Museu Arqueológico de Delos

Museu Arqueológico de Delos

O Museu Arqueológico de Delos contém descobertas do local de Delos, Patrimônio Mundial da UNESCO, na Grécia. Habitado desde os tempos pré-históricos, Delos era um antigo local sagrado da Grécia, que se acredita ter sido o local de nascimento da divindade Apolo.

Entre sua coleção, o Museu Arqueológico de Delos abriga uma variedade de cerâmica, artefatos funerários e estelas, bem como mosaicos e joias. Uma das exposições mais celebradas no Museu Arqueológico de Delos são as estátuas de leões do Terraço dos Leões.

Embora muitas exposições estejam relacionadas ao período grego antigo, o Museu Arqueológico de Delos possui peças que datam do século 25 aC, oferecendo uma visão geral da ilha desde que foi habitada pela primeira vez.

História do Museu Arqueológico de Delos

Em 1872, a Escola Francesa de Atenas iniciou a escavação da ilha Delos, onde o antigo local sagrado grego estava localizado. O projeto era enorme em escala - continua até hoje - e como os artefatos encontrados aumentaram em número, um museu no local foi construído em 1904 pela Sociedade Arqueológica de Atenas para abrigar os diferentes achados arqueológicos. Desde então, as 5 salas do museu foram ampliadas para 9.

Museu Arqueológico de Delos hoje

Hoje, qualquer visita ao sítio arqueológico de Delos não estaria completa sem parar no Museu Arqueológico de Delos para explorar alguns dos itens que dão vida ao antigo santuário. Desde a primeira habitação da ilha no século 25 aC ao século 1 aC, a coleção de cerâmica antiga documenta a longa história da ilha.

Um destaque especial são os mosaicos extensos e bem preservados que datam do século I aC da Casa de Dioniso. O deus é mostrado com asas bem esticadas, cavalgando um tigre que usa um cordão de videiras e uvas ao redor do pescoço. Existem também, é claro, vestígios de esculturas de Apolo, uma das quais é uma mão colossal, que já foi parte de uma estátua datada de 600 aC e dedicada por Naxos.

Em última análise, este pequeno museu é uma parte essencial da compreensão do significado cultural do local em Delos e é uma grande chance de sair do sol depois de caminhar pelo parque arqueológico.

Chegando ao Museu Arqueológico de Delos

Delos é uma pequena ilha no Mar Egeu grego. Para chegar lá de Mikonos, dirija pela costa até o Novo Porto de Mikonos antes de pegar a balsa Delos - Mikonos (cerca de uma hora). Port Delos fica ao lado do sítio arqueológico e a 20 minutos a pé do museu.


Museu Arqueológico de Delos - História

A história da coleção

O Museu Arqueológico Nacional abriga a maior e uma das mais significativas coleções de escultura da antiguidade grega em todo o mundo, datando do século 7 aC ao século 5 dC. A formação da coleção foi iniciada em 1829 com a fundação do museu em Aegina, enquanto mais tarde incluiu esculturas de mármore e pedra das coleções arqueológicas públicas de Atenas, de escavações e aquisições da Sociedade Arqueológica de Atenas, bem como de outras regiões do mundo grego. A Coleção é composta por cerca de 17.000 obras, das quais 1.000 estão expostas nas Salas 7 a 34 no rés-do-chão do edifício, no átrio e na Sala da Coleção Cipriota, na Sala 64 no piso superior, estando as esculturas em armazém são acessíveis aos pesquisadores. Esculturas individuais também estão expostas na Coleção Egípcia, na Coleção de Vasos e na Coleção Stathatos.

Navegue pela exposição

O alvorecer da escultura no período histórico: séculos 8 a 5 aC (Salas 7 a 14)

Por volta do século 8 aC, as populações gregas completaram sua migração e estabeleceram cidades-estado, adotaram o nome comum grego, o alfabeto, os mitos gregos e os Dodekatheon (Doze Deuses Olímpicos) e também um método de cálculo de tempo baseado na primeira Olimpíada Jogos (776 aC).

A partir do século 7 aC, os antigos templos de madeira foram gradualmente substituídos por estruturas de pedra adornadas com esculturas arquitetônicas, como os relevos do templo de Atenas em Micenas (nº 2869, Sala 7). No mesmo período, as estátuas de madeira anteriores (que eram na verdade imagens em forma de tábua, chamadas xoana) também foram substituídas por suas contrapartes de pedra, que, no entanto, preservaram a forma tradicionalmente rígida e austera, como a estátua de Ártemis dedicada por Nikandre de Naxos (& # 8220Dedicação de Nikandre & # 8221) ao templo de Apolo em Delos (nº 1, Sala 7). A mesma postura rígida é encontrada em esculturas menores que retratam a figura humana, como as de marfim (nº 776, Sala 7) e também nos monumentos funerários (túmulos), como o monumento dos irmãos Dermys e Kit (t) ylos, retratados se abraçando fortemente, que foram instalados sobre seu túmulo em Tanagra, na Beócia, por seu pai, Amphalkes (nº 56, Sala 8). Da mesma forma rígida é a pose das figuras femininas que choram uma mulher falecida sobre seu esquife ilustrado na grande ânfora de argila que também serviu como lápide (sema) no cemitério dos Kerameikos em uma representação diferente do cadáver de uma pessoa eminente (não A804, Sala 7).

Estátuas de mármore foram dedicadas aos templos ou montadas sobre os túmulos de pessoas importantes como marcadores de túmulos (semata). Essas estátuas, os Kouroi ou Korai (jovens e donzelas), criadas no século 6 aC, são retratadas frontalmente com movimentos restritos, mas todas sorriem para nós. Os Kouroi são retratados em pé, com os braços estendidos para baixo ao lado do tronco, com o pé esquerdo ligeiramente avançado. Eles geralmente estão nus, com ênfase na modelagem dos músculos, porém alguns deles são mostrados usando sandálias pintadas, como no caso do grande Sounion Kouros que foi dedicado ao santuário de Poseidon ali (no 2720, Sala 8 ) Vários exemplos de Kouroi seguem nas próximas Salas entre as mais importantes são as Kouroi dos Kerameikos (no 3372, Sala 11), de Myrhinnous (Attic deme, atual Merenda) (no 4890, Sala 11), de Volomandra (no 1906, Sala 11) e o Anavyssos Kouros na Ática (retratando Kroisos que morreu em batalha, no 3851, Sala 13), do santuário de Apolo na montanha Ptoon da Boeotian (no 20, Sala 13), e também o mais recente Kouros de a Coleção, Aristodikos, da Mesogéia (no 3938, Sala 13). O único Kouros retratado vestido foi encontrado no leito do rio ateniense Ilissos (nº 3687, sala 13). Bases de Kouroi decoradas com representações em relevo de esportes e jogos foram possivelmente instaladas sobre os túmulos de atletas (nº 3476, 3747, Sala 13). Os Korai são mostrados levantando suas vestes com uma das mãos, enquanto a outra carrega um botão de flor ou uma fruta diante do peito. O Kore mais antigo e mais bem preservado da coleção é Phrasikleia que foi desenterrado junto com o Kouros de Myrrhinous e é retratado usando joias e peplos vermelhos (no 4889, Sala 11), enquanto dois Korai da Acrópole de Atenas (BE 15, 16, Sala 13) a seguir, bem como o Coro de Eleusis (no 26, Sala 14). Os monumentos funerários escultóricos da época também podiam assumir a forma de estelas muito altas (até 4,5 m de altura) (nº 2.687, Sala 11) coroadas com a estátua de uma esfinge, criatura mitológica com cabeça de mulher e o corpo de um leão alado (Sala 11). Na fase de transição para o período clássico, estátuas de bronze também foram fundidas, como Poseidon, que foi recuperado do fundo do mar na costa sul da Beócia. A estátua que havia sido dedicada ao deus, de acordo com a inscrição encontrada na base, mostra-o segurando seu tridente na vertical (no X11761, Sala 14). Nos templos da época, os frontões (a parte triangular no topo da frente de um edifício sob o telhado) são decorados com cenas de batalha de várias figuras, como no caso do templo de Atena Afaia em Egina (Sala 14) .

A escultura do Período Clássico & # 8211 5º e 4º séculos AC (Salas 15-28 e 34)

No século 5 aC a democracia já estava estabelecida em Atenas (em 508 aC por Clístenes) e os gregos enfrentaram a invasão dos persas, a maior potência militar de sua época. As vitórias nas batalhas de Maratona e Platéia e também na batalha naval de Salamina trouxeram uma era de criatividade intelectual, prosperidade material e consolidação democrática sob a liderança de Péricles. Atenas tornou-se o centro onde chegaram escultores, entre outros artistas, de outras regiões, contribuindo assim para o embelezamento dos edifícios e monumentos da cidade com obras de grande qualidade e originalidade.

No início deste período, a escultura conquista a terceira dimensão. Uma das obras de bronze mais raras preservadas é a estátua de Zeus ou Poseidon que foi recuperada do fundo do mar no Cabo Artemisão em Eubeia e representava Zeus segurando o raio ou Poseidon carregando seu tridente (no X15161, Sala 15).

No auge do século 5 aC, os grandes escultores inspiraram-se no corpo humano, transmitindo beleza ideal (idealizada) e significado espiritual. O grande relevo que mostra as três principais figuras do culto de mistério no santuário de Elêusis: Deméter, Perséfone e o jovem herói Triptolemo (nº 126, Sala 15) foi encontrado em Elêusis. Ao lado do relevo está a tábua de argila & # 8220Ninnion & # 8221 que foi dedicada ao mesmo santuário por uma mulher fiel chamada (a) Ninnion (no A11036, Sala 15). Da estátua de Nêmesis, atribuída ao escultor Agoracritus, venerada em Rhamnous, conserva-se uma cópia romana (nº 3949, Sala 19). Uma obra de seu mestre, o ateniense Fídias, foi a estátua criselefantina de Atena Partenos (feita de marfim e ouro) na Acrópole de Atenas. Da enorme obra de 12 metros de altura, conserva-se uma pequena versão romana, executada em mármore (nº 129, Sala 20). A estátua de mármore de & # 8220 & # 8221Diadoumenos & # 8221 & # 8221 de Delos, retratando um atleta que amarra a fita da vitória em torno de sua testa que já foi dourada, é uma cópia helenística tardia da obra original em bronze de Polykleitos de Argos (no 1826, Sala 21).

Seguiram-se tempos difíceis associados à Guerra do Peloponeso (431-404 aC), o conflito civil entre Atenas e Esparta. A construção de monumentos funerários que no passado haviam sido proibidos por lei por razões políticas e econômicas foi permitida mais uma vez para as vítimas da guerra e da peste (epidemia) que eclodiu nos primeiros estágios do conflito. Grandes vasos de mármore que implicam simbolismo especial são freqüentemente encontrados (Sala 16), ou estelas simples, como a que mostra um jovem segurando o pássaro que ele acaba de soltar da gaiola, talvez em um gesto simbólico que significa a emancipação do alma de seu cadáver (nº 715, Sala 16). Às vezes, eles assumem a forma de um naiskos (pequeno templo) dentro do qual a falecida é retratada, como a estela de Hegeso dos Kerameikos que é retratada sentada diante de sua escrava entristecida (no 738, Sala 18).

O fim da guerra sinalizou a liderança espartana, mas logo Atenas e Tebas recuperaram sua força, até que a hegemonia pan-helênica foi reivindicada com sucesso pelos reis macedônios Filip II e Alexandre, o Grande. Grandes centros urbanos gregos se desenvolveram, enquanto na escultura escolas locais representadas por escultores eminentes já haviam sido criadas antes do fim da guerra. A escultura é inspirada no rico movimento da cortina que acompanha o movimento do corpo, como no caso das figuras femininas do escultor do Peloponeso Timóteo destinadas ao templo de Asclépio em Epidauro (Sala 22). Skopas de Paros assumiu a construção do templo de Athena Alea em Tegea in Arcadia (Sala 28). Praxiteles, filho do escultor ateniense Cephisodotus, criou obras nuas e sensuais, enquanto o efebe de bronze (jovem) que foi recuperado do mar ao largo de Maratona (no X15118, Sala 28) foi atribuído à sua escola. O efbe de bronze recuperado do mar ao largo de Antikythera (no X13396), Sala 28) segue a tradição estabelecida por Policleto. Lysippos havia criado a estátua de Hércules encostada em seu clube, uma cópia da qual é a figura enorme de Hércules descoberta no naufrágio de Antikythera e agora está em exibição no átrio. Surpreendemo-nos com a sua superfície escura, fruto dos poluentes e da corrosão provocada pela água do mar, tornando difícil imaginar que fosse mesmo feito de mármore pariano brilhante.

Durante o período clássico foram criados uma ampla gama de relevos que também incorporavam textos dos decretos emitidos pela cidade de Atenas (sala 25) ou assumiam a forma de uma caverna (sala 25) ou partes do corpo humano (sala 26, vitrine) .

Escultura helenística: final do 4º e nº 8211 do início do século 1 a.C. (salas 29-30 e 34)

O período dominado pelos Diadochi (sucessores) de Alexandre o Grande e seus reinos que se estendeu pela Grécia, Ásia e Egito é chamado de helenístico. Surgiram novos grandes centros urbanos, como Pergamon, Antioquia e Alexandria. Os cidadãos desses reinos experimentaram um caráter cosmopolita que foi ainda mais realçado pelo uso generalizado de uma língua comum, o Koiné Helenístico, uma forma simplificada do dialeto ático. A conduta ética dos cidadãos foi influenciada por novos movimentos filosóficos, enquanto as buscas religiosas levaram à consolidação de cultos de mistério que clamavam pela iniciação para que os fiéis pudessem agora alcançar a salvação pessoal.
Na escultura, surgiram novas oficinas locais e escultores renomados que tornaram as figuras realistas, retratando seus traços pessoais. Em Lykosura in Arcadia, Damophon de Messene criou uma composição de 6 metros de altura (incluindo o pedestal): Demeter e Despoina são venerados sentados em um trono comum flanqueado por Artemis e Anytus, um dos Titãs, (Sala 29). Em Aigeira, na Acaia, o ateniense Eukleides criou a colossal estátua de Zeus entronizado, que conhecemos por sua representação em moedas, mas, infelizmente, apenas a cabeça e um braço estão preservados (nos 3377 e 3481, Sala 30). O grupo de Afrodite e Pã, possivelmente dedicado por um homem chamado Dionísio de Beirute, foi desenterrado em Delos: a deusa sorridente, auxiliada pelo voador Eros brandia sua sandália contra o Pã eroticamente disposto de pés de cabra que a assalta (no 3335, Sala 30). O cavalo de corrida de bronze com seu jovem cavaleiro (& # 8220 & # 8221The Artemision Jockey & # 8221 & # 8221) foi retirado do mar ao largo do Cabo Artemision em Euboea (no X15177, Sala 34).

Escultura romana: século 1 a.C. e # 8211 século 5 d.C. (salas 31-33)

Do século 2 aC em diante, a Grécia foi conquistada gradualmente pelos romanos até seu domínio final em 31 aC e a queda do reino ptolomaico.

O programa de construção projetado para a capital do Império Romano teve um impacto duplo: inicialmente as cidades gregas foram despojadas de seus tesouros artísticos que foram transferidos como despojo para Roma e, ao mesmo tempo, alguns artistas se mudaram para a cidade. Posteriormente, novas oficinas locais foram estabelecidas a fim de atender à demanda por cópias de obras clássicas e helenísticas. Mais tarde, no século 2 dC, Atenas voltou a ser um centro artístico, principalmente como resultado do favor especial que os imperadores Filelenos Adriano e Antonino Pio haviam demonstrado. A produção neo-ática surgiu assim com relevos principalmente decorativos (painéis de mármore suspensos na parede) (nº 5147, sala 31), sarcófagos de mármore (nº 1186, sala 32) e trapezófora (suportes de mesa de mármore) (nº 2706, sala 33) .

A administração romana foi promovida através da arte e, em particular, da escultura, com a criação de retratos do imperador, de membros da sua família e também de dignitários ou estudiosos, à medida que estes se vão expondo, agrupados por dinastia. A estátua equestre de bronze de Otaviano Augusto recuperada do mar entre Eubeia e Hagios Eustratios (no X23332, Sala 31) e o retrato de Adriano & # 8217s companheiro Antínous, o belo jovem que se afogou no Nilo (no 417, Sala 32) são notavelmente distinto

Coleção cipriota (sala 64)

A coleção cipriota foi formada por doações e confiscos e consiste, entre outras, de 160 esculturas feitas de pedra local cipriota. A cabeça de um jovem barbudo com cabelo que imita o do Jônico Kouroi (no 1832) e a cabeça de uma deusa usando cocar kalathos e joias luxuosas (no 66) estão entre as exposições mais notáveis.

Dra. Despina Ignatiadou, arqueóloga
Curador-chefe da coleção de esculturas
Museu Arqueológico Nacional

Estátua: figura em tamanho real de uma pessoa ou animal feita de pedra, metal ou outro material
Estatueta: figura de uma pessoa ou animal, menor que o tamanho natural, feita de pedra, metal ou outro material
Relevo: escultura em que formas e figuras se destacam da superfície plana de uma placa
Votiva: trabalho dedicado a um templo ou santuário
Escultura / relevo arquitetônico: obra escultórica que fazia parte da decoração de um edifício
Membros arquitetônicos: parte de um edifício feito de pedra
Altar: estrutura na qual os sacrifícios são oferecidos
Monumento funerário / estátua / relevo / estela: monumento túmulo, marcador de uma sepultura
Tempos históricos: o período da história humana documentado por registros escritos
Kouros e Kore: estátua de uma jovem figura masculina nua em pé ou uma jovem figura feminina drapeada em pé, encontrada no século 6
Plástico = escultura
Busto: escultura da cabeça e do tórax de uma figura Retrato: cabeça esculpida em redondo que retrata de forma realista as feições da pessoa retratada
Sarcófago: caixão de pedra
Estela: placa alta e oblonga


Museu Arqueológico de Delos

Não importa as tentativas, exercícios, caminhadas, ciclismo --- um back-end como este simplesmente não acontece. E pensar que esse belo exemplo permaneceu firme e tonificado desde o século 2 aC.

A apenas uma curta viagem de balsa da bela e colorida ilha de Mykonos está a estranhamente cativante ilha abandonada de Delos, com seus 1 1/2 milhas quadradas repleta de ruínas. As lendas afirmam que Apollo nasceu nesta ilha sagrada perto do Monte Kynthos.

A ilha agora está desabitada por almas vivas, mas toda a área está repleta de locais para ver e histórias para contar sobre povos antigos. Passeie por toda a ilha para ver mosaicos incríveis, a Avenida dos Leões, um antigo teatro e vários santuários de Apolo, Dionísio e outros deuses. Você não ama a palavra "santuário?" Eu sei que eu faço.

Passeie pelo Museu Arqueológico para ver as belas nádegas anatômicas da foto. Só dá vontade de dar um tapinha, não é?


Museu Arqueológico de Delos

Delos Museum erigido em 1904 às custas da Sociedade Arqueológica de Atenas. O edifício original incluía as cinco salas de aula ocidentais, além de várias outras em 1931 e 1972. No mesmo período, ocorreram grandes, mas lamentáveis, mudanças na aparência do edifício.
O presente relatório contém nove galerias: em seis delas estão as esculturas e relevos encontrados em Delos, uma das melhores coleções do mundo. Duas salas de aula para incluir cerâmica pré-histórica e anos ysteroellinistikon e outra fora várias miniaturas encontradas nas casas particulares de Delos. O relatório ainda não está completo.

As exposições incluem:

Estátuas e colunas de Epitymvia do século 7 & # 8211 1 a.C.
Vasos com instrumentos do 3º milênio e # 8211 1 º século AC
Ídolos 2 º e # 8211 1 º século AC
Joias e pequenos itens do 2 º e # 8211 1 º século AC
Mosaicos do 2 º e # 8211 1 º século AC
Principais exposições: placa com relevo em marfim do guerreiro Mykinaiou encontrado no torso Kouros de Artemisão do templo de Apolo, aglomerado de mármore Vorrea que arrebata a princesa da Ática Oreithyia e era o templo de Atenas, estátuas Dioskouridi e sua esposa, Cleópatra & # 8212 Atenienses que moram em Delos & # 8211 encontraram na casa do casal, na área do teatro, a estátua de Apolo na prensa do Liceu de Apolo Praxitelous & # 8211 o deus assente no tronco de uma árvore e clica nos escudos gauleses & # 8211 da área do teatro, fachada de bronze barbudo Dionísio que diadima corpos e coroa de hera e encontrou ao sul do Mercado Kompetaliaston, alabastro Corinthian & # 8211 um vaso para óleo perfumado com um Potnias Thiron entre dois cisnes & # 8211 encontrado em Iraio , estátua de Kouros de pedestal triangular com cabeça & # 8211 com cabeça em relevo esmagada em um canto gorgoneia e as outras duas & # 8211 do Templo de Apolo, filha arcaica & # 8211 véu corpos zosmeno no meio, que é decorado no meio le da frente com duplo meandros gravados em filme vertical & # 8211 encontrados no Templo de Apolo e é considerado um dos mais antigos grandes plásticos existentes, afresco da parede externa de uma casa na área onde Skardana representado por Hércules, e dois pigmachois a forma masculina toca flauta ou trompete.

Tel 22890 a 22259, no sítio arqueológico de Delos.

Ingressos
Intacto: € 5, Concessões: € 3

Programação de entrada gratuita no calendário

& # 8211 6 de março & # 8211 Memory Melina Mercouri
& # 8211 5 de junho & # 8211 Dia Mundial do Meio Ambiente
& # 8211 18 de abril & # 8211 Dia Internacional dos Monumentos
& # 8211 18 de maio e # 8211 Dia Internacional dos Museus
& # 8211 No último fim de semana de setembro de cada ano (quinta-feira, Patrimônio Cultural)
& # 8211 Domingos durante o período de 1º de novembro a 31 de março
& # 8211 Os dias oficiais não úteis do estado
& # 8211 No primeiro domingo de cada mês, exceto durante os meses de julho, agosto e setembro (quando o primeiro domingo é um feriado, o dia de entrada determina o segundo domingo).
& # 8211 27 de setembro, Dia Mundial do Turismo
& # 8211 Pessoas elegíveis para «passe livre» têm validade de três anos, com direito a renovação.

Pessoas com direito a uma taxa de entrada mais baixa

& # 8211 Os participantes em conferências internacionais após aprovação do Diretor Geral de Antiguidades e Patrimônio Cívico
& # 8211 Participantes dos passeios organizados pela Agência Workers & # 8217
& # 8211 Sessões de pais em escolas visitas educacionais Educação primária
& # 8211 Idosos, membros da União Europeia com mais de 65 anos, mediante apresentação do bilhete de identidade ou passaporte
& # 8211 Estudantes fora da UE

Pessoas com direito a entrada gratuita

& # 8211 Jornalistas com carteira de identidade ESIEA
& # 8211 Titulares, entrada sem boletim
& # 8211 Identidade específica dos titulares - Estado ICOM & # 8211 ICOMOS
& # 8211 Membros, empresas e associações de Amigos de Museus e Sítios Arqueológicos na Grécia demonstram cartão de membro endossado
& # 8211 Membros da KAPI mostrando o Cartão de Cultura
& # 8211 Crianças em idade escolar até 19 anos acompanhadas por educadores orientados para a educação orientada para A, B e C (licenças coletivas outorgadas pelo Ministério da Cultura da Grécia)
& # 8211 Membros do Parlamento grego
& # 8211 Jovens de até 19 anos apresentando carteira de identidade
& # 8211 Guias turísticos com carteira de identidade do Ministério do Desenvolvimento
& # 8211 Os convidados oficiais do estado grego, após aprovação do Diretor-Geral de Antiguidades e Patrimônio
& # 8211 Acompanhantes cegos e pessoas com deficiência.
& # 8211 Aqueles que servem nas forças armadas, mostrando carteira de identidade
& # 8211 Preservadores de antiguidades e obras de arte que receberam permissão específica do Ministério da Cultura da Grécia
& # 8211 Funcionários da Cultura Helênica (O.P.E.P.), sobre a produção de sua identidade
& # 8211 Funcionários do Fundo e Recursos Arqueológicos (ARF), sobre a produção de sua identidade
& # 8211 Funcionários do Fundo de Gestão de Crédito para Projetos Arqueológicos (T.D.P.E.A.E.), sobre a produção de sua identidade
& # 8211 Funcionários do Ministério da Cultura, através da demonstração de sua identidade
& # 8211 Estudantes do Ensino Superior, TEI ou escolas equivalentes de países da UE, mostrando a identidade do aluno

Horas de funcionamento

Inverno:
De 01.11.2007 a 31.03.2008
08:30-15:00
Um turno

Temporada de verão:

Segunda-feira fechada
Terça-feira e # 8211 Domingo: 08:30 e # 8211 15:00


Dionísio também é soletrado como Dionísio na Grécia. Ele é o deus da colheita da uva, vinho, fertilidade, loucura ritual, êxtase religioso e teatro na religião e mito grego antigo. Ele também é conhecido como Baco, nome adotado pelos romanos.

O vinho desempenhou um papel importante na cultura grega, e o culto a Dioniso foi o principal foco religioso em torno de seu consumo. Vinho e uvas eram vistos não apenas como um presente do deus, mas como uma encarnação simbólica dele na terra. No entanto, ao invés de ser um deus da embriaguez, ele era frequentemente estereotipado na era pós-clássica. A religião de Dionísio centrava-se no consumo correto do vinho, que poderia amenizar o sofrimento e trazer alegria, além de inspirar a loucura divina distinta da embriaguez.

A arte performática e o drama também foram fundamentais para sua religião, e seus festivais foram a força motriz inicial por trás do desenvolvimento do teatro.


Museu Arqueológico de Delos - Visão geral

O Museu Delos foi construído em 1904 pela Sociedade Arqueológica de Atenas e consistia originalmente nas cinco salas ocidentais. Foi ampliado em 1931 e 1972 e, no mesmo período, o exterior do edifício sofreu grandes, mas infelizmente inadequadas alterações. A presente exposição está organizada em nove salas. Seis salas contêm as estátuas e relevos encontrados em Delos (uma das melhores coleções do mundo), duas salas contêm cerâmicas que vão desde os tempos pré-históricos ao período helenístico tardio, e a última contém vários objetos da vida cotidiana, encontrados no casas particulares do site.

As coleções:
& # 149 Estátuas funerárias e estelas sepulcrais que vão do século 7 ao 1 a.C.
& # 149 Cerâmica que vai do século 25 a 1 a.C.
& # 149 Estatuetas de argila datadas dos séculos 2 a 1 a.C.
& # 149 Joias e pequenos objetos que datam dos séculos 2 a 1 a.C.
& # 149 Mosaicos dos séculos 2 a 1 a.C.

Entre as exposições mais importantes do museu estão:
& # 149 Placa de marfim (no. B.7069), representando um guerreiro micênico em relevo. Ele carrega um escudo em forma de 8 e uma longa lança, além de um capacete feito de dentes de javali. A placa foi encontrada sob o Artemision, junto com outros objetos de marfim, ouro e bronze e provavelmente foi usada para a decoração de móveis de madeira. Datado de 1400-1200 AC.
& # 149 Torso de um kouros (no. A.4083). Foi encontrado no santuário de Apolo e muito provavelmente foi produto de uma oficina pariana. Datado de meados do século VI aC.
& # 149 Estátua de mármore de Boreas (no. A.4287). A figura é a personificação do vento norte, raptando a princesa ateniense Oreithya. Era o acroterion central do frontão leste do templo dedicado pelos atenienses em 417 aC. Um bom exemplo da escultura ática, datada do final do século V AC.
& # 149 Estátuas de mármore de Dioscourides e Kleopatra (nos. A.7763 e A.7799), um casal ateniense que vivia em Delos. Eles foram encontrados dentro da casa do casal, no Bairro do Teatro e, segundo a inscrição na base, foram erguidos por Kleopatra em 138 aC para homenagear seu marido que dedicou dois tripés de prata ao templo de Apolo.
& # 149 Estátua de mármore de Apolo (no. A.4124). Segue o tipo de Apolo Lyceios, que é atribuído ao grande escultor Praxiteles. O deus é representado apoiado em uma árvore e pisando em uma pilha de escudos gauleses. É provavelmente uma cópia menor da estátua dedicada a Delfos para comemorar a vitória contra os Galls que atacaram o Santuário Delfos em 279/278 aC. Foi encontrado em uma casa particular no Bairro dos Teatros e data do século 2 aC.
& # 149 Máscara de bronze de Dioniso (no. B.7540). O deus barbudo está usando um diadema e uma coroa de hera. Foi encontrado ao sul do Mercado dos Competaliasts e provavelmente era uma oferta votiva. Datado do século 2 aC.
& # 149 "alabastron" coríntio (no. B.6192). Pequeno recipiente de óleo perfumado, decorado com a representação de "Potnia Theron" (Senhora das feras, Protetora da caça), entre dois cisnes. Foi encontrado no Heraion junto com muitos outros vasos semelhantes e é um exemplo característico da produção de cerâmica coríntia durante o final do século 7 aC.
& # 149 Base triangular inscrita de uma estátua de kouros (no. A.728) decorada com a cabeça de um carneiro em um canto e cabeças de Gorgo nos outros dois. A inscrição dedicatória do boustrophedon está gravada de um lado: "Euticártidos, o Naxiano me fez e me dedicou". Foi encontrado no Santuário de Apolo e data da segunda metade do século 7 aC.
& # 149 Estátua arcaica de uma jovem (kore) (no. A.4062). Foi encontrado no Santuário de Apolo e é um dos mais antigos espécimes sobreviventes de escultura em grande escala. A jovem é representada de pé, vestida com um peplos justo decorado na frente com um duplo meandro vertical inciso. Trabalho pariano datado de ca. 580 AC.
& # 149 Pintura de parede (no. Β.17613) da parede externa de uma casa no bairro de Skardana. Tem a representação de Hércules, dois boxeadores e outro homem tocando flauta ou trompete. A iscrição KALAMODRYA [C] provavelmente se refere a um famoso boxeador do século 1 aC.


Ilha delos

A ilha de Delos é um santuário arqueológico, listado pela Unesco como um dos locais históricos e culturais mais importantes da humanidade.

Segundo a mitologia, a ilha foi revelada entre as ondas do Egeu a Leto, que estava sendo perseguido pela ciumenta Hera foi o refúgio onde ela deu à luz Apolo e Ártemis.

Não demorou muito para que a ilha de Delos se tornasse para os gregos antigos o lugar mais sagrado do Egeu, dedicado ao deus da luz e da música, Apolo, com uma próspera cidade comercial e um porto, grande população, templos e um magnífico teatro.

A ilha foi colonizada pela primeira vez, provavelmente pelos Kares, por volta do terceiro milênio a.C. No início do 8º séc. B.C. tornou-se um centro de adoração e foi a capital de uma anfictiônia da ilha do Egeu.

No final do século 6 a.C., a tendência dos atenienses era conquistar a ilha: EM 540 a.C. Peisistratos ordenou a primeira purificação do santuário. Como resultado da segunda purificação (426 a.C.), todo o conteúdo de todos os túmulos da ilha foi removido para a vizinha Renia. Posteriormente, a fim de evitar a profanação do santuário, nascimentos e mortes foram proibidos na ilha de Apolo.

Os atenienses consagraram a primeira “aliança de Delos” dedicada a Leto, Ártemis e Apolo. Em 315 a.C., quando os macedônios chegaram à ilha, Delos conquistou sua independência e se desenvolveu comercialmente.

Durante o período romano, a ilha prosperou até 88 a.C. a população incluía egípcios, sírios e italianos. Então, depois de dois ataques terríveis durante a Guerra Mitridática, Delos entrou em declínio e foi finalmente abandonado no século 6 d.C.

Em 1873, a Escola Arqueológica Francesa de Atenas iniciou escavações e restauros, permitindo que a riqueza da história da ilha fosse revelada a todos os interessados. The Archaeological Museum of Delos house one of Greece’s most significant collections, including rare exhibits of ancient sculpture ceramic vessels, epigraphs and wonderful mosaics etc.

Today Delos is uninhabited and off-limits for an overnight stay.

There are daily excursions from Mykonos Town towards Delos island. Boats leave at 09:00am, 10:00am and 11:00am from the Old port (pier at the west side of the harbor), right behind the little church of Agios Nikolaos at the waterfront. The boat trip takes about 30 minutes. Boats return at 12:15pm, 13:30pm and 15:00pm. The cost is 20€ for the boat trip plus the entrance free.

There is also a guided tour available, departing at 10:30 am from the east pier in Mykonos old port (see here). The cost is 43€ plus the entrance free.


Mykonos Delos Archaeological Museum

The Archaeological Museum of Delos, Mykonos Cyclades: The Archaeological Museum of Delos was built way back in the year 1904. The construction of this famous museum was carried out under the aegis of the Archaeological Society of Athens. Initially, the museum was spread over just five rooms. It was much later in the year 1931 and again in 1972 that further rooms were added. At present the historical artifacts are on display in nine rooms. There are six exclusive rooms where rare historical statues unearthed from the archaeological site at Delos are on display.

DISCOVER DELOS WITH US!
Discover the available Tours.

Another set of two rooms two display the fascinating collections of pottery dating back to the prehistoric times. And last but not the least, there is a room exclusively dedicated to displaying objects of art that are meant for everyday use. The Ivory Plaque which dates back to 1400-1200 BC is absolutely stunning. The plaque portrays a quintessential Mycenaean soldier with defensive shield and a rather elongated spear. The soldier's head is covered by a protective headgear which is made of teeth of a wild boar.

This rare plaque was unearthed from under the debris at Artemision along with numerous other artifacts made of gold, ivory, and bronze. Another notable attraction of the Archaeological Museum of Delos is the trunk of a Kouros. It was recovered from an asylum in Apollo and dates back to the 6th century. There is the marble statue of Boreas which artistically portrays the infamous kidnapping of the then Athenian princess Oreithya. It is one of the finest specimens of Attic art and dates back to the 5th century.

The marble statues of Dioscourides and Kleopatra too are conspicuous by their presence. Dioscorides and Kleopatra were an Athenian couple who lived on Delos island. The statues were discovered from the couple's residence and there is also an inscription on the pedestal which is believed to have been put in place by none other than Kleopatra way back in 138 B.C.

The marble statue of Apollo, which is on display at the museum, is conspicuous by its distinct Apollo Lyceios features which were patronized by the renowned sculptor Praxiteles. The statue artistically depicts a mythological god inclining on a tree and striding on a bundle of Gallic shields.

Archaeologists and scholars are of the opinion that the marble statue of Apollo on display at the museum is a miniature version of the statue of Delphi which was created exclusively to celebrate the hard-fought victory against the mighty Galls. This marvelous marble statue was discovered from a private residence and is believed to belong to the 2nd century BC.


Keep up to date

Receive updates on the latest exhibitions

Arqueologia

Archaeology,
Kildare St,
Dublin 2,
D02 FH48

Anúncios

Contact details for staff during the COVID-19 pandemic

We are delighted to say that we are once again open for visitors. Please read our COVID-19 info before visiting.

The 20th Century History of Ireland Galleries will exhibit objects that have been continuously collected on behalf of the Irish people since before the foundation of the state up to the present day

Cross-disciplinary conference with NCAD will address how national museums have worked and been understood in the creation and maintenance of ideas of the nation.

The National Museum of Ireland invites interested parties to tender for gallery services associated with the recently announced 20th Century History of Ireland Galleries.


Archaeological Sites in Greece & the islands

This section proposes a brief description of the most interesting archaeological sites of Greece and the Greek Islands.

Discover the most famous and historically important sites of Ancient Greece: Archaeological sites like the Acropolis of Athens, Sanctuary of Delphi, Ancient Olympia, Delos island, Palace of Knossos in Crete, Ancient Epidaurus and Mycenae. Visitors will find archaeological sites in every part of Greece and in most of the Greek islands.

✔ DISCOVER THE ARCHAEOLOGICAL SITES
Want to organize a trip to the most important archaeological sites of Greece? You can do that with a guided tour from Athens to Delphi, Epidaurus, Mycenae, Olympia or you can organize an independant trip with a private transfer (Minivan). Send us your request!

The Acropolis of Athens

The Acropolis of Athens is the main and most famous archaeological site in Greece. It is also called the Sacred Rock, stands on the highest point of Athens. It is considered the most important heritage of the Classical period and also as Europe's most important ancient monument. The Parthenon Temple is the main building on the Acropolis and constitutes an architectural splendor of ancient times.
The Acropolis stands proudly over the modern and busy city of Athens and it keeps reminding us that Athens was the cradle of a great civilization. Although temples were constructed there since the Archaic times, the Acropolis as we know it today was an idea of Pericles, the famous statesman of the Classical Era.
Made of fine Pentelian marble, the Acropolis and its buildings were constructed in the 5th century BC and it cost a huge amount of money for those times. The most famous buildings of the Acropolis are the Parthenon, the Erechtheion, the Temple of Athena Nike and the Propylaea.
✔ Discover the Acropolis with a guided tour

The Sanctuary of Delphi

The site of Delphi is one of the most important archaeological sites in Greece. It was discovered in 1893 by the French School of Archaeology. This was the most important oracle of ancient Greece. During the Mycenaean Period, the female deity of Earth was worshipped in the small settlement of Delphi. The development of the sanctuary and Oracle started at the beginning of the 8th century B.C with the establishment of the cult of Apollo.
Gradually, the sanctuary continued to work autonomously and enlarge its influence on religious and political orders. The sanctuary was enlarged and decorated with beautiful buildings, statues and other kind of offerings. People from all over the Mediterranean would come to the oracle of Delphi to ask for advice from the priestess Pythia. Although many other oracles developed in Greece, this was considered the most accurate of all.
The most important monuments excavated in Delphi are the Temple of Apollo, the Treasury of the Athenians, the Altar, the Stoa of the Athenians, the Theatre, the Stadium, the Tholos, and the Gymnasium. Next, to the sanctuary, there is an interesting museum.
✔ Discover Delphi with a guided tour

Ancient Olympia

Ancient Olympia is an archaeological site situated in an area of great natural beauty in Peloponnese. It is considered one of the most important sanctuaries of the antiquity and it was dedicated to the father of all gods, Zeus. In fact, two great temples of Zeus and Hera were constructed there in ancient times.
Olympia was also the place where the ancient Olympic Games were first held n the 7th century B.C. The Games were organized to honor Zeus and, according to the myth, they were founded either by Pelops, king of Peloponnese or by Hercules. These were the most important sports competitions in ancient times and even wars stopped at their duration. The winners were awarded a branch of olive oil tree and they were welcomed as heroes in their homelands.
The site was excavated by French archaeologists in 1829 and some of the findings were transferred to the Louvre Museum in Paris. The most important monuments of the site are the temples of Zeus and Hera, the Stadium, the workshop of sculptor Pheidias, the Palaestra and the Gymnasium. Next, to the site, there is an impressive museum with findings from the area.
✔ Discover Olympia with a guided tour

The Sacred Island of Delos

Delos, included in the World Heritage Monuments protected by the UNESCO, is a small islet situated a few miles from the famous island of Mykonos, in the center of the Cyclades. Delos is considered as one of the most important ancient sites and Pan-Hellenic sanctuaries of Greece. According to the Greek mythology, Delos was the birthplace of Apollo, the god of light and may be of Artemis, the twin sister of Apollo, goddess of hunting.
Delos was a sacred place in ancient times. It worked both as a religious and trade center. The excavations on Delos started in 1873 by the French School of Archaeology. The most important monuments of the site are the Agora, the Temple of Apollo, the Terrace of the Lions and the ancient theatre, which is being renovated currently to host theatre performances. On Delos, there is a small museum with findings from the island.
To go to Delos, you take the tour boat from Mykonos. The island is not inhabited but it is an open archaeological place.
✔ Discover Delos with a guided tour

The Minoan Palace of Knossos

Knossos is the most important ancient site and best-preserved palace of the Minoan Civilization, that flourished in Greece from 2,700 to 1,450 BC. Knossos, located near modern Heraklion in Crete island, was the seat of the legendary King Minos and it is also a place connected to many legends such as the Labyrinth with the Minotaur and the story of Daedalus and Icarus.
At about 2,000 BC, the Minoans were characterized by a flourishing commercial, political, social and cultural system, as well as by the construction of impressive palaces, such as Knossos, Lato, Zakros, Phaestos, and many others.
The Minoans also developed for the first time a trade network with the rest of the Aegean and even established colonies, like Akrotiri in Santorini. From the lack of defensive walls, we can assume that the Minoans had peaceful relations with their neighbors. Also, their facilities and urban planning were surprisingly developed for that era.
The Minoan Palace of Knossos was discovered in 1878 by archaeologist Minos Kalokairinos and its restoration started in 1900. The most important monuments of the site are the palace of Knossos, the little palace, the Royal Villa and the house of the frescoes.
✔ Discover Knossos with a guided tour

Ancient Epidaurus

Located on the eastern side of Peloponnese, Epidaurus developed as a religious center and more particularly as a sanctuary of Asclepius, the healing god. In fact, according to the myth, Epidaurus was the birthplace of god Asclepius and this is why an important healing center was established there, famous all over the Mediterranean Sea. It was believed that the treatment was coming directly from the god. The patients would sleep in a large room and at night the god would come to their dream and indicate the necessary therapy.

In order to honor god Asclepius, large festivities would take place in the Ancient Theatre of Epidaurus as well as athletic competitions in the Ancient Stadium. The ancient theatre that survives today was constructed in the 4th century BC. It is large, made of marble and stone and famous for its amazing acoustics. In summer, performances of ancient Greek drama are presented there as part of the Greek Festival.
✔ Discover Ancient Epidaurus with a guided tour

Micenas

The site of Mycenae is considered as one of the oldest ancient sites in Greece and witnesses the development of the Mycenaean civilization. Mycenae was the legendary home of Agamemnon, ruler of the Greeks during the Trojan War. The Mycenaean civilization took its name after the discovery of the site of Mycenae. The Mycenaean civilization followed the Minoans. Their society, as proved by the excavations, was formed by an elite group. Their citadels were fortified with what we call the Massive Cyclopean walls. They were named like this because people thought that only Cyclopes could have lifted such huge stones to compose them. The society of the Mycenaeans was based on military force. Generally, this era doesn't have much to show in cultural issues, but it stressed mostly on urban planning and military invasions. The most characteristic spot of the site is the Lion Gate. Particularly interesting is also the museum.
✔ Discover Mycenae with a guided tour


Assista o vídeo: Biskupin - Wizualizacja