Ivar, o Desossado

Ivar, o Desossado

Ivar, o desossado (nórdico antigo Ívarr Hinn Beinlausi) é conhecido em fontes latinas medievais e nórdicas antigas como o filho do lendário rei viking Ragnar Lothbrok, nessas histórias invadindo ao lado de seu pai e irmãos e se tornando o governante de York na Inglaterra no século 9 EC. Seu epíteto é o infeliz resultado da ansiedade de Ragnar em sua noite de núpcias com Aslaug, que em vão o advertiu para esperar três noites antes de consumar seu casamento, para que o filho que eles conceberam não nascesse sem ossos. O que exatamente a falta de ossos de Ivar acarreta é difícil de imaginar - temos a impressão de ossos fracos - ou quebradiços ou literalmente nenhum osso, pelo menos nas pernas - mas de qualquer forma, Ivar é carregado em uma maca ou escudo. Ele é famoso por sua inteligência e visão estratégica e geralmente é mostrado como o líder de seu bando de irmãos em suas aventuras. A popular série de TV Vikings, em que Ivar é retratado por Alex Høgh Andersen, ecoa essa característica e o mostra como um tático brilhante também; ele está aqui além disso rebocado em uma carroça devido à sua deficiência e é descrito como um pirralho mimado cruel e implacável que se torna um pouco de um sociopata, matando seu irmão Sigurd Cobra no Olho em um acesso de raiva (todo criativo licença).

Parte de uma famosa família lendária cujos membros exatos variam dependendo da fonte que você está lendo, além dos pais Ragnar e Aslaug (ou, no século 13 EC Gesta Danorum, Thora) o Ivar das lendas medievais é freqüentemente visto ao lado dos irmãos Bjorn Ironside, Hvitserk e Sigurd Snake-in-the-Eye. Ivar às vezes é equiparado a um Ivar histórico ('Hingwar') que parece ter sido um dos líderes do Grande Exército Viking que desembarcou na Inglaterra em 865 CE, e / ou um certo líder Viking chamado Ímar conectado com a Viking Dublin entre 853 -873 CE. No entanto, existem muitos problemas com essa identificação direta. Porém, assim como aconteceu com o grandioso Ragnar Lothbrok, é possível que as figuras que deixaram sua marca nas atividades vikings do século IX DC possam ter ajudado a inspirar as lendas posteriores (século XIII), remodeladas e adaptadas aos autores 'propósitos próprios.

A Saga de Ragnar Lothbrok

Freqüentemente saem atacando juntos, os filhos de Ragnar Lothbrok são liderados por Ivar, o Desossado, que é carregado em uma maca e mostra um verdadeiro talento para a estratégia.

Com Ivar, o sem ossos aparecendo apenas dentro dos mitos de Ragnar Lothbrok, o ponto de partida para seus feitos deve ser sua fonte principal e mais conhecida: o islandês do século 13 A Saga de Ragnar Lothbrok (Velho Nórdico: Ragnars saga loðbrókar) Tudo começa com a infância de Aslaug, que se tornará a segunda esposa de Ragnar e mãe de Ivar. Ela é filha de Sigurd e Brynhild (o lendário matador de dragões e a Valquíria da mitologia germânica posteriormente popularizada por Wagner), que morreram quando ela tinha três anos de idade. Assim, ela cresceu na Noruega acolhida por uma família pobre que a chama de Kráka ('corvo') e mantém sua linhagem escondida. Enquanto isso, Ragnar, filho do rei Sigurd Ring da Dinamarca, conhece sua primeira esposa, Thora, depois de livrar sua cidade em Götaland de seu problema com os dragões. Com ela, Ragnar tem dois filhos, os meios-irmãos mais velhos de Ivar, Eirek e Agnar.

Após a morte prematura de Thora, Ragnar encontra Kráka enquanto faz uma incursão na Noruega, e se casa com ela, apesar de sua herança aparentemente pobre. Embora Kráka diga a ele que foi amaldiçoada a dar à luz um filho sem ossos se seu marido se mostrasse muito impaciente em sua noite de núpcias (em vez de esperar três noites), Ragnar não consegue se controlar. Assim, nove meses depois nasce Ivar, o Desossado:

… O menino estava sem ossos, como se houvesse cartilagem onde deveriam estar seus ossos. Quando ele era jovem, ele cresceu tanto que ninguém era seu igual. Ele era o mais bonito de todos os homens e tão sábio que não era certo se alguma vez existiu um homem mais sábio do que ele. (7).

Portanto, apesar da condição inconveniente de Ivar, a situação poderia ter sido muito pior. Mais filhos nascem de Ragnar e Kráka: Bjorn Ironside, Hvitserk e Rognvald (e, posteriormente, Sigurd Snake-in-the-Eye), que cresceram para se tornarem grandes homens e guerreiros corajosos. Frequentemente saem atacando juntos, os irmãos são liderados por Ivar, que é carregado em uma maca ou escudo e mostra um verdadeiro talento para planejamento e estratégia. Ele também é (de alguma forma) adepto do arco.

Na verdade, sua parte superior do corpo parece ter uma força extraordinária, apesar de sua falta de ossos, pelo menos nesta saga em particular. Ao encontrar o rei Eystein da Suécia na batalha, que tinha uma vaca mágica chamada Sibilja ao seu lado que causou estragos em seus oponentes, Ivar se apresenta. Ele ordena a seus homens que criem um arco enorme com uma grande árvore e, de seu escudo, ele 'puxa o arco como se fosse um galho frágil de olmo' (12), atirando uma infeliz Sibilja bem nos olhos dela. Sibilja então fica furiosa e Ivar é atirado para ela por seus homens, esmagando-a completamente. Ivar claramente tem poderes especiais; depois de ser pego novamente, sua voz atravessa todo o campo de batalha, alcançando cada guerreiro como se ele estivesse parado ao lado deles, motivando-os. Assim, os filhos de Ragnar alcançaram a vitória.

História de amor?

Inscreva-se para receber nosso boletim informativo semanal gratuito por e-mail!

No final desta saga, depois de se gabar de que invadirá a Inglaterra com apenas dois navios, Ragnar é capturado pelo rei Ælla da Nortúmbria (r. C. 866 dC) e lançado em um poço de cobra, onde morre. Os filhos de Ragnar então vingam seu pai navegando para a Inglaterra e supostamente torturando Ælla executando a águia de sangue nele (veja abaixo).

O conto dos filhos de Ragnar

Esta história, junto com a maioria dos principais elementos de A Saga de Ragnar Lothbrok, também é preservado na obra islandesa do final do século 13 ao início do século 14 dC, O conto dos filhos de Ragnar (Ragnarssona þáttr) Ivar, novamente, é o líder de seu pequeno bando de irmãos, que aqui também vão contra a vontade de seu pai aqui e ali indo para certos territórios porque querem ser tão famosos quanto ele. Em um desses casos, onde Ivar e cia. vá rogue, Ragnar configura Eystein Beli como Rei da Alta Suécia e pede a ele para proteger o reino de seus filhos se eles tentarem reivindicá-lo. Eirek e Agnar tentam fazer isso, mas são mortos, inspirando seus meio-irmãos e sua madrasta Aslaug a vingá-los sem esperar por Ragnar.

Com a história da Suécia concluída, assim como em A Saga de Ragnar Lothbrok Ragnar então navega para a Inglaterra com apenas dois navios e morre nas mãos (bem, presas) de cobras na Nortúmbria do rei Ælla. Quando seus filhos navegam para a Inglaterra em busca de vingança, O conto dos filhos de Ragnar afirma que Ivar, o Boneless, se recusa a lutar, e os irmãos são derrotados por um anfitrião muito maior e voltam para casa. Ivar, no entanto, permanece na Inglaterra - ele traçou um plano astuto. Indo ver Ælla e argumentando que ele não se juntou à luta contra ele, Ælla concorda em compensá-lo pela morte de seu pai e lhe dará o máximo de terra que ele puder cobrir com o maior couro de touro que ele puder encontrar. Ivar estica a pele imensamente, corta-a em tiras finas e cobre um território muito maior do que o pretendido. Fundando a cidade de York lá, Ivar passa seu tempo forjando conexões locais antes de convidar seus irmãos a cruzar o lago, mais uma vez, e exigir sua vingança contra Ælla. Com os novos amigos de Ivar ajudando-os, e Ælla pensando que Ivar está do seu lado, eles derrotam Ælla e o torturam: 'Eles agora tiveram a águia cortada nas costas de Ella, então todas as suas costelas cortadas da espinha dorsal com uma espada, de tal forma que seus pulmões foram arrancados lá. ' (3). Felizmente para Ælla, esse método é considerado fictício e o material dessas lendas, apenas.

Ivar permanece um rei local na Inglaterra por muito tempo depois, governando de York, mas não tendo filhos para sucedê-lo, "por causa do jeito que ele era: sem luxúria ou amor" (4). Foi sugerido que, em vez de esta frase indicar que os problemas físicos de Ivar também o impediam de ter relações sexuais, talvez sua "falta de ossos" não acarretasse problemas esqueléticos, mas sim que ele não conseguia ter um bom desempenho. De qualquer forma, Ivar é descrito aqui como tendo morrido na Inglaterra de velhice. o Conto em seguida, passa a contar histórias longas (e extensas) das várias façanhas dos irmãos restantes de Ivar.

Ivar no Gesta Danorum

No Gesta Danorum, Ivar é mostrado como uma pessoa sábia e respeitosa, digna da confiança de seu pai, se encaixando na vibração geral das outras lendas.

Embora existam algumas outras fontes latinas medievais que mencionam Ragnar e, de passagem e não necessariamente pelo nome, seus filhos, a principal fonte latina em que também encontramos Ivar por extenso é o Gesta Danorum ('Ações dos dinamarqueses'). Provavelmente escrito no início do século 13 dC, por Saxo Grammaticus, o Gesta apresenta alguns novos personagens e eventos não relatados por outras fontes. Uma explicação para essa aparente confusão é que Saxo pode ter tentado reconciliar várias versões de histórias que ouviu ou leu em outro lugar em um único relato. Entre outros, duas esposas de Ragnar não mencionadas em nenhum outro lugar aparecem no Gesta: a escudeira Lagertha e uma mulher chamada Swanloga.

Uma diferença crucial entre o trabalho de Saxo e o Saga e Conto discutido acima é que Aslaug está totalmente ausente, criando um pequeno problema de paternidade para Ivar, que normalmente é descrito como seu filho. Embora ele não diga explicitamente, ao falar sobre Ragnar e Thora ficando juntos, Saxo parece implicar que Ivar (aqui Iwar) é seu filho: 'Com ela ele gerou dois filhos nobres dotados, Radbard e Dunwat. Eles também tinham irmãos: Siward, Biorn, Agnar e Iwar. ' (9). Siward corresponde a Sigurd (Snake-in-the-Eye) e Biorn a Bjorn Ironside, enquanto Radbard e Dunwat são curingas. Em outra reviravolta, Saxo não faz nenhuma menção de Ivar ser desossado, talvez descartando isso como uma fantasia muito pouco prática.

No Gesta, Ivar é mostrado como uma pessoa sábia e respeitosa, digna da confiança de seu pai, se encaixando na vibração geral que se obtém das outras lendas. Enquanto um dos outros filhos de Ragnar, Ubba (aqui escrito Ubbe) planeja usurpar seu pai, Ivar, neste momento o governador da Jutlândia na Dinamarca, evita o conflito por exílio voluntário. Isso lhe rendeu o elogio de seu pai, e Ragnar mais tarde colocou Ivar no comando de seu reino enquanto ele estava fora. Posteriormente, a história do rei Ælla se desenrola, com Ivar ajudando seu pai em sua viagem inicial a York e, mais tarde, sabendo da morte de Ragnar pela rota familiar. O truque da pele de javali também é preservado aqui, estabelecendo as bases para o governo de dois anos de Ivar na Inglaterra. Ele então se estabelece na Dinamarca, escolhendo seu irmão Agnar para ficar de olho na Inglaterra. Esta é a última vez que ouvimos falar de Ivar nesta história.

Historicidade

Deixando de lado o fato de que é improvável que uma pessoa que estava literalmente desossada tenha entrado nos livros de história como um famoso invasor Viking (ou mesmo que tenha sobrevivido ao nascimento naquela época), vejamos a questão de saber se Ivar, filho de Ragnar, tem alguma base na realidade histórica. Uma palavra de cautela neste exame vem do intervalo de tempo entre as fontes e seu assunto; a maioria das sagas de Ragnar surgem do século 12 EC em diante e são claramente lendárias por natureza, enquanto os feitos que descrevem ocorrem no século 9 EC. Além disso, este século não é exatamente uma mina de ouro quando se trata de cobertura por fontes históricas, portanto, as histórias podem ser difíceis de verificar. Adicione a isso o fato de que muitos nomes Viking eram bastante comuns, então encontrar um certo 'Ivar' em duas fontes separadas não garante de forma alguma que você levará para casa o prêmio em dinheiro ao alegar que é a mesma pessoa.

Para começar, certos eventos e pessoas que aparecem nas lendas de Ivar são na verdade históricos. O rei Ælla da Nortúmbria realmente existiu e reinou por volta de 866 CE, e ele testemunhou um 'Grande Exército' Viking assediando os reinos anglo-saxões de 865 CE em diante. Diz-se que a morte histórica de Ælla ocorreu em batalha com as forças Viking em York em 867 CE (mas nenhuma menção é feita ao horrível método de tortura da águia de sangue perpetuado pela lenda de Ragnar). Assim, esses elementos aparentemente chegaram às sagas posteriores, de forma alterada.

Quando se trata de perseguir Ivar, especificamente, o Crônica Anglo-Saxônica na verdade, menciona um 'Hingwar' e 'Hubba' como chefes deste 'Grande Exército' Viking, bem como um certo 'Halfdene' (Crônica Anglo-Saxônica para 870 e 871 CE). Eles têm sido freqüentemente relacionados com Ivar, o Desossado e Ubba - com 'Halfdene' ou Halfdan possivelmente representando o Hvitserk da tradição nórdica antiga. As fontes inglesas posteriores acrescentam mais alguns petiscos, mas provavelmente não com uma base histórica adequada. Além de Hingwar, outras grafias que surgem são Inguar, Ingwar, Igwar ou Iuuar, ligada a uma das primeiras formas dinamarquesas de Ivar.

Do outro lado do mar da Irlanda, no século IX EC Viking Dublin, encontramos outra figura que é frequentemente arrastada para a discussão de Ivar. Um certo líder Viking chamado Ímar (ou Imhar, pronunciado como Ivar) aparece repetidamente nos anais irlandeses contemporâneos, causando estragos em todo o país e ficando emaranhado na política da região norte do Mar da Irlanda de 853 dC até sua morte em 873 dC .

Tem se mostrado irresistivelmente atraente para muitos ver esses dois Ivars - o ativo na Inglaterra e o ativo na Irlanda - como uma e a mesma pessoa. Na opinião do erudito Donnchadh Ó Corráin, a evidência a favor disso consiste, em primeiro lugar, na semelhança dos nomes; em segundo lugar, do fato de Ímar não ser mencionado nos anais irlandeses entre 864-870 dC (então, talvez ele estivesse em outro lugar - na Inglaterra?); e em terceiro lugar, do fato de que, depois dessa época, as dinastias de Dublin e de York tornaram-se intimamente conectadas. York, além de ser o local da morte histórica de Ælla, é claro também a residência de Ivar, o Desossado nas lendas posteriores. No entanto, continua Ó Corráin, esses pontos acima não são muito para prosseguir. O material contemporâneo que menciona um Ivar na Inglaterra é muito escasso, e o pouco que temos parece se contradizer. Além disso, só porque alguém não é mencionado nos anais irlandeses por um tempo, isso não diz onde ele estava ou o que estava fazendo. Ele conclui: 'embora as identificações sejam atraentes, dificuldades muito sérias estão em seu caminho e até que sejam removidas devemos permanecer em dúvida.' (323).

Se o Ivar, o Desossado, das sagas posteriores foi diretamente baseado em Vikings históricos, os dois acima parecem ser os principais candidatos. Muitas coisas acautelam contra vê-los como figuras copiadas, já que muitos detalhes diferem entre as lendas e a história. Para começar, o suposto pai de Ivar, Ragnar Lothbrok, provavelmente não era diretamente histórico, mas sim baseado em várias figuras unidas em um personagem maior que a vida, servindo a um propósito literário. Quem inspirou Ragnar, aliás, não está de forma rastreável ligado ao histórico Hingwar / Ímar. Pelo que sabemos, a invasão Viking da Inglaterra Anglo-Saxônica em 865 EC também não teve nada a ver com vingar o pai de ninguém, como acontece nas sagas. No entanto, o cenário da história de Ivar, o sem ossos no século IX dC claramente se baseia na realidade. Não é difícil imaginar, também, como os feitos de vikings reais como Hingwar e / ou Ímar podem ter, ao longo da linha, inspirado o Ivar, o desossado das lendas, ali assumindo proporções muito embelezadas e personalizadas, mas com raízes na história do século 9 dC.


O que realmente aconteceu com as versões da vida real desses personagens vikings

Mesmo tendo ido ao ar pela primeira vez na History, um canal cujo nome não poderia ser mais autoexplicativo, o drama violento Vikings apresenta uma visão sobre a ascensão dos guerreiros medievais nórdicos, que inclui mais do que alguns detalhes que foram inventados por seus escritores. Isso é realmente adequado, já que uma das principais fontes da série - ou seja, as sagas que retratam as histórias de Ragnar Lothbrok e sua prole - são consideradas histórias baseadas em relatos históricos que provavelmente combinam fato e lenda (via Enciclopédia de História Antiga).

A série acabou de terminar sua temporada com seus 10 episódios finais estreando no Amazon Prime Video em 30 de dezembro. A 6ª temporada não apenas trouxe a série à sua conclusão sangrenta (e sincera), mas também revelou o destino final da maioria dos personagens que chegaram a destaque nas últimas temporadas. Mas quantos finais que vimos na tela combinam com as contrapartes do personagem da história e da lenda?

Embora a proveniência obscura de muitos dos detalhes torne difícil determinar exatamente o que aconteceu com as pessoas que inspiraram as lendas que inspiraram os personagens em Vikings, na maior parte, sabemos o suficiente para ver se os escritores do programa se apegaram às sagas ou escreveram sua própria história.


Vida pregressa

A vida de Ivar, o Desossado, é encontrada em várias sagas nórdicas, mais particularmente na Saga de Ivar Ragnarsson. Ele era considerado o mais velho dos três filhos do lendário sueco Ragnar Lodbrok e sua terceira esposa, Asalauga.

Embora Ivar seja descrito na Saga de Ragnar como um homem fisicamente grande e extraordinariamente forte, a saga também relata que ele estava incapacitado a ponto de ter que ser carregado com seu escudo. A interpretação de seu apelido "Ivar the Boneless" tem sido foco de muita especulação. Talvez ele sofresse de osteogênese imperfeita, uma doença em que os ossos de uma pessoa são cartilaginosos. Nesse caso, o de Ivar é o primeiro caso relatado disso na história médica.

Uma explicação sugere que seu nome em latim não era "exos"(" sem ossos ") mas"exosus"(" detestável ou detestável "). Outros argumentam que seu apelido também pode ser traduzido como" sem pernas ", uma metáfora para a impotência masculina.


9 Abandonando Seu Filho

No episódio da 5ª temporada intitulado "Baldur", Ivar acabou fazendo com seu filho a mesma coisa que seu próprio pai, Ragnar, fez com ele. Ele o levou para a floresta e os deixou lá para morrer porque ele havia nascido com uma deformidade.

Ivar teve a sorte de ser salvo quando Ragnar o abandonou, mas ninguém salva seu filho. Seu raciocínio era que uma criança com deficiência lembraria as pessoas de suas próprias deficiências. No entanto, Ivar deveria saber melhor e não permitir que seu filho sofresse o mesmo destino que ele. Afinal, a anormalidade era apenas no rosto e o bebê ainda poderia ter crescido e se desenvolvido.


Quem era o guerreiro viking Ivar, o sem ossos?

Um dos personagens emergentes de & quotVikings & quot - um drama do History Channel que terminou sua temporada de seis temporadas em 2020 - é Ivar, o Desossado. Interpretado por Alex Høgh Andersen, ele é um anti-herói que os fãs adoram odiar. A série retrata Ivar como um estrategista mestre, um assassino implacável e um adversário formidável em qualquer campo de batalha.

Tudo muito impressionante para um Viking que mal consegue andar. O Ivar de Andersen tem um problema de saúde permanente que o deixou com as pernas inúteis. Para se locomover, Ivar rasteja, anda de carruagem ou manca de muletas. Apesar disso, ele lidera o & quotGrande Exército Heathen & quot nas temporadas quatro e cinco.

Os showrunners não inventaram apenas Ivar, o Boneless. Ele era uma pessoa real. E aquele apelido maravilhoso e enigmático? Aparece pela primeira vez em textos escritos séculos após sua morte.

Ninguém sabe por que as pessoas o chamam de "Ívar, o sem ossos". Talvez ele fosse deficiente, talvez não. Como muitos dramas de época, o programa de televisão & quotVikings & quot usa especulação e fantasia para preencher lacunas em nosso conhecimento histórico.

Vikings: reais e imaginários

"É normal curtir a ficção, mas é importante lembrar que a TV popular não é pesquisa", disse Teva Vidal, historiadora especializada em estudos medievais e no mundo viking, por e-mail. Os vikings são um grupo que tendemos a não lembrar. Vidal aponta que sua reputação moderna como "maníacos sedentos de sangue" é profundamente enganosa.

O apogeu dos vikings começou no final dos anos 700 d.C. - assim como os primeiros ataques vikings conhecidos. "A rápida expansão escandinava na Europa e além, começando no século 8, mas mais pronunciada a partir do século 9, foi certamente violenta", observa Vidal.

& quotReaids aconteceu. Coisas foram roubadas. Prédios foram queimados e destruídos. Pessoas foram mortas ”, diz ele. “Os vikings tinham uma habilidade particular de infligir danos em seus ataques de bater e correr, pelo menos no início. Mas as pessoas que eles atacaram se adaptaram e responderam na mesma moeda.

“Veja, os vikings eram violentos. mas não mais violento do que qualquer outra pessoa na época. Eles foram um produto do início do mundo medieval, e não mais, nem menos violentos do que qualquer outra pessoa com quem eles tiveram relações. & Quot

Pontos de vista

Considere Carlos Magno, um imperador cristão (não viking). De acordo com os & quotRoyal French Annals & quot, ele ordenou a decapitação de 4.500 saxões em um dia especialmente sangrento em 782 C.E.

Mas, como Anders Winroth observou em seu livro de 2016, "The Age of the Vikings", não temos nenhum relato sobrevivente escrito pelas vítimas desse incidente.

Por outro lado, havia bastante de europeus alfabetizados que viram os ataques vikings em primeira mão - e então viverão para contar às gerações futuras.

"A imagem dos vikings como bárbaros sem Deus foi dada a eles por algumas das primeiras vítimas de seus ataques - monges cristãos desprotegidos - que provavelmente não veriam os vikings de maneira complexa com lentes culturais objetivas", disse Vidal. & quotPodemos permitir isso a eles. Mas nós tem que fazer melhor, e não apenas engolir no atacado uma imagem fácil e conveniente de um lado. & quot

O Grande Exército Heathen

No final do século IX d.C., surgiu a & quot Crônica Anglo-Saxônica & quot. Uma coleção de registros sobre a história inglesa, este texto importante seria revisado e atualizado por estudiosos posteriores por mais de 200 anos.

Dentro, encontramos uma descrição do que às vezes é chamado de & quotthe Grande Exército Heathen, & quot ou apenas & quotthe Grande Exército & quot. Composto por invasores escandinavos, esta enorme força Viking originalmente desembarcou nas Ilhas Britânicas em 865 EC. Conquistou três dos reinos residentes da Inglaterra antes Alfredo, o Grande, o rei de Wessex, derrotou o exército na Batalha de Edington em 878. Depois disso, os escandinavos concordaram com um tratado de paz e estabeleceram partes do campo inglês.

Outros documentos reafirmam a existência do Grande Exército. Exatamente como esperávamos, ele também deixou evidências arqueológicas (como os túmulos vikings).

Mesmo assim, Clare Downham - uma historiadora da Universidade de Liverpool - cita a & quot Crônica Anglo-Saxônica & quot como nossa & quot principal fonte & quot de informação sobre esta invasão viking em grande escala.

& quotA Crônica nos fala sobre a chegada e movimentação do exército e seus diferentes componentes (era um amálgama de exércitos) de 865 a 878, & quot Downham explica em um e-mail.

Ela acrescenta que o Chronicle também menciona um "irmão de Ívarr."

Legado de Ivar

O próprio Ivar foi identificado como um jogador importante no Grande Exército Heathen. Vidal diz que nosso "retrato" deste homem é um composto de cotas derivado de várias fontes. Alguns deles, como os anais históricos, nos permitem atestar, com razoável confiabilidade, a presença de um líder do Grande Exército chamado Ivar. & Quot

Os relatos escritos também dizem que Ubbi e Halfdan, dois companheiros de posição superior do Grande Exército, eram irmãos de Ivar.

E isso não é tudo. Registros escritos irlandeses (especificamente os & quotAnnals of Ulster & quot) revelam que um Viking conhecido como Ivar ou Ímar havia se tornado & quotking dos nórdicos em toda a Grã-Bretanha e Irlanda & quot na época em que morreu em 873 C.E.

Esse era o mesmo cara? & quotNão podemos estar 100 [por cento] certos & quot, adverte Vidal. & quotNão há nenhuma evidência absolutamente certa e positiva de que eram a mesma pessoa. Mas não há nada que nos diga que eles não eram os mesmos. & Quot

“Acho muito provável que o Ivarr ativo na Inglaterra seja o mesmo que o da Irlanda”, opina Downham. A maioria de seus colegas tende a concordar.

Desossado ou apenas frustrado?

Nada disso explica de onde veio o apelido & quotBoneless & quot. Os especialistas não encontram nenhuma referência a ele nos anais e crônicas escritos durante a vida de Ivar.

& quotO contemporâneo. fontes não dão a Ivarr esse apelido, são as fontes nórdicas posteriores que o fazem e isso pode refletir o desenvolvimento de lendas em torno dele ”, diz Downham.

Digite as Sagas islandesas. Transcrito nos séculos XIII e XIV d.C., trata-se de uma série de narrativas épicas em prosa. Eles foram comparados a romances históricos: embora as sagas tenham sido inspiradas - até certo ponto - por eventos reais, não podemos necessariamente acreditar em suas palavras.

As sagas definem Ivar, Halfdan e Ubbi como filhos de Ragnar Lothbrok, um lendário governante viking. Textos & quotliterários & quot como estes são a razão pela qual Ivar é lembrado como & quotthe Boneless. & quot

E não há como dizer como ele ganhou aquele título bizarro.

& quotA palavra nórdica / escandinava antiga ben ou estar pode significar osso ou perna: o apelido de Ivar pode, portanto, significar 'sem ossos' ou 'sem pernas' ”, observa Vidal. & quotIsso definitivamente evoca a imagem de alguém com uma doença óssea. & quot

Infelizmente, é duvidoso que um viking gravemente incapacitado - ou com um distúrbio esquelético - pudesse ter alcançado proeminência militar da mesma forma que Ivar. No mínimo, não há nenhuma evidência convincente para apoiar o retrato do History Channel.

Mas temos outras explicações para trabalhar. Downham diz que os escritores medievais podem ter confundido as palavras latinas & quotexos & quot e & quotexosus & quot, que significam & quotbeless & quot e & quotdetestable & quot, respectivamente. Então talvez Ivar fosse apenas um viking temível com uma reputação igual.

“Outra possibilidade é que a 'ausência de ossos' seja figurativa e se refira à impotência masculina”, diz Vidal. & quotPobre camarada & quot

Não se deixe enganar pela cultura pop. Os vikings nunca usaram os capacetes com chifres mostrados nos quadrinhos & quotHagar the Horrible & quot, esquetes dos Muppets e produtos da NFL. Este capacete impreciso foi popularizado pelo figurinista que trabalhou em "O Anel do Nibelung", uma ópera de Wagner de 1876.


Quem foi Ivar & # 8216the Boneless & # 8217? Príncipe Ivar (Igor) de Kiev.

Em 914 DC, o príncipe dinamarquês Ivar (eslavo: Igor) de Kiev "atacou os drevlianos e, após conquistá-los, impôs-lhes um tributo maior do que o de Oleg" (o príncipe dinamarquês anterior Helgi). Este é citado de a crônica primária russa e temos que ir para os anais bizantinos de Leão, o diácono para descobrir o que aconteceu a seguir. Ivar (Igor) foi atacado enquanto coletava ainda mais tributo dos Drevlianos. & # 8220Eles dobraram duas bétulas aos pés do príncipe & # 8217 e amarraram-nas às pernas dele, então deixaram as árvores se endireitarem novamente, rasgando assim o corpo do príncipe & # 8217s. & # 8221 Esta forma de execução é de base romana e chamada “Death by Sprung Trees”, mas é facilmente estragado. Os nós deslizantes amarram as árvores e se eles não forem soltos exatamente ao mesmo tempo, ou se a vítima estiver usando uma armadura de cota de malha, como provavelmente o príncipe estava, então apenas a parte inferior das pernas é arrancada.Esta foi a criação de Ivar & # 8216the Boneless & # 8217 (Ver Livro 3, Capítulo 7, Acima, & # 8216A Criação de Ivar, o Desossado & # 8217.

Ivar estava coletando tributos excessivos para financiar uma campanha militar para recuperar o trono de seu avô materno em Liere, para recuperar o reino do rei Frodi na Dinamarca. O Príncipe Ivar (Igor) de Kiev desaparece da Crônica Russa de 916 a 935 e de repente aparece na Dinamarca como o Rei Harde Knute, o Primeiro, que reina de 916 a 936. Ele é o primeiro da famosa linha Knotling de reis dinamarqueses. Ele também é chamado de Hardegon de Northmannia, o que pode indicar que ele conquistou York e Northumbria na Inglaterra, a casa do Rei AElla, o governante de York, que por acaso matou o avô paterno do Príncipe Ivar, Ragnar Lothbrok. O Rei AElla supostamente jogou Ragnar Lothbrok em uma cova de cobras venenosas onde ele morreu de picadas de cobra, mas a forma mais provável de sua morte foi "Morte por Cortes", em que Ragnar foi morto por cobras de sangue envenenadas (Viking kenning para espadas ) Death by Cuts era tipicamente usado quando ninguém queria ser culpado pela execução de um indivíduo, especialmente um indivíduo que tinha filhos e netos ferozes guerreiros que buscavam vingança.

O Príncipe Ivar nasceu por volta de 896 e foi criado à sombra de seu irmão mais velho, o Príncipe Helgi & # 8216Arrow-Odd & # 8217 Rurikson (Príncipe Oleg de Kiev). O príncipe Arrow-Odd ganhou fama atacando Constantinopla em 907, resultando nos tratados favoráveis ​​de 907 e 911 com o Império Romano do Oriente. Conforme profetizado, em 912, Arrow Odd morreu da picada venenosa de uma cobra que rastejou para fora do crânio desbotado de seu cavalo, Faxi. Usando poéticas kennings, isso pode ser interpretado como morrer pela picada de uma cobra de sangue (espada) sob a escultura desbotada de cabeça de cavalo na floresta de seu navio, Fair Faxi.

O jovem Príncipe Ivar (Igor) assumiu o governo de Kiev, sob a tutela de sua mãe, a Princesa Eyfura (Efanda), e se casou com uma princesa local chamada Helga (Olga). O Príncipe Ivar começou uma campanha militar em Tmutorokan (1), mas teve que retornar a Kiev para reprimir uma revolta de seu povo Drevlian ao norte da capital por volta de 914, e foi quando ele perdeu as pernas e se tornou Ivar & # 8216o Desossado & # 8217.

Não há informações históricas sobre o reinado de Ivar de cerca de 920 a 941, uma lacuna de vinte anos, por assim dizer (2). Será que o Príncipe Ivar (Igor) liderou um exército de Rus ao norte, para a Dinamarca, como Ivar, o Desossado, neto de Ragnar Lothbrok e do Rei Frodi? Se olharmos para a Dinamarca semi-histórica daquela época, há um rei com um nome muito auspicioso: Harde Knute… .Danish for Hard Knot. E ele governou de cerca de 916 a 936, o mesmo período de vinte anos em que o Príncipe Ivar (Igor) desapareceu das entradas da Crônica Primária Russa. Seria um nó muito duro, de fato, que arrancaria os ossos das pernas de nosso jovem príncipe. Enquanto na Dinamarca, Harde Knute parece ter atacado a Inglaterra como seu avô, o rei Frodi, havia feito. Pode ser na Inglaterra que Ivar escolheu o apelido menos elogioso de & # 8216The Boneless & # 8217. Ele pode até ter tomado Blaeja, a neta da perdição de Ragnar, o rei Aella, como segunda esposa e ela pode ter dado à luz um filho chamado Gorm (Serpente). O Rei Gorm, o Velho, era o pai de um Knute que morreu tentando conquistar a Inglaterra e o pai do Rei Harald Bluetooth (que deu nome ao sistema de áudio sem fio Bluetooth).

Foi nesse período de ataque à Inglaterra que Ivar, o Desossado, ganhou a reputação de ser carregado para a batalha com um escudo e de se destacar como estrategista. Talvez quando seu filho, Gorm, tivesse idade suficiente para governar por conta própria, foi quando o Rei Harde Knute retornou à terra dos Rus para governar como Grande Príncipe Ivar (Igor) mais uma vez. Lá ele teve um filho chamado Svein (Sviatoslav) com sua primeira esposa, Helga (Olga).

A Crônica Primária Russa retoma a gravação das atividades do Príncipe Ivar (Igor) em 941, descrevendo uma campanha da Anatólia de Kiev e Tmutorokhan Rus 'contra os romanos. There are Arabic sources for further campaigns in Bardha in 943 and a further attack on the Romans in the vicinity of the Danube River attributed to Prince Ivar (Igor) which led to a treaty in 945. It is in 945 that the Russian Chronicle states Prince Igor was again attacked by the Drevlians and killed, again over tribute problems, but there is also a Swedish saga about Ingvar the Traveler, who dies of the plague in what could be Bardha. He had a son called Svein who ended up ruling Russia.

Ver “The VARANGIANS Series” por Brian Howard Seibert no SeiberTeck.com for more on this decidedly distinct take on the Vikings of Northern Europe and the Varangians of Rus’ (Russia).

The VARANGIANS:

Book One, “The Saga of Hraerik ‘Bragi’ Hraegunarson,” recreates Book Five of Saxo’s ‘History of the Danes’ to show how Erik Ragnarson era Rurik of Novgorod and also illuminate the origins of the name Rus’ and how it evolved from Hraes’ in ninth century Russia and how the name Varangians originally meant Va Rangers or Way Wanderers do Nor’Way (Northern Way).

Book Two, “The Saga of Helgi ‘Arrow Odd’ Hraerikson,” recreates Arrow Odd’s Saga of c. 1200 to illustrate how Arrow Odd was Prince Helgi (Oleg in Slavic) Hraerikson of Kiev.

Book Three, “The Saga of Ivar ‘the Boneless’ Hraerikson,” reveals how Ivar ‘the Boneless’ Ragnarson was actually Prince Ivar (Igor in Slavic) Hraerikson of Kiev (grandson of Ragner Lothbrok) e então King Harde Knute of Denmark.

Book Four, “The Saga of Svein ‘the Old’ Ivarson” demonstrates how Prince Sviatoslav ‘the Brave’ of Kiev was really Prince Sveinald Ivarson of Kiev, who later moved to Norway and fought to become King Sweyn Forkbeard of Denmark and England.

Book Five, “The Saga of Valdamar ‘the Great’ Sveinson” establishes how Grand Prince Vladimir ‘the Great’ of Kiev was also known as Prince Valdamar Sveinson of Rus’, who supported his father, Sweyn Forkbeard, in attacks upon England and later became King Canute ‘the Great’ of England, Denmark and Norway.

1 George Vernadsky, Kievan Russia, (New Haven: Yale University Press, 1948), p.33.

BIBLIOGRAFIA

Author unknown. Arrow-Odd: A Medieval Novel. Iceland, c.1200. As translated by Paul Edwards and Hermann Palsson. New York, 1970.

Author unknown. The Saga of King Heidrek the Wise (Hervor’s Saga). Iceland, c.1200. As translated by Christopher Tolkien. Oxford, 1960.

Saxo Grammaticus. The First Nine Books of the Danish History of Saxo Grammaticus. Denmark, c.1200. As translated by Oliver Elton, B.A. London, 1893, with consideration toward the translation by Peter Fisher. Cambridge, 1979.

Vernadsky, George. Kievan Russia New Haven: Yale University Press, 1948.


Did History’s Michael Hirst Just Discover The Grave Of 'Vikings' Ivar The Boneless?

The San Diego Comic-Con panel for History's Vikings revealed some interesting tidbits on the upcoming return of Season 4. However, it was some historical news about Ivar the Boneless from the show's creator, Michael Hirst, that was really fascinating.

SPOILER ALERT: This article discusses the historical figure Ivar the Boneless. This discussion may provide spoilers for Season 4 and 5 of History's Vikings. Please proceed with caution to avoid potential spoilers.

No Vikings panel, the brand new trailer for the second half of Season 4 was revealed. Fans were excited to see the return of their favorite characters as they tried to predict what might be coming when the season returns in the Fall. Vikings is an interesting television show because it is based on the Viking sagas. There is certainly a lot of creative license when it comes to the characters and their storylines. After all, Ragnar Lothbrok and Rollo were not likely brothers in real life. In fact, there is some suggestion Ragnar is not even a real person, but merely an amalgamation of several figures from the Viking era.

However, when fans watch upcoming teasers of Vikings, some assumptions can be made from history in regard to where the show is headed. For example, in the latest trailer, it looks very likely History is planning to unleash the Great Heathen Army on England in the remainder of Season 4.

The Season 4 Vikings trailer also showed a lot of screen time for one of Ragnar Lothbrok's sons, Ivar the Boneless (played by Alex Hogh Andersen). Historically, Ivar is a Viking feared by others for his ruthlessness. He was also a key player in the Great Heathen Army. And it seems Vikings creator Michael Hirst may have found the actual grave of Ivar the Boneless on a recent archaeological dig, according to Deadline.

So what was this Great Heathen Army?

At the Vikings panel at Comic-Con, Michael Hirst revealed that he joined a recent archaeological dig in the English midlands where the remains of Ivar the Boneless may have been uncovered. According to Deadline, several sites were explored. One contained a mass grave of Vikings -- including what appears to be "a significant number of female warriors." Another site appeared to be the dumping ground for human sacrifices. Yet another site appears to contain what the archaeological team now believe to be the grave of Ivar the Boneless. While this sounds like a new finding, it is likely Michael Hirst was actually talking about the well-known dig at Repton in England where several graves were uncovered in the 1990s, one of which may contain the remains of Ivar the Boneless.

How did Ivar the Boneless get his name?

Other theories suggest Ivar was actually impotent or that he had incredible flexibility thanks to the old Norse poem, "Háttalykill inn forni." Alternatively, "Boneless" may have been lost in translation. In both Scandinavian and German, it is possible "Boneless" translates something akin to "leg," indicating a potential medical condition once more.

"Boneless" may also be a reference leading to a theme among Ragnar's sons. The theory suggests "Boneless" could be an indication of a snake reference, just like his brother, Sigurd Snake-in-the-Eye. Considering their father may have died as a result of snakes, perhaps this theory should be considered over the others?

Are you excited about this discovery? Let us know your thoughts by commenting below!

Vikings will return later in 2016, and the series has been renewed for Season 5 by the History Channel.


Ivar the Boneless - History

Ivar the Boneless was a Viking leader and a commander who invaded what is now England. According to “The Saga of Ragnar Lodbrok,” he was the son of Ragnar Lodbrok and Aslaug. His brothers include Bjorn Ironside, Halfdan Ragnarsson, Hvitserk, Sigurd Snake-in-the-Eye and Ubba. Take a look below for 27 more bizarre and interesting facts about Ivar the Boneless.

1. The origin of his nickname is not known.

2. The sagas describe him as lacking bones.

3. Ivar could have had what is now called Ehlers Danlos, which causes recurrent joint dislocations and joint hypermobility, and is a genetic collagen deficiency.

4. According to the “Tale of Ragnar Lodbrok,” Ivar’s bonelessness was the result of a curse.

5. His mother, Aslaug, was Ragnar’s third wife.

6. His mother was a “volva.” She said that she and her husband must wait three nights before consummating their marriage after his return following a long separation. However, Ragnar was overcome with lust after such a long separation and didn’t heed her words. As a result, Ivar was born with weak bones.

7. There is a theory that Ivar was actually known as “the Hated,” which in Latin would be Exosus, or without bones.

8. While the sagas describe Ivar’s physical disability, they also emphasize his wisdom, cunning, and a mastery of strategy and tactics in battle.

9. He is often considered identical to Imar, the founder of the Ui Imair dynasty which at various times, from the mid-ninth to the tenth century, ruled Northumbria from the city of York, and dominated the Irish Sea region as the Kingdom of Dublin.

10. He was said to be very lethal, but is usually mentioned killing with a bow or upon laying hold of an enemy.

11. He is said, elsewhere, to have towered over his enemies, and to have great strength but, this may simply be literary license typical of heroic poetry.

12. Many histories dismiss the idea that Ivar was actually a cripple, emphatic in the belief that the Norse wouldn’t have followed someone into battle who couldn’t even stand.

13. According to the sagas, Ivar’s intelligence, cunning, and wisdom were so great that his brothers were reluctant to take on challenges without his insight.

14. Some believe that “boneless” refers to impotency, since it’s mentioned in the sagas that Ivar never showed any lust or had love for anything besides war, and only a few sources suggest any progeny.

15. The sagas describe him both in terms of a bear but also as a cunning fox.

16. It’s a mystery as to how many years Ivar was active as the leader of the vikings.

17. In 865, the Great Heathen Army, led by Ivar, invaded the Anglo-Saxon Heptarchy. The Heptarchy was the collective name for the seven kingdoms, East Anglia, Essex, Kent, Mercia, Northumbria, Sussex and Wessex.

18. Late in 866, the Great Heathen Army, led by Ivar again, invaded Northumbria, eventually capturing King Aella at York in 867.

19. According to legend, Aella was executed by Ivar and his brothers using the blood eagle, a ritual method of execution of debated historicity whereby the rib-cage is opened from behind and the lungs are pulled out, forming a wing-like shape.

20. Ivar and Ubba were identified as the commanders of the Danes when they returned to East Anglia in 869, and as the executioners of the East Anglian King, Edmund the Martyr, for refusing their demand that he renounce Christ.

21. Ivar disappears from historical record sometime after 870.

22. The Anglo-Saxon chronicler, Aethelweard, records Ivar’s death as 870.

23. In 1686, a farm laborer called Thomas Walker discovered a Scandinavian burial mound at Repton in Derbyshire, close to a battle site where the Great Heathen Army overthrew the Mercian king Burgred of his kingdom. It has been suggested that the burial mound was the final resting place of Ivar.

24. According to the saga, Ivar ordered that he be buried in a place which was exposed to attack, and prophesied that, if that was done, foes coming to the land would be met with failure.

25. Ivar the Boneless is a minor character in the movie “Alfred the Great,” portrayed as an acrobatic and agile warrior.

26. In the History Channel’s television series, “Vikings,” Ivar is portrayed as the son of Ragnar and Aslaug and a younger half-brother to Bjorn Ironside. He first appeared in Season Two as a baby, and later was played by James Quinn Markey and Alex Hogh Andersen.

27. Ivar appears in Nancy Farmer’s “Sea of Trolls” trilogy as a weak king married to a half-troll.


Vikings loved a good sail, and Ivar was no exception

The legends are consistent, however, that he was no one you wanted to see landing on your beach, not even a Northern England beach. Sometimes described as a berserker, but always as fierce, Ivar's forces conquered a fair stretch of the Isle of Britain before moving on to Northeastern Ireland and the Kingdom of Dublin, then doubling back and claiming Scotland as their own, exacting tribute from Constantine (not Keanu Reeves this Constantine was, at the time, King of Scotland).

And if nothing else, the lad was thorough. When he defeated Edmund, King of East Anglia, he had Edmund beaten, tied to a tree, shot with arrows, and then beheaded. Maybe the archers were lousy shots. Maybe he was just hedging his bets. Maybe the headsman had a "pay or play" contract.

Eventually he ruled England's York, which today has a terrific tourist attraction, the Jorvik Viking Center, explaining the archaeological dig and Viking artifacts from the area, including what passed for outhouses. The Vikings were human, after all.


How Did Vikings Wrap Its Story During Its Season 6 Conclusion?

Surprise, Vikings hit Amazon in one fell streaming swoop rather than heading to History Channel first, which means we got a bunch of new episodes at once instead of having to wait weeks to find out what happened to our favorite characters. This means there's less time for speculation, but more time to dive into the good stuff. So, how did Season 6, Part 2 of Michael Hirst's Vikings conclude? With lots of people being taken to Valhalla, of course.

What Happened To Bjorn Lothbrok In Vikings Season 6?

As anticipated, Bjorn's story wrapped up early in the final set of episodes. After seemingly being killed by Ivar in the midseason finale, Alexander Ludwig's major character survived into the next episode. With some help from Gunnhild, he even mounted a horse and led his army to a charge on the battlefield, though he was mostly useless at that point. Still, showing up after news had broken that he had died made many of the Rus believe he was a ghost come back from the dead. It helped save the Vikings from Oleg's army and was Bjorn's final self-sacrificial act. He was later buried in a tomb fit for a king and celebrated by his wives.

Was Hvitserk Destined To Kill Ivar After All?

We know the prophecy came true about a son of Ragnar ultimately killing Lagertha and it was Hvitserk who did the deed. Heading into the second part of Season 6, Hvitserk had also had a telling conversation with Ivar about just embracing the worst parts of himself to achieve an end. Heading into the latter half of Season 6, things started to worsen. Hvitserk was given drugs by Prince Oleg and later asked Ivar if he wanted to have Hvtiserk killed, but Ivar declined. The two planned instead to help Prince Dir and proceeded to help Igor escape.

Later, Hvitserk headed with Ivar back to Kattegat where he met Idun, a goddess who "knew all about him" and gave him a renewed sense of purpose. He fought on the battlefield and was present when Ivar died, but he did not go to Valhalla himself. Instead, King Alfred spared Hvitserk. Ultimately, he ended up disconnecting from his religion and converting to Christianity instead, seemingly living out the rest of his days as a monk fittingly named Athelstan.

What Happened To Ivar The Boneless In Vikings' Final Season?

After Bjorn's death, Ivar's storyline was the largest plotline to still play out. In the latter half of Season 6, he helped Igor to escape Oleg's clutches and said goodbye to Katia --who was carrying his child -- in Rus. He then convinced Hvitserk to return to him with Kattegat, where King Harold was sitting on the throne. After remembering what his father Ragnar Lothbrok had told him, Ivar convinced King Harold and the other Vikings to attack Wessex, the last stronghold in England.

Ivar seems convinced of his destiny and that King Harold will not stand in his way in the end. However, that's not how the story played out. Instead, Ivar and King Harold took on the English army. Instead of trying to make a deal, this time King Alfred remained steadfast. King Harold was killed during the battle, but he went out fighting. Hvitserk had warned Ivar he was in danger of breaking some bones as his eyes had turned blue. The prediction was right, and ultimately led Ivar to a gruesome end. He died a Viking through and through, however.

What Happened To Bjorn's Wives Gunnhild And Ingrid?

Following the death of Bjorn, Kattegat was without a ruler. Gunnhild decided an election would be held for a new ruler, but Ingrid also decided to run. Meanwhile. King Harold had been let go and returns to Kattegat to interrupt the election. It became clear he still had aspirations to rule Kattegat and was aided in these efforts by Erik the Red. Meanwhile, this left Gunnhild and Ingrid with similar choices to maintain status in Kattegat: one of them must marry King Harold, a choice that Gunnhild found particularly strenuous.

Gunnhild ultimately visited Bjorn's tomb, as Ingrid had earlier in Season 6, and she made the choice to end her life and join Bjorn in Valhalla. After so many stressors from losing her husband and her baby to losing her status, it seemed she had had enough of the Vikings life. So, she left her clothing behind and swam out into the open water, never to return. Ingrid, chose to join with King Harold and have Bjorn's child, which she was carrying, but after King Harold chose to attack King Alfred, Ingrid was left to rule jointly with Erik, and she took advantage of him in more ways than one. Ultimately, it was Ingrid who succeeded where others did not. She fought her way to power by pushing around Gunnhild and blinding Erik until she was the leader of Kattegat. I can't say I was particularly happy to see her succeed while other fan-favorite characters perished, but I suppose it was a fitting end.

How Did The Iceland Storyline Wrap? Did Ubbe, Torvi And Family Find Their Happy Ending?

As boas notícias? Ubbe, Torvi and family did reach Iceland, to much merriment. But Ubbe was not satisfied with Iceland and wanted to find a "new land." After meeting the explorer Othere, he and a small group of Vikings decided to travel even further in search of the land Othere had previously glimpsed. Unfortunately, on the way, a storm arose and washed little Asa out to sea. They reached Greenland, which led to more death in a short skirmish and also led Ubbe, Torvi, Othere and others to hurriedly leave Kjetill and his family behind. After days and days of lack of food and water, Othere's story of a green and promising land proved true.

The remaining Vikings on the journey disembarked in North America. There, they met a group of Native Americans and Floki, who was not murdered as many had guessed during the course of Season 6. Instead, he had apparently left civilization behind and landed in the same spot as Ubbe and his crew. It was a great reunion for the Vikings, but it was short-lived, as one of the group killed one of the Native Americans and reparations were required. Ubbe took on the task of killing the murderous Viking himself. The show closed with him reminiscing with Floki on the beach. It was as close as fans could get to a happy ending. After all of the tumult Ubbe and Torvi had gone through, they seemingly had decided to turn over a new leaf in this new world and attempt a different way of living.

What Happened to Ivar's Captors Oleg And Katia (Who Is Not Freydis)?

Katia and Ivar deepened their connection in the palace and, as it turned out, Katia was not the fan of her husband Oleg she pretended. They, along with Hvitserk, helped Igor to escape Oleg's clutches and reunite with Prince Dir. Oleg, of course, was very unhappy with this, but his forces were also overwhelmed. When Ivar, Igor, Prince Dir and Hvitserk returned with his (now former) wife Katia, Oleg asked for forgiveness. Choosing to help Igor, Ivar offered to shoot Oleg with a bow and arrow and put him out of his misery. Yet, harkening back to the scene when Oleg asked Igor to kill an army leader asking for mercy, Igor took Oleg down himself.

Ivar, still in love with Katia, asked her what she wanted to do. She let him down gently. At first, Ivar seemed fine with it, but later Katia also admitted that she was carrying Ivar's child. She ended up being the catalyst for Hvitserk and Ivar to return to Kattegat, though she did say that even if she didn't want Ivar around over the long haul she would tell their child who his father was.

Did Anything Else Notable Happen With Prince Dir, Floki, Kjetill, Erik Etc?

Sim! Of course, notable things outside of the main characters did happen. After helping Igor take back his claim to the throne, Prince Dir and his men ultimately celebrated. Meanwhile, Kjetill accompanied Ubbe and some of the other Icelanders in search of the land Othere had promised. It was in a place called Greenland that Kjetill went mad after a whale washed ashore. The other Vikings left Kjetill and his wife and escaped back to the boats. Kjetill was able to become King of Greenland, but it would be a lonely and isolated kingship. On a happy note, Floki was found to be alive, safe and sound, and even told Ubbe he still sees Ragnar in his dreams -- asking him to build boats from time to time, harkening back to earlier in the series.

Meanwhile, as noted prior, Erik, Bjorn's recent righthand man, also saw his demise in Kattegat as Ingrid made moves to take over. The two were in a bit of a cat and mouse game after King Harold had left Erik ultimately in charge. Ingrid first blinded Erik and when he sought his revenge by asking a servant to kill her, another servant double-crossed Erik and stabbed him with a pitchfork, leaving Ingrid to rule alone. Speaking of King Harold, like Bjorn he did not die in the early battle against Oleg's army. Unlike Bjorn, he lived on to fight the English, though he felt his time was near. He ended up getting stabbed in the foggy woods mid-battle, though he took down the Englishman who stabbed him. For me, this was one of the most compelling ends for any character left in Season 6.

At the end of the day, it was a sound conclusion for the long-running cabler and I can't wait to see where the spinoff takes us next. Meanwhile, I have to ask, what did you think of the way Vikings final wrapped its final set of episodes and said goodbye to those who were left?


Assista o vídeo: Vikings - Bjorn vs Berserker S4E4