Como o pai, como o filho: o altar mostra o filho heróico de Hércules matando uma Hydra de muitas cabeças

Como o pai, como o filho: o altar mostra o filho heróico de Hércules matando uma Hydra de muitas cabeças

Um retábulo do segundo século DC esculpido em mármore e mostrando um homem forte lutando contra um monstro foi encontrado perto de um rio por aldeões na Turquia. Os especialistas acreditam que a cena mítica pode representar Bargasos, um filho do herói Hércules, lutando com uma Hydra para invocar o deus do rio Harpasos. Uma inscrição no topo dedica o altar a Harpasos.

A Live Science relata que os moradores encontraram o altar perto do rio Akçay em uma área que era controlada pelo Império Romano no século II. Quando o altar foi esculpido, por ordem de um homem chamado Flavius ​​Ouliades, o rio foi chamado de Harpasos.

Um filho de Hércules luta com uma Hidra de muitas cabeças em uma cena de um antigo altar encontrado na Turquia. A batalha lembra a própria luta de Hércules com a Hidra. (Foto de Hasan Malay)

"De acordo com um sonho, Flavius ​​Ouliades armou isso para o deus Harpasos", diz a inscrição grega no topo do altar.

“Como resultado de uma comunicação com o deus do rio Harpasos em um sonho, Flavius ​​Ouliades foi solicitado a dedicar um altar", escreveu o professor Hasan Malay, da Universidade Ege, na Turquia, e a arqueóloga Funda Ertugrul do Museu Aydin, no jornal Epigraphica Anatolica . Eles acreditam que Flavius ​​Ouliades acreditava firmemente em Harpasos, o deus do rio.

Eles escreveram que Flavius ​​pode ter pedido a Harpasos "uma boa colheita ou proteção (para ele ou seus animais) de inundações ou queda nas encostas íngremes ou cura de suas águas curativas."

Como um de seus 12 trabalhos, Hércules também lutou contra uma Hydra, um monstro serpentino com muitas cabeças, no pântano de Lerna. Depois que Hércules derrotou a Hidra, o pântano foi drenado e tornou-se cultivável e foi bem utilizado.

Hércules e a Hidra, c. 1475, Galeria Uffizi

O altar encontrado na Turquia mostra Bargasos, filho de Hércules e Barcaça, lutando contra a Hidra com um escudo e uma adaga. Ele não está usando nada, exceto um capacete com crista. O altar tem 0,45 metros (1,5 pés) de largura e 0,61 metros (2 pés) de altura. Está no Museu Aydin, na Turquia.

Ertugrul e Malay escreveram que a história de Bargasos e da Hidra é semelhante à contada de seu pai. O rio Harpasos tinha muitos afluentes em uma paisagem arenosa e era comparável à área ao redor do pântano de Lerna, na Grécia. É possível, escreveram os pesquisadores, que após a batalha, o deus do rio Harpasos foi invocado pela primeira vez.

A “cena em nosso altar pode ser uma representação de um mito local contando sobre a luta de Bargasos contra o rio devastador com muitas armas”, Malay e Ertugrul escreveram em seu jornal. “O rio se tornou uma divindade benéfica [Harpasos], o destinatário de nossa dedicação."

Uma antiga cidade da Turquia foi chamada de Bargasa em homenagem ao filho.

Na crença antiga, a Hydra tinha nove cabeças e, se uma fosse cortada, duas voltavam a crescer imediatamente em seu lugar. Portanto, parecia impossível derrotar. Hércules resolveu o dilema fazendo com que o motorista da carruagem pressionasse marcas em chamas nos tocos depois de decepar as cabeças, evitando a regeneração.

O condutor da carruagem de Hércules queima os tocos para evitar que as cabeças se regenerem

Pseudo-Apolodoro, um mitógrafo grego do segundo século escreveu sobre a grande batalha:

"Para seu segundo trabalho, Hércules foi instruído a matar a Hidra de Lerna. A besta foi alimentada nos pântanos de Lerna, de onde ela iria para a planície para atacar rebanhos e arruinar a terra. A Hidra era de um tamanho enorme, com oito cabeças mortais e uma nona no meio que era imortal. Com Iolaos dirigindo, Hércules dirigiu uma carruagem até Lerna e lá, parando os cavalos, encontrou a Hidra em uma crista ao lado das nascentes de Amimone, onde ela aninhava. ele a forçou a emergir com lanças flamejantes e, ao fazê-lo, ele conseguiu se agarrar. Mas ela se agarrou a ele enrolando-se em um de seus pés, e ele foi incapaz de evitar golpeando-a com seu porrete. pois assim que uma cabeça fosse arrancada, outras duas cresceriam em seu lugar. Então um caranguejo gigante apareceu para ajudar a Hydra e mordeu o pé de Hércules. Para isso, ele matou o caranguejo e chamou Iolaos em seu próprio nome para obter ajuda. Iolaos fez algumas tochas ateando fogo a uma parte do a juntando-se às matas e, usando-as para queimar os brotos das cabeças, ele impediu que crescessem. Depois de superar esse problema, Hércules decepou a cabeça imortal, que enterrou e cobriu com uma pedra pesada ao lado da estrada que vai de Lerna a Elaios. Ele cortou o corpo da Hydra e mergulhou suas flechas em seu veneno. "

Imagem em destaque: Hércules luta contra a Hidra de Lerna, uma pintura de Francisco de Zurbarán ( Wikimedia Commons )

Por: Mark Miller


    HYDRA LERNAIA

    HYDRA LERNAIA (Lernaean Hydra) era uma gigantesca serpente d'água de nove cabeças, que assombrava os pântanos de Lerna. Hércules (Hércules) foi enviado para destruí-la como um de seus doze trabalhos, mas para cada uma de suas cabeças que ele decapitou, mais duas surgiram. Assim, com a ajuda de Iolaos (Iolaus), aplicou marcas de queimadura nos tocos cortados, cauterizando as feridas e evitando a regeneração. Na batalha, ele também esmagou um caranguejo gigante sob seu calcanhar que tinha vindo para ajudar a Hydra. A Hydra e o Caranguejo foram posteriormente colocados entre as estrelas por Hera como as Constelações Hidra e Câncer.


    1. Dificuldades revelam caráter

    Por ser filho de Zeus, Hércules, nascido como Alcides, tinha as qualidades de bravura e força extraordinárias, mas ser filho de Zeus também o tornou alvo do ciúme de Hera, pois ela considerava Hércules, o filho ilegítimo de Zeus. A fim de apaziguar a raiva de Hera, o nome de Alcides foi até mudado para Heracles, significando glória de Hera, mas sem sucesso. Apesar da mudança de nome, Hércules não conseguiu mudar sua identidade, quem ele realmente era, ou seja, um semideus conhecido por sua bravura e força. Embora as qualidades inspiradoras e definidoras de Hércules tenham vindo de Zeus, elas foram reveladas de forma verdadeira e abrangente por meio dos enormes desafios que Hera o colocou.

    Lidar com os altos e baixos da vida requer permanecer fiel à sua identidade e revelar a verdadeira força de uma pessoa só é possível por meio de desafios formidáveis. O crescimento também é um subproduto do enfrentamento e da superação das adversidades.


    Conteúdo

    Muitas histórias populares foram contadas sobre sua vida, a mais famosa sendo Os Doze Trabalhos de Hércules. Os poetas alexandrinos da era helenística atraíram sua mitologia para uma atmosfera altamente poética e trágica. [4] Sua figura, que inicialmente se inspirava em motivos do Oriente Próximo, como a luta dos leões, era amplamente conhecida.

    Hércules foi o maior dos heróis ctônicos helênicos, mas, ao contrário de outros heróis gregos, nenhuma tumba foi identificada como sua. Hércules era herói e deus, como diz Píndaro heros theos no mesmo festival, o sacrifício foi feito a ele, primeiro como um herói, com uma libação ctônica, e depois como um deus, sobre um altar: assim, ele encarna a abordagem grega mais próxima de um "semideus". [4]

    O núcleo da história de Hércules foi identificado por Walter Burkert como originário da cultura caçadora neolítica e das tradições de travessias xamânicas para o mundo dos mortos. [5] É possível que os mitos em torno de Hércules fossem baseados na vida de uma pessoa real ou de várias pessoas cujas realizações se tornaram exageradas com o tempo. [6] Com base em semelhanças nas lendas de Hércules e Odisseu, o autor Steven Sora sugeriu que ambos foram baseados na mesma pessoa histórica, que deixou sua marca antes da história registrada. [7]

    Herói ou deus

    O papel de Hércules como herói cultural, cuja morte poderia ser objeto de narrativa mítica (veja abaixo), foi aceito no Panteão Olímpico durante os tempos clássicos. Isso criou um constrangimento no encontro com Odisseu no episódio de Odisséia XI, chamado de Nekuia, onde Odisseu encontra Hércules no Hades:

    E a seguir tive um vislumbre do poderoso Heracles -
    Seu fantasma, quero dizer: o próprio homem se delicia
    nas grandes festas dos deuses imortais nas alturas.
    À sua volta, gritos de mortos ecoavam como gritos de pássaros
    espalhando-se para a esquerda e para a direita em horror enquanto ele gozava como a noite. [8]

    Os críticos antigos estavam cientes do problema do aparte que interrompe a descrição vívida e completa, em que Hércules reconhece Odisseu e o saúda, e alguns críticos modernos negam que o início do verso, na tradução de Fagles Seu fantasma, quero dizer. , fazia parte da composição original: "uma vez que as pessoas soubessem da admissão de Hércules ao Olimpo, não tolerariam sua presença no submundo", observa Friedrich Solmsen, [9] observando que os versos interpolados representam um compromisso entre representações conflitantes de Hércules .

    Os antigos gregos celebravam o festival do Heracleia, que comemorava a morte de Hércules, no segundo dia do mês de Metageitnion (que cairia no final de julho ou início de agosto). O que se acredita ser um templo egípcio de Hércules no Oásis Bahariya data de 21 AC. Uma reavaliação das descrições de Ptolomeu da ilha de Malta tentou ligar o local em Ras ir-Raħeb com um templo de Hércules, [10] mas os argumentos não são conclusivos. [11] Várias cidades antigas foram chamadas de Heraclea em sua homenagem.

    Embora os atenienses estivessem entre os primeiros a adorar Hércules como um deus, houve cidades gregas que se recusaram a reconhecer o status divino do herói. Existem também vários poleis que meramente fornecia dois santuários separados para Hércules, um reconhecendo-o como um deus, o outro apenas como um herói. [12] Essa ambigüidade ajudou a criar o culto a Hércules, especialmente quando historiadores (por exemplo, Heródoto) e artistas encorajaram a adoração, como os pintores durante a época dos Peisístratos, que frequentemente apresentavam Hércules entrando no Olimpo em suas obras. [12]

    Algumas fontes explicaram que o culto de Hércules persistiu por causa da ascensão do herói ao céu e seu sofrimento, que se tornou a base para festivais, rituais, ritos e a organização de mistérios. [13] Há a observação, por exemplo, de que sofrimentos (Pathea) deram origem aos rituais de luto e luto, que antecederam a alegria dos mistérios na sequência dos rituais de culto. [13] Além disso, como no caso de Apolo, o culto a Hércules foi sustentado ao longo dos anos, absorvendo figuras de culto locais, como aqueles que compartilham a mesma natureza. [14] Ele também era constantemente invocado como patrono dos homens, especialmente os mais jovens. Por exemplo, ele era considerado o ideal na guerra, então presidiu ginásios e os efebas ou aqueles homens em treinamento militar. [14]

    Houve vilas e cidades antigas que também adotaram Hércules como uma divindade padroeira, contribuindo para a disseminação de seu culto. Foi o caso da casa real da Macedônia, que reivindicou descendência linear do herói [15] principalmente para fins de proteção divina e legitimadora de ações.

    A evidência mais antiga que mostra a adoração de Hércules no culto popular foi no século 6 AEC (121-122 e 160-165) por meio de uma inscrição antiga de Phaleron. [14]

    Força extraordinária, coragem, engenhosidade e destreza sexual com homens e mulheres estavam entre as características comumente atribuídas a ele. Héracles usou sua inteligência em várias ocasiões quando sua força não foi suficiente, como quando trabalhou para o rei Augeas de Elis, lutando contra o gigante Antaeus ou enganando Atlas para que levasse o céu de volta sobre seus ombros. Junto com Hermes, ele foi o patrono e protetor dos ginásios e palaestrae. [16] Seus atributos iconográficos são a pele de leão e o clube. Essas qualidades não o impediam de ser considerado uma figura lúdica, que usava jogos para relaxar do trabalho e brincava muito com as crianças. [17] Ao conquistar perigosas forças arcaicas, diz-se que ele "tornou o mundo seguro para a humanidade" e foi seu benfeitor. [18] Hércules era um indivíduo extremamente apaixonado e emocional, capaz de realizar grandes feitos por seus amigos (como lutar com Thanatos em nome do Príncipe Admeto, que havia regalado Hércules com sua hospitalidade, ou restaurar seu amigo Tíndaro ao trono de Esparta depois de ter sido derrubado) e sendo um terrível inimigo que infligiria uma vingança horrível sobre aqueles que o cruzassem, como Augeas, Neleus e Laomedon descobriram à sua custa. Havia também uma frieza em seu personagem, o que foi demonstrado pela representação de Sófocles do herói em The Trachiniae. Héracles ameaçou seu casamento com o desejo de colocar duas mulheres sob o mesmo teto, uma delas era sua esposa Deianeira. [19]

    Nas obras de Eurípides envolvendo Hércules, suas ações foram parcialmente impulsionadas por forças fora do controle humano racional. Ao destacar a causa divina de sua loucura, Eurípides problematizou o caráter e o status de Hércules dentro do contexto civilizado. [20] Este aspecto também é destacado em Hercules Furens onde Sêneca ligou a loucura do herói a uma ilusão e uma conseqüência da recusa de Hércules em viver uma vida simples, como oferecido por Anfitrião. Foi indicado que ele preferia a violência extravagante da vida heróica e que seus fantasmas eventualmente se manifestaram em sua loucura e que as visões alucinatórias definiram o caráter de Hércules. [21]

    Nascimento e infância

    Um fator importante nas conhecidas tragédias em torno de Hércules é o ódio que a deusa Hera, esposa de Zeus, sentia por ele. Um relato completo de Hércules deve deixar claro por que Hércules foi tão atormentado por Hera, quando havia muitos descendentes ilegítimos gerados por Zeus. Hércules era filho do caso que Zeus teve com a mortal Alcmena. Zeus fez amor com ela depois de se disfarçar de seu marido, Amphitryon, em casa mais cedo da guerra (Amphitryon voltou mais tarde na mesma noite, e Alcmene ficou grávida de seu filho ao mesmo tempo, um caso de superfecundação heteropaterna, em que uma mulher carrega gêmeos gerado por pais diferentes). [22] Assim, a própria existência de Hércules provou ser pelo menos um dos muitos casos ilícitos de Zeus, e Hera freqüentemente conspirava contra os descendentes mortais de Zeus como vingança pelas infidelidades de seu marido. Seu irmão gêmeo mortal, filho de Anfitrião, era Íficles, pai do cocheiro de Hércules, Iolaus.

    Na noite em que os gêmeos Hércules e Íficles nasceriam, Hera, sabendo do adultério de seu marido Zeus, persuadiu Zeus a jurar que a criança nascida naquela noite de um membro da Casa de Perseu se tornaria Rei Supremo. Hera fez isso sabendo que, embora Hércules devesse nascer descendente de Perseu, Euristeu também o seria. Assim que o juramento foi feito, Hera correu para a casa de Alcmena e retardou o nascimento dos gêmeos Hércules e Ífículos, forçando Ilithyia, deusa do parto, a sentar-se de pernas cruzadas com suas roupas amarradas em nós, fazendo com que os gêmeos ficassem presos no útero. Enquanto isso, Hera fez com que Euristeu nascesse prematuramente, tornando-o Grande Rei no lugar de Hércules. Ela teria atrasado permanentemente o nascimento de Hércules se não tivesse sido enganada por Galanthis, o servo de Alcmena, que mentiu para Ilithyia, dizendo que Alcmena já havia dado à luz o bebê. Ao ouvir isso, ela pulou de surpresa, perdendo os nós e, inadvertidamente, permitindo que Alcmena desse à luz Hércules e Ífículos.

    O medo da vingança de Hera levou Alcmena a expor o menino Hércules, mas ele foi levado e levado até Hera por sua meia-irmã Atena, que desempenhou um papel importante como protetora de heróis. Hera não reconheceu Hércules e cuidou dele por pena. Héracles sugou com tanta força que causou dor a Hera, e ela o empurrou. Seu leite se espalhou pelos céus e formou a Via Láctea. Mas com o leite divino, Hércules adquiriu poderes sobrenaturais. Athena trouxe o bebê de volta para sua mãe, e ele foi posteriormente criado por seus pais. [23]

    A criança recebeu originalmente o nome de Alcides de seus pais; só mais tarde ele se tornou conhecido como Hércules. [3] Ele foi renomeado para Hércules em uma tentativa malsucedida de apaziguar Hera, com Hércules significando o "orgulho" ou "glória" de Hera. Ele e seu irmão gêmeo tinham apenas oito meses de idade quando Hera enviou duas cobras gigantes para o quarto das crianças. Íphicles gritou de medo, mas seu irmão agarrou uma cobra em cada mão e as estrangulou. Ele foi encontrado por sua enfermeira brincando com eles em sua cama como se fossem brinquedos. Espantado, Anfitrião chamou o vidente Tirésias, que profetizou um futuro incomum para o menino, dizendo que ele venceria vários monstros.

    Juventude

    Depois de matar seu professor de música Linus com uma lira, ele foi enviado para cuidar do gado em uma montanha por seu pai adotivo, Amphitryon. Aqui, de acordo com uma parábola alegórica, "A Escolha de Hércules", inventada pelo sofista Pródico (c. 400 aC) e relatada no livro de Xenofonte Memorabilia 2.1.21-34, ele foi visitado por duas figuras alegóricas - Vício e Virtude - que lhe ofereceram uma escolha entre uma vida agradável e fácil ou uma vida severa, mas gloriosa: ele escolheu a última. Isso foi parte de um padrão de "eticização" de Hércules durante o século 5 aC. [24]

    Mais tarde, em Tebas, Hércules se casou com a filha do rei Creonte, Megara. Em um ataque de loucura, induzido por Hera, Hércules matou seus filhos e Megara. Depois que sua loucura foi curada com heléboro por Antikyreus, o fundador de Antikyra, [25] ele percebeu o que tinha feito e fugiu para o Oráculo de Delfos. Sem que ele soubesse, o Oráculo foi guiado por Hera. Ele foi instruído a servir ao rei Euristeu por dez anos e realizar qualquer tarefa que Euristeu exigisse dele. Euristeu decidiu dar dez trabalhos a Hércules, mas depois de completá-los, Hércules foi enganado por Euristeu quando acrescentou mais dois, resultando nos Doze Trabalhos de Hércules.

    Trabalhos de Hércules

    Enlouquecido por Hera, Hércules matou seus próprios filhos. Para expiar o crime, Hércules foi obrigado a realizar dez trabalhos estabelecidos por seu arquiinimigo, Euristeu, que se tornara rei no lugar de Hércules. Se ele tivesse sucesso, ele seria purificado de seu pecado e, como diz o mito, ele se tornaria um deus e receberia a imortalidade.

    Outras tradições situam a loucura de Hércules em um momento posterior e relacionam as circunstâncias de maneira diferente. [26] Em algumas tradições, havia uma razão divina para os doze trabalhos de Hércules: Zeus, em seu desejo de não deixar Hércules, vítima do ciúme de Hera, a fez prometer que, se Hércules executasse doze grandes obras a serviço de Euristeu, ele se tornaria imortal. [26] Na peça Herakles por Eurípides, Hércules é levado à loucura por Hera e mata seus filhos depois de seus doze trabalhos.

    Apesar da dificuldade, Hércules cumpriu essas tarefas, mas Euristeu no final não aceitou o sucesso que o herói teve com dois dos trabalhos: a limpeza dos estábulos de Augia, porque Hércules iria aceitar o pagamento pelo trabalho e a matança dos Lernaean Hydra, como sobrinho de Hércules, Iolaus, o ajudou a queimar os tocos das cabeças multiplicadoras.

    Eurystheus definiu mais duas tarefas, buscar as Maçãs Douradas de Hespérides e capturar Cerberus. No final, com facilidade, o herói executou com sucesso cada tarefa adicionada, elevando o número total de trabalhos até o número mágico doze.

    Nem todas as versões e escritores dão os trabalhos na mesma ordem. o Bibliotheca (2.5.1-2.5.12) dá a seguinte ordem:

    1. Mate o Leão da Neméia Hércules derrotou um leão que estava atacando a cidade de Neméia com as próprias mãos. Depois de ter sucesso, ele usou a pele como uma capa para demonstrar seu poder sobre o oponente que havia derrotado. 2. Mate o Lernaean Hydra de nove cabeças, um monstro cuspidor de fogo com várias cabeças de serpente que, quando uma cabeça for cortada, duas crescerão em seu lugar. Ele viveu em um pântano perto de Lerna. Hera o havia enviado na esperança de que destruísse a cidade natal de Hércules, porque ela o achava invencível. Com a ajuda de seu sobrinho Iolaus, ele derrotou o monstro e mergulhou suas flechas em seu sangue envenenado, envenenando-os. 3. Capture o Hind Dourado de Artemis não para matar, mas para pegar esse monstro. Uma tarefa diferente, mas ainda difícil, para um herói. Custou tempo, mas, depois de persegui-lo por um ano, Hércules esgotou o Hind e o presenteou vivo a Euristeu. 4. Capture o Erymanthian Boar, um temível javali saqueador à solta. Euristeu deu a Hércules o trabalho de pegá-lo e trazê-lo para Micenas. Novamente, uma tarefa demorada, mas o herói incansável encontrou a besta, capturou-a e levou-a ao seu ponto final. Paciência é a qualidade heróica no terceiro e no quarto Trabalhos. 5. Limpe os estábulos de Augias em um único dia. Os estábulos de Augias eram o lar de 3.000 gado com fezes envenenadas que Augeas havia recebido de seu pai Hélios. Heracles recebeu a tarefa quase impossível de limpar os estábulos das fezes doentes. Ele conseguiu isso cavando valas em ambos os lados dos estábulos, movendo-os para as valas e, em seguida, desviando os rios Alfeios e Peneios para limpar as valas. 6. Mate os pássaros stymphalian - esses pássaros comedores de homem agressivos estavam aterrorizando uma floresta perto do lago Stymphalia, no norte da Arcádia. Hércules os assustou com um chocalho dado a ele por Atenas, para assustá-los a fugir da floresta, permitindo-lhe atirar em muitos deles com seu arco e flecha e trazer de volta esta prova de seu sucesso para Euristeu. 7. Capture the Cretan Bull o touro nocivo, pai do Minotauro, estava devastando as terras ao redor de Knossos, em Creta. Ele personificava a raiva de Poseidon por ter seu presente (o Touro) para Minos desviado da intenção de sacrificá-lo para si mesmo. Héracles o capturou e o carregou sobre os ombros até Euristeu em Tiryns. Eurystheus o soltou, quando ele vagou para Maratona, que então aterrorizou, até ser morto por Teseu. 8. Roubar as éguas de Diomedes roubando os cavalos dos estábulos de Diomedes que foram treinados por seu dono para se alimentar de carne humana foi seu próximo desafio. A tarefa de Hércules era capturá-los e entregá-los a Euristeu. Ele cumpriu essa tarefa alimentando os animais com o Rei Diomedes antes de fechar suas bocas. 9. Obtenha o cinto de Hipólita, Rainha das Amazonas Hipólita era uma rainha amazona e tinha um cinto dado a ela por seu pai. Héracles teve que recuperar o cinto e devolvê-lo a Euristeu. Ele e seu bando de companheiros receberam uma recepção rude porque, por ordem de Hera, as amazonas deveriam atacá-los, no entanto, contra todas as probabilidades, Hércules completou a tarefa e garantiu o cinto para Euristeu. 10. Obtenha o gado do monstro Geryon. O próximo desafio era capturar o rebanho guardado por um cachorro de duas cabeças chamado Orthrus, o pastor Erytion e o proprietário, Geryon, um gigante com três cabeças e seis braços. Ele matou os dois primeiros com seu porrete e o terceiro com uma flecha envenenada. Hércules então arrebanhou o gado e, com dificuldade, levou-o para Euriteu. 11. Roube as maçãs de ouro das Hespérides - essas frutas sagradas foram protegidas por Hera que colocou Ladon, um temível dragão de cem cabeças como guardião. Héracles teve que descobrir primeiro onde ficava o jardim e pediu ajuda a Nereu. Ele encontrou Prometeu em sua jornada. Hércules atirou na águia que comia seu fígado e, em troca, ajudou Hércules com o conhecimento de que seu irmão saberia onde ficava o jardim. Seu irmão Atlas ofereceu-lhe ajuda com as maçãs se ele pudesse segurar os céus enquanto ele estivesse fora. Atlas o enganou e não voltou. Hércules devolveu o truque e conseguiu fazer com que Atlas levasse o fardo dos céus mais uma vez, e devolveu as maçãs para Micenas. 12. Capture e traga de volta Cerberus seu último trabalho e sem dúvida o mais arriscado. Eurystheus estava tão frustrado que Hércules estava completando todas as tarefas que ele havia dado a ele que ele impôs uma que ele acreditava ser impossível: Hércules teve que descer ao submundo de Hades e capturar o feroz cão de três cabeças Cérbero que guardava os portões. Ele usou as almas para ajudar a convencer Hades a entregar o cachorro. Ele concordou em dar-lhe o cachorro se ele não usasse armas para obtê-lo. Hércules conseguiu e levou a criatura de volta para Micenas, fazendo com que Euristeu temesse o poder e a força desse herói.

    Novas aventuras

    Depois de completar essas tarefas, Heracles se apaixonou pela Princesa Iole de Oechalia. O rei Eurytus de Oechalia prometeu sua filha, Iole, a quem pudesse vencer seus filhos em uma competição de arco e flecha. Hércules venceu, mas Eurytus abandonou sua promessa. Os avanços de Hércules foram rejeitados pelo rei e seus filhos, exceto por um: o irmão de Iole, Iphitus. Héracles matou o rei e seus filhos - excluindo Iphitus - e raptou Iole. Iphitus tornou-se o melhor amigo de Hércules. No entanto, mais uma vez, Hera deixou Hércules louco e ele jogou Iphitus por cima do muro da cidade para a morte. Mais uma vez, Hércules se purificou durante três anos de servidão - desta vez à Rainha Onfale da Lídia.

    Omphale

    Onfale era uma rainha ou princesa de Lídia. Como pena por um assassinato, imposta por Xenoclea, o Oráculo de Delfos, Hércules seria seu escravo por um ano. Ele foi forçado a fazer trabalhos femininos e a usar roupas femininas, enquanto ela vestia a pele do Leão da Neméia e carregava seu porrete de madeira de oliveira. Depois de algum tempo, Omphale libertou Hércules e se casou com ele. Algumas fontes mencionam um filho nascido deles com nomes variados. Foi nessa época que os cercópios, espíritos da floresta travessos, roubaram as armas de Hércules. Ele os puniu amarrando-os a uma vara com o rosto voltado para baixo.

    Hylas

    Enquanto caminhava pelo deserto, Hércules foi atacado pelos Dríopes. Em Apolônio de Rodes ' Argonautica relembra-se que Hércules havia matado impiedosamente seu rei, Teiodamas, por causa de um dos touros deste último, e fez guerra aos dríopes "porque eles não deram atenção à justiça em suas vidas". [27] Após a morte de seu rei, os Dryopes cederam e lhe ofereceram o Príncipe Hylas. Ele assumiu o jovem como seu portador de armas e amado. Anos depois, Héracles e Hylas se juntaram à tripulação do Argo. Como argonautas, eles participaram apenas de parte da jornada. Em Mysia, Hylas foi sequestrado pelas ninfas de uma fonte local. Hércules, com o coração partido, procurou por muito tempo, mas Hylas havia se apaixonado pelas ninfas e nunca mais apareceu. Em outras versões, ele simplesmente se afogou. De qualquer maneira, o Argo zarpar sem eles.

    Resgate de Prometeu

    De Hesíodo Teogonia e Ésquilo ' Prometheus Unbound ambos contam que Hércules atirou e matou a águia que torturou Prometeu (que foi sua punição por Zeus por roubar o fogo dos deuses e entregá-lo aos mortais). Hércules libertou o Titã de suas correntes e tormentos. Prometeu então fez previsões a respeito de outras ações de Hércules.

    Constelação de Heracles

    Em seu caminho de volta para Micenas, vindo da Península Ibérica, tendo obtido o gado de Geryon como seu décimo trabalho, Hércules foi para a Ligúria no noroeste da Itália, onde travou uma batalha com dois gigantes, Albion e Bergion ou Dercino, filhos de Poseidon. Os oponentes eram fortes Hércules estava em uma posição difícil, então ele orou a seu pai Zeus por ajuda. Sob a égide de Zeus, Hércules venceu a batalha. Foi esta posição ajoelhada de Hércules quando orou a seu pai Zeus que deu o nome de Engonasin ("Εγγόνασιν", derivado de "εν γόνασιν"), que significa "de joelhos" ou "o Kneeler", para a constelação conhecida como constelação de Hércules. A história, entre outros, é descrita por Dionísio de Halicarnasso. [28]

    Saco de Tróia de Heracles

    Antes da Guerra de Tróia de Homero, Hércules fizera uma expedição a Tróia e a saqueara. Anteriormente, Poseidon havia enviado um monstro marinho (grego: kētŏs, latim: cetus) para atacar Tróia. A história é relatada em várias digressões no Ilíada (7.451–53 20.145–48 21,442–57) e é encontrado na Bibliotheke do pseudo-Apolodoro (2.5.9). Esta expedição tornou-se o tema do frontão oriental do Templo de Afaia. Laomedon planejava sacrificar sua filha Hesione a Poseidon na esperança de apaziguá-lo. Heracles chegou (junto com Telamon e Oicles) e concordou em matar o monstro se Laomedon lhe desse os cavalos recebidos de Zeus como compensação pelo sequestro de Ganimedes por Zeus. Laomedon concordou. Héracles matou o monstro, mas Laomedon voltou atrás em sua palavra. Assim, em uma expedição posterior, Hércules e seus seguidores atacaram Tróia e o saquearam. Em seguida, eles mataram todos os filhos de Laomedon ali presentes, exceto Podarces, que foi renomeado Príamo, que salvou sua própria vida dando a Hércules um véu dourado que Hesione havia feito. Telamon levou Hesione como um prêmio de guerra e eles tiveram um filho, Teutor.

    Colônia na Sardenha

    Depois que Hércules realizou seus trabalhos, os deuses disseram-lhe que antes de passar para a companhia dos deuses, ele deveria criar uma colônia na Sardenha e tornar seus filhos, que ele tinha com as filhas de Espio, os líderes do povoado. Quando seus filhos se tornaram adultos, ele os enviou junto com Iolaus para a ilha. [29] [30]

    Outras aventuras

    • Hércules derrotou os Bebryces (governados pelo Rei Mygdon) e deu suas terras ao Príncipe Lico de Mísia, filho de Dascilo.
    • Ele matou o ladrão Termerus.
    • Heracles visitou Evander com Antor, que então ficou na Itália.
    • Héracles matou o rei Amyntor de Ormenium por não permitir que ele entrasse em seu reino. Ele também matou o rei Emathion da Arábia.
    • Héracles mata o rei egípcio Busiris e seus seguidores depois que eles tentam sacrificá-lo aos deuses.
    • Héracles matou Lityerses depois de vencê-lo em uma competição de colheita.
    • Hércules matou Periclimeno em Pilos.
    • Héracles matou Syleus por forçar estranhos a capinar uma vinha.
    • Héracles rivalizou com Lepreus e acabou matando-o.
    • Hércules fundou a cidade de Tarento (atual Taranto na Itália).
    • Hércules aprendeu música com Linus (e Eumolpus), mas o matou depois que Linus corrigiu seus erros. Ele aprendeu a lutar com Autolycus. Ele matou o famoso boxeador Eryx da Sicília em uma partida.
    • Héracles era um Argonauta. Ele matou Alastor e seus irmãos.
    • Quando Hipocoonte depôs seu irmão, Tíndaro, como Rei de Esparta, Hércules restabeleceu o governante legítimo e matou Hipoconte e seus filhos.
    • Héracles matou Cycnus, o filho de Ares. A expedição contra Cycnus, na qual Iolaus acompanhou Hércules, é o tema ostensivo de um curto épico atribuído a Hesíodo, Escudo de Hércules.
    • Héracles matou os gigantes Alcioneu e Porfírio.
    • Héracles matou Antaeus o gigante que era imortal enquanto tocava a terra, pegando-o e segurando-o no ar enquanto o estrangulava. tentou matar Hércules porque eram irmãos de Antaeus e queriam vingar a morte de Antaeus. [31] [32]
    • Hércules foi à guerra com Augeias depois que ele negou a ele uma recompensa prometida por limpar seus estábulos. Augeias permaneceu invicto devido à habilidade de seus dois generais, os Molionides, e depois que Hércules adoeceu, seu exército foi duramente derrotado. Mais tarde, porém, ele foi capaz de emboscar e matar os Molionides e, assim, marchar contra Elis, saquea-la e matar Augeias e seus filhos.
    • Hércules visitou a casa de Admeto no dia em que a esposa de Admeto, Alceste, concordou em morrer em seu lugar. Admeto, não querendo mandar Hércules embora, nem querendo sobrecarregá-lo com sua tristeza, o acolhe e instrui os servos a não informarem Hércules do ocorrido. Hércules, portanto sem saber do destino de Alceste, goza da hospitalidade da casa de Admeto, bebendo e festejando, o que irrita os criados, que desejam prantear como é seu direito. Alguém repreende o convidado e Hércules se envergonha de suas ações. Ao se esconder ao lado do túmulo de Alceste, Hércules foi capaz de surpreender a Morte quando ele veio buscá-la e, apertando-o com força até que ele cedesse, conseguiu persuadir a Morte a devolver Alceste a seu marido.
    • Hércules desafiou o deus do vinho Dionísio para uma competição de bebida e perdeu, resultando em sua adesão a Tiasu por um período.
    • Hércules também aparece em Aristófanes ' Os sapos, em que Dionísio procura o herói para encontrar um caminho para o submundo. Hércules se diverte muito com a aparência de Dioniso e, brincando, oferece várias maneiras de cometer suicídio antes de finalmente oferecer seu conhecimento de como chegar lá.
    • Hércules aparece como o herói ancestral da Cítia no texto de Heródoto. Enquanto Héracles está dormindo no deserto, uma criatura metade mulher, metade cobra rouba seus cavalos. Héracles finalmente encontra a criatura, mas ela se recusa a devolver os cavalos até que ele faça sexo com ela. Depois de fazer isso, ele pega seus cavalos de volta, mas antes de partir, ele entrega seu cinto e arco, e dá instruções sobre qual de seus filhos deveria fundar uma nova nação na Cítia.
    • No quinto livro do Nova História, atribuída por Photius a Ptolomeu Heféstion, menciona que Hércules não usava a pele do leão da Neméia, mas a de um certo Leão gigante morto por Hércules a quem ele havia desafiado para um combate individual. [33]
    • Hércules lutou e matou Caco. [34] [35]
    • Hércules lutou com o povo sicani, matando muitos, incluindo o famoso Leucaspis. [36]

    Morte

    Isso é descrito no livro de Sófocles Trachiniae e em Ovídio Metamorfoses Livro IX. Tendo lutado e derrotado Aquelous, deus do rio Aqueloos, Heracles toma Deianira como sua esposa. Viajando para Tiryns, um centauro, Nessus, se oferece para ajudar Deianira a atravessar um rio de fluxo rápido enquanto Heracles nada. No entanto, Nessus é fiel ao arquétipo do centauro travesso e tenta roubar Deianira enquanto Hércules ainda está na água. Furioso, Héracles atira nele com suas flechas mergulhadas no sangue venenoso da Hidra Lernaean. Pensando em vingança, Nessus dá a Deianira sua túnica encharcada de sangue antes de morrer, dizendo que isso vai "despertar o amor de seu marido". [37]

    Vários anos depois, rumores dizem a Deianira que ela tem um rival pelo amor de Hércules. Deianira, lembrando-se das palavras de Nessus, entrega a Hércules a camisa manchada de sangue. Lichas, o arauto, entrega a camisa a Hércules. No entanto, ele ainda está coberto com o sangue da Hydra das flechas de Hércules, e isso o envenena, rasgando sua pele e expondo seus ossos. Antes de morrer, Héracles joga Lichas no mar, pensando que foi ele quem o envenenou (de acordo com várias versões, Lichas se transforma em pedra, tornando-se uma rocha no mar, batizada em sua homenagem). Heracles então arranca várias árvores e constrói uma pira funerária no Monte Oeta, que Poeas, pai de Filoctetes, acende. Enquanto seu corpo queima, apenas seu lado imortal resta. Por meio da apoteose de Zeus, Hércules sobe ao Olimpo enquanto morre.

    Ninguém, exceto o amigo de Hércules, Filoctetes (Poeas em algumas versões), acenderia sua pira funerária (em uma versão alternativa, é Iolaus quem acende a pira). Para essa ação, Filoctetes ou Poeas receberam o arco e as flechas de Hércules, que mais tarde foram necessários aos gregos para derrotar Tróia na Guerra de Tróia.

    Filoctetes confrontou Paris e disparou uma flecha envenenada nele. O veneno Hydra posteriormente levou à morte de Paris. A Guerra de Tróia, entretanto, continuou até que o Cavalo de Tróia foi usado para derrotar Tróia.

    De acordo com Heródoto, Hércules viveu 900 anos antes do tempo de Heródoto (c. 1300 AEC). [38]

    Cronologia cristã

    Nos círculos cristãos, uma leitura euhemerista do amplo culto de Hércules foi atribuída a uma figura histórica a quem foi oferecido o status de seita após sua morte. Assim, Eusébio, Preparação do Evangelho (10.12), relatou que Clemente poderia oferecer datas históricas para Hércules como um rei em Argos: "do reinado de Hércules em Argos à deificação do próprio Hércules e de Asclépio há trinta e oito anos, de acordo com o cronista Apolodoro: e daquele ponto à deificação de Castor e Pólux 53 anos: e em algum lugar por volta dessa época foi a captura de Tróia. "

    Leitores com uma inclinação literalista, seguindo o raciocínio de Clemente, afirmaram a partir desta observação que, uma vez que Hércules governou Tirines em Argos ao mesmo tempo que Euristeu governou Micenas, e desde mais ou menos nessa época Linus foi o professor de Hércules, pode-se concluir, com base na data de Jerônimo - em sua história universal, seu Chronicon- dado à notoriedade de Lino ao ensinar Hércules em 1264 AEC, que a morte e deificação de Hércules ocorreram 38 anos depois, aproximadamente em 1226 AEC.

    Mulheres

    Casamentos

    Durante o curso de sua vida, Hércules se casou quatro vezes.

    • Hércules travou uma guerra vitoriosa contra o reino de Orquomenus na Beócia e se casou com sua primeira esposa, Megara, filha de Creonte, rei de Tebas. Mas ele matou seus filhos em um ataque de loucura enviado por Hera e, conseqüentemente, foi obrigado a se tornar o servo de Euristeu. De acordo com Pseudo-Apollodorus (Bibliotheca, 2.4.12) Megara saiu ilesa. De acordo com Hyginus (Fabulae, 32), Hércules também matou Megara.
    • Sua segunda esposa foi Onfale, a rainha da Lídia a quem foi entregue como escravo (Hyginus, Fabulae, 32).
    • Seu terceiro casamento foi com Deianira, por quem ele teve que lutar contra o deus do rio Aquelous (após a morte de Aquelous, Hércules removeu um de seus chifres e deu a algumas ninfas que o transformaram em cornucópia). Logo após o casamento, Héracles e Deianira tiveram que atravessar um rio, e um centauro chamado Nessus se ofereceu para ajudar Deianira a atravessar, mas depois tentou estuprá-la. Enfurecido, Hércules atirou no centauro da margem oposta com uma flecha envenenada (com o sangue da Hidra Lernaean na ponta) e o matou. Enquanto estava morrendo, Nessus planejou vingança, disse a Deianira para juntar seu sangue e derramar sêmen e, se ela quisesse impedir que Hércules tivesse casos com outras mulheres, ela deveria aplicá-los em suas vestes.Nessus sabia que seu sangue havia sido contaminado pelo sangue venenoso da Hydra e queimaria a pele de qualquer um que tocasse. Mais tarde, quando Deianira suspeitou que Héracles gostava de Iole, ela encharcou uma camisa dele na mistura, criando a camisa envenenada de Nessus. O criado de Hércules, Lichas, trouxe-lhe a camisa e ele a vestiu. Instantaneamente ele estava em agonia, o pano queimando nele. Enquanto ele tentava removê-lo, a carne arrancou de seus ossos. Hércules escolheu uma morte voluntária, pedindo que uma pira fosse construída para ele para acabar com seu sofrimento. Após a morte, os deuses o transformaram em um imortal ou, alternativamente, o fogo queimou a parte mortal do semideus, de modo que apenas o deus permaneceu. Depois que suas partes mortais foram incineradas, ele poderia se tornar um deus pleno e se juntar a seu pai e aos outros olímpicos no Monte Olimpo.
    • Seu quarto casamento foi com Hebe, sua última esposa.

    Romances

    Um episódio de seus casos femininos que se destaca foi sua estada no palácio de Thespius, rei de Thespiae, que desejava que ele matasse o Leão de Cithaeron. Como recompensa, o rei ofereceu-lhe a chance de ter relações sexuais com todas as cinquenta filhas em uma noite. Hércules obedeceu e todas ficaram grávidas e todas tiveram filhos. Isso às vezes é chamado de seu décimo terceiro trabalho. Muitos dos reis da Grécia antiga traçaram suas linhas até um ou outro desses, notadamente os reis de Esparta e da Macedônia.

    Mais um episódio de seus casos femininos que se destaca foi quando ele levou os bois de Geryon, ele também visitou o país dos citas. Uma vez lá, enquanto dormia, seus cavalos desapareceram repentinamente. Quando ele acordou e vagou em busca deles, ele veio para o país de Hylaea. Ele então encontrou a dracaena da Cítia (às vezes identificada como Equidna) em uma caverna. Quando ele perguntou se ela sabia alguma coisa sobre seus cavalos, ela respondeu que eles estavam em sua posse, mas que ela não iria desistir deles, a menos que ele consentisse em ficar com ela por um tempo. Hércules aceitou o pedido e tornou-se com ela o pai de Agatyrsus, Gelonus e Foices. O último deles tornou-se rei dos citas, de acordo com o arranjo de seu pai, porque ele era o único entre os três irmãos que conseguia manejar o arco que Hércules havia deixado para trás e usar o cinto de seu pai. [39]

    Dionísio de Halicarnasso escreve que Hércules e Lavínia, filha de Evandro, teve um filho chamado Pallas. [40]

    Como um símbolo de masculinidade e guerreiro, Hércules também teve uma série de amantes do sexo masculino. Plutarco, em seu Eroticos, afirma que os amantes masculinos de Héracles estavam além da conta. Destes, o mais intimamente ligado a Hércules é o Tebano Iolaus. De acordo com um mito que se acredita ser de origens antigas, Iolaus era o cocheiro e escudeiro de Hércules. No final, Héracles ajudou Iolaus a encontrar uma esposa. Plutarco relata que até sua época, casais de homens iam ao túmulo de Iolaus em Tebas para fazer um juramento de lealdade ao herói e um ao outro. [41] [42] Ele também menciona Admeto, conhecido no mito por ajudar na caça ao javali da Calidônia, como um dos amantes do sexo masculino de Hércules. [43] [44]

    Um dos amantes masculinos de Hércules, representado tanto na arte antiga quanto na moderna, é Hylas. [45] [44]

    Outro amante de renome do sexo masculino de Hércules é Elacatas, que foi homenageado em Esparta com um santuário e jogos anuais, Elacatea. O mito de seu amor é antigo. [46]

    O herói homônimo de Abdera, Abderus, foi outro dos amantes de Hércules. Diz-se que ele foi confiado e morto pelas éguas carnívoras do trácio Diomedes. Héracles fundou a cidade de Abdera na Trácia em sua memória, onde foi homenageado com jogos atléticos. [47]

    Outra história é a de seu amor por Nireus, que era "o homem mais bonito que veio abaixo de Ilion" (Ilíada, 673). Mas Ptolomeu acrescenta que certos autores fizeram Nireus ser filho de Hércules. [49]

    Pausânias faz menção a Sostratus, um jovem de Dyme, Achaea, como amante de Hércules. Diz-se que Sostrato morreu jovem e foi enterrado por Hércules fora da cidade. A tumba ainda estava lá em tempos históricos, e os habitantes de Dyme homenagearam Sostratus como um herói. [50] O jovem parece também ter sido referido como Polystratus.

    Uma série de amantes só é conhecida na literatura posterior. Entre eles estão Euristeu, [51] Adônis, [52] Cório, [52] e Nestor, que se dizia ter sido amado por sua sabedoria. No relato de Ptolemaeus Chennus, o papel de Nestor como amante explica por que ele foi o único filho de Neleus a ser poupado pelo herói. [53] [54]

    Um esquoliata comentando sobre Apolônio ' Argonautica lista os seguintes amantes masculinos de Hércules: "Hylas, Philoctetes, Diomus, Perithoas e Phrix, que deu nome a uma cidade na Líbia". [55] Diomus também é mencionado por Stephanus de Byzantium como o epônimo do deme Diomeia do ático phyle Aegeis: Diz-se que Hércules se apaixonou por Diomus quando foi recebido como convidado pelo pai de Diomus, Collytus. [56] Perithoas e Phrix são desconhecidos, assim como a versão que sugere uma relação sexual entre Hércules e Filoctetes. [ citação necessária ]

    Todos os casamentos de Hércules e quase todos os seus casos heterossexuais resultaram no nascimento de vários filhos e pelo menos quatro filhas. Um dos mais proeminentes é Hyllus, filho de Hércules e Deianeira ou Melite. O termo Heracleidae, embora possa se referir a todos os filhos de Hércules e descendentes posteriores, é mais comumente usado para indicar os descendentes de Hércules, no contexto de sua luta duradoura pelo retorno ao Peloponeso, de onde Hélio e seus irmãos - os filhos de Hércules por Deianeira - acredita-se que tenham sido expulsos por Euristeu.

    Os filhos de Heracles com Megara são bem conhecidos coletivamente por causa de seu mau destino, mas há alguma discordância entre as fontes quanto ao seu número e nomes individuais. Apolodoro lista três, Therimachus, Creontiades e Deicoon [57] a estes Hyginus [58] adiciona Ophitus e, provavelmente por engano, Archelaus, que é conhecido por ter pertencido aos Heracleidae, mas ter vivido várias gerações depois. Um esquoliata nas odes de Píndaro fornece uma lista de sete nomes completamente diferentes: Aniceto, Chersibius, Mecistophonus, Menebrontes, Patrocles, Polydorus, Toxocleitus. [59]

    Outros filhos bem conhecidos de Hércules incluem Telephus, rei da Mísia (por Auge), e Tlepolemus, um dos comandantes gregos na Guerra de Tróia (por Astyoche).

    De acordo com Heródoto, uma linhagem de 22 Reis da Lídia descendia de Hércules e Onfale. A linha foi chamada de Tylonids após seu nome Lydian.


    Semideuses / Imortais Nomeados

    • Sexualidade adaptativa: ao contrário da crença popular, Aquiles é na verdade bissexual em vez de gay. Ele ama genuinamente Briseida, a quem costuma chamar de esposa, embora tenha morrido antes de poder emancipar-se e se casar com ela, mas ele e Pátroclo também têm um relacionamento íntimo, possivelmente romântico. No entanto, alguns escritores modernos gostam de tornar Aquiles totalmente gay e adaptar Briseis completamente.
    • Calcanhar de Aquiles: Trope Namer.
    • Aquiles em sua tenda: mais uma vez, o nome do tropo.
    • Anti-herói: Faz fronteira com o protagonista do vilão. Aquiles realiza muitos atos de idiotice ao longo do poema e é um dos maiores idiotas da literatura antiga. Isso cria um bom contraste entre ele e Heitor, que pode ser visto como muito mais heróico do que seu oponente grego.
    • Tenha cuidado com o que deseja: Aquiles pede a Zeus que ajude os troianos a punir os gregos pela injustiça de Agamenon para com ele, que termina com a morte de seu amante Patroclus.
    • The Berserker: Um dos mais conhecidos da literatura.
    • Cavaleiro de Sangue: Ele não está lutando na Guerra de Tróia por honra ou por ganho. Ele está lutando porque gosta. e porque ele é muito, muito bom nisso.
    • Quebre o Altivo: Aquiles gasta a maior parte do Ilíada petulantemente amuado em sua tenda por causa de uma ofensa. até que Patroclus seja morto. De repente, Aquiles percebe que deveria ter entrado na batalha muito antes.
    • Broken Ace: Melhor exemplificado em A Ilíada
    • Herói Byronic: Ele é um lutador carismático e incrivelmente habilidoso que é o homem mais bonito do mundo, com sério problemas pessoais.
    • Profanando os Mortos: Arrastar o cadáver de Heitor atrás de sua carruagem depois de matá-lo em batalha. Até os deuses achavam que isso estava indo longe demais.
    • Divine Parentage: Sua mãe era uma deusa do mar, Thetis.
    • Você acabou de socar Cthulhu ?: Evitado. Quando ele tentou lutar contra o deus do rio local em Tróia, ele levou um chute na bunda e quase se afogou. Hefesto teve que descer e lutar pessoalmente contra o rio para garantir que Aquiles não morresse antes do tempo previsto.
    • Morrer Momento de Incrível: Perseguindo todo o exército de Tróia até a cidade, derrubado por Paris com a ajuda de Apolo? Aquiles é simplesmente foda.
    • Emotional Bruiser: Ele não tem problemas em chorar ou demonstrar emoção. Porém, esta é a Grécia Antiga: o lance de "Men Don't Cry" é um tropo mais moderno.
    • Defeito fatal: orgulho e ira.
    • Glory Hound: o 1 da Ilíada. Um dos maiores da literatura.
    • Badass Heartbroken: Após a morte de Patroclus, ele é completamente destruído pela culpa e jura vingá-lo, indo em um dos mais famosos RoaringRampageOfRevenges da história da literatura.
    • Heinz Hybrid: Sua mãe não era apenas uma ninfa do mar, ele era um descendente paterno de Zeus e muitas de suas ancestrais paternas também eram ninfas, e algumas fontes dizem que seu bisavô era o centauro Quíron. Herança tão humana, ninfa, olímpica e centauro. Seu pai também era o rei dos mirmidões, que eram descendentes de formigas tornadas humanas por Zeus (embora os reis mirmidões não fossem normalmente considerados descendentes de formigas).
    • BSoD heróico: Após a morte de Patroclus. Seu Roaring Rampage of Revenge acontece logo depois que ele sai dela.
    • Herói Invencível: A razão pela qual Homer o manteve fora da luta por tanto tempo. Assim que Aquiles começa a lutar, o jogo termina para os Trojans.
    • No sangue: Aquiles e Ajax eram primos, filhos dos irmãos Bash Peleu e Telamon. Peleu e Telamon eram guerreiros poderosos por seus próprios méritos, que se tornaram famosos lutando ao lado de Hércules. Ser um durão tendia a ser familiar.
    • É tudo sobre mim: quando ele sente que foi roubado pelos gregos sob os quais está lutando, ele não apenas se retira do conflito e se recusa a lutar (o que é um golpe em série para o exército grego), mas ora aos deuses para fazer os gregos perderem.
    • É tudo culpa minha: sua crença em relação à morte de Pátroclo. Ele não está errado.
    • Tal pai, tal filho: o pai de Aquiles era o guerreiro Peleu, um fodão por direito próprio que era um aliado frequente de Hércules. Seu próprio filho se torna uma máquina de matar brutal.
    • Amante e Amado: Na época de Platão Simpósio, era dado como certo que Aquiles e Pátroclo tinham uma relação pederástica. Platão afirma que Aquiles é o Amado, sendo o mais jovem dos dois, embora Aquiles seja muito mais poderoso do que Pátroclo. Em suma, Aquiles é um fundo poderoso.
    • Love Hurts: Seu amante Patroclus morrendo nas mãos de Heitor tem consequências terríveis em seu estado emocional.
    • O amor redime: o ato mais perverso de Aquiles é, de longe, desfilar o cadáver de Heitor ao redor de Tróia na frente de sua família, incluindo seu pai, esposa e filho pequeno. No entanto, quando Príamo vai disfarçado no acampamento de Aquino para resgatar o cadáver de seu filho, Aquiles vê sua dor, o que o lembra da dor que sentiu quando Heitor matou Pátroclo, rompe em lágrimas ao lado do velho e o deixa levar o corpo de seu filho de volta a Troy.
    • Manly Tears: O exemplo mais famoso sendo entre Aquiles e o rei Príamo, quando Príamo implora a Aquiles para devolver o corpo de seu filho Heitor para o enterro. A paixão de Príamo comove Aquiles, que começa a pensar no amigo perdido, Pátroclo, e os dois choram juntos pela respectiva perda.
    • O menino da mamãe: limites até mesmo para os homens maus amam sua mãe Aquiles se importava profundamente com sua mãe, Tétis.
    • Moralidade Pet: Patroclus era uma das poucas pessoas (além dele mesmo) com quem Aquiles se importava. Mesmo tendo se retirado da luta, ele até deu a Pátroclo seu escudo e armadura para lutar pelos gregos, apenas para que ele estivesse seguro.
    • Narcisista: Tem muitos problemas em se importar com outras pessoas além de si mesmo.
    • Afinal, não tão invencível: Acontece que ele tinha um calcanhar de Aquiles! Claro, neste ponto, todo mundo sabe disso.
    • Exército de um homem: suas habilidades de combate são basicamente um poder destruidor de histórias, por isso Aquiles em sua tenda aconteceu.
    • Faça carinho no cachorro:
      • Aquiles está disposto a lutar contra todo o exército grego para defender a filha de Agamenon, Ifigênia, quando este último tem que sacrificá-la para apaziguar Ártemis. Agamenon havia enganado a garota a vir prometendo seu casamento com Aquiles, ofendendo sua honra, fazendo-o se sentir um tanto responsável e puro desgosto pelo ato. A volta do corpo de Heitor também é um momento de humanização.
      • Aquiles fez amava genuinamente Pátroclo e ficou horrorizado quando descobriu que sua inação na guerra o levara à morte prematura.
      • Que arrasto: Aquiles arrasta o corpo de Heitor com sua carruagem depois de matá-lo.
      • Oponente digno: Memnon e Hector eram isso para ele.
      • Seus dias estão contados: Ele tinha plena consciência disso, mas preferia uma morte gloriosa a uma velhice obscura.
      • Divine Parentage: Filho de um deus do sol (Helios) e uma ninfa da água (Perse). Isso o tornaria uma divindade também, mas. (Veja abaixo).
      • O Bom Rei: Ele era um rei justo e acolheu seus súditos. Ele até permitiu que Jason levasse o Velocino de Ouro se ele concluísse várias tarefas primeiro. Pena que ele teve que perder dois de seus filhos por causa disso (Medeia fugiu e matou Absiro no processo).
      • Nenhuma boa ação fica sem punição: Ele deu as boas-vindas a Jason e permitiu que ele pegasse o Velocino de Ouro completando três tarefas. Em troca, ele perdeu sua filha, Medéia, que foi influenciada por Jasão, e seu filho, Absiro, que foi morto para encobrir sua fuga.
      • Sobrevivendo à prole de alguém: Ele sobreviveu a sua prole Absyrtus. porque sua outra descendência (Medéia) o matou.
      • O Poder do Sol: Possivelmente. Seu pai, irmãs e filha têm um, então não é implausível.
      • Hospitalidade sagrada: Hospedou Phrixus gentilmente e até deu sua filha em casamento. Como agradecimento, Phrixus deu a ele o Velocino de Ouro, o que permitiu que seu reino se tornasse um dos maiores do mundo antigo (até que foi levado por Jason, no entanto).
      • Divine Parentage: O filho de Afrodite.
      • Anjo da Guarda: Afrodite o protege durante a Guerra de Tróia, Apolo também intervém de vez em quando.
      • Nosso fundador: Considerado o primeiro herói de Roma, ancestral de Rômulo e Remo e enquanto um herói grego menor é um romano importante, muitas vezes creditado por sua fundação.
      • De Volta dos Mortos: Depois que ela morreu, Dioniso desceu ao Mundo Inferior para trazê-la ao Olimpo.
      • Divine Parentage: Ela é filha de Minos, que é filho de Zeus, e Pasipha & euml, que é filha do deus sol Hélios e da Oceanid Perse, sem mencionar ser uma deusa por direito próprio.
      • Capacho Extrema: Ela apenas se resignou ao seu destino depois que Teseu a abandonou. Felizmente, Dioniso a "encontrou".
      • Foil: Ela e Medéia eram princesas e netas de Hélios, ambas estavam apaixonadas por um herói (Teseu e Jasão, respectivamente) e jogaram suas vidas inteiras por eles, além disso, disseram que os heróis as abandonaram mesmo depois de ajudá-las a escapar vivo. No entanto, enquanto Medeia se tornou uma Louca por Machado, Ariadne era possivelmente muito humilde para fazer qualquer coisa além de lamentar seu destino depois que Teseu a abandonou. Também ao contrário de Medéia, que permaneceu solteira depois, Ariadne se casou com outra pessoa (Dioniso).
      • Felizmente casado: com Dioniso.
      • O Labirinto: Ela controlou o labirinto. Até hoje, os escritores poderiam fazer uma bela alusão a alguém em um labirinto e labirinto usando seu nome ou suas variantes Ariadna / Arianna / Ariane (como em Começo)
      • Princesa Guerreira: Ela foi encarregada por seu pai de controlar o labirinto, que continha o Minotauro dentro.
      • Cabelo mágico: seus cabelos cacheados permitiam que voassem.
      • Super Speed: Herdado de seu pai.
      • Humanóide alado: com asas nas costas, pés ou, às vezes, ambos.
      • Professor Fodão: Quando você considera como seus alunos, como Aquiles e Hércules, se saíram, você tem que dar a ele incentivos por ser isso.
      • Cool Uncle: Muitos dos heróis que ele orientou eram seus sobrinhos desde que eram filhos de seu meio-irmão Zeus.
      • Genius Bruiser: Só porque ele era mais intelectual do que seus parentes comuns, não significa que ele era menos um chutador de traseiro.
      • Lamarck estava certo: ele se tornou metade cavalo porque seu pai rapidamente se disfarçou de cavalo para evitar ser descoberto por Rhea.
      • Arquétipo do Mentor: O codificador do tropo para a mitologia grega.
      • Mentor Occupational Hazard: Chiron morre no cumprimento do dever, embora as circunstâncias mudem de versão para versão, eles sempre viram conectado às flechas envenenadas de Hércules.
        • Assassinato acidental: de acordo com um Scholium em Theocritos, Herakles involuntariamente o matou com uma flecha envenenada por Hydra enquanto lutava contra alguns centauros.
        • Deixou cair uma ponte sobre ele: Quíron se espeta nas pontas das flechas envenenadas de Hércules enquanto as examina e morre completamente anti-climático depois disso.
        • Sacrifício heróico: A versão mais geralmente reconhecida de sua morte é que ele desistiu de sua imortalidade para libertar Prometeu de sua punição.
        • Aparentemente Merfolk Humano: A primeira Galateia era uma nereida.
        • Fera e Bela: Ela é a Bela da Fera de Polifemo.
        • Final agridoce: The Nereid Galateia. Depois que seu namorado é assassinado pelo ciumento Polifemo, ela consegue reviver Acis transformando-o em um riacho e decide se juntar a ele por toda a eternidade, nunca retornando à superfície novamente.
        • Estátua viva: a segunda Galateia foi criada por um mortal e dada a vida por uma deusa.
        • Triângulo amoroso: A bela Nereida amava o belo sátiro Acis, mas também era cobiçada pelo hediondo ciclope Polifemo.
        • Nome significativo: o nome dela significa "Ela que é branca como leite".
        • Plot de Pigmalião: A segunda Galateia serve como Trope Namer.
        • Alone in a Crowd: O único grego que viveu em Tróia (pelo menos por um breve período).
        • Ascenda a um Plano Superior de Existência: Seu pai Zeus a transformou em uma deusa quando Orestes, filho de Agamenon e # 146, tentou assassiná-la.
        • Donzela em perigo: duas vezes: primeiro ela foi sequestrada por Teseu (em algumas versões, quando ela era doze anos de idade) e teve que ser resgatada por Castor e Pólux, e então ela foi sequestrada por Paris (embora ela vá com ele de boa vontade em outras versões), o que deu início à Guerra de Tróia.
        • Você acabou de se desligar, Cthulhu ?: Logo no início A Ilíada, ela verbalmente rejeita Afrodite, basicamente afirmando: "Se você acha que a cama precisa ser enchida, por que não vai trepar [Paris] você mesmo?"
        • Distraída pela Sexy: Há quatro relatos sobre como isso salva a vida dela quando Menelau a encontra pela primeira vez quando Troy é demitido, evitando que ele / seus soldados a executem em sua fúria por sua infidelidade. Dois relatos sobre esses relatos também disseram que suas roupas se estragaram e a expuseram na confusão, para completar.
        • Paternidade Divina: Geralmente se diz que seu pai é Zeus, com a mãe sendo a mortal Leda. Alguns escritores, por outro lado, observam que Stasinus de Chipre ou Hegesias de Aegina, o autor desconhecido da Bibliotheca muitas vezes chamado de Pseudo-Apolodoro, Pausanias e o autor anônimo de Astronomica frequentemente chamado de Pseudo-Hyginus afirmam que a mãe era Nêmesis, deusa da vingança, o que é bastante apropriado.
        • Todo mundo adora loiras: retratado com cabelos dourados em algumas pinturas.
        • Felizmente adotada: uma história escrita no século 2 afirma que Helen foi criada por Leda, enquanto sua mãe verdadeira era Nemesis.
        • Mãe Humana, Pai Não Humano: Zeus engravidou sua mãe.
        • Atratividade informada: como ela deve ter uma beleza tão grande que uma guerra aconteceu por causa dela, pode ser um pouco difícil de se expressar em pinturas dela.
        • A culpa é toda minha: na Odisséia, ela expressa pesar por ter iniciado a Guerra de Tróia. Chegando ao ponto de chamá-la de "prostituta egoísta" (o que acrescenta mais crédito à ideia de que ela foi com Paris de boa vontade).
        • Criança rica e solitária: Apesar de ser uma rainha rica, Helen não tinha amigos em Tróia, além de Hector, e sentia muita falta de sua casa.
        • Love Makes You Crazy / Love Makes You Dumb: Se ela realmente amou Paris de volta varia: algumas versões dizem que Afrodite efetivamente fez uma lavagem cerebral em uma paixão por Paris, enquanto outros dizem que ela amou Paris por sua própria vontade e foi com ele de boa vontade .
        • Conhecida apenas pelo apelido: Ela é conhecida principalmente como "Helena de Tróia" por causa de seu sequestro por um príncipe troiano, e muito incomum como "Helena de Esparta" (que era quando era casada com Menelau).
        • O Poder do Sol: Originalmente uma deusa do sol e ainda adorada como tal em Esparta.
        • Consentimento questionável: seu conto é ambíguo sobre se ela foi submetida a uma lavagem cerebral para amar Paris por Afrodite, se ela legitimamente queria partir com ele, ou mesmo se foi abduzida sem seu consentimento.
        • Ship Tease: Com Hector, até certo ponto. Ele é uma das poucas pessoas em Tróia a tratá-la com decência e, por sua vez, ela sutilmente ridiculariza Paris por obrigar Hector a lutar e, a certa altura, deseja que Paris fosse mais parecida com Heitor.
        • Tão bonita que é uma maldição: sua lendária beleza deu a ela um muito de atenção indesejada, e foi o que a levou a ser o suborno de Afrodite para fazer Páris escolhê-la como a mais bela deusa do Olimpo em detrimento de Hera e Atenas.
        • Conversando com os Mortos: No funeral de Hector:
        • Pornomancer acidental: Hércules teve muita ação em seu caminho. Em particular, houve o caso das cinquenta princesas em uma noite.
        • Curvas adaptativas: na arte clássica, Hércules foi descrito como bem construído, mas mais esguio do que se poderia esperar. Do Renascimento em diante, ele geralmente é descrito como muito forte.
        • Todas as amazonas querem Hercules: Namer do tropo. A rainha Hipólita ficou tão impressionada com seu corpo musculoso que largou o cinto livremente.
        • Anti-Herói: Pelos padrões modernos, ele não era exatamente um modelo de virtude heróica. Ele matou mais de uma pessoa inocente simplesmente por estar perto demais quando seu temperamento levou a melhor. Dito isso, ele não mediu esforços para ajudar seus amigos e, ao matar monstros como a Hidra e o Leão da Neméia, e humanos assassinos como o macabro Cycnus, ele fez um mundo de bem à humanidade. Ele também tendia a sentir grande tristeza e remorso sempre que matava uma pessoa inocente.
        • Ascensionou a um Plano Superior de Existência: Após sua morte, dizem que ele mesmo se tornou um deus pleno.
        • O Atoner: seus doze trabalhos foram para expiar a morte de sua família em uma fúria induzida por Hera.
        • Família Badass: o padrasto mortal de Hércules, Amphitryon, seu meio-irmão Iphicles e seu sobrinho Iolaus, todos o acompanharam em muitas de suas expedições militares.
        • Big Brother Instinct: Hércules ficou inconsolável quando seu meio-irmão mais novo, Iphicles, foi morto na expedição punitiva de Hércules contra o Hipoconte espartano. Hércules também foi um mentor de Iolaus, filho de Iphicles, que ele tomou sob sua proteção e confiou como cocheiro e tenente. Um mito também diz que um Hércules, agora divino, consegue que sua esposa, a deusa, Hebe, restaure a juventude de Iolaus para que ele possa proteger os filhos de Hércules de um Euristeu vingativo.
        • Big Eater: De acordo com Eurípides em sua peça "Alcestis", Herakles comeu muito para aterrorizar os servos de Admeto.
        • The Big Guy: Ele era muito grande e assumiu esse papel quando em aventuras com outros heróis, como os Argonautas.
        • Boisterous Bruiser: O mais famoso dos mitos.
        • Reprodução do escravo: um de seus feitos menos conhecidos ocorreu durante sua estada com as amazonas ao lado de Teseu. A rainha, querendo desfrutar da companhia de Teseu o máximo possível, disse que eles eram prisioneiros até que Hércules engravidou 50 amazonas. Sendo, bem, Hércules, ele o fez em uma noite.
        • Broken Ace: Ele era o herói mais forte da mitologia grega, mas sofria de acessos ocasionais de fúria assassina graças a Hera.
        • O Camafeu: Ele ocasionalmente aparece contando sobre a fuga malfadada de Dédalo e Ícaro de Creta para buscar o cadáver de Ícaro no mar e dar-lhe ritos funerários (que Dédalo não conseguiu fazer sozinho porque ainda estava tentando se manter no alto).
        • Carregue uma vara grande: a arma icônica de Hércules foi um porrete que ele esculpiu na madeira de uma oliveira que ele arrancou pela raiz. Notavelmente, foi a arma com a qual ele garantiu sua primeira vitória, matando o Leão de Cithaeron.
        • O Escolhido: A Gigantomaquia (a tentativa dos Gigantes de derrubar os Olimpianos) foi sem dúvida a maior ameaça que os deuses já enfrentaram. Eles não podiam ser mortos pelos deuses, embora um homem mortal pudesse matá-los. se ele fosse forte e corajoso o suficiente. Prometeu previu que Zeus teria um filho, nascido de uma mulher mortal, que salvaria os olímpicos durante a Gigantomaquia. Hércules, nascido da união de Zeus com Alcmena, provou ser esse herói, acabando com os gigantes depois que os olímpicos os feriram.
        • Pragmático de combate: Ele salvou o sangue horrivelmente venenoso da Hidra Lernean e o usou para envenenar suas flechas, a fim de matar vários outros oponentes.
        • Fodão Culto: Bem-educado, um comandante militar bem-sucedido, um trapaceiro ocasional e um mestre em Indy Ploys.
        • Death Glare: A razão pela qual Charon lhe deu uma carona gratuita para o décimo segundo parto.
        • Deus Exit Machina: Ele era originalmente um dos Argonautas, mas seu portador de armas / menino-brinquedo, Hylas, foi sequestrado por ninfas e o Argo teve que zarpar sem ele.
        • Você acabou de socar Cthulhu ?: Muitos, mas batendo em Thanatos (a personificação grega de Morte) é apenas um exemplo. Ele vai ainda mais longe quando decide demitir Pylos. Hercules assume Hera, Ares, Hades e Poseidon com apenas Atenas para ajudá-lo. Ele lança Ares na coxa, fere Hera em seu peito direito e atira Hades no ombro com suas flechas. Se isso não fosse exagero, ele atira no ombro de Apollo apenas por tentar curar Ares. É importante ressaltar que ele pode muito bem ter sido bêbado quando ele venceu Thanatos (vinho da Grécia Antiga é não algo para ser tomado levemente (algumas xícaras é o suficiente para nocautear um ciclope adulto).
        • Músico terrível: Hércules era muito hábil em muitas coisas, mas a música não era uma delas. Ele teve tantos problemas para aprender música quando criança que seu professor Linus lhe deu um tapa. Péssima ideia. O pequeno Hércules ficou tão furioso que atingiu Linus com a lira e o matou na hora.
        • Facilmente perdoado: Mesmo os verdadeiros companheiros de Héracles não estavam a salvo de seu temperamento. Ele matou Iphitus em um momento de fúria, e em um mito ele quase matou Telamon quando este o estava ajudando a invadir Tróia. Telamon foi o primeiro a romper as paredes de Troia, e Hércules ficou tão zangado com Telamon ganhando uma honra que cobiçava que levantou sua espada para matá-lo. Telamon se salvou construindo rapidamente um altar em homenagem a Hércules. Hércules ficou tão satisfeito com isso que não apenas perdoou Telamon, mas deu-lhe como esposa a princesa troiana Hesione.
        • Amor eterno: Com Hebe.
        • Famoso na história: eventualmente se aplica à maioria dos heróis da mitologia grega, mas Hércules se destaca. Quando os jovens heróis se reuniram para a missão de Jason, eles queriam que Hércules os liderasse porque ele já era um herói estabelecido há muito tempo.
        • Four-Star Badass: Liderou um exército pela primeira vez quando tinha 16-18 anos e literalmente continuou ganhando guerras até o dia em que morreu. Ele e seus amigos conquistaram Tróia em alguns dias. 2-3 gerações depois, toda a Grécia levou seus durões aos troianos e um cerco de 10 anos para vencê-los.
        • Genius Bruiser: É tristemente Mythtaken, mas Heracles era inteligente. Os exemplos incluem a derrota de Antaeus, enganando Atlas para retomar a posse do céu e sua fuga de um altar de sacrifício usando as garras de sua capa de leão para cortar as amarras. Não era à toa que Atenas gostava de Hércules mais do que qualquer outro atleta olímpico, exceto Zeus. Ele era um estrategista de batalha natural. Um exemplo de destaque é a limpeza dos Estábulos Augeanos. Tendo falhado em matá-lo em trabalhos anteriores, Eurystheus quer humilhá-lo fazendo com que ele remova fezes e ordena que limpe os Estábulos Augeanos (que não eram limpos há 30 anos). Heracles sabe disso e faz um reconhecimento da área observando os dois rios. Ele então vai para Augeas e promete limpar os estábulos em 1 dia se o rei lhe der um décimo de seu gado sem dizer que ele tem ordens para limpá-los de qualquer maneira. O rei pensando que isso é impossível e que ele teria um dia de trabalho grátis concorda e Hércules traz seus próprios filhos para vê-lo fazer um juramento. Ele então desvia os dois rios para lavar os estábulos, não suja as mãos e faz com que os próprios filhos de Augeas testemunhem contra ele quando ele tenta negar sua recompensa.
        • Jogos de gladiadores: Ele não participou desses mitos por motivos óbvios, mas os antigos romanos o consideravam o deus patrono dos gladiadores e, quando os gladiadores fossem libertados, suas armas seriam deixadas em seus templos como oferenda.
        • Felizmente adotado: Anfitrião, o marido mortal da mãe de Hércules, Alcmena, tratou Hércules como seu próprio filho. Ele supervisionou o treinamento de Heracles como guerreiro e também o acompanhou em algumas de suas expedições militares.
        • Olá, marinheiro !: Uma subversão interessante. Sua bissexualidade nunca foi um foco central, e "marinheiro" foi um dos muitos chapéus que ele usava. Ele era um dos Argonautas, e muitas vezes navegava e levava amantes do sexo masculino com ele.
        • O Herói: Como a pessoa mais importante no mito grego, ele era o Codificador de Trope (e tecnicamente Namer de Trope, já que a palavra inglesa "herói" é derivada de Hércules).
        • Constituição heróica: de acordo com fontes antigas, ele era muito alto e extremamente musculoso. Os gregos antigos até usavam o termo hercúleo para descrever um físico fortemente musculoso.
        • Linhagem heróica: Hércules é um descendente de Perseu, que por sua vez é descendente de Cadmo, que é descendente de Io. O heroísmo está claramente no sangue de Hércules.
        • Hot-Blooded: E sagrado merda, Como as. Esse cara iria para o palco um enorme guerra por um mero insulto verbal um dia, e depois em outro ele lutaria com Thanatos para trazer a esposa morta de um velho amigo de volta à vida.
        • Nome irônico: Seus pais o renomearam para algo que se traduz como "Glória de Hera" em uma tentativa de apaziguá-la. Ele é atormentado por ela sem dúvida mais do que todos os outros filhos de Zeus juntos.
        • O Juggernaut: Se você não fosse Zeus ou Apollo, você poderia muito bem embalá-lo se Herc quisesse um pedaço de você. Notavelmente, ele conquistou Tróia com 12 homens ao seu lado. Uma geração depois, basicamente levaria toda a Grécia jogando seus durões em Tróia para derrubá-lo, e ainda demorou dez anos para fazer isso.
        • O lanceiro: Para Jason no Argo.
        • Mestre Arqueiro: Por ser o Melhor Guerreiro do Mundo, é claro que ele é um arqueiro lendário. Seu arco era tão poderoso que ninguém sem sua superforça poderia puxá-lo, e depois que ele mergulhou suas flechas no sangue da hidra, elas eram tão venenosas que um único arranhão seria fatal.
        • Nome significativo:
          • Segundo alguns autores, o nome veio da glória que conquistou superando todos os obstáculos que Hera lançou em seu caminho.
          • Mais tarde, qualquer um chamado Hércules ou um derivado de Hércules ou Hércules era geralmente muito poderoso ou um herói.
          • Alcaeus / Alicides, significa força.
          • Os espartanos alegavam descendência dele, geralmente de seu filho Hyllus.
          • Não foram apenas os espartanos. A maioria dos reis gregos alegou descendência dele para justificar seu direito de governar. Até Alexandre, o Grande, afirmou ser descendente de Hércules por meio de seu pai e de Aquiles por meio de sua mãe.
          • Ele também é frequentemente creditado como o fundador dos Jogos Olímpicos originais.
          • Really Gets Around: Tal pai, tal filho. Ele dormiu com 50 princesas em uma única noite como recompensa por matar o Leão de Cithaeron (não deve ser confundido com o Leão da Neméia). Cada um deles estava grávida. Há versões disso em que ele só dormiu com 49 (o 50º declinou), mas ainda tinha 50 filhos, devido a um ter gêmeos.
          • Realmente 700 anos: isso se torna quando ele visita Filoctetes e o convence a ir para Tróia via Divindade.
          • Rampage of Revenge: Laomedon e Augeas tentaram enganá-lo, enquanto Neleus se recusou a purificá-lo. Héracles respondeu com sua tropa em espadas.
          • Infelizmente Mythtaken: Embora ele seja definitivamente do tipo Heroic Build, Herakles era não retratado como um tipo de cara "nada além de pele e músculos" em obras de arte antigas. Sua definição muscular parecia& lozmais assim& lozde um típico& lozexercício moderno de longa duração& loze homem preocupado com a saúde. Parece que foi na Renascença que os músculos& lozrepresentações de& lozele veio.& loz
          • Deus do sexo: Não literalmente, mas está implícito que ele era muito bom na cama, já que engravidou cinquenta mulheres em uma noite. . Ou talvez isso signifique que ele era mau.
          • Atire no Medic primeiro: Invertido, já que ele só atira em Apollo depois que ele começar a curar Ares, que Hércules já havia acertado uma lança na coxa.
          • Shout-Out: Aquela parte na introdução do Superman sobre como ele pode "mudar o curso de rios poderosos"? É uma referência deliberada ao método incomum de limpeza de estábulos de Hércules.
          • Soletre Meu Nome com um "S": Embora "H & # 275rakl & ecircs" seja a grafia original do grego antigo, seu nome é mais comumente traduzido como "Hércules" - e isso nem mesmo menciona a versão romana de "Hércules".
          • Superforça: Ele é mais forte do que a maioria dos deuses, quanto mais meros mortais, mas você provavelmente já sabia disso. Afinal, está até no dicionário.
          • Loteria de superpotência: um dos poucos semideuses no mito grego a herdar incríveis superpoderes absolutos de seu progenitor divino. Para colocar esse recurso em perspectiva, Perseus, que também é um filho bastardo de Zeus, é praticamente um humano padrão do pântano.
          • Muito idiota para viver: Isso não se aplica ao próprio Hércules, mas sim a qualquer um que o contrariou deliberadamente. O rei Augeas e o rei Laomedon quebraram os acordos que fizeram com ele, enquanto o rei Neleus se recusou a purificá-lo depois que ele matou seu amigo Iphitus em um momento de raiva. Héracles praticou um ato de vingança bastante sangrenta sobre eles por ferrá-lo.
          • Trope Maker: O cara forte original. Não é à toa que, milhares de anos depois, ainda estamos usando Hercúleo como adjetivo.
          • Vitória por Resistência: Como observado acima, Hércules capturou o Hind Ceryneian perseguindo-o por tanto tempo que ele ficou cansado demais para continuar correndo.
          • "Muito bem, filho!" Guy: Algumas interpretações de seu personagem atribuem muitos de seus feitos à busca do respeito de Zeus.
          • Quando tudo o que você tem é um martelo. : Um de seus Doze Trabalhos é capturar o Hind Ceryneian, um cervo sagrado de Artemis, tão rápido que pode ultrapassar uma flecha. Em uma versão, ele simplesmente correu atrás dele e, embora não fosse rápido o suficiente para pegá-lo, foi o suficiente para que o cervo também não tivesse chance de descansar. Depois de Um ano inteiro de correr, o veado desistiu. observação Este também é um método de caça real.
          • Crossdresser saudável: Omphale, Rainha da Lídia, forçou-o a se vestir com roupas de mulher e fazer trabalhos femininos. Para adicionar insulto à injúria, ela usou sua pele de Leão da Neméia durante isso. No entanto, acabou sendo benéfico para Hércules, alguns anos pacíficos de travesti e trabalho doméstico o deixaram muito mais calmo.
          • O homem mais forte do mundo: Em força pura, ele é incomparável. Até Zeus ficou chocado ao vê-lo colocar o céu nos ombros.
          • Wrestler in All of Us: Provavelmente um dos exemplos mais antigos e conhecidos. Diz-se que ele inventou o Pankration, uma das artes marciais mais antigas da humanidade, empregada pelos militares espartanos e, mais tarde, por Alexandre, o Grande. O próprio Heracles o usou para derrotar vários oponentes diferentes, incluindo o Leão da Neméia.

          Hipólita, ou Hipólita (/ h & # 618 & # 712p & # 594l & # 618t & # 601 / Grego: & # 7993 & pi & pi & omicron & lambda & # 973 & tau & eta Hipólito) era filha de Ares e Otrera (a rainha amazona original) e a mais proeminente membro e rainha da Amazônia do mito. Suas irmãs eram Antíope e Melanipe. Ela carregava um cinto de ouro dado a ela por seu pai.

          • Beleza amazônica: talvez o exemplo-Ur.
          • Melhor ela para ir para a cama: é assim que a maioria interpreta seu relacionamento com Teseu (e, ocasionalmente, seu relacionamento com Hércules, se for descrito como consensual)
          • O estupro é um tipo especial de mal: Diz-se que Heracles a agrediu sexualmente como parte de sua derrota em batalha e como uma forma de tirar o cinto dela como um de seus trabalhos. Devido aos gregos antigos usarem frequentemente a palavra "estupro" de uma forma muito diferente do uso moderno, isso é uma possível aversão e há algumas interpretações em que o relacionamento deles era consensual.
          • Superforça: Diz-se que a herdou de seu pai, por isso que Heracles derrotá-la foi uma façanha.
          • Polimorfo maligno: Zeus a transformou em uma vaca para cobrir seus rastros quando Hera o pegou tentando dormir com ela, com a provável intenção de mudá-la de volta o mais rápido possível. infelizmente, Hera conhecia Zeus um pouco bem demais e exigiu que ele desse a "vaca" a ela como um presente.
          • Ganhe o seu final feliz: depois de ser transformada em uma vaca, forçada ao cativeiro por Hera, picada continuamente por uma mosca por ordem de Hera e finalmente desmaiar de exaustão, ela finalmente recuperou sua humanidade, deu à luz dois filhos divinos, casou-se com um rei egípcio e foi saudada como uma deusa no Egito. Além disso, sua linhagem daria origem a alguns dos mais famosos heróis gregos, como Cadmo, Perseu e Hércules.
          • Linhagem Heroica: A linhagem de Io acabaria por produzir muitos heróis, nomeadamente Cadmo, Perseu, Rhadamanthys, Minos e Hércules, bem como Semele, que daria à luz Dioniso. Dito isso, ela também é a tataravó das Danaides, que são mais conhecidas por serem punidas no Tártaro.
          • O bode expiatório: ou fugavaca por assim dizer, a resposta de Hera a Hermes matando Argus para libertar Io é ficar com raiva dela por isso e lançar uma Fúria sobre ela.
          • Trauma Conga Line: Talvez não no nível de Cassandra, mas Io está, na ordem: engravidada por Zeus, que então a transforma em uma vaca (concordo, ele tinha toda a intenção de transformá-la de volta, mas Hera impediu isso), é transformada em um animal de estimação por Hera sob a guarda de Argus, é culpado pela morte de Argus por Hera que então atira um mosca sobre ela e é finalmente perseguida em todo o Mediterrâneo pela referida mosca, que a pica durante a perseguição. Felizmente, as coisas acabaram bem para ela.
          • Come Bebês: Lamias costumavam atacar crianças em particular. Isso ocorre porque a lâmia original havia perdido seus próprios filhos e tinha inveja de que outro pai os tivesse quando os dela estavam perdidos para sempre.
          • Eye Scream: A lamia original, além de ser transformada em um monstro, também foi amaldiçoada para não conseguir dormir. Por compaixão por seu ex-amante, Zeus deu a ela a capacidade de contornar essa maldição, dando a ela olhos removíveis, concedendo-lhe a capacidade de dormir enquanto eles eram removidos.
          • Nossos vampiros são diferentes: Lamiai são apenas um dos quatro tipos de monstros semelhantes a vampiros na mitologia clássica, os outros três sendo Empusai, Keres e Strix.
          • Homem Tubarão: Lamia significa "Tubarão Grande", o que pode indicar que ela é uma mulher tubarão. Ela também teve um filho com Zeus chamado Akheilos, que foi transformado em um homem tubarão por Afrodite.
          • Pessoas Cobra: Lamiai às vezes são descritos como serpentinos da cintura para baixo.
          • Bons pais: Foi uma mãe gentil e amorosa para Hermes e Arcas, o que se reflete até em seu nome.
          • Mamãe Ursa: Em alguns relatos, parte do motivo pelo qual ela viveu em uma caverna foi para manter Hermes a salvo da ira de Hera, embora Hermes tivesse outras idéias.
          • Nome significativo: Maia é a palavra grega para "mãe nutridora" e Maia era uma mãe que cuidava não apenas de Hermes, mas também de Arcas.
          • Híbrido humanóide não humano: filha de um titã e uma ninfa oceânica.
          • Shrinking Violet: Além de ser mãe de Hermes, ela é mais conhecida por ser uma dessas. A razão pela qual ela se escondeu em uma caverna foi em parte devido ao fato de que Hera a bagunçaria se descobrisse sobre Hermes e em parte porque ela era tímida e preferia viver sozinha.
          • Axe-Crazy: Um de seus traços de caráter mais consistentes é como ela tem sede de sangue.
          • Intimidando um dragão:
            • Jason vc sabia ela era Ax-Crazy e capaz de matar imortais com apenas um olhar, por que você a traiu? Dependendo da versão, o Corinthians pode ser assim. Na versão original, eles mataram dois de seus filhos depois que Medeia matou a nova namorada de Jason e acidentalmente incendiou o palácio real como efeito colateral. Eles realmente esperavam que ela não matasse metade deles e deixasse os sobreviventes viverem com medo de que ela voltasse para terminar o trabalho?
            • Os tebanos também. Eles a expulsaram da cidade enquanto ela era hóspede de Hércules depois que ela deixou Corinto. Em uma subversão, Medéia e Hércules não destruíram a cidade.
            • Madrasta Má: Para Teseu. Ela tentou envenená-lo para garantir que seu próprio filho recebesse o trono.
            • Mulher desprezada: a frase vem da peça de Eurípides intitulada, bem, Medea, tornando-a o Trope Namer. Quando Jason a deixou, ela queimou sua rival viva com um fogo tão intenso incendiou o palácio real, incendiou a cidade de Corinto por ser governada pelo homem que fez Jasão se livrar dela e matou seus próprios filhos para encerrar sua linhagem.
            • Yandere: Quando ela escapou com Jason, ela levou seu irmão junto e o picou e jogou suas partes do corpo no mar para desacelerar seus perseguidores. Você pensaria que Jason notaria que há algo errado com ela neste momento.
            • Mas não muito estrangeiro: sua mãe, Europa, é fenícia, enquanto seu pai é Zeus, um deus grego.
            • O Calígula: O que mais você chama de um rei que de bom grado sacrifica seus prisioneiros de guerra a um monstro horrível? Quando sua caracterização é dividida, quase sempre é o Minos mais jovem que é retratado dessa forma.
            • Dead Guy Junior: Quando retratado como um personagem decomposto, o Tirânico Rei Minos é geralmente retratado como o neto do Bom Rei Minos.
            • Personagem decomposto: devido a uma mistura da caracterização contraditória de ele ser um tirano de grau A, mas ainda terminando como um juiz do submundo e os problemas da linha do tempo de um "Rei Minos" de alguma forma governando Creta por várias gerações, muitos racionalizaram que lá são dois Minos & mdashthe "Bom Rei Minos" sendo o primeiro rei e irmão de Rhadamanthys tido em alta consideração pelos olímpicos, "Rei Minos II" sendo seu neto que recebeu o nome dele e aquele que sacrificou atenienses ao Minotauro.
            • Divine Parentage: Um filho de Zeus, o rei dos deuses. É possivelmente por causa dessa linhagem que ele foi autorizado a se tornar um juiz do submundo, apesar de seus registros de Jerkass.
            • O bom rei: quando retratado como um personagem decomposto, o velho rei Minos é freqüentemente retratado como um homem justo, justo e sábio, o que lhe rendeu um lugar como um dos juízes do submundo.
            • Karma Houdini: Apesar de ele realmente ser aquele que não honrou Poseidon, Poseidon em vez disso o amaldiçoou ao fazer sua esposa se apaixonar por um touro. Em seguida, ele exigiu sacrifícios anuais de 14 adolescentes de Atenas como um tratado de paz por sua invasão. Que punição ele recebeu? Recebendo a tarefa de ser um juiz do submundo. Então, novamente, ele é um filho semideus de Zeus, conhecido por seus babacas e capacidade de se safar, só porque ele pode.
              • Embora antes de se tornar um juiz do submundo, ele morreu uma morte horrível e dolorosa ao ser levado a tomar um banho onde água fervente ou óleo o escaldou até a morte. Além disso, quanto ao caso Pasiphae, a esposa dele tendo um caso com um touro e ela tendo um filho bastardo monstruoso era uma forma de humilhá-lo, fazendo-o parecer um marido realmente patético para os padrões da Grécia Antiga.
              • Abdicar do trono: Odisseu deixa Thesprotia para Polipoitas depois que a rainha morre. É certo que ele simplesmente volta a ser rei em Ítaca.
              • Adaptational Jerkass: The Telegony, que foi escrito por um autor desconhecido, mas definitivamente não é Homero, torna Odysseus muito menos agradável, incluindo tê-lo deixando Penelope e se casando com uma mulher diferente.
              • Villainy adaptativo: Odisseu (Ulysses) é tratado como um vilão puro na mitologia romana, como em A Eneida e trabalhos posteriores influenciados por ele, como A Divina Comédia. Em parte, isso se devia ao fato de os romanos se considerarem descendentes distantes dos troianos que Odisseu enganou e derrotou. Antes disso, Eurípides o detestava por sua aparente falta de ética.
              • A Aliança: Foi idéia dele parar uma batalha entre os Reis da Grécia pela mão de Helen criando isso. Na verdade, veio para mordê-lo na bunda mais tarde. Mas ele tentou escapar até disso.
              • Anti-Herói: Pelos padrões da Grécia Antiga, ele era isso, quase sempre usando truques. Ele se encaixa no entendimento moderno do tropo: ele não tem nenhum problema em matar pessoas à sua mercê quando elas se rendem, é muito brutal ao lidar com seus inimigos e é principalmente motivado por interesse próprio.
              • Autoridade é igual a Asskicking: Rei de Ítaca e sem desleixo em combate.
              • Badass Normal: Considerado um grande herói grego, ao lado de Hércules, Aquiles, Perseu, Teseu. Você entendeu a ideia. Mas, ao contrário da maioria dos outros heróis gregos, Odisseu não é um semideus.
              • Irmãos Bash: Com Diomedes. Ele também tem uma dinâmica de Brains e Brawn, especialmente no 10º livro
              • Badass Boast: Odysseus faz isso com Polyphemos, o ciclope. Isso, no entanto, o morde na bunda quando Polifemo, tendo aprendido o nome de Odisseu por meio de sua ostentação, invoca um favor de seu pai Poseidon para fazer de sua jornada para casa um pesadelo vivo. Papai entrega.
              • Bookworm Badass: Embora sua astúcia seja sua maior qualidade e aquela pela qual ele é mais conhecido, ele também é um lutador muito forte e capaz.
              • Bluff the Imposter: invocado quando ele voltou para casa e se revelou para sua esposa. Ela não acredita muito nele e faz um comentário improvisado que a cama deles foi removida. Odisseu afirma que a cabeceira de sua cama faz parte de uma enorme árvore (que ele mesmo esculpiu) em torno da qual o palácio foi construído e que é virtualmente impossível de mover. Isso remove qualquer dúvida remanescente.
              • Chamado para a agricultura: gol de Odisseu depois de voltar para casa.
              • Cunning Like a Fox: Ele nunca foi realmente associado a isso na Odisséia em si, mas outros escritores depois trouxeram a comparação e isso não é uma coisa rara nas adaptações modernas.
              • Padrão duplo: estupro, feminino sobre masculino: Muitas pessoas tentam tratar os relacionamentos não consensuais de Odisseu com Circe e Calypso como se fossem casos amorosos.
              • Eye Scream: Coma os marinheiros de Odisseu e colha as consequências!
              • Genius Bruiser: inteligente o suficiente para pensar em como encerrar um cerco de uma década em um dia, forte o suficiente para usar um arco que poucos outros podem e corajoso o suficiente para cegar um ciclope quando ele poderia simplesmente escapar por causa do grande idiota comeu algumas de suas tropas. Ele não é inteligente o suficiente para não se gabar de seu nome e títulos para os ciclopes depois do fato.
              • Guile Hero: Sua arma mais perigosa de longe era sua mente tremendamente afiada. O que faz sentido quando você lembra que ele é neto de Autolycus, o maior ladrão do mundo, o que faz de Hermes, o próprio Deus Malandro, seu bisavô.
              • Felizmente casado: em A odisseia, onde tudo o que ele quer fazer é voltar para casa para sua esposa. Sim, há histórias em que ele a trai e / ou ela o trai, mas não são de Homero, o que as torna o equivalente grego antigo de ficção de fã no cânone real ele é fiel a Penélope e ela a ele.
              • A infiltração: Reconhecimento de Tróia por Odisseu.
              • Rei Incógnito: Antes de sua vingança final sobre os pretendentes.
              • No sangue: um dos heróis mais complicados de todos os tempos foi o bisneto do Deus Malandro dos gregos, Hermes.
              • Somente Homem Sano: Durante a Guerra de Tróia, não sendo cegado pelo orgulho, ira ou ganância.
              • Papa Wolf: Ele tentou fingir loucura para não ir para a guerra & mdash, mas quando um emissário chamado Palamedes o colocou e seu filho pequeno, Telêmaco, em uma situação realmente arriscada para ver o que ele faria, ele imediatamente abandonou a charada para que o garoto não se machucasse. Mais tarde, ele se vingaria de Palamedes por arruinar sua tentativa de se manter fora da guerra, seja fazendo com que ele fosse executado plantando evidências de que estava traindo o esforço de guerra pelos troianos, ou apenas o assassinando com muito menos de um pré-texto.
              • Orgulho: Ele provavelmente teria chegado em casa um muito mais suave e mais rápido se ele somente não precisava dizer seu nome verdadeiro a Polifemo para se gabar disso, permitindo que Polifemo orasse a seu pai, Poseidon, para fazer a viagem de volta. difícil.
              • O Rei de Direito Retorna: Ele chegou em casa com sucesso e recuperou seu trono.
              • Rampage of Revenge Roaring: Odysseus mata todos os pretendentes e doze empregadas em sua casa quando ele retorna.
              • Royals Who Really Do Something: Além de ser rei, ele também é um estrategista gênio e um guerreiro.
              • Escolha sádica: Scylla e Charybdis. Um comerá alguns de seus homens, o outro comerá tudo seus homens.
              • Schmuck Bait: Ele pensa e planeja o maior da lenda registrada, o Cavalo de Tróia.
              • O cara esperto: Após dez anos de fracasso pela força, o golpe de gênio de Odisseu rompe as paredes de Tróia - os aqueus levantam acampamento, navegam fora de vista e deixam o Cavalo de Tróia com vários aqueus escondidos dentro dele. Os troianos trazem o cavalo para dentro, celebram o fim de um cerco de uma década e ficam despreparados quando os infiltrados aqueus matam as sentinelas e abrem seus portões. Este plano é especialmente genial, pois é uma situação perdedora para os troianos, porque mesmo que eles não deixassem o cavalo entrar, recusar o presente teria desrespeitado Poseidon, já que o cavalo também era um tributo a ele e certamente o levaria a acabar com sua proteção sobre a cidade.
              • Soletre meu nome com um "S": ele é conhecido como "Ulisses" em latim, provavelmente porque seu nome grego às vezes era escrito com um L em vez de um D, "Olysseus". Mas nunca em Homer.
              • Supernatural Aid: Athena se encantou com ele durante a Guerra de Tróia e continuou a ajudá-lo em sua jornada para casa.
              • Cavalo de Tróia: o cérebro do tropo.
              • Quem está em primeiro lugar ?: Chamar a si mesmo a versão grega de "Ninguém" para Polifemo basicamente causaria um dos mais antigos exemplos registrados desse tropo - depois de cegá-lo durante o sono, Polifemo explicaria a outros ciclopes em resposta à sua angústia de que " Ninguém me cegou ", levando-os a pensar que ocorreu um infeliz acidente, sobre o qual nada podiam fazer.
              • Quem Quer Viver Para Sempre ?: Odisseu poderia ter se tornado imortal vivendo com o eternamente jovem Circe ou Calipso, mas optou por retornar a Ítaca e sua esposa idosa. Ironicamente, em uma continuação comum do mito, seus dois filhos e sua viúva se tornam imortais.
              • Oponente digno: Até mesmo os troianos estavam maravilhados com este homem. Ele foi considerado um dos mais poderosos e respeitáveis ​​aqueus durante a guerra.
              • Impressionante McCoolname: Uma tradução de seu nome é "Da montanha", o que faz sentido para um filho de Gaia que frequenta o deserto.
              • Big Creepy-Crawlies: A versão mais famosa de sua morte tem Apollo e / ou Gaia sic um escorpião gigante nele.
              • O grandão
              • Carregue uma vara grande: sua arma de escolha foi um porrete de joias.
              • Casanova Wannabe: Normalmente, embora ele tenha conseguido se reunir com Eos (admitindo que Eos foi amaldiçoado por ter uma luxúria insaciável por cada cara bonito que ela conheceu).
              • Chick Magnet: É melhor você acreditar! Até o famoso odiador de homens Artemis foi atrás desse cara.
              • Caçador Egomaníaco: Enquanto caça com Artemis, ele coloca em sua cabeça que ele poderia caçar todos os animais na Terra. Alguns relatos atribuem isso a uma maldição de ciúme de Apolo. Em qualquer caso, a própria Terra não gostou dessa ostentação e enviou o escorpião mencionado como retribuição.
              • Concepção Extra Parental: As histórias que não lhe dão um estado convencional de parentesco, ele foi concebido por três deuses urinando em uma pele de vaca e deixando-a enterrada por dez dias. O último detalhe também faz de Gaia sua mãe.
              • Eye Scream: Uma história tem um rei que arremessa os olhos com uma adaga para atacar / fazer movimentos em sua filha. Ele recupera a visão de Helios, no entanto.
              • Hunter of Monsters: sua presa preferida. Passou anos eliminando todas as criaturas perigosas que assolavam um reino insular para que pudesse ganhar a mão da princesa local. Infelizmente para Orion, o rei voltou atrás em sua palavra, recusou-se a permitir que os dois se casassem e chegou a esfaquear os olhos de Orion.
              • Mestre Archer: Ele impressionava tanto com o arco que chamou a atenção da própria Artemis, deusa da caça.
              • Nome significativo: seu nome faz sentido se você ler sua descrição.
              • Passado de Múltipla Escolha: Deixando de lado a coisa da urina mencionada, outra possível história de fundo para ele é como o filho de Poseidon e Euryale - normalmente assumido ser a filha do Rei Minos, em vez da segunda irmã Górgona.
              • Parceiros de vida platônicos: Depende da narrativa, mas alguns mitos afirmam que Órion era assim com Artemis & mdashs compartilhando o amor de caçar com ela, mas não se interessando por ela romanticamente (em total contraste com suas opiniões sobre outras mulheres).
              • Regra de Três: As histórias que lhe dão três pais. Alguns estudiosos chegam ao ponto de inferir que ele é um personagem alegórico, cuja ascendência cada um contribui com um aspecto em alguma metáfora para o ciclo da água.
              • Nome infeliz: Seu nome significa simplesmente "Urina". A menos que você vá com a tradução mais provável de seu nome, que se traduz como "Da montanha".
              • Ande sobre a água: Dizem que ele é capaz disso, e é por isso que as fontes mais populares dizem que Poseidon é seu pai.
              • Um braço e uma perna: ele foi dilacerado membro por membro pelas Maenads ou por mulheres trácias genéricas, dependendo do que se contasse.
              • Final feliz tardio: Em algumas versões de seu mito, o espírito de Orfeu passou para o submundo depois que sua cabeça foi enterrada em Lesbos, onde ele finalmente se reuniu com Eurídice.
              • Síndrome de Chuck Cunningham: Sua aventura Argonauta o deixou apaixonado pelo filho do espírito do vento Bóreas chamado Calais, mas o que aconteceu com Calais ou como seu relacionamento terminou é desconhecido. Uma tradição diz que Orfeu foi feito em pedaços enquanto pensava em Calais, ignorando tudo ao seu redor.
              • Determinador: nada no submundo o impede de defender a vida de Eurídice de volta, nem Cerberus, Caronte ou o próprio Hades.
              • Retribuição desproporcional: Na ponta receptora: As Maenads, seguidoras Ax-Crazy de Dionísio, o despedaçaram por não cantar canções alegres e / ou ignorá-las em favor dos rapazes.
              • Conduzido ao suicídio: uma versão do mito diz que ele se matou de tristeza por perder Eurídice.
              • Destino pior que a morte: Hades o avisou que Orfeu nunca mais se encontraria com Eurídice se ele falhasse no julgamento. Algumas mensagens dizem que ele não estava morto nem mesmo depois da vivissecção, sua cabeça ainda cantando canções tristes. Isso até que os habitantes da Ilha de Lesbos enterraram sua cabeça e construíram um santuário em sua homenagem.
              • BSoD Heroico: Tem um desde a morte de Eurydice ele se recuperou por um tempo, mas perdê-la pela segunda vez o colocou no horizonte de eventos de Desespero.
              • Música mágica: Sua música e canto podem encantar pássaros, peixes e feras, incitar árvores e pedras a dançar, e até mesmo desviar o curso dos rios. Sua canção até bateu o canto das sereias, alguns textos até dizem que as sereias se suicidaram depois. Então ele acalmou Cérbero, fez Caronte deixá-lo cavalgar de graça e fez Hades derramar Lágrimas Manly.
              • Passado de múltipla escolha: ou ele é mortal, filho de uma musa, filho de Apolo ou filho do rei da Trácia.
              • Cara sem ação: Ele não é lembrado por matar monstros ou guerreiros, mas por sua bela música que fez até Hades derramar lágrimas.
              • Rescued from the Underworld: O ex-Trope Namer e a história mais famosa que o envolve.
              • Jogue um Osso para o Cachorro: Quase todas as versões de seu mito têm um final deprimente em que ele se vira muito cedo e perde Eurídice. No Gluck's Orfeo ed Euridice ópera, depois que Orfeu se transforma, Cupido a traz de volta à vida em homenagem ao amor eterno deles e eles partem felizes.
              • Lâmina Afiada Absurdamente: O que Perseu usa para matar Medusa.
              • Assassinato acidental: Ele acidentalmente matou seu próprio avô em uma competição de atletismo quando o velho entrou no caminho de seu disco.
              • Berserk Button: Não tente nada com sua mãe, apenas & # 133 & # 146t.
              • Cuidado com os Bonzinhos: embora ele seja uma das figuras mais convencionalmente heróicas (pelos padrões modernos) da mitologia grega, irritá-lo é muito imprudente.Basta olhar para os vários incidentes em que ele transformou grupos de inimigos em galerias de estátuas.
              • Big Damn Heroes: Ele puxa isso duas vezes. A primeira vez é a salvação de sua futura esposa e amante, Andrômeda, do Cetus (monstro marinho) ao qual ela seria sacrificada. A segunda foi para sua amada mãe, já que ele consegue chegar bem a tempo de impedir o casamento dela com o rei Polidectes e, furioso, usa a cabeça de Medusa contra ele.
              • Chamando o velho para fora: Alguns mitos dizem que ele fez isso com os pais de Andrômeda e # 146 por suas ações, especialmente com a mãe dela. Subvertido com seu avô Acrísio: na maior parte dos mitos, Perseu matá-lo é um acidente genuíno.
              • O Escolhido: Os próprios Deuses o escolheram para matar Medusa, e os profetas o colocaram nesse caminho vendo outro aspecto de seu futuro e contando o que viram.
              • Pragmático de combate: Quando ele tem que matar alguém ou algo, ele está perfeitamente bem em usar uma tática dissimulada. Ele matou Medusa decapitando-a durante o sono e usou sua cabeça para petrificar grupos de inimigos em pelo menos duas ocasiões.
              • Good Is Not Soft: Um dos melhores heróis da mitologia grega, mas capaz de uma crueldade surpreendente.
              • Avô horrível: seu avô trancou ele e sua mãe e os mandou para o mar por causa de uma profecia de que ele o mataria. Ao contrário da maioria dos exemplos desse tipo de profecia, ele mata seu avô por acidente, em vez de se vingar dele por isso.
              • Guile Hero: Às vezes visto assim, quando ele superou os dois maiores desafios em sua viagem para matar Medusa, sua introdução às Graeae e a morte da própria Medusa, com raciocínio rápido e planejamento bastante engenhoso. Também pode ser considerado um Genius Bruiser. Em um relato, Atena guiou sua mão para matar Medusa.
              • Felizmente adotada: depois de engravidar, a mãe de Perseu, Danae, foi deixada à deriva no mar em um grande baú. Quando ela apareceu na praia, foi encontrada pelo gentil pescador Díctis, que a trouxe para sua casa e serviu efetivamente como pai adotivo de Perseu. Perseu mais tarde pagou de volta dando-lhe o trono de Polidectes depois que o bastardo foi transformado em pedra (para não mencionar, Polycdetes era irmão de Díctis e o expulsou da corte), e o fez se casar com Danae.
              • Felizmente casado: Perseu e Andrômeda têm esse, um dos poucos e mais memoráveis ​​da mitologia grega.
              • Bastardo Heroico: Um dos muitos, muitos, muitos filhos de Zeus.
              • Herói ideal: ele é um dos poucos heróis da mitologia grega que atende ao padrão moderno desse tropo.
              • Tarefa impossível: Rei Polidectes enviando Perseu para trazer-lhe a cabeça da Medusa.
              • Foi um presente: a outra interpretação é que, em vez de sua inteligência, foram os presentes que vários deuses lhe deram que possibilitaram que ele matasse Medusa. Talvez tenha sido uma combinação dos dois.
              • Felizmente, Meu escudo vai me proteger: Perseu usando seu escudo como espelho para matar Medusa sem ter que olhar para ela é um exemplo clássico da mitologia grega.
              • Garoto da mamãe: Uma versão incrivelmente foda de um. Para não mencionar uma simpática: Danae era uma mãe muito doce para ele, então Perseus obviamente a ama muito e daria sua vida por ela.
              • Cara legal: de longe um dos personagens mais heróicos da mitologia grega pelos padrões modernos, ele é um filho ferozmente devotado e protetor de sua mãe e de seu pai adotivo, um marido amoroso e totalmente fiel a Andrômeda, um bom pai para seus filhos, e um governante justo e justo de Micenas.
              • Nosso fundador: o primeiro herói semideus e o fundador mítico de Micenas, dando início à era micênica da Grécia Antiga.
              • Momento fora do personagem: em uma versão de seu mito, ele joga o olho de Graeae em um rio sem razão aparente, o que vai contra seu retrato normal de Cara Bonzinho.
              • Príncipe Encantado: Um exemplo muito direto, especialmente para a mitologia clássica. Ele até salva uma princesa, e ele é tecnicamente um príncipe por parte de mãe.
              • Rescue Romance: With Andromeda.
              • Profecia autorrealizável: sua morte de Acrísios. Então o vovô mandou o bebê e Danae embora para salvar sua própria pele e evitar ser assassinado por um descendente? Anos depois, Perseus o mata por completo acidente & mdash ele estava praticando com o disco para competições esportivas de uma cidade próxima sem saber que Acrísio estava visitando, seu arremesso mudou, Acrísio foi atingido na cabeça & # 133
              • Ajuda sobrenatural: Os próprios deuses estão do lado dele, especialmente Atenas. Embora eles não possam ajudá-lo diretamente, eles podem lhe dar conselhos e tudo o que ele precisa.
              • Tomado para Granito: Com a cabeça de Medusa & # 146, ele faz isso com o monstro marinho Cetus (salvando Andrômeda), Phineas (salvando a si mesmo) e Polidectes (salvando sua mãe). Em uma versão alternativa, ele acidentalmente o usa em Acrisius, que por acaso estava visitando Polydectes.
              • Admirador Abominável: Para a Galateia.
              • Fera e Bela: A Fera para a beleza da Galateia.
              • Big Ol 'Unibrow: Como ele era um gigante de um olho só, ele tinha um destes por padrão. É claro que a mídia geralmente retrata como bastante ampla.
              • Tapete da Virilidade: Foi consistentemente descrito como desgrenhado. "As árvores sem folhas são feias, e um cavalo também é feio sem uma juba para cobrir o pescoço de azeda. As penas revestem os pássaros e a lã enfeita as ovelhas: portanto, barba e cerdas tornam-se melhor um homem."
              • Profundidades ocultas: Apesar de seu exterior bruto e bárbaro, ele era bastante musical. Ele era habilidoso com o kithara e as flautas de pã e, de acordo com uma história, ele até ensinou Galateia a cantar.
              • Eye Scream: Odysseus arranca o olho dele.
              • I Know Your True Name: Averted no início, já que Odysseus se autodenominava "Ninguém", mas o cara simplesmente não conseguia manter a boca fechada.
              • Para servir o homem: Mordida quatro dos homens de Odisseu, dois de cada vez. Claro, ele não é humano.
              • Muito idiota para viver: Esta troca resume tudo:
              • Caim e Abel: Eles discutiram sobre em qual colina construir sua cidade que se tornaria Roma. Eles tentaram resolver o problema observando os presságios dos pássaros (que Romulus ganha por dizer que viu doze pássaros contra seis de Remus), mas a discussão continuou e viu Remus ser morto por seu irmão ou por um de seus seguidores. Além disso, diz-se que a história deles antecedeu a de Caim e Abel em pelo menos três séculos.
              • Divine Parentage: Eles são os filhos de Marte, resultado do sincretismo entre Ares e uma divindade agrícola etrusca.
              • Fundador do Reino: Rômulo é considerado o fundador da cidade de Roma.
              • Criado por Lobos: Ou isso ou uma prostituta é a mesma palavra em latim.
              • Exes Amigáveis: Curiosamente, algumas fontes afirmam que depois de sua deificação, ela e Zeus permaneceram em bons termos, apesar de não buscarem mais um relacionamento.
              • De volta dos mortos: Graças a seu filho, ela foi trazida de volta e se tornou imortal.
              • Brown Nota: Sua morte por ver a verdadeira forma de Zeus, que era muito poderosa para ela compreender.
              • Morte por parto: uma variante estranha & mdashshe não morre dando nascimento de Dionísio, ela morre grávida dele quando Zeus acidentalmente a vaporiza e Dioniso é recuperado de seus restos mortais.
              • Festeira que bebe muito: de acordo com alguns mitos, Semele se torna a Deusa do Frenesi Báquico pós-deificação.
              • Rapto é amor: Teseu tinha o péssimo hábito de sequestrar mulheres contra a vontade delas ou de seus maridos.
              • Heroísmo adaptativo: dado que ele foi o rei fundador de Atenas, não é surpresa que muitas das versões atenienses de mitos envolvendo Teseu tendam a tentar explicar ou justificar suas ações menos nobres, incluindo o envelhecimento de Helena de Tróia a um adulto quando ele sequestra-a e afirma que Dioniso o forçou a abandonar Ariadne para que ele pudesse tê-la só para ele.
              • Todas as Amazonas Querem Hércules: Casou-se com a rainha das Amazonas, Hipólita.
              • Caim e Abel: Muitos dos assassinos em série que Teseu matou no caminho para Atenas eram seus meio-irmãos por intermédio de Poseidon ou parentes dele.
              • Rosnado de Continuidade: Como heróis muito populares, Teseu, Hércules e Jasão são comumente incluídos nas histórias uns dos outros de maneiras que realmente não criam uma linha do tempo limpa.
                • Teseu às vezes é listado como um dos Argonautas de Jasão, o que não combina com o entendimento comum de que Medéia (a ex-esposa feiticeira de Jasão) já estava consorciada com o rei Egeu quando Teseu chegou pela primeira vez a Atenas. A carreira heróica de Teseu começa com sua jornada a Atenas e, portanto, teria que vir antes que ele pudesse se juntar ao Argo, mas a presença de Medéia em Atenas indica que a viagem do Argo já havia terminado há muito tempo.
                • Vários dos famosos trabalhos de Hércules influenciaram as aventuras de Teseu. Hércules capturou o Touro de Creta, que em muitas narrativas passa a se tornar o mesmo Touro Maratônio que Teseu captura e / ou mata Androgeu, filho do Rei Minos (cuja morte leva ao sacrifício de crianças atenienses ao Minotauro). Hércules também resgata Teseu do submundo durante sua tarefa final. Infelizmente, os famosos trabalhos de Hércules são geralmente considerados como tendo sido realizados ao longo de dez anos, que é um cronograma mais apertado do que as aventuras de Teseu tendem a permitir. (Hércules também é comumente citado como se aventurando com os Argonautas durante seus trabalhos, então o intervalo de tempo entre a viagem de Argo e a chegada de Medéia em Atenas também confunde as coisas).
                • Costuma-se dizer que Teseu confrontou o Minotauro durante o terceiro sacrifício de crianças atenienses para Creta, que ocorria a cada sete ou nove anos, então Andrógeu morreu pelo menos quatorze anos antes dessa luta. Se Androgeu morreu para o touro cretense / maratônio depois que Hércules o trouxe de Creta, o encontro de Teseu com o Minotauro não acontecerá até bem depois que os trabalhos de Hércules terminarem, o que não se encaixa no entendimento comum de que a morte do O minotauro acontece mais ou menos logo após a chegada triunfante de Teseu a Atenas. Em algumas versões, Androgeu é morto pelo Touro Maratônio após Teseu capturá-lo e trazê-lo para Atenas.
                • O rapto de Helena por Teseu, especialmente nas versões em que ela é uma criança pequena, é difícil de combinar com os detalhes de seu nascimento e irmãos, os gêmeos Castor e Pólux, que eram famosos membros dos Argonautas. Nas versões em que Helen é semelhante em idade aos meninos (na verdade, às vezes é dito que ela nasceu do mesmo ovo), que eram adultos quando navegaram com os argonautas, então ela provavelmente não era uma garotinha quando Teseu a sequestrou.
                • Ele e seu amigo Pirithous uma vez juraram ajudar um ao outro a conseguir novas esposas. Teseu queria Helen, mas Pirithous decidiu abduzir Perspheone, esposa de Hades. Este foi não uma boa ideia, e Teseu sabia disso, mas não podia quebrar seu juramento. Assim, o tropo é subvertido para Teseu, mas jogado completamente direto com Pirithous. Teseu foi finalmente libertado do submundo por Hércules, mas Pirithous não teve tanta sorte.
                • No caminho de Teseu de volta de Creta para Atenas, ele passou por vários momentos idiotas. Por exemplo, ele conseguiu deixar Ariadne, a mulher que o ajudou a sair do labirinto, dando-lhe um fio para amarrar na entrada, em uma ilha. Ele simplesmente se levantou e partiu sem ela. Mais tarde na mesma viagem, ele se esqueceu de trocar as velas de seu navio - ele partiu com velas pretas e prometeu trocá-las por brancas se voltasse vitorioso. Vendo o navio com velas negras entrar no porto, seu pai Aegeus foi dominado pela tristeza e se jogou no mar (agora chamado de 'Egeu'). Justificado em alguma versão, ele não apenas abandonou Ariadne, mas foi forçado a deixá-la por Dioniso para que ele pudesse seduzi-la. E como não se recuperou da dor, esqueceu-se completamente das velas brancas até que seja tarde demais.
                • E eu devo gritar: como Prometeu, ele passa a eternidade tendo seu fígado comido por pássaros.
                • Vítima idiota: seu castigo parece severo até que você aprenda o que ele fez para merecê-lo.
                • Tentativa de Estupro: Às vezes, a mando de Hera, ele tentou estuprar Leto. Felizmente, Artemis e Apollo o mataram antes que ele pudesse.
                • Foil: Sofreu praticamente a mesma punição que Prometeu. Ao contrário de Prometeu, que foi punido por um ato de bondade e finalmente libertado, Tityos era verdadeiramente culpado de um ato cruel e hediondo e punido de acordo.
                • Idiota: Sim, tentar forçar uma mulher enquanto ela está a caminho de encontrar seu filho é uma espécie de movimento idiota.
                • Nossos gigantes são maiores: ele é um gigante.
                • Too Dumb to Live: tentou estuprar Leto. enquanto ela se aproximava do templo de seu filho.

                Hércules era um super-herói africano antes de se tornar um deus grego?

                Este tópico está marcado como "inativo" & mdasha última mensagem tem mais de 90 dias. Você pode revivê-lo postando uma resposta.

                1quicksiva

                Em uma das muitas notas de rodapé de Atena Negra, Martin Bernal menciona os retratos nada lisonjeiros de egípcios na hidra de Caeretan (c.510 aC) ilustrando a lenda de Bousiris (Boardman, 1964, prancha II e p. 149). Ele prosseguiu dizendo que “Embora Boardman (1964) e Snowden (1970), tenham apontado que Bousiris tem atendentes negros e que o próprio Bousiris foi retratado como um em outro vaso, nenhum deles menciona o fato de que o 'herói grego Hércules' é retratado como um negro africano de cabelo encaracolado! . Martin Bernal. Black Athena. Vol. I. pp.477.

                Em Black Athena Revisited, (1996), Mary R., Lefkowitz e Guy MacLean Rogers eds. Um estudioso discordou da declaração de Bernal.

                “Ele (Bernal) está implicando claramente que Boardman e Snowden foram influenciados voluntariamente ou não pelo Modelo Ariano (racista). Tal acusação nunca deve ser feita especialmente por alguém que não tenha experiência no assunto em consideração. Mas, como de costume, Bernal não tem escrúpulos em taxar aqueles que ele considera estudiosos do sistema com predisposições inadvertidas, se não deliberadas.

                “Sua crítica (de Bernal) a Boardman e Snowden é, na verdade, totalmente equivocada. Na verdade, talvez devido às suas próprias preocupações ideológicas, ele deturpou seriamente a imagem de Hércules no Vaso Bursiris de Viena ”,
                O estudioso explica que a cor escura de Hércules se deve à tinta lascada. Assim, “Qualquer semelhança entre o penteado de Hércules e os cinco guarda-costas não implica necessariamente que Hércules seja um negro africano.”

                Embora o crítico de Bernal mencione outro vaso com um retrato semelhante, isso é descartado como 'uma certa peculiaridade sendo evidente na obra do pintor (como na coloração caprichosa de Hércules). ”
                Depois desse ataque, o escritor presunçosamente proclamou: "Espero que não mais ouviremos falar dos Busiris Hércules de Viena nos volumes subsequentes da Atena Negra de Bernal". p389. Black Athena Revisited (1996).

                Benjamin Isaac e o pessoal de Princeton devem ter sabido que estavam entrando na briga, quando colocaram um detalhe colorido do Vienna Busiris na capa de The Invention of Racism in Classical Antiquity (2004). O vaso inteiro, retratado na página 251, é descrito da seguinte forma:

                FIGURA I. Hidria em figura negra de Caerctan. Grego arcaico tardio, c. 510 a.C. Museu Kunthistorisches de Viena. ANSA IV 3576. Desenho: A. Furtwangler und K. Reichhold, Griechische ilstmmllinei Auswahl hervorragender Vasennbilder (Munchen, 1904), PI. 51

                "Busiris era um rei lendário no Delta que, de acordo com uma tradição grega, habitualmente massacrava estrangeiros que entravam em seu país e os sacrificava a Zeus, até que ele tentou em vão fazer isso a Herac! Es. O vaso mostra Hércules destruindo Busiris e seus sacerdotes . Vários detalhes referem-se aos costumes e roupas do Egito com notável precisão. Hércules está furioso perto do altar, arremessando dois egípcios e pisando em outros dois. Um grupo de núbios negros apressa-se em ajudar o rei, mostrado no parte de trás do vaso. Eles têm o equipamento usual de guardas egípcios. Os capangas de Busiris costumam ser retratados em preto nessas imagens. Alguns dos sacerdotes são pretos e o próprio Hércules é escuro. Os vasos gregos nem sempre fazem um esforço para tornar a cor da pele de forma realista . O próprio Busiris, identificado pelo uraeus, o símbolo real do Baixo Egito, caiu em frente ao altar. A hidria lembra intencionalmente imagens egípcias familiares de um enorme faraó golpeando seu pequeno inimigos estrangeiros. Portanto, é uma caricatura da arte formal egípcia expressando a superioridade do governante sobre os estrangeiros, substituindo o herói grego que destrói os egípcios impotentes e termina com seu costume sacrílego de sacrificar estranhos. "
                Isaac, Benjamin. The Invention of Racism in Classical Antiquity. (2006) Princeton University Press. Fig.I. seguinte página 251.
                Cf. Margaret C. Miller, "O Mito de Bousiris: Etnia e Arte", em Beth Cohen (cd.). Não o ideal clássico: Atenas e a construção do outro na arte grega (Brill. 2000). 414-442, fig. 16.1. p. 417r.

                2Nicole_VanK

                O que acho intrigante é a ideia de que um pintor de vasos de 510 aC saberia alguma coisa sobre quem ou o que Herakles realmente era. Seguindo o que dizem os mitos, o Hércules histórico (se houver) teria vivido séculos antes de seu tempo.

                Claro que isso não significa que não pode ter havido um tradição que ele era africano. Eu não estou ciente de um, porém.

                Pequeno detalhe: Não existe tal coisa como a Hidra de Caeretan - existem várias (não muitas, mas ainda assim).

                editado para corrigir o HTML defeituoso

                3theoria

                4quicksiva

                5Garp83

                6espifania

                Eu acharia difícil acreditar que a aparência ("características raciais" se preferir) não era de alguma forma socialmente significativa na sociedade antiga, embora eu também suspeite que é enganoso equipará-la às concepções modernas de raça.

                O "romance etíope" de Heliodorus é posterior, mas interessante neste contexto. A cor / etnia da pele é definitivamente tematizada - a palidez da pele da protagonista feminina é um elemento-chave da trama. No entanto, o tratamento desse tema sugere atitudes muito diferentes das que temos hoje.

                7Garp83

                8Feicht

                9karhne

                10Garp83

                # 8 bom argumento e # 9 obrigado por preencher os espaços em branco.

                O que quero dizer com os egípcios é que eles são o raro exemplo antigo de distinguir pessoas com base na cor da pele, mas não há evidências de que seja depreciativo, por assim dizer, ou - no caso das caracterizações egípcias marrom-avermelhadas de si mesmos - mesmo preciso.

                11quicksiva

                # 8 e # 9
                Quero dizer, o exemplo mais popular que posso pensar é a cerâmica de figuras negras do ático, onde as figuras retratadas são, sem dúvida, gregos e seus deuses, e ainda assim são todas retratadas como de pele "negra", enquanto as mulheres são retratadas como brancas.
                ============

                Não sou historiador de arte nem crítico, mas não vejo vestígios de figuras negras áticas ou cerâmicas de figuras vermelhas nos vasos detalhados na capa de A invenção do racismo na antiguidade clássica. A obra de arte parece mais egípcia do que grega. Claro, o pessoal da Princeton University Press pode ter se apaixonado pelos escritos “afro-centrados” de Bernal. Minha sugestão é examinar a capa e perguntar a si mesmo se Bernal ou as outras fontes citadas em minha postagem a descreveram com mais precisão.

                12Nicole_VanK

                A "hidria de Caeretan" realmente não se encaixa no esquema figura negra / figura vermelha.Eles foram feitos por oleiros gregos na Itália, para clientes etruscos e usando uma argila italiana que queima de forma diferente.

                A obra de arte é Grego - de certa forma - mas neste caso reflete o fato de que a cena se passa no Egito. Os gregos daquela época não desconheciam como os egípcios de sua época se vestiam e coisas assim. A imagem na capa do livro não é fotográfica, mas é uma representação bastante precisa daquela pintura de vaso em particular.

                13Cynara

                Apenas uma observação: na arte egípcia, os homens geralmente são marrom-avermelhados e as mulheres geralmente são amarelas ou rosa pálido (veja Ani & amp Sra. Ani aqui: http://www.agelessartifice.com/egypt.html).

                Isso geralmente é considerado um reflexo do bronzeado de um homem másculo devido ao trabalho ao ar livre, em contraste com a palidez de uma mãe devido ao cuidado de crianças em ambientes fechados - ambos totalmente convencionais, é claro.

                Eles tinham convenções sobre a cor da pele e o penteado para representações de pessoas de terras estrangeiras, mas agora estou me perguntando - o quadro de um homem núbio assimilado seria pintado em preto ou marrom-avermelhado? Eu não ficaria surpreso em ver exemplos de ambos no álbum. Eu sei que há material por aí, só não me lembro o suficiente para ser dogmático.

                14Nicole_VanK

                15Garp83

                16quicksiva

                # 2
                O que acho intrigante é a ideia de que um pintor de vasos de 510 aC saberia alguma coisa sobre quem ou o que Hércules realmente foi. Seguindo o que dizem os mitos, o Hércules histórico (se houver) teria vivido séculos antes de seu tempo.

                Claro que isso não significa que não pode haver uma tradição de que ele era africano. Eu não estou ciente de um, porém.

                Segundo Homero, Hércules parece ter vindo do Alto Egito.
                “Eu canto de Hércules, filho de Zeus, de longe o maior dos grandes homens da terra (aristos epichthonion), aquele que nasceu de Alcmena em Tebas dos esplêndidos coros, após sua união com o filho de Cronos, homem das trevas nuvens".

                Na Ilíada, Livro 9 (c. Século VIII aC), Homero fala de ". Na Tebas egípcia brilham pilhas de lingotes preciosos. Tebas de cem portas".
                Citado em Bonnefoy, Yves. (1991). Mitologias: Dictionnaire des mythologies et des religions des societes traditionalnelles et du monde antique. Vol. EU.

                17Nicole_VanK

                18 PatrickMueller

                19 Garp83

                20Nicole_VanK

                Você está certo, é claro. Mas, uma vez que estamos falando sobre uma possível tradição grega, usar o nome grego não representa um problema.

                Mas eu verifiquei a Ilíada - em uma tradução online pobre (onde eu arquivei minha cópia?) - e naquela passagem do livro 9 não vejo nenhuma conexão com Hércules.

                21 Garp83

                22Nicole_VanK

                23setnahkt

                24quicksiva

                25Nicole_VanK

                Aguentar. Luxor (ou Tebas egípcia) não está nem perto da esfinge (Gizé). E tumbas quase piramidais existem em todo o mundo - assim como elementos que podem ser interpretados como "associados ao sol".

                E - além do fato de que os egípcios não gostavam de estar no exterior - durante o primeiro período intermediário, os egípcios dificilmente estavam em posição de construir qualquer presença substancial no exterior. Os governantes da 11ª dinastia já tiveram muita dificuldade em assumir o controle em casa.

                Então, qual é a "considerável literatura clássica conectando a região ao Egito"? E isso não teria sido escrito séculos depois do "fato"?

                Não me entenda mal. Não estou dizendo que não houve contatos entre a Grécia e o Egito. Havia. Mas os gregos posteriores muitas vezes mostraram uma confusão notável sobre outras etnias - ligando os medos a medeia, por exemplo.

                26Cynara

                27quicksiva

                28Nicole_VanK

                29Nicole_VanK

                Mas, não me entenda mal. Não estou tentando negar a influência africana. O Egito, especialmente na fase inicial e / ou pré-dinástica, era muito africano. E toda a civilização "ocidental" deve muito ao Egito.

                Mas ainda mais do que isso. Em última análise, estamos todos "fora da África", apenas os ancestrais de alguns de nós parecem ter partido algumas centenas de milhares de anos antes de outros. Grande negócio!

                30Garp83

                31quicksiva

                32Nicole_VanK

                & gt 30: Sim, na verdade, a partir das citações, estou começando a colocar isso na categoria de James Churchward e Erich von Daniken.

                Mas isso ainda não nega o elemento africano na cultura egípcia, ou a influência egípcia na Grécia.

                33quicksiva

                34 Garp83

                Tomkins é muito divertido, mas não existe uma civilização secreta superinteligente perdida no Egito que construiu pirâmides místicas com elementos sobrenaturais. Desculpa.

                Certamente há um elemento africano na cultura egípcia - o Egito está, obviamente, na África. O Egito teve influências na Grécia, mas a maioria das influências egípcias que os antigos gregos creditaram (como em Heródoto) parecem ser imaginárias. A idade das trevas na Grécia parece ter apagado a maioria das memórias de seu passado da Idade do Bronze, mas eles eram povos indo-europeus que não tinham nenhuma relação antiga com os egípcios, mesmo que pensassem que poderiam ter.

                PS Aqui está um trecho de uma dessas "ótimas" resenhas do livro de Tomkins: "O livro de Peter Tompkins, Os segredos da grande pirâmide deve ser o primeiro livro a ser lido por todos quando rejeitam as conclusões ortodoxas da comunidade arqueológica."

                Desculpe, eu aceito, na maior parte, as conclusões ortodoxas da comunidade arqueológica. Período.

                35quicksiva

                36quicksiva

                #25
                Então, qual é a "considerável literatura clássica conectando a região ao Egito"? E isso não teria sido escrito séculos depois do "fato"?
                =======

                ÉSQUILO de Atenas (524-455 a.C.) escreveu Prometheus Bound, onde Prometeu profetiza as futuras perambulações de Io pela Europa, Ásia e África. Ele também diz a ela que ela finalmente encontrará descanso e será transformada em uma mulher no Egito, e que um descendente dela (Hércules) o libertará. Meyer Reinhold. Essentials of Greek and Roman Classics. Barron's. pp.66-67.

                Além de Herodotos 11.156. "escritores nos tempos helenísticos e romanos como Teofrastos, Peri phyton historias I V., 10.1 I V.59 Peri phyton aition 11.12-4 Plínio, História Natural 11,95 e XIX. 1.2.2 e Plutarco, Sulla 20.35. frequentemente traçaram paralelos entre os margens do Nilo e as do Kopais. Eles viram semelhanças entre as ilhas flutuantes, as plantas aquáticas, as tamareiras e a manufatura de linho nas duas regiões. ' Em 1824, esse acúmulo de evidências levou Karl Otfried Muller a admitir brevemente que a ideia de uma migração de um povo agrícola ou de conquista egípcia 'pareceria infundada'. " Martin Bernal, Black Athena, vol. II. pp. 78-9.

                37Nicole_VanK

                Claro, alguns autores "clássicos" também escreveram sobre o Egito - sem dúvida. Mas sua fonte (no # 24) parecia afirmar que haveria "considerável literatura clássica" conectando o Egito à Boiotia (ou ao Lago Kopais em particular). Não estou ciente de nada parecido.

                Não estou pedindo a você que o faça, mas em relação ao Sr. Bernal eu diria: prove, ou pelo menos substancie as afirmações. Tenho a impressão de que ele poderia muito bem ter afirmado que os extraterrestres estavam na raiz de tudo isso.

                38Garp83

                Não existe nenhum. Os gregos eram originalmente indo-europeus do Cáucaso, que parecem ter suplantado as populações nativas a quem chamavam de pelágios. Eles aparecem no registro histórico como os gregos micênicos que, muito mais tarde, provavelmente fizeram guerra com Tróia na Ásia Menor por volta de 1250-1150 aC. Eles conquistaram e suplantaram os minoanos em Creta, por volta de 1450 AEC, que eram de origem desconhecida, mas provavelmente tinham uma relação comercial significativa com o Egito.

                O colapso da Idade do Bronze teve um impacto severo sobre a Grécia e Creta, que caiu em uma longa idade das trevas que parece ter incluído uma perda de alfabetização. Livres dos fardos do passado, os gregos emergiram na Idade Arcaica com uma cultura totalmente nova e - exceto para os épicos homéricos - com pouco conhecimento de seu passado. Eles acreditavam que os Ciclopes deviam ter construído as paredes maciças de Micenas e Pilos, que na verdade foram construídas por seus ancestrais micênicos. Heródoto infere que eles devem ter aprendido muito com o Egito, mas não há evidência histórica para isso. Os gregos viajaram muito pelo Mediterrâneo e tiveram influências culturais de costa a costa. Alguns aspectos da vida egípcia podem ter feito parte disso, mas certamente nada de significativo. Se você estudar os gregos e os egípcios desse período, eles não têm quase nada em comum culturalmente, religiosamente, politicamente. A tese de "Black Athena" é tão historicamente sustentável quanto a hipótese do antigo astronauta de Erik Van Danikan, talvez nem tanto.

                39quicksiva

                40quicksiva

                41Cynara

                Estou familiarizado com aquelas imagens de Horakhte estrangulando animais venenosos - não apenas cobras, mas escorpiões, leões e, por algum motivo, um animal semelhante a íbex. A imagem está cercada por orações contra picada de cobra, etc., e acredito que o último exemplo registrado é bizentino e tem Cristo no lugar do filho Hórus.

                Não conheço um mito correspondente, como aquele sobre Hércules ser uma criança e matar cobras.

                Parece-me possível que Hórus esteja lá por causa dos poderes de cura de Ísis, exibidos quando ela substituiu seu olho após o confronto com Set. O olho de Hórus foi talvez o símbolo mais associado à saúde e integridade. Lembro-me de um egiptólogo meu conhecido me dizendo que os egípcios mergulhavam esses ícones na água e usavam o líquido para afastar ou curar picadas.

                42Garp83

                43quicksiva

                # 37 Não estou pedindo que você faça isso, mas em relação ao Sr. Bernal eu diria: prove, ou pelo menos substancie as alegações. Tenho a impressão de que ele poderia muito bem ter afirmado que os extraterrestres estavam na raiz de tudo isso.

                # 38 A tese de "Black Athena" é tão historicamente sustentável quanto a hipótese do Antigo Astronauta de Erik Van Danikan, talvez nem tanto
                ============

                Black Athena ganhou o American Book Award e o Socialist Review Book Award. "Black Athena deve ser o livro mais discutido sobre a história antiga do mundo mediterrâneo oriental desde a Bíblia." MARIO LIVERANI, em Black Athena Revisited. Além de ser neto de Alan Gardiner, bernalmartin :: Martin Bernal é Professor Emérito de Governo e Perto Estudos Orientais na Universidade de Cornell. Os primeiros dois volumes de Atena Negra: As Raízes Afroasiaticas da Civilização Clássica ("I: A Fabricação da Grécia Antiga, 1785-1985" e "II: As Evidências Arqueológicas e Documentárias '") foram traduzidos para Árabe, francês, alemão, italiano, japonês, coreano, espanhol e sueco. Acho que ninguém teve coragem de traduzir para o grego.

                44Nicole_VanK

                Não vou pesquisar esse cara extensivamente. Mas copie / cole da Wikipedia: "Martin Gardiner Bernal (nascido em 1937) é Professor Emérito de Governo e Estudos do Oriente Próximo na Universidade Cornell. Ele é um estudioso da história política chinesa moderna.

                Ganhar prêmios, falar sobre isso e ser traduzido não são marcas de qualidade - infelizmente. Erich von Däniken (similar copiar / colar) "26 livros foram traduzidos para mais de 20 idiomas, vendendo mais de 60 milhões de cópias em todo o mundo, e seus documentários na TV foram vistos em todo o mundo."

                Ok, então quão impressionado o Sr. Bernal ficaria se escrevêssemos um livro afirmando que Mao Ze Dong pode ter sido um extraterrestre?

                45quicksiva

                #38
                O colapso da Idade do Bronze teve um impacto severo sobre a Grécia e Creta, que caiu em uma longa idade das trevas que parece ter incluído uma perda de alfabetização. Livres dos fardos do passado, os gregos emergiram na Idade Arcaica com uma cultura totalmente nova e - exceto para os épicos homéricos - com pouco conhecimento de seu passado. Eles acreditavam que os Ciclopes deviam ter construído as paredes maciças de Micenas e Pilos, que na verdade foram construídas por seus ancestrais micênicos. Heródoto infere que eles devem ter aprendido muito com o Egito, mas não há evidência histórica para isso. Os gregos viajaram muito pelo Mediterrâneo e tiveram influências culturais de costa a costa. Alguns aspectos da vida egípcia podem ter feito parte disso, mas certamente nada de significativo. Se você estudar os gregos e os egípcios desse período, eles não têm quase nada em comum culturalmente, religiosamente, politicamente. A tese de "Black Athena" é tão historicamente sustentável quanto a hipótese do antigo astronauta de Erik Van Danikan, talvez nem tanto ...
                =========

                Em Resurrection d'Homere. Au temps des heros., Victor Berard demonstrou que Homero, longe de ter criado ex nihilo, confiava fortemente em modelos, particularmente egípcios. ' Sabemos que oitocentos anos antes de Homero, na XVII dinastia, e mesmo antes disso, o Egito já havia inventado a arte da poesia. Foi também durante o "período negro" da história grega, ao qual Homero pertence, que o uso do ferro se espalhou pelo norte do Mediterrâneo, provavelmente de Napata, dessa mesma dinastia sudanesa que então conquistou o Egito e fez renascer o Civilização egípcia, coincidindo com o desenvolvimento de uma nova forma de língua e escrita egípcia conhecida como demótica. A piedade desses faraós sudaneses corresponde em todos os aspectos ao testemunho de Homero na Ilíada ”Civilização ou barbárie: uma antropologia autêntica. Cheikh Anta Diop (1981)

                46Cynara

                Essa seria a primeira fonte que ouvi sobre a propagação do ferro no Egito a partir do sul - reconheço que não sou nenhum especialista, mas pensei que viesse do comércio do Mediterrâneo ou das cidades-estado do Levante. Que eu saiba, o ferro nunca foi comum no Egito faraônico e geralmente aparece em contextos muito elitistas - a única adaga de ferro elaboradamente decorada no equipamento funerário de Tutankhamon, por exemplo.

                Eu concordaria que a cultura egípcia era periodicamente renovada pelo contato (ou conquista) com as culturas do sul, embora eu gostaria de observar que os egípcios pensavam menos em termos de cor de pele e mais em geografia, cultura e idioma. Certa vez, escrevi um trabalho de conclusão de curso, no qual argumentei que os egípcios tinham uma atitude única em relação à "Núbia" e, em alguns períodos, pensavam nela como parte do Egito.

                Porém, tudo isso fica a alguma distância de Hércules, originário do Sudão. Não conheço a obra de Berard, embora conheça um pouco da literatura de Homero e do Egito. Você se importaria de discutir isso mais detalhadamente? É fácil especular sobre poesia e piedade, mas isso está em todos os lugares do mundo desde o início.

                47quicksiva

                48Garp83

                49quicksiva

                50Garp83

                51quicksiva

                52HectorSwell

                Obrigado, quicksiva, por trazer algumas fontes fascinantes. Eu rio sempre que ouço falar de “fatos” da História Antiga. Vou aceitar conjecturas, especulações e pensamento criativo a qualquer dia.

                Tenho a impressão de que as migrações, conquistas e o comércio estimularam a difusão da cultura em todas as suas formas por todo o Mediterrâneo oriental e na Ásia ocidental, séculos antes dos gregos clássicos e séculos depois. Como não poderia haver ligações entre o Egito e a Grécia? E desde quando é Indo-europeu mais do que um rótulo pegajoso difuso para todos os merda coisas que não podem ser explicadas porque aconteceram há muito tempo?

                53quicksiva

                54Nicole_VanK

                55Nicole_VanK

                56 Garp83

                "conjectura, especulação e pensamento criativo" são divertidos no recreio, mas existem coisas como o que os historiadores demonstraram em oposição ao que os historiadores especulam e coisas que são simplesmente inventadas porque apoiam o fervor ideológico de uma pessoa. O copta está muito atrasado para o jogo, uma adaptação do antigo egípcio e do grego. Alguns podem argumentar que foi a conquista de Alexandre que transformou o Egito, e não o contrário. Não há nada na cultura grega da Idade do Bronze que se pareça com o Egito, embora alguns possam argumentar que há influências na Creta minóica. Quanto à lingüística, é absolutamente verdade que você não pode tirar conclusões precipitadas sobre etnicidade com base apenas na lingüística. Claro, temos muito, muito mais do que linguística para esta conversa, mas se virássemos o assunto de cabeça para baixo, NÃO há raízes indo-europeias no antigo egípcio.

                Eu nunca diria que não há influências entre as culturas antigas - é claro que há! Como obras-primas como From Egypt to Babylon de Collins amplamente demonstram, havia uma vasta relação comercial intimamente ligada entre todos os jogadores principais e muitos dos jogadores menores na Idade do Bronze. Interdependência, parafraseando Brian Fagan, era o que importava. No entanto, sugerir que o Egito foi a fundação da Grécia antiga é simplesmente uma má história, porque não se baseia em nada substancial e em muita especulação. É como o argumento espúrio de que Cleópatra era negra - um disparate vestido com uma roupagem ideológica em vez de uma razão histórica séria.

                57Garp83

                Como acompanhamento, gostaria de contar uma história.

                Desde que era um adolescente fascinado pela história, notei uma série de semelhanças surpreendentes entre o Egito Antigo e as grandes civilizações pré-colombianas das Américas.

                Há a obsessão pelas pirâmides, a abundância de múmias (incas), deuses retratados como animais, a escrita de glifos, um governante absoluto tratado como um deus vivo, o aparente desconhecimento da roda.

                No entanto, não há absolutamente nenhuma evidência para conectar essas civilizações com qualquer contato com o antigo Egito. Talvez tal evidência um dia seja descoberta? Quem sabe? Mas podemos dizer que, do jeito que está, não há nada absoluto no registro histórico que conecte o Egito com as Américas. Posso achar isso fascinante, mas não há nada de histórico nisso.

                Agora, sabemos muito mais sobre o antigo Egito e a Grécia antiga do que sobre as raízes das civilizações pré-colombianas, mas não podemos encontrar NENHUMA dessas semelhanças notáveis ​​entre os antigos egípcios e os gregos antigos, ou quaisquer outras semelhanças notáveis ​​para esse assunto , no idioma, costumes, religião, etc.

                Claro, podemos dizer que o Egito influenciou a Grécia em sua arquitetura monumental, talvez, e tenho certeza de que existem vários outros empréstimos culturais, talvez em ambas as direções. Os gregos eram famosos por pegar emprestado de outras culturas e adaptá-lo às suas necessidades, como o alfabeto fenício, por exemplo. Mas não há absolutamente nada tão significativo quanto os paralelos que listei anteriormente entre o Egito e as Américas.

                “Black Athena” apresenta um caso muito fraco para sua tese. E, como digo a meus amigos religiosos, simplesmente acreditar em algo com grande fervor não torna isso verdade. Se tais evidências substanciais vierem à tona, no entanto, eu ficaria feliz em retirar minha crítica. Enquanto isso, vamos nos concentrar nas evidências históricas e aplicar análises e interpretações razoáveis ​​para conectar os fios do que sabemos com o que imaginamos, e abandonar a fantasia para aqueles que escrevem literatura especulativa e ficção científica.

                PS Verdades sustentadas irracionalmente podem ser mais prejudiciais do que erros fundamentados.
                - Thomas H. Huxley

                58Cynara

                Por mais legais que sejam as pirâmides, existe o simples fato de que são uma ótima forma para usar com construção drystone porque não caem muito.Além disso, como outra pessoa chamou minha atenção uma vez, é importante lembrar, ao pensar em zigurates, templos maias e pirâmides egípcias, que algumas culturas usavam o exterior das estruturas e outras - como os egípcios - o interior. Isso parece uma distinção muito importante para mim.

                Para os egípcios, também não era um local de adoração pública - era uma tumba que conectava o rei às forças cósmicas para garantir a transição segura de seu espírito para a divindade. Big diff.

                59quicksiva

                Este livro usa os resultados da escavação e da análise científica paciente para contar uma história cativante.

                Nas mãos do autor, os construtores egípcios das pirâmides são revelados como pessoas simples, levando vidas comuns enquanto se empenham na construção da grande tumba de um Faraó. Eles se preocupam com suas famílias, reclamam da qualidade da comida, enganam os superintendentes e até planejam uma greve por melhores condições. Já se foram os escravos da imagem popular guiados por chicotes: em seu lugar estão trabalhadores qualificados, conhecendo o valor de seu trabalho.

                O livro descreve o trabalho do Projeto Kahun no Museu de Manchester que, desde 1980, tem 'retrabalhado' a principal coleção de objetos escavados por Flinders Petrie, 'Pai da Egiptologia Britânica', em Kahun em 1887. Kahun era uma cidade de trabalhadores da pirâmide , e excepcionalmente importante porque nenhum local desse tipo havia sido descoberto ou escavado antes. Muitos dos bens domésticos e do dia-a-dia ainda permaneciam nas casas, proporcionando uma oportunidade sem precedentes de estudar a vida de tal comunidade, bem como os desenvolvimentos atuais da tecnologia. Esses objetos fornecem um contraste marcante com o conteúdo das tumbas, nas quais se baseia tanto a egiptologia. Os papiros no local também revelaram novos fatos sobre as práticas jurídicas e médicas dessa comunidade e fornecem nossas primeiras informações sobre planejamento familiar e ginecologia no antigo Egito.

                Esta é uma história de detetive envolvente, trazendo ao leitor em geral uma imagem fascinante de uma comunidade especial que viveu no Egito e construiu uma das pirâmides, cerca de 4.000 anos atrás.

                60Cynara

                61Garp83

                62Nicole_VanK

                63Nicole_VanK

                64Feicht

                65quicksiva

                66Nicole_VanK

                Eu realmente não posso responder a isso. Eu não colocaria muito significado nisso. Nag Hamadi é "apenas" aquele lugar onde algumas pessoas encontraram algumas coisas.

                Eu sei, no entanto - ou melhor, fiquei convencido por meio de várias publicações (A arqueologia do Egito antigo, a construção do Egito, Gênesis dos faraós, Egito antes dos faraós - algumas dessas pedras de toque podem não funcionar) - que as origens da civilização egípcia são para ser procurado no sul, ao invés do norte.

                67quicksiva

                68Nicole_VanK

                Oh, desculpe, eu não queria ser desagradável sobre os escritos de Nag Hamadi. Eles são fascinantes, sem dúvida.

                Mas eu não daria muita importância ao local exato onde foram encontrados. Noroeste de Luxor (Tebas) ou Sudeste, ou seja o que for.

                69quicksiva

                70quicksiva

                O mito de Hércules era conhecido pelos sumérios, fenícios e gregos. Heródoto especulou sobre sua origem e remontou aos egípcios. (Ver História, 96-97.) Não existe um deus chamado Hércules no panteão oficial do Egito, mas uma antiga tradição grega identificava Hércules com a antiga divindade nilótica, Khonsu. George St. Clair, em um estudo acadêmico da mitologia egípcia, após discutir os deuses mais conhecidos do antigo Egito, direciona nossa atenção para um pequeno grupo de divindades distantes:
                Estes são Amen, Mut e Khonsu, freqüentemente chamados de Tríade de Tebas ou Trindade da Etiópia. . . . E. A. Wallis Budge nos diz que a tríade de Tebas nada teve a ver com O Livro dos Mortos Egípcio, e podemos suspeitar que eram deuses recém-surgidos ou deuses de origem estrangeira. Por alguma boa razão, o egípcio ortodoxo da velha escola os manteve fora de seus livros sagrados. Eles eram as divindades de Tebas, e aquela cidade ficava centenas de milhas ao sul de Heliópolis, eles eram a Trindade da Etiópia e não do Egito. (St. Clair, George. Registros de Criação Descobertos no Egito: Estudos no Livro dos Mortos. David Nutt, Londres, 1898. p.404.

                No mito de Hércules, o sol (do qual Hércules é a personificação) começa sua jornada zodiacal na constelação de Leão, o Leão, então o primeiro trabalho de Hércules foi matar o leão de Neméia. Depois de matar o leão, o herói esfolou a fera e usou sua pele como escudo. A pele leonina foi comparada às nuvens amareladas que o sol deixa atrás de si enquanto ele luta para passar por vapores que eventualmente supera.

                Quando o sol entra em Virgem, a constelação da Hidra se põe e, portanto, o segundo trabalho de Hércules foi a destruição da hidra Lerneana. O monstro tinha várias cabeças, uma das quais era imortal e quando a hidra ergueu suas cabeças, uma após a outra, para atacar Hércules, o semideus por sua vez queimou as cabeças e eliminou a cabeça imortal enterrando-a sob uma pedra.

                Como a besta possuía muitas cabeças (escreve Olcott), o vento tempestuoso deve fornecer continuamente novas nuvens para vencer o sol, mas o vapor e a névoa mais leves, a cabeça imortal, são conquistados apenas por um tempo. O sol queima facilmente as nuvens pesadas, as cabeças mortais, mas apenas esconde temporariamente a cabeça imortal que se levanta repetidamente para intimidá-lo. Na luta Hércules contou com a presença de seu amigo lolus, esse nome lembra Iole, significando as nuvens tingidas de violeta, as atendentes do sol em seus momentos serenos. (olcottwilliamtyler :: Olcott, William Tyler. 5418972 :: Sun Lore of All Ages. G. P. Putnam's Sons, New York and London, 1914., pp. 72-7.
                Com o início do outono, o sol entra em Libra. Nesta época do ano, a constelação do Centauro ergueu-se no horizonte e Hércules, em seu terceiro trabalho, foi entretido por um centauro. Ainda mais tarde, ele matou um grupo de centauros lutando por um barril de vinho. Quando o sol estava em Libra, a constelação do Javali se ergueu no céu noturno, então, após matar os centauros, Hércules encontrou o javali Erymanthian e o eliminou em um combate mortal.

                Quando o sol entra em Escorpião, a constelação de Cassiopeia, antigamente conhecida como Cervo, surge à vista, e o quarto trabalho de Hércules foi a captura de um cervo com chifres dourados e pés de bronze.

                Conforme o sol passa para Sagitário, três constelações com nomes de pássaros surgem, e esses três grupos de estrelas são chamados de Abutre, Cisne e Águia. Em seu quinto trabalho, Hércules mata três pássaros com flechas.

                A constelação de Capricórnio também era conhecida como o Estábulo de Augeas, e o sexto trabalho de Hércules foi a limpeza do estábulo da Idade Média.
                Quando o sol está em Aquário, a Lira, ou Abutre celestial, se põe.
                Prometeu também define, enquanto o Touro da Europa está no meridiano.

                No sétimo trabalho, Hércules matou o abutre que atacava o fígado de Prometeu e também capturou o touro selvagem que devastou a ilha de Creta.

                Enquanto o sol está em Peixes, Pégaso, o cavalo celestial, se levanta e em seu oitavo trabalho de parto, Hércules carregou os cavalos de Diomede.
                Quando o sol entra em Áries, o Carneiro ou Velocino de Ouro, o Navio Argo nasce no céu noturno e Andrômeda se põe. Uma das estrelas de Andrômeda é chamada de cinto.

                Hércules, no nono trabalho, navegou no Navio Argo para procurar o Velocino de Ouro, ele lutou contra as Amazonas e capturou o cinto de Hipólito, sua rainha, e resgatou Hesione de um monstro marinho, o mesmo que Perseu fez com Andrômeda.

                O sol passa para o Touro ou Boi, conforme as Plêiades nascem e Ou se põem e o décimo trabalho de Hércules foi devolver as sete Plêiades sequestradas a seu pai, após matar seu sequestrador, o Rei Busiris (Orion). Então ele foi para a Espanha e roubou os bois de Geryon.

                Quando o sol se move para Gêmeos, Sirius, a Estrela do Cão, nasce e no décimo primeiro trabalho, Hércules conquistou Cérbero, o cão guardião de Hades.
                O sol entra em Câncer quando as constelações do Rio e Centauro se põem no céu ocidental. A constelação de Hércules desce em direção ao oeste, seguida por Draco, o Dragão do pólo, guardião das Maçãs Douradas das Hespérides. Hércules é representado em atlas como esmagando a cabeça do dragão com o pé.

                Em seu décimo segundo e último trabalho de parto, Hércules viajou para as Hespérides em busca de Maçãs Douradas. Então ele vestiu uma túnica mergulhada no sangue de um centauro, morto por ele na travessia de um rio. O manto misterioso pegou fogo e Hércules morreu nas chamas. Homem, Deus e Civilização de John G. Jackson

                Nesta cena de morte do herói solar afirma Olcott e nas glórias de sua pira funerária, temos a cena do pôr do sol mais famosa que já foi apresentada para nossa contemplação. Todas as cores maravilhosas que adornam o céu ocidental ao pôr do sol iluminam a tela, e o reflexo da cena flui ao longe, iluminando as ondas do Egeu e suas ideias agrupadas e pintando em tons duradouros uma cena em que todas as nações proclamam o mais sublime dessa natureza oferece à visão do homem. (Olcott, William Tyler. Sun Lore of All Ages. G. P. Putnam's Sons, New York and London, (1914.) p. 74)

                71Nicole_VanK

                Heródoto especulou muito e, aparentemente, o mesmo fizeram o Sr. Wallis Budge, o Sr. St. Clair e o Sr. Olcott.

                Vários problemas. Por exemplo:

                Como igualar Hércules à divindade lunar Khonsu se encaixa na interpretação de Hércules como uma personificação do sol?

                Como o fato de a "tríade de Tebas" não ter nada a ver com o Livro dos Mortos egípcio significa que "eles eram deuses recém-surgidos ou deuses de origem estrangeira"?

                Também é lixo que eles tenham sido mantidos fora dos livros sagrados. Existem textos sagrados igualmente "ortodoxos" relativos a Amun.

                p.s .: E como a interpretação alegórica de Hércules (mito solar) sustenta a ideia de que ele era um verdadeiro africano?

                72quicksiva

                De acordo com os defensores da teoria do mito solar, os antigos salvadores crucificados eram personificações do sol e suas histórias de vida eram alegorias da passagem do sol pelas doze constelações do zodíaco. O estudioso romano Macróbio (século IV) foi considerado o pai da teoria do mito solar. Em sua famosa obra, Saturnalia, ele discutiu a prática em templos pagãos de representar os deuses em diferentes idades e afirmou: "Essas diferenças de idade referem-se ao sol que parece um bebê no Solstício de Inverno, como os egípcios o representam em seus templos em um determinado dia que sendo o dia mais curto, ele então deveria ser pequeno e uma criança. "

                Essa teoria não era original de Macróbio, que provavelmente a obteve dos sacerdotes egípcios que estavam acostumados a explicar seus mitos por meio dos princípios da astronomia. A teoria solar foi negligenciada nos últimos anos, por isso vamos dar-lhe alguma atenção. No Egito, há três mil anos, o aniversário do deus sol era comemorado no dia 25 de dezembro, pois era o primeiro dia a se alongar visivelmente após 21 de dezembro (dia do Solstício de Inverno). À meia-noite do primeiro minuto do dia 25 de dezembro, era comemorado o aniversário do sol. Atualmente, os signos zodiacais (devido à precessão) se distanciaram das constelações de mesmo nome. Mas na época em que o zodíaco foi constituído e esses nomes foram dados, o sol estava no signo zodiacal de Capricórnio, que era então conhecido como o Estábulo de Augeas, então o deus-sol infantil teria nascido em um estábulo. Brilhando fortemente no meridiano estava Sirius (a Estrela do Leste), enquanto se erguia no leste estava Virgem (a virgem), a linha do horizonte passando pelo centro dela. À direita de Sirius estava Orion (o grande caçador), com três estrelas em seu cinto. Essas estrelas estão em linha reta e apontam para Sirius. Nos tempos antigos, eles eram conhecidos como os Três Reis. Nós os encontramos nos Evangelhos como os Três Reis Magos. No zodíaco, no interior da cúpula do Templo de Denderah, a constelação de Virgem foi retratada como uma mulher com uma espiga de milho em uma das mãos e, na margem adjacente, a virgem é anotada por uma figura de Ísis com Hórus em os braços dela.

                Mas é bem conhecido como uma questão histórica que a adoração de Ísis e Hórus desceu nos primeiros séculos cristãos até Alexandria, onde assumiu a forma de adoração à Virgem Maria e ao Menino Salvador, e assim passou para o cerimonial europeu. Temos, portanto, a Virgem Maria conectada por sucessão linear e descendência com aquele aglomerado zodiacal remore no céu!


                Conteúdo

                Nascimento e início da vida

                Na mitologia romana, embora Hércules fosse visto como o campeão dos fracos e um grande protetor, seus problemas pessoais começaram desde o nascimento. Hera enviou duas bruxas para impedir o nascimento, mas elas foram enganadas por um dos servos de Alcmene e enviadas para outra sala. Hera então enviou serpentes para matá-lo em seu berço, mas Hércules estrangulou os dois. Em uma versão do mito, Alcmena abandonou seu bebê na floresta para protegê-lo da ira de Hera, mas ele foi encontrado pela deusa Atena que o trouxe para Hera, alegando que ele era uma criança órfã deixada na floresta e precisava de alimento . Hera amamentou Hércules em seu próprio seio até que o bebê mordeu seu mamilo, momento em que ela o empurrou, derramando seu leite no céu noturno e assim formando a Via Láctea. Ela então devolveu o bebê a Atenas e disse-lhe que tomasse conta do bebê sozinha. Ao alimentar a criança em seu próprio seio, a deusa inadvertidamente o imbuiu com mais força e poder.

                Os 12 trabalhos

                Hércules é conhecido por suas muitas aventuras, que o levaram aos confins do mundo greco-romano. Um ciclo dessas aventuras tornou-se canônico como os "Doze Trabalhos", mas a lista tem variações. Uma ordem tradicional dos trabalhos é encontrada na Bibliotheca da seguinte forma: [3]

                1. Mate o Leão da Neméia.
                2. Mate a Hidra Lernaean de nove cabeças.
                3. Capture o Hind Dourado de Artemis.
                4. Capture o Javali Erymanthian.
                5. Limpe os estábulos Augeanos em um único dia.
                6. Mate os pássaros stymphalian.
                7. Capture o touro cretense.
                8. Roube as éguas de Diomedes.
                9. Obtenha o cinto de Hipólita, Rainha das Amazonas.
                10. Obtenha o gado do monstro Geryon.
                11. Roube as maçãs das Hespérides.
                12. Capture e traga Cerberus de volta.

                Aventuras paralelas

                Hércules teve um maior número de "ações paralelas" (parerga) que têm sido temas populares para a arte, incluindo:

                Matando um Cacus cuspidor de fogo (Sebald Beham, 1545)

                Segurando o céu para Atlas (baseado em Heinrich Aldegrever, 1550)

                Luta com Aquelo (placa do século 16)

                Lutando contra o gigante Antaeus (Auguste Couder, 1819)

                Recuperando Alcestis do submundo (Paul Cézanne, 1867)

                Hércules lutando contra o leão da Neméia por Peter Paul Rubens

                Hércules e a Hidra (c. 1475) por Antonio del Pollaiuolo, o herói usa sua pele de leão característica e empunha uma clava

                O infante Hércules (Hércules) estrangulando as cobras enviadas pela deusa Hera (uma mulher protege Ífikles à direita) detalhe de um ático com figuras vermelhas Stamnos de Vulci, Etruria, Itália, c. 480-470 AC

                Hércules apóia o céu para que Atlas lhe traga as maçãs de ouro das Hespérides de J. M. Félix Magdalena

                Morte

                O nome latino Hércules foi emprestado por meio do etrusco, onde é representado de várias maneiras como Heracle, Hercle e outras formas. Hércules era um tema favorito da arte etrusca e aparece com frequência em espelhos de bronze. A forma etrusca Herceler deriva do grego Heracles via síncope. Um juramento suave invocando Hércules (Hercule! ou Mehercle!) era uma interjeição comum no latim clássico. [4]

                Hércules tinha vários mitos que eram nitidamente romanos. Uma delas é a derrota de Caco por Hércules, que estava aterrorizando o interior de Roma. O herói foi associado ao Monte Aventino por meio de seu filho Aventino. Marco Antônio o considerava um deus patrono pessoal, assim como o imperador Cômodo. Hércules recebeu várias formas de veneração religiosa, inclusive como uma divindade preocupada com os filhos e o parto, em parte por causa dos mitos sobre sua infância precoce e em parte porque ele teve inúmeros filhos. As noivas romanas usavam um cinto especial amarrado com o "nó de Hércules", que deveria ser difícil de desatar. [5] O dramaturgo cômico Plauto apresenta o mito da concepção de Hércules como uma comédia sexual em sua peça Anfitrião Sêneca escreveu a tragédia Hercules Furens sobre sua luta com a loucura. Durante a era imperial romana, Hércules era adorado localmente desde a Hispânia até a Gália.

                Associação germânica

                Tácito registra uma afinidade especial dos povos germânicos por Hércules. No capítulo 3 de seu Germânia, Tácito declara:

                . dizem que Hércules também os visitou uma vez e quando foi para a batalha, eles cantaram sobre ele antes de mais nada. Eles também têm aquelas canções deles, pela recitação deste bardito [6] como eles chamam, eles despertam sua coragem, enquanto a partir da nota eles auguram o resultado do conflito que se aproxima. Pois, conforme sua linha grita, eles inspiram ou ficam alarmados.

                Alguns tomaram isso como Tácito igualando o germânico Þunraz com Hercules por meio de interpretatio romana. [7]

                Na era romana, os amuletos do Clube de Hércules aparecem do século 2 ao 3, distribuídos pelo império (incluindo a Grã-Bretanha romana, c.f. Cool 1986), em sua maioria feitos de ouro, em forma de tacos de madeira. Um espécime encontrado em Köln-Nippes traz a inscrição "DEO ELA[culi] ", confirmando a associação com Hércules.

                Nos séculos 5 a 7, durante o período de migração, teoriza-se que o amuleto se espalhou rapidamente da área germânica do Elba em toda a Europa. Esses "tacos de Donar" germânicos eram feitos de chifre de veado, osso ou madeira, mais raramente também de bronze ou metais preciosos. O tipo de amuleto é substituído pelos pingentes do martelo de Thor da Era Viking no decorrer da cristianização da Escandinávia do século VIII ao século IX.

                Depois que o Império Romano se tornou cristianizado, as narrativas mitológicas foram frequentemente reinterpretadas como alegorias, influenciadas pela filosofia da Antiguidade tardia. No século 4, Servius descreveu o retorno de Hércules do mundo subterrâneo como uma representação de sua habilidade de superar desejos e vícios terrenos, ou a própria terra como um consumidor de corpos. [8] Na mitografia medieval, Hércules foi um dos heróis vistos como um forte modelo que demonstrou tanto valor quanto sabedoria, enquanto os monstros com os quais ele lutou eram considerados obstáculos morais. [9] Um glossador notou que quando Hércules se tornou uma constelação, ele mostrou que a força era necessária para entrar no céu. [10]

                A mitografia medieval foi escrita quase inteiramente em latim, e os textos gregos originais foram pouco usados ​​como fontes para os mitos de Hércules.

                O Renascimento e a invenção da imprensa trouxeram um renovado interesse e publicação da literatura grega. A mitografia do Renascimento se baseou mais amplamente na tradição grega de Hércules, normalmente sob o nome romanizado de Hércules ou o nome alternativo Alcides. Em um capítulo de seu livro Mythologiae (1567), o influente mitógrafo Natale Conti coletou e resumiu uma extensa gama de mitos relativos ao nascimento, aventuras e morte do herói sob seu nome romano Hércules. Conti começa seu longo capítulo sobre Hércules com uma descrição geral que dá continuidade ao impulso moralizante da Idade Média:

                Hércules, que subjugou e destruiu monstros, bandidos e criminosos, era com justiça famoso e conhecido por sua grande coragem. Sua grande e gloriosa reputação era mundial, e estava tão firmemente arraigada que ele sempre será lembrado. Na verdade, os antigos o honraram com seus próprios templos, altares, cerimônias e sacerdotes. Mas foi sua sabedoria e grande alma que ganhou essas honras nobre sangue, força física e poder político simplesmente não são bons o suficiente. [11]

                Em 1600, os cidadãos de Avignon conferiram a Henrique de Navarra (futuro rei Henrique IV da França) o título de Hercule Gaulois ("Hércules gaulês"), justificando a lisonja extravagante com uma genealogia que remonta a origem da Casa de Navarra a um sobrinho de Hispalus, filho de Hércules. [12]

                Estrada de Hércules

                A Estrada de Hércules é uma rota pelo sul da Gália que está associada ao caminho que Hércules percorreu durante seu décimo trabalho de resgate do gado de Geryon das Ilhas Vermelhas. [13] Aníbal seguiu o mesmo caminho em sua marcha em direção à Itália e encorajou a crença de que ele era o segundo Hércules. [13] As fontes primárias costumam fazer comparações entre Hércules e Aníbal. [13] Aníbal ainda tentou invocar paralelos entre ele e Hércules, iniciando sua marcha sobre a Itália visitando o santuário de Hércules em Gades. Enquanto cruzava os Alpes, ele executou trabalhos de maneira heróica. Um exemplo famoso foi observado por Tito Lívio, quando Hannibal fraturou a lateral de um penhasco que bloqueava sua marcha. [13]

                Adoração de mulheres

                Na antiga sociedade romana, as mulheres geralmente se limitavam a dois tipos de cultos: aqueles que tratavam de questões femininas, como o parto, e os cultos que exigiam a castidade virginal. [14] No entanto, há evidências sugerindo que havia mulheres adoradoras de Apolo, Marte, Júpiter e Hércules. [14] Alguns estudiosos acreditam que as mulheres eram completamente proibidas de qualquer um dos cultos de Hércules. Outros acreditam que era apenas o "Ara Máximo", em que não tinham permissão para adorar. [14] Macróbio em seu primeiro livro de Saturnalia paráfrases de Varro: "Pois quando Hércules estava trazendo o gado de Geryon pela Itália, uma mulher respondeu ao herói sedento que ela não poderia dar-lhe água porque era o dia da Mulher Deusa e era ilegal para um homem provar o que havia sido preparado para ela. Hércules, portanto, quando ele estava prestes a oferecer um sacrifício proibir a presença de mulheres e ordenou a Potício e Pinarius que estavam encarregados de seus ritos, para não permitir que nenhuma mulher participasse ". [14] Macrobius afirma que as mulheres foram restringidas em sua participação nos cultos de Hércules, mas até que ponto permanece ambíguo. Ele menciona que as mulheres não tinham permissão para participar do Sacrum, um termo geral usado para descrever qualquer coisa que se acreditasse pertencer aos deuses. Isso pode incluir qualquer coisa, desde um item precioso até um templo. Devido à natureza geral de um sacro, não podemos julgar a extensão da proibição apenas de Macróbio. [14] Existem também escritos antigos sobre este tópico de Aulus Gellius ao falar sobre como os romanos prestavam juramentos. Ele mencionou que as mulheres romanas não juram por Hércules, nem os homens romanos juram por Castor. [14] Ele continuou dizendo que as mulheres evitam sacrificar a Hércules. [14] Propertius em seu poema 4.9 também menciona informações semelhantes como Macrobius. Esta é uma evidência de que ele também estava usando Varro como fonte. [14]

                Adoração no mito

                Há evidências da adoração de Hércules no mito do poema épico latino, o Eneida. No 8º livro do poema, Enéias finalmente chega ao futuro local de Roma, onde encontra Evander e os Arcadianos que fazem sacrifícios a Hércules nas margens do rio Tibre. [15] Eles compartilham um banquete, e Evander conta a história de como Hércules derrotou o monstro Cascus, e o descreve como um herói triunfante. [15] Traduzido do texto latino de Virgílio, Evander afirmou: "O tempo nos trouxe, em nosso tempo de necessidade, a ajuda e a chegada de um deus. Pois lá veio aquele vingador mais poderoso, o vencedor Hércules, orgulhoso com a matança e os despojos do triplo Geryon, e ele conduziu os poderosos touros aqui, e o gado encheu o vale e a margem do rio. [15]

                Hércules também foi mencionado nas Fábulas de Gaius Julius Hyginus. Por exemplo, em sua fábula sobre Filoctetes, ele conta a história de como Filoctetes construiu uma pira funerária para Hércules para que seu corpo pudesse ser consumido e elevado à imortalidade. [16]

                Hércules e o triunfo romano

                De acordo com Tito Lívio (9.44.16), os romanos comemoravam as vitórias militares construindo estátuas para Hércules já em 305 AEC. Além disso, o filósofo Piny, o Velho, remonta o culto a Hércules à época de Evander, ao credenciá-lo a erguer uma estátua no Forum Boarium de Hércules. [17] Os estudiosos concordam que deveria haver 5 a 7 templos na Roma de Augusto. [17] Acredita-se que haja relação republicana triunfadores, no entanto, dedicações não necessariamente triunfais. Existem dois templos localizados no Campus Martius. Um, sendo o Templo de Hércules Musarum, dedicado entre 187 e 179 aC por M. Fulvius Nobilior. [17] E o outro sendo o Templo de Hércules Custos, provavelmente reformado por Sila na década de 80 aC. [17]

                Em arte

                Nas obras de arte romana e na arte renascentista e pós-renascentista, Hércules pode ser identificado por seus atributos, a pele de leão e a clava retorcida (sua arma preferida) em mosaico mostra-se bronze curtido, aspecto viril. [18]

                No século XX, o Farnese Hercules inspirou artistas como Jeff Koons, Matthew Darbyshire e Robert Mapplethorpe a reinterpretar Hércules para novos públicos. [19] A escolha de materiais deliberadamente brancos por Koons e Darbyshire foi interpretada como perpetuação do colorismo em como o mundo clássico é visto. [19] O trabalho de Mapplethorpe com o modelo preto Derrick Cross pode ser visto como uma reação ao colorismo neoclássico, resistindo à representação de Hércules como branco. [19]


                Hércules existia?

                Hércules é um dos heróis gregos mais famosos dos tempos antigos, conhecido por suas realizações heróicas e sua força inacreditável. Ele era uma pessoa muito especial e ao mesmo tempo extremamente comum, no conceito de que enfrentava os problemas do dia-a-dia que ele mesmo tinha que superar. Embora seus traços pessoais corajosos o tornassem famoso, ele não era perfeito em todos os aspectos. Hércules nasceu de uma mulher mortal com o nome de Alcmena e pai do maior Deus da mitologia grega, Zeus, fazendo de Hércules um Deus Demi.

                Essa ideia significava que Hércules tinha algumas características que eram muito piedosas, alguns poderes divinos, mas ao mesmo tempo ele era um mortal, o que significa que ele poderia morrer. Suspeita-se que os gregos inventaram essa ideia porque queriam alcançar os Deuses tanto quanto possível, para criar imagens que se considerassem dignas da divindade superior. Alguma coisa está sempre escondida por trás de cada mito, então é muito provável que um dia existiu um homem que era fisicamente forte e causou tal impressão no mundo grego antigo, que um mito foi criado em torno de seu nome.

                Vamos escrever um ensaio personalizado especificamente
                Para você por apenas $ 13,90 / página!

                A questão é: Hércules realmente existiu? Um fator importante nas bem conhecidas tragédias em torno de Hércules é o ódio que a Deusa Hera, esposa de Zeus, sentia por ele. Ele era filho do caso que Zeus teve com a mortal Alcmena. A própria existência provou ser um dos muitos casos ilícitos de Zeus, e Hera frequentemente conspirava contra a prole mortal como vingança pelas infidelidades de seu marido. Rebecca Kennedy, aluna do Saint Anselm College diz: “O ódio de Hera por Hércules é irracional. É quase como se ela soubesse que ele iria desafiar seu favor no céu de alguma forma.

                Ela sabia que havia algo sobre Hércules que era diferente das outras crianças e talvez ela se sentisse ameaçada por isso, mas todos os dias da vida dele parecia estar pagando por esse ódio dela. ”Aos 8 meses de idade, Hera tentou matar o bebê Hércules enviando duas cobras venenosas colocadas em seu berço uma noite. No entanto, a criança agarrou as cobras e estrangulou-as até a morte. Embora Hera não tenha conseguido matar Hércules, ela o perseguiu ao longo de sua vida, causando muitos dos eventos que levaram a seu grande sofrimento e punições.

                Em fevereiro de 2004, em uma cidade grega chamada Tebas, os arqueólogos descobriram evidências que lançam uma nova luz sobre a história do nascimento de Hércules. Lá, eles descobriram um templo enterrado sob um lote residencial comum com seu centro contendo os restos de um altar. Entre os vestígios arquitetônicos, centenas de vasos de cerâmica, vasos de bronze e estatuetas foram encontrados, cada um deles retratando imagens de Hércules. Após a descoberta, as pesquisas relacionaram as descobertas a um texto de 2.500 anos que descreve uma misteriosa casa de Hércules em Tebas, do lado de fora dos portões da antiga cidade.

                Acredita-se que a descoberta marque o local da casa onde os tebanos acreditavam que Hércules cresceu. A descrição no texto dos antigos combinava perfeitamente com o local e também é dito que o santuário foi erguido no local preciso do nascimento de Hércules. Tom Stone, um historiador grego, sugere que “Hércules é incapaz de estabelecer contatos emocionais com ninguém; na verdade, parece haver um tipo de qualidade esquizofrênica em sua constituição. Ele era meio humano e meio divino. E ainda assim ele tinha um pai que não o protegia das terríveis provações e tribulações que Hera infligia a ele.

                Ele foi deixado sozinho suspenso entre o céu e a terra e sem ter para onde ir ”Algumas versões do mito de Hércules retratam que sua família veio de um assentamento grego chamado Tirânidas. Fontes antigas sugerem que já foi o lar de um verdadeiro guerreiro que era conhecido por sua grande força e até pensava ter uma conexão direta com os deuses. Este guerreiro cujo nome se perdeu na história serviu ao governante de um poderoso reino chamado Micenas. No mito, Hércules também serve ao rei de Micenas, seu primo Euristeu, que lhe atribui os 12 trabalhos.

                Outras pistas sobre o homem por trás do mito podem ser encontradas em um dos locais mais lendários da Grécia, Olímpia. No ano de 1776 aC, os primeiros jogos olímpicos foram realizados lá. Ganhar esses jogos era o mais próximo que um mortal poderia chegar dos Deuses. Existem paralelos notáveis ​​entre os desafios que Hércules enfrentou em seu trabalho e os dos jogos. Ambos foram feitos de força e resistência que apenas o atleta mais disciplinado poderia realizar. A conexão entre Hércules e as Olimpíadas é mais profunda. Hércules supostamente fundou os Jogos Olímpicos após um de seus trabalhos.

                Sugere-se que ele esteja diretamente ligado à base original dos jogos. Os vestígios das pistas em Olympia têm 600 pés e, de acordo com os antigos gregos, são 600 pés do próprio Hércules. Segundo a lenda, Hércules percorreu o estádio, que tinha 600 degraus e 192. 27 metros. Os historiadores deduziram que os pés de Hércules tinham, na verdade, 12,6 polegadas de comprimento, um sapato tamanho 13. Mais vestígios de Hércules também podem ser vistos no templo principal. Os relevos recuperados das paredes externas retratam seus 12 trabalhos. Ele era reverenciado por todos os atletas e se comparava a Hércules.

                Era muito importante para os gregos nunca se renderem, tantos atletas morreram em vez de desistir. Ainda jovem, Hércules foi lutar contra os minianos, grupo indígena que habitava a região do Egeu, que obrigava os tebanos a prestar homenagem. Como recompensa por conquistar os minianos, o rei de Tebas deu a Hércules a mão de sua filha, Megara. Hércules era dedicado a ela e aos três filhos que ela lhe deu. Uma noite, enquanto Hércules dormia, Hera o atingiu com um acesso de loucura durante o qual ele presumiu que sua família era sua inimiga e matou sua esposa e filhos.

                Quando ele acordou de sua loucura temporária, ele se viu coberto com o sangue de sua própria família. Peter Struck, da Universidade da Pensilvânia, diz “Ele não sabia que era ele quem fez isso. Mesmo assim, ele tinha manchas de sangue. A marca física de culpa. Como é a partir deste acidente horrível que o resto da história de Hércules se desenrola. Quando sua raiva cega diminui, ela é substituída por um remorso intenso, uma angústia horrível que o atormentará para sempre. O arrependimento que Hércules sente é conhecido pelos Gregos Antigos como culpa de sangue.

                Na antiguidade, a culpa de sangue é entendida como uma maldição que se agarrava à pessoa com o sangue do assassinato do outro em que ela estava envolvida. É vista como ligada à Penitência Cristã, onde a pessoa faria certas boas ações na terra para compensar o mal que alguém pode ter cometido. Este é visto como o próprio eixo da vida de Hércules. Devastado de tristeza e culpa, o herói foi ao oráculo de Delfos para perguntar como ele poderia expiar seu delito. O oráculo disse-lhe que fosse até o rei Euristeu de Tiryns e se submetesse a qualquer punição que lhe fosse pedida.

                Aqui, ela também anunciou que se ele concluísse as tarefas que lhe foram propostas, ele se tornaria imortal e seria capaz de se juntar aos deuses do Monte Olimpo. Delphi é o templo sagrado que desempenha um papel fundamental em muitos mitos gregos. Mas não é apenas um lugar mítico. As ruínas do templo oráculo ainda podem ser encontradas nas montanhas do centro da Grécia. 2500 anos atrás, uma sacerdotisa estava lá em um estado de transe enquanto vapores misteriosos se erguiam ao seu redor. Ela falou em enigmas e supostamente canalizou a palavra dos deuses. Uma nova descoberta revela de onde os poderes dos oráculos se originaram.

                Um levantamento geológico recente mostra que o templo Delphi fica precisamente na intersecção de duas linhas de dobra. Isso pode explicar os vapores mágicos que cercaram a profetisa. A nova evidência sugere que os movimentos da Terra ao redor dessas dobras podem, na verdade, ter liberado gás etileno que teria vazado por essas rachaduras na terra. Pessoas que respiram muito desse gás cairão em um transe que soa quase exatamente como o que o Oráculo de Delfos experimentou. ? Os trabalhos que Hércules se propôs a realizar serviam a uma função que era remover a poluição por ter matado sua família.

                Ele precisava se purificar para purificar suas mãos para purificar sua alma mais tarde dos crimes graves que cometeu. Mal sabia Hércules que o rei Eurystheus foi submetido para servir por Hera e que os trabalhos foram criados para desafiar e levar Hércules à sua derrota final. Sua primeira tarefa foi trazer a Euristeu a pele do leão invulnerável que aterrorizava as colinas de Nemea. O problema que Hércules precisa superar é que, mesmo sendo um arqueiro magnífico, a pele do leão é impenetrável às suas flechas.

                Portanto, é apenas com sua força natural que ele consegue vencer o leão. Ao fazê-lo, ele esfola o leão, adota-o como sua própria armadura e começa a usá-lo. Em todos os trabalhos, Hércules sucumbe a um tema que se torna evidente que é o homem contra a natureza. A Hidra de nove cabeças que é o segundo trabalho de Hércules, representa a luxúria humana por prazer que os gregos acreditavam ser impossível de matar. Quando ele cortou um dos pescoços da Hydra, mais dois cresceram em seu lugar. Hércules logo percebeu que precisava desenvolver uma nova estratégia, então ele pegou uma tocha e queimou a pele da fera.

                Ele teve a ideia de queimar os tocos para cauterizar o pescoço para que a cabeça não voltasse a crescer. Depois de matar a besta, ele mergulhou as pontas de suas flechas no sangue da Hydra e a partir de então passou a ter flechas tóxicas. A palavra tóxico, que significa "venenoso", vem da palavra grega toxon, que é um arco com o qual você atira flechas. Tão tóxico em grego simples significa relacionado ao arco que preserva a lenda de Hércules dentro da palavra. Em seu caminho para seu décimo trabalho, ele teve que se aventurar além do Mar Mediterrâneo, no Oceano Atlântico, mas um obstáculo estava em seu caminho.

                Uma cadeia de montanhas que conectava a Europa e a África em um continente, separando o mar do oceano. Na mitologia grega, é sugerido que, para superar isso, Hércules dividiu a montanha em duas com um golpe de espada. Esta parte do mito foi criada para explicar como o atlântico e o mediterrâneo foram unidos. Essas duas falésias são conhecidas como Pilares de Hércules ou Rochedo de Gibraltar. Para os gregos antigos, os pilares de Hércules não eram apenas um portal para um oceano inexplorado, mas também os portais entre a realidade e o mito.

                Uma descoberta recente sugere que muitos marinheiros lançaram âncora ali para prestar homenagem ao próprio herói. Em uma caverna na rocha de Gibraltar, os arqueólogos encontraram centenas de artefatos que se acredita estarem ligados a hércules. As amostras foram retiradas e enviadas para datação por radiocarbono e eram todas combinações perfeitas umas com as outras, pois todas parecem apontar para um período de cerca de 400 anos de cerca de 800 AC a 400 AC. Esses objetos foram colocados cada um especificamente por um motivo particular e os arqueólogos estão bastante confiantes de que o que foi encontrado ali faz parte de um grande santuário de Hércules.

                Os especialistas acreditam que os gregos iam ao santuário para orar por suas vidas enquanto se preparavam para seguir Hércules rumo ao desconhecido. Eles não sabiam se havia algo além dos pilares. No mito, Hércules enfrenta a mesma incerteza ao cruzar o limiar do desconhecido. Depois de completar os 12 trabalhos, Hércules não sentiu o alívio que pensava que receberia e ainda estava temeroso de culpa. Ele percebe que há apenas uma fuga da maldição de Hera e então ele constrói uma enorme pira funerária. Sua vida na Terra termina exatamente como ele a suportou, em tormento.

                Quando o processo de queima começa, parece que a limpeza final que queima não é Hércules, mas sua carne mortal e isso libera sua alma enquanto ele próprio ascende ao céu. É por meio de sua morte que ele é finalmente redimido e Zeus, o próprio rei dos deuses, convidou Hércules para se juntar aos imortais no Monte Olimpo e sua nêmesis Hera finalmente cede. As lutas de Hércules fizeram dele a personificação perfeita de uma ideia que os gregos chamavam de pathos, a experiência de luta virtuosa e sofrimento que levaria à fama e, no caso de Hércules, à imortalidade.

                A combinação de força e sofrimento no mesmo personagem tornou-o identificável para as pessoas do mundo grego antigo. Eles viram em Hércules um herói digno de pena e admiração, alguém cuja história trágica estava conectada à sua própria realidade. O ato final de Hércules é de auto-sacrifício e novamente há um interessante paralelo cristão a este herói que tem que sofrer para obter a imortalidade e quando ele se incendeia, queima toda a mortalidade e tudo o que resta é sua essência e isso é o que sobe ao céu.


                FAMÍLIA DE CHIRON

                PAIS

                [1.1] KRONOS & amp PHILYRA (Titanomachia Frag 6, Pindar Pythian Ode 3, Apollodorus 1.8, Apollonius Rhodius 2.1231, Hyginus Faulaeb 138, Hyginus Astronomica 2.38, Ovid Metamorphoses 6.126 e amp 7.352, Ovid Fasti 5.379, Plinyus 3,579, Virgilics 3.92 Natural History 3.92 7.197)

                FILHOS

                [1.1] THE NYMPHAI PELIONIDES (por Khariklo) (Pindar Pythian Ode 5)
                [2.1] ENDEIS (Hyginus Fabulae 14)
                [3.1] MELANIPPE (Euripides Melanippe Frag, Callimachus Frag, Hyginus Astronomica 2.18)
                [3.2] OKYRRHOE (por Khariklo) (Ovídio Metamorfoses 2.635)
                [4.1] KARYSTOS (por Khariklo) (Scholiast em Pítaro Pythian 4.181, Eustathius em Homero 281)


                Hércules

                O primeiro feito de força de Hércules foi estrangular duas serpentes que haviam sido colocadas em seu berço.

                Recursos relacionados para este artigo

                O mais forte e mais célebre dos heróis da mitologia clássica, Hércules, chamado de Hércules pelos gregos, era filho do deus Zeus e do mortal Alcmena. A deusa Hera, que odiava o bebê Hércules, enviou duas serpentes para destruí-lo em seu berço, mas Hércules as estrangulou. Quando menino, Hércules foi treinado pelo centauro Quíron.

                Quando Hércules era jovem, duas donzelas vieram até ele. Arete representava a virtude Kakia era o vício. Kakia ofereceu prazer e riquezas a Hércules se ele a seguisse. Arete ofereceu-lhe apenas a glória por uma luta ao longo da vida contra o mal. Hércules optou por ser guiado por Arete.

                Em um ataque de frenesi causado por Hera, Hércules matou seus próprios filhos. Para expiar, ele teve que servir a seu primo, o rei Eurystheus, que ordenou que ele executasse as tarefas conhecidas como os 12 trabalhos de Hércules.

                O primeiro foi o assassinato do leão de Neméia. Hércules estrangulou o animal e vestiu a pele de leão. Ele então matou a Hydra, uma serpente terrível com nove cabeças. O terceiro e o quarto trabalhos envolveram a captura de duas criaturas selvagens - o veado Ceryneian com chifres dourados e o javali erimanto selvagem.

                Para seu próximo trabalho, Hércules teve que limpar os estábulos de Augias, que não eram limpos há 30 anos. Ele dobrou dois rios, o Alpheus e o Peneus, através dos estábulos, terminando o trabalho em um único dia. Em seguida, ele matou os ferozes pássaros da Estinfália, após o que capturou o touro de Creta. Em seguida, ele capturou as éguas selvagens carnívoras de Diomedes, rei da Trácia. Hércules matou Diomedes e deu comida aos cavalos. Ele então teve que obter o cinto de Hipólita, rainha das Amazonas. Ele derrotou as amazonas, matou a rainha e levou o cinturão. Para seu décimo trabalho, Hércules capturou os bois do monstro Geryon, que vivia na lendária ilha de Eriteia.

                Os dois últimos trabalhos foram os mais difíceis. Um deles envolvia roubar as maçãs douradas guardadas por quatro ninfas irmãs chamadas Hespérides. O pai deles era Atlas, que sustentava os céus em suas costas. Para obter as maçãs, Hércules tomou o lugar de Atlas enquanto Atlas pegou as maçãs. Finalmente Hércules viajou para o Hades, onde capturou Cerberus, o cão de muitas cabeças que guardava os portões do submundo. Ele trouxe Cérbero para Euristeu, mas o rei estava tão apavorado que Hércules teve que retornar ao Hades para levar o monstro de volta.

                Tendo completado as 12 tarefas, Hércules agora estava livre, mas realizou outras proezas. O centauro Nessus tentou tirar a esposa de Hércules, Deianeira. Hércules atirou em Nessus com uma flecha envenenada. O centauro moribundo fez Deianeira guardar um pouco de seu sangue como amuleto de amor. Quando Hércules se apaixonou por outra donzela, Deianeira mandou-lhe um manto ensanguentado. Hércules o vestiu e o veneno se espalhou por seu corpo como fogo. Ele fugiu para o Monte Oeta, acendeu uma fogueira funerária e se jogou nela para morrer.

                A força heróica de Hércules inspirou muitas obras de arte. Um bom exemplo de escultura é o Farnese Hércules, uma cópia de uma obra anterior do antigo escultor Lísipo.


                Assista o vídeo: Hércules virando deus