem rebatidas contra Milwaukee Brewers, 2-0 US Open Golf, Southern Hills CC: Hubert Green chuta 2 abaixo de 278 para vencer Lou Graham por 1 tacada

Evento de Interesse

1977 MLB Cleveland Indians demitir o gerente Frank Robinson e substituí-lo por Jeff Torborg

Evento de Interesse

1978 Ian Botham enfrenta 8-34 x Paquistão, seu melhor teste de boliche de críquete

Evento de Interesse

1979 Em NYC 36.211 aparecem para testemunhar o retorno de Billy Martin como gerente do New York Yankees

Evento de Interesse

1985 Reggie Jackson atinge seu 513º HR para passar para o 10º lugar

Evento de Interesse

1989 Mets Dwight Gooden vence seu 100º jogo (100-37)

    Gary Carter atinge seu 1.862º jogo na carreira e quebra a marca da NL de Al López. NY Yankee Steve Howe registra sua primeira defesa na liga principal desde 1987

Título de boxe Lutar

1992 Evander Holyfield vence Larry Holmes em 12 para o título de boxe peso-pesado

    NY Yankees primeiro jogo em Baltimore Oriole's Camden Yards David Boon completa 15º século de críquete de teste, 164 * v Inglaterra no Lord's

Acordo de Interesse

1995 NY Yankees anunciam acordo com Darryl Strawberry

Evento de Interesse

Stanley Cup de 1999, Marine Midland Arena, Buffalo, NY: Dallas Stars venceu Buffalo Sabres, 2-1 na prorrogação tripla para vitória da série 4-2 Brett Hull conquista série com infame & quotNo Goal & quot

Finais da NBA

Finais da NBA de 2000: Los Angeles Lakers derrotou Indiana Pacers por 116-111 no jogo 6 para ganhar o primeiro título da franquia em 12 anos MVP: Shaquille O'Neal

Evento de Interesse

2005 Michael Schumacher vence o polêmico Grande Prêmio de Fórmula 1 dos Estados Unidos, onde apenas 6 de 20 carros completam a corrida entre o ridículo das regras de segurança e pneus da F1

US Golf Open

Golfe masculino do Aberto dos EUA de 2005, Pinehurst CC: Michael Campbell, da Nova Zelândia, detém Tiger Woods para conquistar seu único título importante com 2 tacadas

    Stanley Cup Final, PNC Arena, Raleigh, NC: Carolina Hurricanes venceu Edmonton Oilers por 3-1 para uma vitória de 4-3 na série Hurricane's primeiro campeonato US Open Men's Golf, Congressional CC: O irlandês Rory McIlroy venceu por 8 tacadas antes do australiano Jason Day estabelece 11 recordes de torneio, incluindo a menor pontuação total de 72 buracos (268) e a menor pontuação total abaixo do par (−16) US Open Men's Golf, Oakmont CC, PA: Apesar da penalidade controversa no 5º green, Dustin Johnson vence por 3 tacadas à frente de vice-campeões Shane Lowry, Jim Furyk e Scott Piercy

Finais da NBA

Finais da NBA de 2016: Cleveland Cavaliers ganha o primeiro título derrotando o atual campeão Golden State Warriors, 93-89 no jogo 7 primeiro time a superar déficit de 3-1 MVP: LeBron James


Prêmio Nobel da Ásia-Ramon Magsaysay Awards cancelado

Uma fundação sediada em Manila, nas Filipinas, que distribui o prêmio Ramon Magsaysay, anunciou que os prêmios estão sendo cancelados devido ao COVID-19.

Destaques

O Prêmio Ramon Magsaysay foi cancelado três vezes em 6 décadas. Os prêmios foram cancelados pela primeira vez em 1970 devido à crise financeira. Foi cancelado novamente em 1990 devido a um terremoto desastroso. O prêmio leva o nome de um popular presidente das Filipinas que morreu em um acidente de avião em 1957.

Sobre o Prêmio

O prêmio é considerado o Prêmio Nobel da Ásia. Foi estabelecido em 1957. O prêmio reconhece e homenageia indivíduos que alcançaram distinção em seu campo e ajudam os outros generosamente.

O prêmio foi concedido em cinco categorias: jornalismo, serviço governamental, serviço público, literatura e comunicação criativa

Ramon Magsaysay

Magsaysay tornou-se presidente das Filipinas em 1953. Os anos de administração de Magsaysay são citados como os Anos Dourados das Filipinas. Ele era conhecido por sua generosidade e reformas agrárias.


Grandes eventos, destaques esportivos e prêmios Nobel de 1957 - História

O prêmio foi concedido em conjunto a:

H ARVEY J. A LTER , M ICHAEL H OUGHTON , e C HARLES M. R ICE para a descoberta do vírus da hepatite C.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

W ILLIAM G. K AELIN , S IR P ETER J. R ATCLIFFE e G REGG L. S EMENZA por suas descobertas de como as células sentem e se adaptam à disponibilidade de oxigênio.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

J AMES P. A LISON , e T ASUKU H ONJO por sua descoberta da terapia do câncer pela inibição da regulação imunológica negativa.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

J EFFREY C. H ALL , M ICHAEL R OSBASH e M ICHAEL W. Y OUNG por suas descobertas de mecanismos moleculares que controlam o ritmo circadiano.

Y OSHINORI O HSUMI por suas descobertas de mecanismos para autofagia

O prêmio foi dividido igualmente, com uma metade em conjunto para:

W ILLIAM C. C AMPBELL e S ATOSHI O MURA por suas descobertas sobre uma nova terapia contra infecções causadas por parasitas de lombriga

Y OUYOU T U por suas descobertas sobre uma nova terapia contra a malária.

O prêmio ficou com metade para

J OHN O 'KEEE e a outra metade em conjunto com o M AY- B RITT M OSER e E DVARD I. M OSER por suas descobertas de células que constituem um sistema de posicionamento no cérebro

O prêmio foi concedido em conjunto a:

J AMES E. R OTHMAN , R ANDY W. S CHEKMAN e T HOMAS C. S & UumlDHOF por suas descobertas de máquinas que regulam o tráfego de vesículas, um importante sistema de transporte em nossas células.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

J OHN B. G URDON e S HINYA Y AMANAKA para a descoberta de que células maduras podem ser reprogramadas para se tornarem pluripotentes.

O prêmio foi dividido igualmente, com uma metade em conjunto para:

B RUCE A. B EUTLER e J ULES A. H OFFMANN por suas descobertas sobre a ativação da imunidade inata

R ALPH M. S TEINMAN por sua descoberta da célula dendrítica e seu papel na imunidade adaptativa.

R OBERT G. E DWARDS , para o desenvolvimento da fertilização in vitro.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

E LIZABETH H. B LACKBURN , C AROL W. G REIDER e J ACK W. S ZOSTAK para a descoberta de como os cromossomos são protegidos pelos telômeros e pela enzima telomerase.

O prêmio foi dividido igualmente, metade para:

H ARALD ZUR H AUSEN por sua descoberta dos vírus do papiloma humano que causam câncer cervical

e a outra metade em conjunto para:

F RANCOISE B ARRE S INOUSSI , e L UC M ONTAGNIER pela descoberta do vírus da imunodeficiência humana

O prêmio foi concedido em conjunto a:

M ARIO R. C APECCHI , S IR M ARTIN J. E VANS , e O FÍGADO S MITHIES por suas descobertas de princípios para a introdução de modificações genéticas específicas em camundongos pelo uso de células-tronco embrionárias

O prêmio foi concedido em conjunto a:

A NDREW Z. F IRE e C RAIG C. M ELLO por sua descoberta de interferência de RNA - silenciamento de genes por RNA de fita dupla

O prêmio foi concedido em conjunto a:

B ARRY J. M ARSHALL e J. R OBIN W ARREN pela descoberta da bactéria Helicobacter pylori e seu papel na gastrite e na úlcera péptica.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

R ICHARD A XEL , e L INDA B B UCK por suas descobertas de receptores de odor e a organização do sistema olfatório

O prêmio foi concedido em conjunto a:

P AUL C. L AUTERBUR , e S IR P ETER M ANSFIELD por suas descobertas sobre imagens de ressonância magnética.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

S YDNEY B RENNER , H. R OBERT H ORVITZ e J OHN E. S ULSTON por suas descobertas sobre a regulação genética do desenvolvimento de órgãos e morte celular programada.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

O prêmio foi concedido em conjunto a:

A RVID C ARLSSON , P AUL G REENGARD e E RIC K ANDEL por suas descobertas sobre a transdução de sinal no sistema nervoso.

G & UUMINTER B LOBEL , para a descoberta de que as proteínas têm sinais intrínsecos que governam seu transporte e localização na célula.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

R OBERT F. F URCHGOTT , L OUIS J. Eu GNARRO e F ERID M URAD por suas descobertas sobre o óxido nítrico como uma molécula sinalizadora no sistema cardiovascular.

S TANLEY B. P RUSINER por sua descoberta de Prions - um novo princípio biológico de infecção

O prêmio foi concedido em conjunto a:

P ETER C. D OHERTY e R OLF M. Z INKERNAGEL por suas descobertas sobre a especificidade da defesa imunológica mediada por células.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

E DWARD B. L EWIS , C HRISTIANE N SSLEIN -V OLHARD e E RIC F. W IESCHAUS por suas descobertas a respeito do controle genético do desenvolvimento embrionário inicial.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

A LFRED G. G ILMAN e M ARTIN R ODBELL por sua descoberta de proteínas G e o papel dessas proteínas na transdução de sinal em células.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

R ICHARD J. R OBERTS e P HILLIP A. AFIADO por suas descobertas independentes de genes divididos.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

E DMOND H. F ISCHER e E DWIN G. K REBS por suas descobertas sobre a fosforilação reversível de proteínas como mecanismo regulador biológico.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

E RWIN N EHER e B ERT S AKMANN por suas descobertas sobre a função de canais de íons únicos nas células.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

J OSEPH E. M URRAY e E. D ONNALL T HOMAS por suas descobertas a respeito do transplante de órgãos e células no tratamento de doenças humanas.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

J. M ICHAEL B ISHOP e H AROLD E. V ARMUS pela descoberta da origem celular dos oncogenes retrovirais.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

S USUMU T ONEGAWA por sua descoberta do princípio genético para geração de diversidade de anticorpos.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

O prêmio foi concedido em conjunto a:

M ICHAEL S. MARROM e J OSEPH L. G OLDSTEIN por suas descobertas sobre a regulação do metabolismo do colesterol.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

N IELS K. J ERNE , G EORGES J .F. K HLER e C SAR M ILSTEIN para teorias sobre a especificidade no desenvolvimento e controle do sistema imunológico e a descoberta do princípio para a produção de anticorpos monoclonais.

B ARBARA M C LINTOCK por sua descoberta de elementos genéticos móveis.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

S UNE K. B ERGSTR M , B ENGT I. S AMUELSSON e S IR J OHN R. V ANE por suas descobertas sobre prostaglandinas e substâncias biologicamente ativas relacionadas.

O prêmio foi dividido igualmente, metade atribuído a:

R OGER W. S PERRY por suas descobertas sobre a especialização funcional dos hemisférios cerebrais.

e a outra metade concedida em conjunto a:

D AVID H. H UBEL e T ORSTEN N. W IESEL por suas descobertas a respeito do processamento de informações no sistema visual.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

B ARUJ B ENACERRAF , J EAN D AUSSET e G EORGE D. S NELL por suas descobertas a respeito de estruturas geneticamente determinadas na superfície celular que regulam as reações imunológicas.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

O prêmio foi concedido em conjunto a:

W ERNER A RBER , D ANIEL N ATHANS e H AMILTON O. S MITH para a descoberta de enzimas de restrição e sua aplicação a problemas de genética molecular.

O prêmio foi dividido igualmente, metade atribuído em conjunto a:

R OGER G UILLEMIN e A NDREW V. DESAFIO por suas descobertas sobre a produção de hormônios peptídicos no cérebro

e a outra metade concedida a:

R OSALYN Y ALOW para o desenvolvimento de radioimunoensaios de hormônios peptídicos.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

B ARUCH S. B LUMBERG e D. C ARLETON G AJDUSEK por suas descobertas sobre novos mecanismos de origem e disseminação de doenças infecciosas.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

D AVID B ALTIMORE , R ENATO D ULBECCO e H OWARD M ARTIN T EMIN por suas descobertas sobre a interação entre os vírus tumorais e o material genético da célula.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

A LBERT C LAUDE , C HRISTIAN D E D UVE e G EORGE E. P ALADE por suas descobertas sobre a organização estrutural e funcional da célula.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

K ARL V ON F RISCH , KONRAD L ORENZ e N IKOLAAS T INBERGEN por suas descobertas a respeito da organização e elicitação de padrões de comportamento individual e social.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

G ERALD M. E DELMAN e R ODNEY R. P ORTER por suas descobertas sobre a estrutura química dos anticorpos.

E ARL W. J R. S UTHERLAND por suas descobertas sobre os mecanismos de ação dos hormônios.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

S IR B ERNARD K ATZ , U LF V ON E ULER e J ULIUS A XELROD por suas descobertas sobre os transmissores humorais nos terminais nervosos e o mecanismo para seu armazenamento, liberação e inativação.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

M AX D ELBR CK , A LFRED D. H ERSHEY e S ALVADOR E. L URIA por suas descobertas sobre o mecanismo de replicação e a estrutura gênica dos vírus.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

R OBERT W. H OLLEY , H AR G OBIND K HORANA e M ARSHALL W. N IRENBERG para a sua interpretação do código genético e sua função na síntese de proteínas.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

R AGNAR G RANIT , H ALDAN K EFFER H ARTLINE e G EORGE W ALD por suas descobertas a respeito dos processos visuais fisiológicos e químicos primários no olho.

O prêmio foi dividido igualmente, metade atribuído a:

P EYTON R OUS por sua descoberta de vírus indutores de tumor

C HARLES B RENTON H UGGINS por suas descobertas sobre o tratamento hormonal do câncer de próstata.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

F RAN OIS J ACOB , A NDR L WOFF e J ACOUES M ONOD por suas descobertas sobre o controle genético da síntese de enzimas e vírus.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

K ONRAD B LOCH e F EODOR LYNEN por suas descobertas sobre o mecanismo e a regulação do metabolismo do colesterol e dos ácidos graxos.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

S IR J OHN C AREW E CCLES , S IR A LAN L LOYD H ODGKIN e S IR A NDREW F IELDING H UXLEY por suas descobertas sobre os mecanismos iônicos envolvidos na excitação e inibição nas porções periféricas e centrais da membrana das células nervosas.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

F RANCIS H ARRY C OMPTON C RICK , J AMES D EWEY W ATSON e M AURICE H UGH F REDERICK W ILKINS por suas descobertas sobre a estrutura molecular dos ácidos nucleares e sua importância para a transferência de informações em materiais vivos.

G EORG V ON B K SY por suas descobertas do mecanismo físico de estimulação dentro da cóclea.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

O prêmio foi concedido em conjunto a:

S EVERO O CHOA e A RTHUR K ORNBERG pela descoberta dos mecanismos de síntese biológica do ácido ribonucléico e do ácido desoxiribonucléico.

O prêmio foi dividido igualmente, metade atribuído em conjunto a:

G EORGE W ELLS B EADLE e E DWARD L AWRIE T ATUM pela descoberta de que os genes agem regulando eventos químicos definidos

J OSHUA L EDERBERG por suas descobertas a respeito da recombinação genética e da organização do material genético das bactérias.

D ANIEL B OVET por suas descobertas relativas a compostos sintéticos que inibem a ação de certas substâncias do corpo e, especialmente, sua ação no sistema vascular e nos músculos esqueléticos.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

A NDR F R D RIC C OURNAND , W ERNER F ORSSMANN e D ICKINSON W. R ICHARDS por suas descobertas sobre cateterização do coração e alterações patológicas no sistema circulatório.

A XEL H UGO T HEODOR T HEORELL por suas descobertas sobre a natureza e o modo de ação das enzimas de oxidação.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

J OHN F RANKLIN E NDERS , T HOMAS H UCKLE W ELLER e F REDERICK C HAPMAN R OBBINS por sua descoberta da capacidade dos vírus da poliomielite de crescer em culturas de vários tipos de tecido.

O prêmio foi dividido igualmente, metade atribuído a:

S IR H ANS A DOLF K REBS por sua descoberta do ciclo do ácido cítrico

F RITZ A LBERT L IPMANN por sua descoberta da coenzima A e sua importância para o metabolismo intermediário.

S ELMAN A BRAHAM W AKSMAN por sua descoberta da estreptomicina, o primeiro antibiótico eficaz contra a tuberculose.

M AX T HEILER por suas descobertas sobre a febre amarela e como combatê-la.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

E DWARD C ALVIN K ENDALL , T ADEUS R EICHSTEIN e P HILIP S HOWALTER H ENCH por suas descobertas relacionadas aos hormônios do córtex adrenal, sua estrutura e efeitos biológicos.

O prêmio foi dividido igualmente, metade atribuído a:

W ALTER R UDOLF H ESS por sua descoberta da organização funcional do interencéfalo como coordenador das atividades dos órgãos internos

A NTONIO C AETANO D E A BREU F REIRE E GAS M ONIZ por sua descoberta do valor terapêutico da leucotomia em certas psicoses.

P AUL H ERMANN M LLER por sua descoberta da alta eficiência do DDT como um veneno de contato contra vários artrópodes.

O prêmio foi dividido, metade concedido em conjunto a:

C ARL F ERDINAND C ORI e G ERTY T HERESA C ORI n e R ADNITZ pela descoberta do curso da conversão catalítica do glicogênio

a outra metade concedida a:

B ERNARDO A LBERTO H OUSSAY por sua descoberta do papel desempenhado pelo hormônio do lobo anterior da hipófise no metabolismo do açúcar.

H ERMANN J OSEPH M ULLER para a descoberta da produção de mutações por meio de irradiação de raios-X.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

S IR A LEXANDER F LEMING , S IR E RNST B ORIS C HAIN e L ORD H OWARD W ALTER F LOREY para a descoberta da penicilina e seu efeito curativo em várias doenças infecciosas.

O prêmio foi concedido conjuntamente a

J OSEPH E RLANGER e H ERBERT S PENCER G ASSER por suas descobertas relacionadas às funções altamente diferenciadas das fibras nervosas individuais.

O prêmio foi dividido igualmente, metade atribuído a:

H ENRIK C ARL P ETER D AM por sua descoberta da vitamina K.

E DWARD A DELBERT D OISY por sua descoberta da natureza química da vitamina K.

1942-1940

G ERHARD D OMAGK para a descoberta dos efeitos antibacterianos do prontosil. (Causado pelas autoridades de seu país a recusar o prêmio, mas depois recebeu o diploma e a medalha.)

C ORNEILLE J EAN F RAN OIS H EYMANS para a descoberta do papel desempenhado pelos seios e mecanismos aórticos na regulação da respiração.

A LBERT S ZENT -G Y RGYI V ON N AGYRAPOLT pelas suas descobertas relacionadas com os processos de combustão biológica, com especial referência à vitamina C e à catálise do ácido fumárico.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

S IR H ENRY H ALLETT D ALE e O TTO L OEWI por suas descobertas relacionadas à transmissão química de impulsos nervosos.

H ANS S PEMANN por sua descoberta do efeito organizador no desenvolvimento embrionário.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

T HOMAS H UNT M ORGAN por suas descobertas sobre o papel desempenhado pelo cromossomo na hereditariedade.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

O TTO H EINRICH W ARBURG por sua descoberta da natureza e modo de ação da enzima respiratória.

K ARL L ANDSTEINER por sua descoberta de grupos sanguíneos humanos.

O prêmio foi dividido igualmente, metade atribuído a:

C HRISTIAAN E IJKMAN por sua descoberta da vitamina antineurítica

e a outra metade concedida a:

S IR F REDERICK G OWLAND H OPKINS por sua descoberta das vitaminas estimulantes do crescimento.

J ULIUS W AGNER -J AUREGG por sua descoberta do valor terapêutico da inoculação da malária no tratamento da demência paralítica.

J OHANNES A NDREAS G RIB F IBIGER por sua descoberta do carcinoma de Spiroptera.

O prêmio em dinheiro para 1925 foi alocado para o Fundo Especial desta seção de prêmios.

W ILLEM E INTHOVEN por sua descoberta do mecanismo do eletrocardiograma.

O prêmio foi dividido igualmente entre:

S IR A RCHIBALD V IVIAN H ILL por sua descoberta relativa à produção de calor no músculo

O TTO F RITZ M EYERHOF por sua descoberta da relação fixa entre o consumo de oxigênio e o metabolismo do ácido láctico no músculo.

O prêmio em dinheiro para 1921 foi alocado para o Fundo Especial desta seção de prêmios.

S CHACK A UGUST S TEENBERGER K ROGH por sua descoberta do mecanismo de regulação do motor capilar.

J ULES B ORDET por suas descobertas relacionadas à imunidade.

1918-1915

R OBERT B R NY por seu trabalho sobre a fisiologia e patologia do aparelho vestibular.

C HARLES R OBERT R ICHET em reconhecimento ao seu trabalho sobre anafilaxia.

A LEXIS C ARREL em reconhecimento ao seu trabalho com sutura vascular e transplante de vasos sanguíneos e órgãos.

A LLVAR G ULLSTRAND por seu trabalho sobre a dioptria do olho.

A LBRECHT K OSSEL em reconhecimento às contribuições para o nosso conhecimento da química celular feitas por meio de seu trabalho com proteínas, incluindo as substâncias nucléicas.

E MIL T HEODOR K OCHER por seu trabalho na fisiologia, patologia e cirurgia da glândula tireóide.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

C HARLES L OUIS A LPHONSE L AVERAN em reconhecimento ao seu trabalho sobre o papel desempenhado pelos protozoários em causar doenças.

O prêmio foi concedido em conjunto a:

C AMILLO G OLGI e S ANTIAGO R AMON Y C AJAL em reconhecimento ao seu trabalho na estrutura do sistema nervoso.

R OBERT K OCH por suas investigações e descobertas em relação à tuberculose.

I VAN P ETROVICH P AVLOV em reconhecimento ao seu trabalho sobre a fisiologia da digestão, através do qual o conhecimento sobre os aspectos vitais do assunto foi transformado e ampliado.

N IELS R YBERG F INSEN em reconhecimento à sua contribuição para o tratamento de doenças, especialmente lúpus vulgaris, com radiação de luz concentrada, por meio da qual ele abriu um novo caminho para a ciência médica.

S IR R ONALD R OSS por seu trabalho sobre a malária, pelo qual ele mostrou como ela entra no organismo e, assim, lançou as bases para uma pesquisa bem-sucedida sobre essa doença e métodos de combatê-la.


2010 - 2019

Uma década desafiadora

A crise econômica global atinge fortemente a Europa. A UE ajuda vários países a enfrentar as suas dificuldades e estabelece a 'União Bancária' para garantir bancos mais seguros e fiáveis. Em 2012, a União Europeia recebeu o Prêmio Nobel da Paz. A Croácia se torna o 28º membro da UE em 2013. As mudanças climáticas ainda estão no topo da agenda e os líderes concordam em reduzir as emissões nocivas. As eleições europeias realizam-se em 2014 e mais eurocépticos são eleitos para o Parlamento Europeu. Uma nova política de segurança é estabelecida na sequência da anexação da Crimeia pela Rússia. Agitações e guerras em vários países levam muitas pessoas a fugir de suas casas e buscar refúgio na Europa. A UE enfrenta o desafio de como cuidar deles, salvaguardando o seu bem-estar e respeitando os seus direitos humanos.


Conteúdo

Edição de juventude

Gabriel García Márquez nasceu em 6 de março de 1927 [c] em Aracataca, Colômbia, filho de Gabriel Eligio García e Luisa Santiaga Márquez Iguarán. [5] Logo após o nascimento de García Márquez, seu pai se tornou farmacêutico e se mudou, com sua esposa, para Barranquilla, deixando o jovem Gabriel em Aracataca. [6] Ele foi criado por seus avós maternos, Doña Tranquilina Iguarán e o Coronel Nicolás Ricardo Márquez Mejía.[7] Em dezembro de 1936, seu pai o levou com seu irmão para Sincé, enquanto em março de 1937, seu avô morreu, a família mudou-se primeiro (de volta) para Barranquilla e depois para Sucre, onde seu pai abriu uma farmácia. [8]

Quando seus pais se apaixonaram, o relacionamento encontrou resistência do pai de Luisa Santiaga Márquez, o Coronel. Gabriel Eligio García não era o homem que o coronel imaginou conquistar o coração de sua filha: Gabriel Eligio era conservador e tinha fama de mulherengo. [9] [10] Gabriel Eligio cortejou Luísa com serenatas de violino, poemas de amor, inúmeras cartas e até mensagens telefônicas depois que seu pai a mandou embora com a intenção de separar o jovem casal. Os pais dela tentaram de tudo para se livrar do homem, mas ele sempre voltava, e era óbvio que a filha estava comprometida com ele. [9] Sua família finalmente capitulou e deu-lhe permissão para se casar com ele [11] [12] (a tragicômica história de seu namoro seria mais tarde adaptada e reformulada como Amor em Tempos de cólera.) [10] [13]

Como os pais de García Márquez foram mais ou menos estranhos para ele nos primeiros anos de sua vida, [14] seus avós influenciaram seu desenvolvimento inicial de forma muito forte. [15] [16] Seu avô, a quem ele chamou de "Papalelo", [15] foi um veterano liberal da Guerra dos Mil Dias. [17] O coronel era considerado um herói pelos liberais colombianos e era muito respeitado. [18] Ele era conhecido por sua recusa em permanecer calado sobre os massacres de bananas que ocorreram um ano após o nascimento de García Márquez. [19] O Coronel, a quem García Márquez descreveu como seu "cordão umbilical com história e realidade", [20]> também era um excelente contador de histórias. [21] Ele deu lições de dicionário a García Márquez, levou-o ao circo todos os anos e foi o primeiro a apresentar o gelo a seu neto - um "milagre" encontrado na loja da United Fruit Company. [22] Ele também ocasionalmente dizia ao seu jovem neto "Você não pode imaginar quanto pesa um homem morto", [23] [24] lembrando-o de que não havia fardo maior do que ter matado um homem, uma lição que García Márquez posteriormente se integraria em seus romances.

A avó de García Márquez, Doña Tranquilina Iguarán Cotes, teve um papel influente em sua educação. Ele se inspirou na maneira como ela "tratava o extraordinário como algo perfeitamente natural". [25] A casa estava cheia de histórias de fantasmas e premonições, presságios e presságios, [26] todos os quais foram cuidadosamente ignorados por seu marido. [15] Segundo García Márquez ela era "a fonte da visão mágica, supersticiosa e sobrenatural da realidade". [20] Ele gostava da maneira única de sua avó de contar histórias. Por mais fantásticas ou improváveis ​​que fossem suas afirmações, ela sempre as proferia como se fossem a verdade irrefutável. Era um estilo impassível que, cerca de trinta anos depois, influenciou fortemente o romance mais popular de seu neto, cem anos de Solidão. [27]

Educação e edição da idade adulta

Depois de chegar a Sucre, ficou decidido que García Márquez deveria iniciar sua educação formal e ele foi enviado para um estágio em Barranquilla, um porto na foz do Rio Magdalena. Lá, ele ganhou a reputação de ser um garoto tímido que escrevia poemas humorísticos e desenhava histórias em quadrinhos humorísticos. Sério e pouco interessado em atividades atléticas, foi chamado El Viejo por seus colegas de classe. [28]

García Márquez passou os primeiros anos do ensino médio, a partir de 1940, no Colegio jesuita San José (hoje Instituto San José), onde publicou seus primeiros poemas na revista escolar Juventud. Posteriormente, graças a uma bolsa concedida pelo governo, Gabriel foi enviado para estudar em Bogotá, depois foi transferido para o Liceo Nacional de Zipaquirá, cidade a uma hora de distância da capital, onde terminaria os estudos secundários.

Durante sua estada na casa de estudos de Bogotá, ele se destacou em vários esportes, tornando-se capitão do time do Liceo Nacional Zipaquirá em três modalidades: futebol, beisebol e atletismo.

Após sua graduação em 1947, García Márquez ficou em Bogotá para estudar direito na Universidad Nacional de Colombia, mas passava a maior parte de seu tempo livre lendo ficção. La metamorfosis de Franz Kafka, particularmente na falsa tradução de Jorge Luis Borges, [29] foi uma obra que o inspirou especialmente. Ele estava animado com a ideia de escrever, não literatura tradicional, mas em um estilo semelhante às histórias de sua avó, em que ela "inseria eventos e anomalias extraordinárias como se fossem simplesmente um aspecto da vida cotidiana". Seu desejo de ser escritor cresceu. Pouco depois publicou sua primeira obra, "La tercera resignación", que apareceu na edição de 13 de setembro de 1947 do jornal El Espectador.

Embora sua paixão fosse a escrita, ele continuou com a lei em 1948 para agradar a seu pai. Depois do chamado "Bogotazo" em 1948, alguns distúrbios sangrentos que aconteceram em 9 de abril causados ​​pelo assassinato do líder popular Jorge Eliécer Gaitán, a universidade fechou por tempo indeterminado e sua pensão foi incendiada. García Márquez transferiu-se para a Universidad de Cartagena e começou a trabalhar como repórter de El Universal. Em 1950 terminou os estudos jurídicos para se dedicar ao jornalismo e mudou-se novamente para Barranquilla para trabalhar como colunista e repórter no jornal El Heraldo. Embora García Márquez nunca tenha concluído seus estudos superiores, algumas universidades, incluindo a Columbia University, de Nova York, concederam-lhe um doutorado honorário por escrito. [28]

Edição de Jornalismo

García Márquez começou sua carreira como jornalista enquanto estudava direito na Universidade Nacional da Colômbia. Em 1948 e 1949 ele escreveu para El Universal em Cartagena. De 1950 a 1952, ele escreveu uma coluna "caprichosa" sob o nome de "Septimus"para o jornal local El Heraldo em Barranquilla. [30] García Márquez comentou sobre seu tempo em El Heraldo, "Eu escreveria um artigo e eles me pagariam três pesos por ele, e talvez um editorial por outros três." [31] Durante este tempo, ele se tornou um membro ativo do grupo informal de escritores e jornalistas conhecido como Grupo de Barranquilla, uma associação que forneceu grande motivação e inspiração para sua carreira literária. Ele trabalhou com figuras inspiradoras como Ramon Vinyes, que García Márquez retratou como um velho catalão que possui uma livraria em cem anos de Solidão. [32] Nessa época, García Márquez também conheceu as obras de escritores como Virginia Woolf e William Faulkner. As técnicas narrativas de Faulkner, os temas históricos e o uso de locais rurais influenciaram muitos autores latino-americanos. [33] O ambiente de Barranquilla deu a García Márquez uma educação literária de classe mundial e uma perspectiva única sobre a cultura caribenha. De 1954 a 1955, García Márquez passou um tempo em Bogotá e escreveu regularmente para a El Espectador. Ele era um crítico de cinema regular.

Em dezembro de 1957, García Márquez aceitou um cargo em Caracas com a revista Momento dirigido por seu amigo Plinio Apuleyo Mendoza. Chegou à capital venezuelana em 23 de dezembro de 1957, e começou a trabalhar imediatamente na Momento. García Márquez também testemunhou o golpe de Estado venezuelano de 1958, que levou ao exílio do presidente Marcos Pérez Jiménez. Na sequência deste evento, García Márquez escreveu um artigo, "A participação do clero na luta", descrevendo a oposição da Igreja da Venezuela ao regime de Jiménez. Em março de 1958, ele fez uma viagem à Colômbia, onde se casou com Mercedes Barcha e juntos voltaram para Caracas. Em maio de 1958, discordando do dono da Momento, ele renunciou e logo se tornou editor do jornal Venezuela Gráfica. [ citação necessária ]

Edição de Política

García Márquez foi um "esquerdista comprometido" ao longo de sua vida, aderindo às crenças socialistas. [34] Em 1991, ele publicou Mudando a História da África, um estudo admirável das atividades cubanas na Guerra Civil Angolana e na maior Guerra da Fronteira Sul-Africana. García Márquez manteve uma amizade próxima, mas "matizada" com Fidel Castro, elogiando as conquistas da Revolução Cubana, mas criticando aspectos da governança e trabalhando para "suavizar [as] arestas mais ásperas" do país. [35] As visões políticas e ideológicas de García Márquez foram moldadas pelas histórias de seu avô. [23] Em uma entrevista, García Márquez disse a seu amigo Plinio Apuleyo Mendoza, "meu avô, o Coronel era um liberal. No início, provavelmente minhas idéias políticas vieram dele porque, em vez de me contar contos de fadas quando eu era jovem, ele contaria regale-me com relatos horríveis da última guerra civil que os pensadores livres e anticlericais travaram contra o governo conservador. " [16] [36] Isso influenciou suas visões políticas e sua técnica literária de modo que "da mesma maneira que sua carreira de escritor inicialmente tomou forma em oposição consciente ao status quo literário colombiano, as visões socialista e antiimperialista de García Márquez são baseadas em princípios oposição ao status quo global dominado pelos Estados Unidos. " [37]

A história de um marinheiro naufragado Editar

Terminando em polêmica, seu último editorial escrito internamente para El Espectador foi uma série de 14 artigos de notícias [32] [38] em que ele revelou a história oculta de como o naufrágio de um navio da Marinha colombiana "ocorreu porque o barco continha uma carga mal arrumada de mercadorias contrabandeadas que se soltou no convés". [39] García Márquez compilou esta história através de entrevistas com um jovem marinheiro que sobreviveu ao naufrágio. [38] Os artigos geraram polêmica pública, pois desacreditaram o relato oficial dos eventos, que culparam o naufrágio por uma tempestade e glorificaram o marinheiro sobrevivente.

Em resposta a esta controvérsia El Espectador enviou García Márquez à Europa para ser correspondente estrangeiro. [40] Ele escreveu sobre suas experiências para El Independiente, um jornal que substituiu brevemente El Espectador durante o governo militar do general Gustavo Rojas Pinilla [41] e foi posteriormente encerrado pelas autoridades colombianas. [33] A formação de García Márquez no jornalismo forneceu uma base fundamental para sua carreira de escritor. O crítico literário Bell-Villada observou: "Graças à sua experiência prática no jornalismo, García Márquez é, de todos os grandes autores vivos, aquele que está mais próximo da realidade cotidiana". [42]

Edição QAP

García Márquez foi um dos fundadores originais do QAP, um noticiário que foi ao ar entre 1992 e 1997. [43] Ele foi atraído pelo projeto pela promessa de independência editorial e jornalística.

Edição de casamento e família

García Márquez conheceu Mercedes Barcha enquanto ela estava na escola, ele tinha 12 anos e ela, 9. [1] Quando ele foi enviado para a Europa como correspondente estrangeiro, Mercedes esperou que ele voltasse para Barranquilla. Finalmente eles se casaram em 1958. [44] [45] No ano seguinte, seu primeiro filho, Rodrigo García, agora um diretor de televisão e cinema, nasceu. [45] Em 1961, a família viajou de ônibus Greyhound por todo o sul dos Estados Unidos e acabou se estabelecendo na Cidade do México. [46] García Márquez sempre quis conhecer o sul dos Estados Unidos porque ele inspirou os escritos de William Faulkner. [47] Três anos depois, o segundo filho do casal, Gonzalo, nasceu no México. [48] ​​Gonzalo é atualmente um designer gráfico na Cidade do México. [47]

Leaf Storm Editar

Leaf Storm (La Hojarasca) é a primeira novela de García Márquez e levou sete anos para encontrar uma editora, finalmente sendo publicada em 1955. [49] García Márquez observa que "de tudo o que escreveu (a partir de 1973), Leaf Storm era seu favorito porque ele sentia que era o mais sincero e espontâneo. "[50] Todos os eventos da novela acontecem em uma sala, durante um período de meia hora na quarta-feira, 12 de setembro de 1928. É a história de um velho Coronel (semelhante ao avô de García Márquez) que tenta dar um enterro cristão adequado a um médico francês impopular. O coronel é sustentado apenas pela filha e pelo neto. A novela explora a primeira experiência da criança com a morte seguindo seu fluxo de consciência. O livro também revela a perspectiva de Isabel, filha do Coronel, que apresenta um ponto de vista feminino. [32]

Cem anos de Solidão Editar

Desde os 18 anos, García Márquez queria escrever um romance baseado na casa dos avós onde cresceu. No entanto, ele lutou para encontrar um tom apropriado e adiou a ideia até que um dia a resposta o atingiu enquanto levava sua família para Acapulco. Ele deu meia-volta com o carro e a família voltou para casa para que ele pudesse começar a escrever. Ele vendeu seu carro para que sua família tivesse dinheiro para viver enquanto ele escrevia, mas escrever o romance demorou muito mais do que ele esperava e ele escreveu todos os dias durante 18 meses. Sua esposa teve que pedir comida a crédito do açougueiro e do padeiro, bem como nove meses de aluguel a crédito do senhorio. [51] Durante os 18 meses de escrita, García Márquez se reuniu com dois casais, Eran Carmen e Álvaro Mutis, e María Luisa Elío e Jomí García Ascot, todas as noites e discutiu o andamento do romance, experimentando diferentes versões. [52] Quando o livro foi finalmente publicado em 1967, tornou-se seu romance de maior sucesso comercial, cem anos de Solidão (Cien años de soledad Tradução para o inglês de Gregory Rabassa, 1970), que vendeu mais de 30 milhões de cópias [53] e foi dedicada "Para (a) Jomí García Ascot y María Luisa Elío". [52] A história narra várias gerações da família Buendía desde a época em que fundaram a fictícia vila sul-americana de Macondo, passando por suas provações e tribulações, casos de incesto, nascimentos e mortes. A história de Macondo é frequentemente generalizada pelos críticos para representar cidades rurais em toda a América Latina ou pelo menos perto da terra natal de García Márquez, Aracataca. [54] [55]

Este romance foi amplamente popular e levou ao Prêmio Nobel de García Márquez, bem como ao Prêmio Rómulo Gallegos em 1972. William Kennedy chamou-o de "a primeira obra literária desde o Livro do Gênesis que deveria ser leitura obrigatória para toda a raça humana", [56] e centenas de artigos e livros de crítica literária foram publicados em resposta a ela. Apesar dos muitos elogios que o livro recebeu, García Márquez tendeu a minimizar seu sucesso. Certa vez, ele comentou: "A maioria dos críticos não percebe que um romance como cem anos de Solidão é meio que uma piada, cheia de sinais para amigos próximos e assim, com algum direito pré-ordenado de pontificar, eles assumem a responsabilidade de decodificar o livro e correm o risco de se fazerem de péssimos idiotas. "[55]

Edição de fama

Depois de escrever cem anos de Solidão García Márquez regressou à Europa, desta vez com a família, para viver em Barcelona, ​​Espanha, durante sete anos. [48] ​​O reconhecimento internacional que García Márquez conquistou com a publicação do romance levou a sua capacidade de atuar como facilitador em várias negociações entre o governo colombiano e a guerrilha, incluindo o antigo Movimento 19 de abril (M-19), e o organizações atuais das FARC e do ELN. [57] [58] A popularidade de seus escritos também levou a amizades com líderes poderosos, incluindo um com o ex-presidente cubano Fidel Castro, que foi analisado em Gabo e Fidel: Retrato de uma Amizade. [59] Foi nessa época que ele foi socado no rosto por Mario Vargas Llosa no que se tornou uma das maiores contendas da literatura moderna. Em entrevista a Claudia Dreifus em 1982, García Márquez observa que sua relação com Castro se baseia principalmente na literatura: "A nossa amizade é intelectual. Pode não ser amplamente conhecido que Fidel é um homem muito culto. Quando estamos juntos, conversamos muito sobre literatura. " [60] Esta relação foi criticada pelo escritor exilado cubano Reinaldo Arenas, em suas memórias de 1992 Antes de que anochezca (Antes do anoitecer). [61]

Devido à sua nova fama e suas opiniões francas sobre o imperialismo dos EUA, Garcia Márquez foi rotulado como um subversivo e por muitos anos teve o visto negado pelas autoridades de imigração dos EUA. [62] Depois que Bill Clinton foi eleito presidente dos EUA, ele suspendeu a proibição de viagens e citou cem anos de Solidão como seu romance favorito. [63]

Outono do patriarca Editar

García Márquez se inspirou para escrever um romance de ditador quando testemunhou a fuga do ditador venezuelano Marcos Pérez Jiménez. Ele disse: "foi a primeira vez que vimos um ditador cair na América Latina". [64] García Márquez começou a escrever Outono do patriarca (El otoño del patriarca) em 1968 e disse que foi concluído em 1971, entretanto, ele continuou a embelezar o romance do ditador até 1975, quando foi publicado na Espanha. [65] Segundo García Márquez, o romance é um "poema sobre a solidão do poder", pois segue a vida de um eterno ditador conhecido como General. O romance se desenvolve por meio de uma série de anedotas relacionadas à vida do General, que não aparecem em ordem cronológica. [66] Embora a localização exata da história não seja definida no romance, o país imaginário está situado em algum lugar do Caribe. [67]

García Márquez deu sua própria explicação da trama:

Minha intenção sempre foi fazer uma síntese de todos os ditadores latino-americanos, mas principalmente dos caribenhos.No entanto, a personalidade de Juan Vicente Gomez [da Venezuela] era tão forte, além de exercer um fascínio especial sobre mim, que sem dúvida o Patriarca tem muito mais dele do que qualquer outra pessoa. [67]

Depois de Outono do patriarca foi publicado García Márquez e sua família se mudaram de Barcelona para a Cidade do México [48] e García Márquez se comprometeu a não publicar novamente até que o ditador chileno Augusto Pinochet fosse deposto. Mas ele finalmente publicou Crônica de uma morte anunciada enquanto Pinochet ainda estava no poder, pois "não podia ficar calado diante da injustiça e da repressão". [68]

O Incrível e Triste Conto de Inocente Eréndira e sua avó sem coração Editar

O Incrível e Triste Conto de Inocente Eréndira e sua avó sem coração (Espanhol: La increíble y triste historia de la cándida Eréndira y de su abuela desalmada) apresenta a história de uma jovem mulata que sonha com a liberdade, mas não consegue escapar do alcance da avarenta avó.

O enredo da novela descreve a trajetória de vida de Eréndira, de 14 anos, que mora com a avó quando acidentalmente incendeia sua casa. A avó obriga Eréndira a saldar a dívida, prostituindo-se enquanto percorrem a estrada como vagabundas. Os homens fazem fila para usufruir dos serviços da Eréndira. Ela finalmente escapa com a ajuda de seu amante afetuoso e um tanto crédulo, Ulises, mas só depois que ele mata sua avó. Após o assassinato, Eréndira foge sozinha à noite, deixando-o na tenda com o cadáver da avó.

Eréndira e sua avó fazem uma aparição em cem anos de Solidão, um romance anterior de García Márquez.

O Incrível e Triste Conto de Inocente Eréndira e sua avó sem coração foi publicado em 1978. A novela foi adaptada para o filme de arte de 1983 Eréndira, dirigido por Ruy Guerra.

Crônica de uma morte anunciada Editar

Crônica de uma morte anunciada (Crónica de una muerte anunciada), que o crítico literário Ruben Pelayo chamou de uma combinação de jornalismo, realismo e história de detetive, [69] é inspirado por um assassinato na vida real que ocorreu em Sucre, Colômbia em 1951, mas García Márquez afirmou que nada dos eventos reais permanece além do ponto de partida e da estrutura. [70] O personagem de Santiago Nasar é baseado em um bom amigo da infância de García Márquez, Cayetano Gentile Chimento. [71]

A trama do romance gira em torno do assassinato de Santiago Nasar. O narrador atua como um detetive, revelando os eventos do assassinato à medida que o romance avança. [72] Pelayo observa que a história "se desenrola de uma forma invertida. Em vez de avançar. A trama se move para trás." [73]

Crônica de uma morte anunciada foi publicado em 1981, um ano antes de García Márquez receber o Prêmio Nobel de Literatura de 1982. [71] O romance também foi adaptado para um filme pelo diretor italiano Francesco Rosi em 1987. [72]

Amor em Tempos de cólera Editar

Amor em Tempos de cólera (El amor en los tiempos del cólera) foi publicado pela primeira vez em 1985. É considerada uma história de amor não tradicional como "os amantes encontram o amor em seus 'anos dourados' - na casa dos setenta, quando a morte os cerca". [74]

Amor em Tempos de cólera é baseado nas histórias de dois casais. O amor jovem de Fermina Daza e Florentino Ariza se baseia no caso de amor dos pais de García Márquez. [75] Mas, como García Márquez explicou em uma entrevista: "A única diferença [meus pais] são casados. E assim que se casaram, eles não eram mais interessantes como figuras literárias." [75] O amor pelos idosos é baseado em uma história de jornal sobre a morte de dois americanos, que tinham quase 80 anos, que se encontravam todos os anos em Acapulco. Eles estavam em um barco um dia e foram assassinados pelo barqueiro com seus remos. García Márquez observa: “Através de sua morte, a história de seu romance secreto tornou-se conhecida. Fiquei fascinado por eles. Eles eram casados ​​com outras pessoas”. [76]

Notícias de um sequestro Editar

Notícias de um sequestro (Noticia de un secuestro) foi publicado pela primeira vez em 1996. É um livro de não ficção que examina uma série de sequestros e ações narcoterroristas cometidos no início dos anos 1990 na Colômbia pelo Cartel de Medellín, um cartel de drogas fundado e operado por Pablo Escobar. O texto narra o sequestro, prisão e eventual libertação de figuras proeminentes na Colômbia, incluindo políticos e membros da imprensa. A ideia original do livro foi proposta a García Márquez pelo ex-ministro da Educação Maruja Pachón Castro e o diplomata colombiano Luis Alberto Villamizar Cárdenas, ambos entre as muitas vítimas da tentativa de Pablo Escobar de pressionar o governo a interromper sua extradição com o compromisso de uma série de sequestros, assassinatos e ações terroristas. [77]

Viver para contar a história e Memórias de minhas putas melancólicas Editar

Em 2002, García Márquez publicou o livro de memórias Vivir para contarla, o primeiro de uma autobiografia projetada em três volumes. Tradução inglesa de Edith Grossman, Viver para contar a história, foi publicado em novembro de 2003. [78] Outubro de 2004 trouxe a publicação de um romance, Memórias de minhas putas melancólicas (Memoria de mis putas tristes), uma história de amor que segue o romance de um homem de 90 anos e uma criança forçada à prostituição. Memórias de minhas prostitutas melancólicas causou polêmica no Irã, onde foi proibido depois que 5.000 cópias iniciais foram impressas e vendidas. [79] [80]

Edição de filme e ópera

Os críticos costumam descrever a linguagem que a imaginação de García Márquez produz como visual ou gráfica, [81] e ele mesmo explica que cada uma de suas histórias é inspirada por "uma imagem visual", [82] então não é surpresa que ele teve um longo e envolveu a história com o cinema. Foi crítico de cinema, fundou e atuou como diretor executivo do Film Institute de Havana, [81] foi chefe da Latin American Film Foundation e escreveu diversos roteiros. [33] Para seu primeiro roteiro, ele trabalhou com Carlos Fuentes no filme de Juan Rulfo El gallo de oro. [81] Seus outros roteiros incluem os filmes Tempo de morir (1966), (1985) e Un señor muy viejo com unas alas enormes (1988), bem como a série de televisão Amores difíciles (1991). [81] [83]

García Márquez também escreveu originalmente seu Eréndira como um terceiro roteiro. No entanto, essa versão foi perdida e substituída pela novela. No entanto, ele trabalhou na reescrita do roteiro em colaboração com Ruy Guerra e o filme foi lançado no México em 1983. [84]

Várias de suas histórias inspiraram outros escritores e diretores. Em 1987, o diretor italiano Francesco Rosi dirigiu o filme Cronaca di una morte annunciata baseado em Crônica de uma morte anunciada. [85] Várias adaptações para o cinema foram feitas no México, incluindo a de Miguel Littín La Viuda de Montiel (1979), Jaime Humberto Hermosillo's Maria de mi corazón (1979), [86] e Arturo Ripstein's El coronel no tiene quien le escriba (1998). [87]

O diretor britânico Mike Newell (Quatro casamentos e um funeral) filmado Amor em Tempos de cólera em Cartagena, Colômbia, com roteiro escrito por Ronald Harwood (O pianista) O filme foi lançado nos EUA em 16 de novembro de 2007. [88]

O romance dele Do Amor e Outros Demônios foi adaptado e dirigido pela cineasta costarriquenha Hilda Hidalgo, formada pelo Film Institute de Havana, onde García Márquez ministrava frequentemente workshops de roteiro. O filme de Hidalgo foi lançado em abril de 2010. O mesmo romance foi adaptado pelo compositor húngaro Péter Eötvös para formar a ópera Amor e outros demônios, estreado em 2008 no Festival de Glyndebourne.

Vida e morte posteriores Editar

Declínio da edição de saúde

Em 1999, García Márquez foi diagnosticado com câncer linfático. [63] A quimioterapia em um hospital em Los Angeles provou ser um sucesso, e a doença entrou em remissão. [63] [89] Este acontecimento levou García Márquez a começar a escrever as suas memórias: "Reduzi ao mínimo as relações com os meus amigos, desliguei o telefone, cancelei as viagens e todo o tipo de planos actuais e futuros", disse O tempo, o jornal colombiano, "e me tranquei para escrever todos os dias sem interrupção". [89] Em 2002, três anos depois, ele publicou Viver para contar a história (Vivir para Contarla), o primeiro volume de uma trilogia projetada de memórias. [89]

Em 2000, sua morte iminente foi relatada incorretamente pelo jornal diário peruano La República. No dia seguinte, outros jornais republicaram seu suposto poema de despedida, "La Marioneta", mas logo depois García Márquez negou ser o autor do poema, que foi determinado como obra de um ventríloquo mexicano. [90] [91] [92]

Ele afirmou que 2005 "foi o primeiro [ano] da minha vida em que não escrevi nem uma linha. Com a minha experiência, eu poderia escrever um novo romance sem problemas, mas as pessoas perceberiam que meu coração não estava nele. . " [93]

Em maio de 2008 foi anunciado que García Márquez estava terminando um novo "romance de amor" que ainda não tinha título, que seria publicado no final do ano. [94] No entanto, em abril de 2009, sua agente, Carmen Balcells, disse ao jornal chileno La Tercera que García Márquez dificilmente escreveria novamente. [93] Isso foi contestado pelo editor da Random House Mondadori, Cristobal Pera, que afirmou que García Márquez estava concluindo um novo romance chamado Nos encontraremos em agosto (En agosto nos vemos). [95]

Em dezembro de 2008, García Márquez disse aos fãs na feira do livro de Guadalajara que escrever o havia desgastado. [93] Em 2009, respondendo a alegações de seu agente literário e de seu biógrafo de que sua carreira de escritor havia acabado, ele disse ao jornal colombiano O tempo: "Não só não é verdade, mas a única coisa que faço é escrever". [93] [96]

Em 2012, seu irmão Jaime anunciou que García Márquez sofria de demência. [97]

Em abril de 2014, García Márquez foi hospitalizado no México. Ele tinha infecções nos pulmões e no trato urinário e estava desidratado. Ele estava respondendo bem aos antibióticos. O presidente mexicano Enrique Peña Nieto escreveu no Twitter: "Desejo a ele uma recuperação rápida". O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, disse que seu país estava pensando no autor e disse em um tweet "Toda a Colômbia deseja uma rápida recuperação ao maior de todos os tempos: Gabriel García Márquez". [98]

Morte e funeral Editar

García Márquez morreu de pneumonia aos 87 anos em 17 de abril de 2014 na Cidade do México. [99] [100] Sua morte foi confirmada por sua parente Fernanda Familiar no Twitter, [3] e por seu ex-editor Cristóbal Pera. [101]

O presidente colombiano Juan Manuel Santos mencionou: “Cem anos de solidão e tristeza pela morte do maior colombiano de todos os tempos”. [3] O ex-presidente colombiano Álvaro Uribe Vélez disse: “Mestre García Márquez, obrigado para sempre, milhões de pessoas no planeta se apaixonaram por nossa nação fascinados com suas linhas”. [102] Na época de sua morte, ele tinha esposa e dois filhos. [101]

García Márquez foi cremado em uma cerimônia familiar privada na Cidade do México. No dia 22 de abril, os presidentes da Colômbia e do México participaram de uma cerimônia solene na Cidade do México, onde García Márquez morou por mais de três décadas. Um cortejo fúnebre levou a urna contendo suas cinzas de sua casa para o Palácio de Bellas Artes, onde foi realizada a cerimônia em memória. Anteriormente, os residentes de sua cidade natal, Aracataca, na região caribenha da Colômbia, realizaram um funeral simbólico. [103] Em fevereiro de 2015, os herdeiros de Gabriel Garcia Márquez depositaram um legado do escritor em seu Memoriam na Caja de las Letras do Instituto Cervantes. [104]

Em cada livro tento fazer um caminho diferente. . Não se escolhe o estilo. Você pode investigar e tentar descobrir qual seria o melhor estilo para um tema. Mas o estilo é determinado pelo assunto, pelo clima da época. Se você tentar usar algo que não é adequado, simplesmente não funcionará. Então os críticos constroem teorias em torno disso e veem coisas que eu não tinha visto. Eu apenas respondo ao nosso modo de vida, a vida do Caribe. [105]

García Márquez foi conhecido por omitir detalhes e eventos aparentemente importantes para que o leitor seja forçado a um papel mais participativo no desenvolvimento da história. Por exemplo, em Ninguém escreve para o coronel, os personagens principais não recebem nomes. Esta prática é influenciada por tragédias gregas, como Antígona e Édipo Rex, em que eventos importantes ocorrem fora do palco e são deixados para a imaginação do público. [106]

Realismo e realismo mágico Editar

A realidade é um tema importante em todas as obras de García Márquez. Ele disse sobre seus primeiros trabalhos (com exceção de Leaf Storm), "Ninguém escreve para o coronel, Na hora do mal, e Funeral da Big Mama todos refletem a realidade da vida na Colômbia e este tema determina a estrutura racional dos livros. Não me arrependo de tê-los escrito, mas eles pertencem a um tipo de literatura premeditada que oferece uma visão da realidade muito estática e exclusiva. "[107]

Em seus outros trabalhos, ele experimentou mais abordagens menos tradicionais da realidade, de modo que "as coisas mais assustadoras, as mais inusitadas são ditas com a expressão impassível". [108] Um exemplo comumente citado é a ascensão física e espiritual de uma personagem ao céu enquanto ela pendura a roupa para secar em Cem anos de Solidão. O estilo dessas obras se encaixa no "reino maravilhoso" descrito pelo escritor cubano Alejo Carpentier e foi rotulado como realismo mágico. [109] O crítico literário Michael Bell propõe uma compreensão alternativa para o estilo de García Márquez, visto que a categoria realismo mágico é criticada por ser dicotomizante e exotizante, "o que realmente está em jogo é uma flexibilidade psicológica que é capaz de habitar sem sentimentalismo o mundo diurno enquanto permanece aberto aos impulsos daqueles domínios que a cultura moderna tem, por sua própria lógica interna, necessariamente marginalizados ou reprimidos. " [110] García Márquez e seu amigo Plinio Apuleyo Mendoza discutem seu trabalho de forma semelhante,

"A maneira como você trata a realidade em seus livros. É chamada de realismo mágico. Tenho a sensação de que seus leitores europeus geralmente estão cientes da magia de suas histórias, mas não conseguem ver a realidade por trás dela." "Certamente, isso ocorre porque seu racionalismo os impede de ver que a realidade não se limita ao preço do tomate e dos ovos." [111]

Solidão Editar

O tema da solidão perpassa muitas das obras de García Márquez. Como observa Pelayo, "Amor em Tempos de cólera, como toda a obra de Gabriel García Márquez, explora a solidão do indivíduo e da humanidade. retratada na solidão do amor e do estar apaixonado ”. [112]

Em resposta à pergunta de Plinio Apuleyo Mendoza, "Se a solidão é o tema de todos os seus livros, onde devemos procurar as raízes dessa emoção dominante? Na sua infância, talvez?" García Márquez respondeu: "Acho que é um problema de todo mundo. Cada um tem sua própria maneira e meios de se expressar. O sentimento permeia a obra de tantos escritores, embora alguns deles possam expressá-lo inconscientemente." [113]

Em seu discurso de aceitação do Prêmio Nobel, Solidão da América Latina, ele relaciona este tema da solidão com a experiência latino-americana, “A interpretação de nossa realidade por meio de padrões que não os nossos, serve apenas para nos tornar cada vez mais desconhecidos, cada vez menos livres, cada vez mais solitários”. [114]

Edição Macondo

Outro tema importante em muitas das obras de García Márquez é a configuração da aldeia que ele chama de Macondo. Ele usa sua cidade natal, Aracataca, na Colômbia, como referência cultural, histórica e geográfica para criar essa cidade imaginária, mas a representação da vila não se limita a esta área específica. García Márquez compartilha: "Macondo não é tanto um lugar, mas um estado de espírito, que permite ver o que você quer e como você quer ver". [115] Mesmo quando suas histórias não acontecem em Macondo, muitas vezes ainda há uma falta consistente de especificidade para o local. Portanto, embora muitas vezes sejam definidas como "um litoral caribenho e um interior andino. [As configurações são] não especificadas, de acordo com a tentativa evidente de García Márquez de capturar um mito regional mais geral em vez de fornecer uma análise política específica". [116] Esta cidade fictícia tornou-se bem conhecida no mundo literário. Como observa Stavans sobre Macondo, "sua geografia e seus habitantes constantemente invocados por professores, políticos e agentes turísticos" tornam ". Difícil acreditar que seja pura invenção". [117] In Leaf Storm García Márquez retrata as realidades do Banana Boom em Macondo, que inclui um período de grande riqueza durante a presença das empresas americanas e um período de depressão com a saída das empresas bananeiras americanas. [118] Também, cem anos de Solidão se passa em Macondo e conta a história completa da cidade fictícia, desde sua fundação até sua destruição. [119]

Em sua autobiografia, García Márquez explica seu fascínio pela palavra e pelo conceito Macondo. Ele descreve uma viagem que fez com sua mãe de volta a Aracataca quando jovem:

O trem parou em uma estação que não tinha cidade e, pouco depois, passou pela única plantação de banana do trajeto que tinha o nome escrito no portão: Macondo. Essa palavra me chamava a atenção desde as primeiras viagens que fiz com meu avô, mas só descobri na idade adulta que gostava de sua ressonância poética. Nunca ouvi ninguém dizer isso e nem me perguntei o que significava. Por acaso, li em uma enciclopédia que é uma árvore tropical que lembra a Ceiba. [120]

La Violencia Edit

Em várias obras de García Márquez, incluindo Ninguém escreve para o coronel, Na hora do mal, e Leaf Storm, ele referenciou La Violencia (a violência), "uma guerra civil brutal entre conservadores e liberais que durou até a década de 1960, causando a morte de várias centenas de milhares de colombianos". [38] [121] Ao longo de todos os seus romances, existem referências sutis a la violencia. Por exemplo, os personagens vivem em várias situações injustas, como toque de recolher, censura da imprensa e jornais clandestinos. [122] Na hora do mal, embora não seja um dos romances mais famosos de García Márquez, é notável por sua interpretação de la violencia com seu "retrato fragmentado da desintegração social provocada por la violencia". [123] Embora García Márquez tenha retratado a natureza corrupta e as injustiças de tempos como la violencia, ele se recusou a usar seu trabalho como uma plataforma para propaganda política. “Para ele, o dever do escritor revolucionário é escrever bem, e o romance ideal é aquele que comove o leitor por seu conteúdo político e social e, ao mesmo tempo, por sua capacidade de penetrar a realidade e expor seu outro lado . [122]

Seja na ficção ou não, no romance épico ou na história concentrada, Márquez é agora reconhecido nas palavras de Carlos Fuentes como "o mais popular e talvez o melhor escritor em espanhol desde Cervantes". Ele é um daqueles raros artistas que conseguem narrar não apenas a vida, cultura e história de uma nação, mas também de um continente inteiro, e um mestre contador de histórias que, como The New York Review of Books disse uma vez, "impõe sobre nós a cada página a maravilha e a extravagância da vida." [124]

A obra de García Márquez é uma parte importante do boom da literatura latino-americana. [125] Seu trabalho desafiou os críticos da literatura colombiana a sair da crítica conservadora que havia sido dominante antes do sucesso de cem anos de Solidão. Em uma revisão da crítica literária, Robert Sims observa,

García Márquez continua a lançar uma longa sombra na Colômbia, América Latina e Estados Unidos. Os trabalhos críticos sobre o Prêmio Nobel de 1982 atingiram proporções industriais e não mostram sinais de enfraquecimento. Além disso, García Márquez galvanizou a literatura colombiana de uma forma sem precedentes, dando um impulso tremendo à literatura colombiana. Na verdade, ele se tornou um marco para a literatura e a crítica em todas as Américas, pois seu trabalho criou uma certa atração-repulsa entre críticos e escritores, enquanto os leitores continuam a devorar novas publicações. Ninguém pode negar que García Márquez ajudou a rejuvenescer, reformular e recontextualizar a literatura e a crítica na Colômbia e no resto da América Latina. [126]

Após sua morte, a família de García Márquez decidiu depositar seus papéis e alguns de seus pertences pessoais na Universidade do Texas no Harry Ransom Center de Austin, uma biblioteca e museu de pesquisa de humanidades. [127] [128]

Edição Prêmio Nobel

García Márquez recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 10 de dezembro de 1982 "por seus romances e contos, nos quais o fantástico e o realista se combinam em um mundo de imaginação ricamente composto, refletindo a vida e os conflitos de um continente". Seu discurso de aceitação foi intitulado "A Solidão da América Latina". [129] García Márquez foi o primeiro colombiano e o quarto latino-americano a ganhar um Prêmio Nobel de Literatura. [130] Depois de ganhar o Prêmio Nobel, García Márquez afirmou a um correspondente: “Tenho a impressão de que ao me dar o prêmio levaram em consideração a literatura do subcontinente e me premiaram como forma de premiar todos desta literatura ". [68]

  • Um ano após sua morte, García Márquez aparece como personagem notável no romance de Claudia Amengual Cartagena, ambientado no Uruguai e na Colômbia.
  • No romance de John Green Procurando por Alaska, García Márquez é mencionado várias vezes.
  • No romance de Reinaldo Arenas “A cor do verão ou o novo jardim das delícias terrenas”, García Marquez é difamado como “Gabriel García Markoff”.
  • Na casa de Giannina Braschi Império dos sonhos, a protagonista Mariquita Samper atira no narrador do boom latino-americano, que os críticos presumem ser a figura de García Marquez no romance espanglês de Braschi Yo-Yo Boing! personagens debatem a importância de García Marquez e Isabel Allende durante uma cena de jantar acalorado. [131] [132]

Edição de romances

  • Na hora do mal (1962)
  • cem anos de Solidão (1967)
  • O Outono do Patriarca (1975)
  • Amor em Tempos de cólera (1985)
  • O General em Seu Labirinto (1989)
  • Do Amor e Outros Demônios (1994)

Novellas Edit

Editar coleções de contos

  • Olhos de um Cachorro Azul (1947)
  • Funeral da Big Mama (1962)
  • O Incrível e Triste Conto de Inocente Eréndira e sua avó sem coração (1972)
  • Histórias coletadas (1984)
  • Peregrinos estranhos (1993)
  • Um homem muito velho com asas enormes (1968)

Edição de não ficção

  • A história de um marinheiro naufragado (1970)
  • A Solidão da América Latina (1982)
  • A fragrância da goiaba (1982, com Plinio Apuleyo Mendoza)
  • Clandestino no Chile (1986)
  • Mudando a História da África: Angola e Namíbia (1991, com David Deutschmann)
  • Notícias de um sequestro (1996)
  • Um país para crianças (1998)
  • Viver para contar a história (2002)
  • O Escândalo do Século: Escritos Jornalísticos Selecionados, 1950-1984 (2019)

Edição de Filmes

Adaptações baseadas em suas obras Editar

  • Não há ladrões nesta vila (1965, Alberto Isaac)
  • Patsy, meu amor (1969, Manuel Michel, baseado em uma história não publicada)
  • A viúva de montiel (1979, Miguel Littín)
  • O mar do tempo perdido (1980, Solveig Hoogesteijn)
  • cem anos de Solidão (1981, Shūji Terayama)
  • Adeus à arca (1984, Shūji Terayama)
  • Hora de morrer (1984, Jorge Alí Triana)
  • Crônica de uma morte anunciada (1987, Francesco Rosi)
  • O verão de Miss Forbes (1989, Jaime Humberto Hermosillo)
  • Eu sou aquele que você está procurando (1989, Jaime Chávarri)
  • Só a morte está fadada a vir (1992, Marina Tsurtsumia)
  • Manhã sangrenta (1993, Shaohong Li)
  • Ninguém escreve para o coronel (1999, Arturo Ripstein)
  • Na hora do mal (2005, Ruy Guerra)
  • Amor em Tempos de cólera (2007, Mike Newell)
  • Do Amor e Outros Demônios (2009, Hilda Hidalgo)
  • Memórias de minhas prostitutas melancólicas (2011, Henning Carlsen)
  1. ^ Em isolamento, García é pronunciado [ɡaɾˈsi.a]
  2. ^ Nome completo: Gabriel José de la Concordia García Márquez
  3. ^ "No domingo, 6 de março de 1928, às 9h, em meio a uma tempestade fora de época, nasceu um menino, Gabriel José García Márquez." (Martin 2008, p. 27)

Edição de citações

  1. ^ umab Osorio, Camila (15 de agosto de 2020). "Muere Mercedes Barcha, la mujer que hizo posible el éxito de García Márquez". EL PAÍS (em espanhol). El Pais. Retirado em 16 de agosto de 2020.
  2. ^
  3. "O Prêmio Nobel de Literatura 1982". NobelPrize.org. Nobel Media AB 2014. Retirado em 18 de abril de 2014.
  4. ^ umabc
  5. "Morre o autor Gabriel Garcia Marquez". BBC Notícias. 18 de abril de 2014. Retirado em 2 de abril de 2020.
  6. ^
  7. Vulliamy, Ed (19 de abril de 2014). "Gabriel García Márquez: 'O maior colombiano que já existiu' | Livros". O guardião . Retirado em 18 de julho de 2017.
  8. ^Martin 2008, p. 27
  9. ^Martin 2008, p. 30
  10. ^García Márquez 2003, p. 11
  11. ^Martin 2008, pp. 58-66
  12. ^ umabSaldívar 1997, p. 82
  13. ^ umabGarcía Márquez 2003, p. 45
  14. ^Apuleyo Mendoza e García Márquez 1983, pp. 11-12
  15. ^Saldívar 1997, p. 85
  16. ^Saldívar 1997, p. 83
  17. ^Saldívar 1997, p. 87
  18. ^ umabcSaldívar 1997, p. 102
  19. ^ umabApuleyo Mendoza e García Márquez 1983, p. 96
  20. ^Saldívar 1997, p. 35
  21. ^Saldívar 1997, p. 103
  22. ^Saldívar 1997, p. 105
  23. ^ umab
  24. Simons, Marlise (5 de dezembro de 1982). "Uma conversa com Gabriel García Marquez". O jornal New York Times . Página visitada em 24 de março de 2008.
  25. ^Saldívar 1997, p. 106
  26. ^Saldívar 1997, p. 104
  27. ^ umabSaldívar 1997, p. 107
  28. ^Apuleyo Mendoza e García Márquez 1983, p. 13
  29. ^Apuleyo Mendoza e García Márquez 1983, p. 12
  30. ^Saldívar 1997, p. 96
  31. ^Saldívar 1997, pp. 97-98
  32. ^ umabMartin 2008
  33. ^
  34. Pestaña Castro, Cristina (1999). "Cristina Pestaña: ¿Quién tradujo por primera vez La metamorfosis al castellano? -Nº 11 Espéculo". Ucm.es . Retirado em 18 de julho de 2017.
  35. ^Bell 1993, p. 6
  36. ^Bell-Villada 2006, p. 84
  37. ^ umabcPelayo 2001, p. 5
  38. ^ umabcBell 1993, p. 7
  39. ^
  40. "" Nossa própria marca de socialismo ": Entrevista com Gabriel García Márquez". Jacobinmag.com. 22 de abril de 2014. Retirado em 18 de julho de 2017. Gabriel García Márquez sobre Fidel Castro, a União Soviética, e a criação de "um governo que faria os pobres felizes".
  41. ^
  42. Whitney, Joel (19 de abril de 2014). "Gabriel García Márquez e Fidel Castro: Uma camaradagem complexa e cheia de nuances | Al Jazeera America". America.aljazeera.com . Retirado em 18 de julho de 2017.
  43. ^Saldívar 1997, p. 98
  44. ^Bell-Villada 1990, p. 63
  45. ^ umabcMcMurray 1987, p. 6
  46. ^McMurray 1987, p. 7
  47. ^Pelayo 2001, p. 6
  48. ^
  49. Lleras Camargo, Alberto (em espanhol), Biblioteca Luis Ángel Arango, recuperado em 2 de dezembro de 2008
  50. ^Bell-Villada 1990, p. 62
  51. ^
  52. "LA ÚLTIMA EMISIÓN DE QAP - Archivo Digital de Noticias de Colombia y el Mundo desde 1.990". Eltiempo.com. 30 de dezembro de 1997. Retirado em 18 de julho de 2017.
  53. ^Saldívar 1997, p. 372
  54. ^ umabPelayo 2001, p. 7
  55. ^Bell-Villada 2006, pp. Xx – xxi
  56. ^ umabPelayo 2001, p. 8
  57. ^ umabcBell-Villada 2006, p. xxi
  58. ^
  59. "De amor e outros demônios". Grupo Penguin. Arquivado do original em 29 de junho de 2008.
  60. ^Pelayo 2001, p. 28
  61. ^Apuleyo Mendoza e García Márquez 1983, pp. 74-75
  62. ^ umab
  63. Jaime, Victor Nunez (21 de abril de 2014). "María Luisa Elío, a destinatária de Cien años de soledad". El País (em espanhol). Madri, Espanha . Retirado em 15 de abril de 2015.
  64. ^
  65. "BBC News - Homenagens para o autor colombiano Gabriel Garcia Marquez". Bbc.com. 18 de abril de 2014. Retirado em 24 de abril de 2014.
  66. ^Pelayo 2001, p. 97
  67. ^ umabApuleyo Mendoza e García Márquez 1983, p. 72
  68. ^
  69. García Márquez, cem anos de Solidão , HarperCollins, ISBN978-0-87352-535-0
  70. ^
  71. Vargas, Alejo, Gabriel García Márquez y la paz colombiana. (em espanhol), ElColombiano.com, recuperado em 5 de fevereiro de 2008
  72. ^
  73. García Márquez media por la paz (em espanhol), BBC Mundo, 13 de março de 2007, recuperado em 5 de fevereiro de 2008
  74. ^Esteban & amp Panichelli 2004
  75. ^Bell-Villada 2006, p. 100
  76. ^Arenas 1993, pág. 278
  77. ^Bell-Villada 1990, p. 67
  78. ^ umabcBell-Villada 2006, p. xxii
  79. ^Apuleyo Mendoza e García Márquez 1983, p. 81
  80. ^
  81. Kennedy, William (31 de outubro de 1976). "Um retrato impressionante de um tirano monstruoso do Caribe". O jornal New York Times . Página visitada em 24 de março de 2008.
  82. ^Williams 1984, p. 112
  83. ^ umabWilliams 1984, p. 111
  84. ^ umabMaurya 1983, p. 58
  85. ^Pelayo 2001, p. 115
  86. ^Entrevista com Gabriel García Márquez, em Murray, Glen (ed.), Cencrastus No. 7, Winter 1981-82, pp. 6 e 7.
  87. ^ umabPelayo 2001, p. 111
  88. ^ umabPelayo 2001, p. 112
  89. ^Pelayo 2001, p. 113
  90. ^Pelayo 2001, p. 11
  91. ^ umabBell-Villada 2006, p. 156
  92. ^Bell-Villada 2006, p. 157
  93. ^
  94. "Maruja Pachón, ex ministra de Educación". Semana. 23 de maio de 2009.
  95. ^García Márquez 2003
  96. ^
  97. Sarkouhi, Faraj (26 de novembro de 2007). "Irã: a censura de livros é a regra, não a exceção". Notícias do Irã de Payvands . Página visitada em 29 de março de 2008.
  98. ^
  99. Ron, Jesus (4 de dezembro de 2007). "Mayhem em Paris, autor banido do Irã, Chávez em desacordo com a Colômbia e a Espanha". Rutgers Observer. Arquivado do original em 13 de dezembro de 2007. Página visitada em 29 de março de 2008.
  100. ^ umabcdStavans 1993, p. 65
  101. ^Apuleyo Mendoza e García Márquez 1983, p. 26
  102. ^Gonzales 1994, p. 43
  103. ^
  104. Aufderheide, Patricia. "Guia de filmes transculturais". Biblioteca da American University. Arquivado do original em 19 de dezembro de 2007.
  105. ^Gonzales 1994, p. 33
  106. ^Mraz 1994
  107. ^de la Mora e Ripstein 1999, p. 5
  108. ^
  109. Douglas, Edward (12 de novembro de 2007). "Mike Newell sobre o amor na época do cólera". Comingsoon.net . Página visitada em 25 de março de 2008.
  110. ^ umabc
  111. Forero, Juan (9 de outubro de 2002). "Um contador de histórias conta sua própria história García Márquez, Fighting Cancer, Issues Memoirs". O jornal New York Times . Página visitada em 21 de março de 2008.
  112. ^
  113. "García Márquez:" Lo que me puede matar es que alguien crea que escribí una cosa tan cursi. "". El País. 31 de maio de 2000. Retirado em 10 de julho de 2012.
  114. ^
  115. "García Márquez:" Lo que me mata es que crean que escribo así "". Elsalvador.com. Arquivado do original em 12 de maio de 2014. Página visitada em 26 de março de 2008.
  116. ^
  117. Boese, Alex (2002). "Carta de despedida de García Márquez". Museu de Hoaxes. Página visitada em 26 de março de 2008.
  118. ^ umabcd
  119. Hamilos, Paul (2 de abril de 2009). “Gabriel García Márquez, gigante literário, larga sua pena”. O guardião . Página visitada em 2 de abril de 2009.
  120. ^
  121. Keeley, Graham (8 de maio de 2008). "A magia triunfa sobre o realismo para García Márquez". O guardião . Página visitada em 11 de maio de 2008.
  122. ^
  123. Yin, Maryann (29 de outubro de 2010). "Gabriel García Márquez Escrevendo Novo Romance". Galleycat. Arquivado do original em 14 de março de 2013. Retirado em 8 de agosto de 2011.
  124. ^
  125. Flood, Alison (6 de abril de 2009). "Gabriel García Márquez: Ainda estou escrevendo". O guardião . Página visitada em 6 de abril de 2009.
  126. ^
  127. Alexander, Harriet (7 de junho de 2012). "Gabriel Garcia Marquez sofre de demência". O telégrafo.
  128. ^
  129. Lopez, Elwyn (4 de abril de 2014). "Gigante literário Gabriel García Márquez hospitalizado". CNN. Retirado em 18 de abril de 2014.
  130. ^
  131. Torres, Paloma Valdez, Maria G. (17 de abril de 2014). "Gabriel García Márquez morre: famoso escritor colombiano e ganhador do prêmio Nobel morto aos 87 anos de pneumonia". Latin Times . Retirado em 17 de abril de 2014.
  132. ^
  133. Castillo, E. Eduardo Bajak, Frank (17 de abril de 2014). "Garcia Marquez, laureado com o Nobel, morre aos 87". Associated Press. Arquivado do original em 19 de abril de 2014. Página visitada em 2 de abril de 2020.
  134. ^ umab
  135. Kandell, Jonathan (17 de abril de 2014). "Gabriel García Márquez, Pioneiro da Literatura, morre aos 87". O jornal New York Times . Retirado em 17 de abril de 2014.
  136. ^
  137. "El adiós a Gabriel García Márquez no Twitter" [O adeus a García Márquez no Twitter]. A nação (em espanhol). 17 de abril de 2014. Retirado em 17 de abril de 2014.
  138. ^
  139. Grant, Will (22 de abril de 2014). "BBC News - México e Colômbia realizam memoriais a Gabriel Garcia Marquez". Bbc.co.uk. Retirado em 24 de abril de 2014.
  140. ^
  141. "Gabriel Garcia Marquez". www.cervantes.es. Departamento de Bibliotecas e Documentação do Instituto Cervantes. Outubro de 2015.
  142. ^
  143. Simons, Marlise (21 de fevereiro de 1988). "Gabriel Márquez sobre Amor, Pragas e Política". O jornal New York Times . Página visitada em 30 de julho de 2008.
  144. ^Bell-Villada 1990, p. 75
  145. ^Apuleyo Mendoza e García Márquez 1983, p. 56
  146. ^McMurray 1987, p. 18
  147. ^Maurya 1983, p. 57
  148. ^Bell 1993, p. 49
  149. ^Apuleyo Mendoza e García Márquez 1983, p. 35
  150. ^Pelayo 2001, p. 136
  151. ^Apuleyo Mendoza e García Márquez 1983, p. 54
  152. ^García Márquez 1982
  153. ^Apuleyo Mendoza e García Márquez 1983, p. 77
  154. ^Bell 1993, p. 70
  155. ^Stavans 1993, p. 58
  156. ^McMurray 1987, p. 15
  157. ^McMurray 1987, p. 17
  158. ^García Márquez 2003, p. 19
  159. ^Pelayo 2001, p. 43
  160. ^ umabMcMurray 1987, p. 16
  161. ^McMurray 1987, p. 25
  162. ^Cem anos de Solidão, por Gabriel Garcia Marquez, 2003, Harper Collins: New York, 978-0-06-088328-7, seção pós-script intitulada: 'P.S. Insights, entrevistas e mais páginas 2-12
  163. ^Bacon 2001, p. 833
  164. ^Sims 1994, p. 224
  165. ^
  166. "Arquivo Gabriel García Márquez abre para pesquisa em 21 de outubro". www.hrc.utexas.edu . Página visitada em 1 de abril de 2020.
  167. ^
  168. Schuessler, Jennifer (2 de abril de 2018). "Arquivo de Gabriel García Márquez disponível gratuitamente online". O jornal New York Times. ISSN0362-4331.
  169. ^García Márquez 1982, ver Pelayo 2001, p. 11
  170. ^Maurya 1983, p. 53
  171. ^
  172. "Arellano, Jerónimo. Realismo Mágico e a História das Emoções na América Latina. Lewisburg, PA: Bucknell University Press, 2015. Print. 211 pp". escholarship.org . Página visitada em 7 de agosto de 2020.
  173. ^
  174. “Poetas, Filósofos, Amantes”. University of Pittsburgh Press . Retirado em 7 de agosto de 2020.
  175. ^ umabcdefgheujkeuGabriel García Márquez na AllMovie

Bibliografia geral Editar

  • Allen, James Sloan (2008), Sabedoria mundana: grandes livros e os significados da vida , Savannah, Ga .: Frederic C. Beil, ISBN978-1-929490-35-6
  • Apuleyo Mendoza, Plinio García Márquez, Gabriel (1983), A fragrância da goiaba, Londres: Verso, ISBN978-0-86091-765-6.
  • Arenas, Reinaldo (1993), Antes do cair da noite, New York: Viking, ISBN978-0-670-84078-6.
  • Bacon, Susan (dezembro de 2001), "Review of Conversations with Latin American Writers: Gabriel Garcia Marquez", Hispania, Associação Americana de Professores de Espanhol e Português, 84 (4): 833, doi: 10.2307 / 3657872, JSTOR3657872.
  • Bell, Michael (1993), Gabriel García Márquez: Solidariedade e Solidariedade, Hampshire: Macmillan, ISBN978-0-333-53765-7.
  • Bell-Villada, Gene H. (1990), García Márquez: O Homem e Sua Obra, Carolina do Norte: University of North Carolina Press, ISBN978-0-8078-1875-6.
  • Bell-Villada, Gene H., ed. (2006), Conversas com Gabriel García MárquezJackson: University Press of Mississippi, ISBN978-1-57806-784-8.
  • Bhalla, Alok, ed. (1987), García Márquez e América Latina, Nova Deli: Sterling Publishers Private Limited.
  • Bloom, Harold, ed. (2007), Gabriel Garcia Marquez, New York: Chelsea House, ISBN978-0-7910-9312-2.
  • Cebrian, Juan Luis (1997), Retrato de Gabriel García Márquez, Gutenberg: Círculo de Lectores, ISBN978-84-226-5572-5.
  • Esteban, Angel Panichelli, Stephanie (2004), Gabo Y Fidel: el paisaje de una amistad, Editora Planeta.
  • García Márquez, Gabriel (1982), "palestra Nobel", em Frängsmyr, Tore Allen, Sture (eds.), Palestras do Nobel, Literatura 1981-1990, Singapura: World Scientific Publishing Co. (publicado em 1993).
  • García Márquez, Gabriel (1968), Ninguém escreve para o coronel (1ª ed.), Harper & amp Row, ISBN978-0-06-011417-6.
  • García Márquez, Gabriel (2003), Vivendo para contar a história, New York: Alfred A. Knopf, ISBN978-1-4000-4134-3.
  • Gonzales, Nelly (1994), Guia Bibliográfico de Gabriel García Márquez, 1986–1992 Oxford: Greenwood Publishing Group, ISBN978-0-313-28832-6. . "El Amor en los tiempos del cólera es una novela popular. "Diario la Prensa: New York, 4 out. 1987.
  • Martin, Gerald (2008), Gabriel García Márquez: Uma Vida, London: Penguin, ISBN978-0-14-317182-9.
  • Maurya, Vibha (janeiro de 1983), "Gabriel García Márquez", Cientista social, 11 (1): 53–58, doi: 10.2307 / 3516870, ISSN0970-0293, JSTOR3516870.
  • McMurray, George R. (1987), Ensaios críticos sobre Gabriel García Márquez, Boston: G.K. Hall & amp Co., ISBN978-0-8161-8834-5.
  • de la Mora, Sergio Ripstein, Arturo (verão de 1999), "Uma carreira em perspectiva: uma entrevista com Arturo Ripstein", Film Quarterly, University of California Press, 52 (4): 2–11, doi: 10.1525 / fq.1999.52.4.04a00020, ISSN0015-1386, JSTOR1213770.
  • Mraz, John (agosto de 1994), "Review of Cinema of Solitude: A Critical Study of Mexican Film, 1972-1983, por Charles Ramirez Berg ", Jornal Histórico de Cinema, Rádio e Televisão, 14 (3), ISSN0143-9685.
  • Oberhelman, Harley D. (1995), García Márquez e Cuba: um estudo de sua presença em sua ficção, jornalismo e cinema, Fredericton: York Press Ltd., ISBN978-0-919966-95-6.
  • Pelayo, Ruben (2001), Gabriel García Márquez: um companheiro crítico, Westport: Greenwood Press, ISBN978-0-313-31260-1.
  • Saldívar, Dasso (1997), García Márquez: El viaje a la semilla: la biografía, Madrid: Alfaguara, ISBN978-84-204-8250-7.
  • Sims, Robert (1994), "Revisão: Dominante, Residual e Emergente: Revent Criticism on Colombian Literature and Gabriel Garcia Marquez", Revisão de pesquisa latino-americana, Associação de Estudos Latino-Americanos, 29 (2): 223–234, JSTOR2503601.
  • Stavans, Ilan (1993), "Gabo in Decline", Transição, Indiana University Press, 62 (62): 58–78, doi: 10.2307 / 2935203, ISSN0041-1191, JSTOR2935203.
  • Williams, Raymond L. (1984), Gabriel Garcia Marquez, Boston: Twayne Publishers, ISBN978-0-8057-6597-7.

Leitura adicional Editar

  • Entrevista com Gabriel Garcia Marquez, em Murray, Glen (ed.), Cencrastus No. 7, Winter 1981-82, pp. 6 e amp 7, 0264-0856
  • Montalbán, Manuel Vázquez Glasauer, Willi (1988), Cenas da literatura mundial e retratos dos maiores autores, Barcelona: Círculo de Lectores. , Personagens do século 20, Entre presidentes: Gabriel Garcia Marquez na Cidade do México (Londres, Vintage Books, 1994)
  • A coleção digital de Gabriel García Márquez foi extraída dos documentos de Gabriel García Márquez no Harry Ransom Center da Universidade do Texas em Austin. no Encyclopædia Britannica na IMDb na Biblioteca Aberta em bibliotecas (catálogo do WorldCat) no Nobelprize.org Antes e Depois
  • García Márquez, Gabriel. "Escritor colombiano Gabriel García Márquez lendo o primeiro capítulo de Cem Anos de Solidão" (em espanhol).
  • Peter H. Stone (inverno de 1981). "Gabriel Garcia Marquez, A Arte da Ficção No. 69". The Paris Review (82). Arquivado do original em 10 de maio de 2014. Retirado em 12 de maio de 2013.

Edição de filmes

  • Entrevista com Gabriel Garcia Marquez em 1998.
  • Gabo - A Criação de Gabriel García Márquez. Documentário, Alemanha, 2015, 90 min. no Internet Archive (em um festival de música, data e hora: 44 minutos)

60 ms 5,5% dataWrapper 60 ms 5,5% Scribunto_LuaSandboxCallback :: match 60 ms 5,5% Scribunto_LuaSandboxCallback :: getEntity 40 ms 3,6% 40 ms 3,6% [outros] 200 ms 18,2% Número de entidades da Wikibase carregadas: 1/400 ->


Assista o vídeo: Ganadores del Premio Nobel de Literatura entre 1941 y 1960